maionese de amêndoa [no sanduíche de pepino]

Estou um pouco obcecada com receitas veganas, porque meu queixo sempre caí com o nível altíssimo de criatividade para replicar alimentos sem nenhum produto derivado de animais. Comprei uma verdurinha diferente no farmers market, um verdinho muito picante chamado wild cress. A moça que me vendeu sugeriu colocá-las num sanduíche de pepino com maionese. Decidi experimentar fazer uma maionese vegana e escolhi fazer essa com amêndoas. Adorei o resultado e preparei os sanduíches com pepinos em rodelas [com casca e tudo], pão de trigo germinado, as folhinhas de wild cress e bastante maionese.

faz cerca de 1 xícara
1/2 xícara de amêndoas deixadas de molho em água por 8 horas e as cascas removidas [fica fácil remover com os dedos depois de demolhar e escorrer a águra]
1/2 xícara de água
Suco de 1/2 limão
1/4 colher de chá de mostarda em pó
1/2 colher de chá de sal
1/4 colher de chá de pimenta do reino moída na hora
1/2 a 3/4 xícara de azeite
1 colher de chá de xarope de agave ou maple

Coloque todos os ingredientes, exceto o azeite, no liquidificador e bata até ficar homogêneo. Com o liquidificador ainda em funcionamento despeje com cuidado e lentamente uma pequena quantidade de azeite através da abertura na tampa do liquidificador. Comece com 1/2 xícara de óleo e continue até atingir a consistência correta, até 3/4 xícara. Prove e ajuste os temperos, adicionando mais suco de limão ou um pouco de vinagre de maçã se você quiser acentuar mais o sabor. Eu usei um pouquinho de vinagre de maçã. Refrigere e use.

Monroe Ridge Trail––Coloma

Essa trilha na região da corrida do ouro foi super tranquila. Escolhemos a Monroe Ridge Trail em Coloma por ser mais ou menos perto, um pouco mais pro norte, numa região já mais próxima da serra. A caminhada foi fácil, subimos, descemos, fizemos um picnic e depois visitamos a cidadezinha histórica que preserva a história do Gold Rush, que facilitou a incorporação do território à união, transformado a Califórnia em estado.

bolo de pêssego

Neste verão estou totalmente descontrolada comprando frutas. Além de legumes, é claro, somente porque não posso evitar. Daí é um ziriguidum para consumir tudo, mas eu não reclamo. É uma época de tanta fartura, a gente tem que se jogar na onda e deixar ela te levar. Fiz esse bolo porque acabei com um monte de pêssegos lindos competindo com damascos, ameixas, cerejas, morangos e laranjas que ganhei no trabalho. Ficou um bolo bem macio, o pêssego meio que desapareceu na massa, mas gostamos mesmo assim!

9 colheres de sopa de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 xícara mais 2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de raspas de limão [cerca de 1 limão grande]
3 ovos caipiras grandes
1 xícara de pêssegos descascados e cortado em cubinhos
1 colher de sopa de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal
1 xícara mais 5 colheres de sopa de farinha de trigo
1 xícara de ricota fresca

Aqueça o forno a 400°F/205°C. Unte uma forma com fundo removível com manteiga. Na batedeira bata a manteiga, o açúcar e as raspas de limão até formar um creme leve e fofo, vá raspando os lados da vasilha com uma espátula se necessário. Em velocidade baixa, adicione os ovos um de cada vez. Ainda em velocidade baixa, adicione os pêssegos, depois o fermento e o sal. Misture bem para combinar. Junte a farinha e a ricota alternando, um pouco de cada vez, até tudo ficar completamente incorporado. Coloque a massa na forma preparada, alise a parte superior com uma espátula e leva ao forno. Asse por cerca de 30-40 minutos, até que o bolo esteja bem dourado. Deixe esfriar na forma sobre uma grade por 10 minutos. Remova o bolo da forma e deixe esfriar completamente na grade. Coloque num prato, peneire o açúcar de confeiteiro por cima e sirva.

berinjelas variadas
[com ideias para usá-las]

O casal de fazendeiros no Farmers Market de Woodland vende os primeiros tomates da estação. A barraca deles é bem popular. Eles trazem também pepinos, abobrinhas, pimentões e as berinjelas. E as berinjelas são lindas, eu *tenho* que comprar! Essas não precisam salgar pra tirar amargo, deixar de molho no vinagre, nada desses truques. Usa-se direto. E aprendi que berinjela não precisa de geladeira, desde que usada dentro de uns 3 dias. Essas fiz na churrasqueira, grelhadas. Corta no meio, tempera como quiser, eu usei um sal de limão ou sal de hibisco ou sal de alecrim, azeite, depois salpica com ervas e sementes tostadas, de abóbora, de girassol, faz um molhinho com iogurte, mais limão, xarope de romã ou de tamarindo, pimenta vermelha ou do reino, vinagre balsâmico, raspinhas de limão, decora com tomatinhos, manjericão, hortelã, salsinha. O céu é o limite pra usar a imaginação, isso fica com demais!

hummus cru de grão de bico germinado

Fiz esse hummus cru pra levar numa festa na casa das nossas vizinhas. Usei o grão de bico germinado e cru, não cozinhei. Bati no processador de alimentos os grãos germinados com um dente de alho, suco e raspas da casca de um limão Tahiti, tahini cru, sal, um punhadinho de salsinha e água gelada até dar ponto. Na hora de servir adicionei azeite extra-virgem, uma pitada de sal de hibisco [mói o sal grosso com flores secas] e sementes de girassol torradas. U-la-la!

grão de bico grão de bico grão de bico

grãos germinados

Minha nova mania tem sido germinar grãos. É muito mais fácil do que eu imaginava. Vi alguns vídeos no YouTube e mandei bala. É só deixar os grãos de molho durante a noite, depois escorrer e colocar num vidro tampado com um paninho e seguro com um elástico. Eu deixo o vidro deitado, mas se você tiver um escorredor de pratos que possibilite deixar o vidro enviezado, com a parte aberta para baixo, melhor. Por uns 2 ou 3 dias, dependendo do grão, lave os grãos pelo menos duas vezes por dia e deixe o vidro embocado ou deitado num lugar seco e fresco. Dependendo do grão os brotinhos já começam a aparecer no primeiro dia, foi o caso dos mung beans. Eu não imaginei que eles iriam crescer tanto e de um dedo de grãos, eles germinaram e encheram o vidro até a boca! Lindo de ver! Pode comê-los crus ou dar uma leve passadinha no vapor pra deixá-los mais delicados. Estou usando os brotos em saladas, cozidos nas receitas, muito bom!

Helen Putnam em Petaluma

O Helen Putnam Loop, em Petaluma foi super easy breeze, não teve muitas subidas, mas estava uma ventania e um frio, deu um cansaço. A trilha é bem cheia de gente e de cachorros e estava linda no inicio da primavera. Eu curti muito andar nela, achei até a minha Bo Tree. Mas consideramos o loop muito próximo da cidade, mais como um parque de caminhadas do que uma trilha. Marcamos ela como “feita” na nossa lista, e seguimos em frente com outras opções.

pudim de chocolate — duas versões [gengibre ou caiene-canela]

Fiz esses pudinzinhos de sobremesa pra um almoço de domingo com convidados. Achei araruta pra comprar no supermercado [da marca Bob’s Red Mill] e mandei bala. Como a namorada do meu filho não gosta de gengibre, dupliquei a receita e fiz duas versões, a com gengibre e a com caiena e canela. As duas ficaram ótimas.

1 e 3/4 xícaras de half and half ou leite integral [pode substituir leite de coco sem açúcar ou outro leite vegetal]
1/2 xícara de açúcar
4 e 1/2 colheres de chá de pó de araruta
Uma pitada generosa de sal
250 gr de chocolate amargo picado
2 colheres de chá de extrato de baunilha

para o pudim de chocolate do gengibre:
2 colheres de chá de gengibre em pó
1/4 xícara de gengibre cristalizado picado para decorar

para pudim de chocolate mexicano:
1 e 1/4 colheres de chá de canela em pó
1/8 colher de chá de pimenta de Caiena
1/4 de xícara de nibs de cacau para decorar

Misture o leite, açúcar, araruta e sal em uma panela grande até o açúcar começar a dissolver. * Adicione os sabores de gengibre ou caiena-canela nessa etapa. Leve ao fogo e aqueça a mistura em fogo médio-alto, mexendo sempre. Quando começar a engrossar, um pouco antes de começar a ferver, desligue o fogo mas deixe a panela no fogão. Adicione o chocolate, cubra com uma tampa e espere 30 segundos. Retire a tampa e use um mixer de mão para dissolver todo o chocolate. Coloque a baunilha. Divida o pudim em tacinhas. Deixe esfriar em temperatura ambiente e leve à geladeira até a hora de servir.

*para variações de gengibre ou chocolate mexicano, misture os ingredientes respectivos com o açúcar na primeira etapa e decore com gengibre cristalizado ou nibs de cacau por cima antes de servir.

bolinho de banana [feito com farinha de banana verde]

banana muffins

Noutro dia comprei um pacote de farinha de banana verde por curiosidade. Já tinha visto algo com essa farinha, mas nunca tinha usado. Gosto de novidades e de experimentar coisas novas, todos sabem! Procurei receitas, prefiro as em inglês porque se adaptam melhor pra mim. Não achei muitas, mas tentei uma de bolo primeiro que achei bem ruinzinha. O bolo ficou muito seco. Depois resolvi tentar uma outra de bolinhos e mudei algumas coisas, esperando que não fosse ficar bom, mas ficou! Os bolinhos ficaram deliciosos e super macios! Gostei.

1/2 xícara de farinha de banana
1/2 xícara de iogurte grego [*usei kefir]
2 ovos caipiras
1/3 xícara de leite vegetal [*usei kefir também]
1/2 xícara de xarope de bordo [maple syrop]
2 colheres de chá de óleo vegetal
1 colher de chá de cacau em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
2 bananas nanicas bem maduras

Pré-aqueça o forno em 350F/ 176C. Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem até que todos os ingredientes estejam bem combinados. Despeje a massa numa forma de 12 muffins untada com óleo. Asse por 20-25 minutos. Remova do forno, deixe esfriar e desenforme.Eu salpiquei os bolinhos com sementes de gergelim e nibs de cacau antes de assar.