salada de grão de bico, lentilha & rabanete

Estamos surfando uma ondaça de calor. A primeira do verão, que nem começou ainda oficialmente. No dia que fez 41C, meu jantar foi essa salada. Eu já tinha grão de bico cozido na geladeira [que sempre deixo de molho e depois cozinho na panela de pressão antecipadamente] e só cozinhei a lentilha, coisa rápida. Daí é só misturar tudo, temperar e comer!

para a salada:
1 xícara de grão de bico cozido
1 xícara de lentilha [usei a francesa, verde] cozida al dente
2 ou 3 rabanetes fatiados finos
folhas de coentro e de hortelã inteiras
para temperar:
Suco e raspas da casca de 1 limão
Sal e pimenta do reino moída na hora
1 colher de chá de mostarda [usei uma com cognac]
Azeite

tofu grelhado [com molho de coentro e gengibre]

Receita que tirei da revista da Martha Stewart, que agora pego de graça pra ler pelo Amazon Prime. A maioria das revistas não me interessam mais, por causa da falta de interatividade na leitura no iPad ou porque quase todas as receitas levam carne. Essa se salvou. Fiz e ficou muito boa. Usei um tofu extra firme com alto teor de proteína.

2 xícaras de folhas de coentro fresco
1/4 xícara mais 1 colher de sopa de óleo vegetal
1/2 pimenta jalapeño sem sementes e picado
1 colher de chá de gengibre fresco ralado
2 colheres de sopa de suco de limão Tahiti fresco
3 cebolinhas picadas
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora
400 gr de tofu extra-firme drenado e cortado em fatias

Em um processador de alimentos, misture o coentro, 1/4 xícara de óleo, pimenta jalapeño, gengibre, suco de limão e cebolinha. Processe bem e tempere com sal e pimenta. Coloque as fatias de tofu num refratário e cubra com o molho. Deixe marinar algumas horas ou de um dia para o outro, coberto na geladeira. Remova as fatias de tofu do molho e grelhe tofu numa frigideira própria untada com 1 colher de sopa de óleo ou faça na churrasqueira, como eu fiz. Remova da grelha e sirva com o molho numa vasilha separada.

bolo de banana [vegano] com gergelim

Uma vez por mês eu cozinho num abrigo para moradores de rua na minha cidade. A gente faz o jantar com ingredientes doados. Sempre tem toneladas de coisas e infelizmente nem tudo consegue ser usado a tempo. No último dia que fui fazer o jantar lá tinha muitas caixas cheias de bananas extremamente maduras. Servimos o que deu e eu trouxe dois pacotes pra casa. Fiz com algumas delas esse bolo de banana vegano e o resto eu congelei. Eu apenas diminuí a quantidade de açúcar da receita original e acrescentei gergelim extra na massa. Levei o bolo inteiro pra dividir com meus colegas de trabalho no dia seguinte e nunca vi nada desaparecer tão rápido. Ficou muito bom!

1 e 3/4 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
4 bananas bem maduras amassadas [cerca de 1 e 1/2 xícaras]
1/3 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de óleo de coco derretido
2 colheres de sopa de tahine
2 colheres de sopa de extrato de baunilha
1 colher de chá de vinagre de maçã
1/4 colher de chá de sal
2 colheres de sopa de sementes de gergelim tostadas

Preaqueça o forno a 350°F/176°C. Unte uma forma de pão com óleo e forre o fundo com papel vegetal. Em uma tigela de tamanho médio misture a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio. Reserve. Em outra tigela misture as bananas amassadas, o açúcar mascavo, o óleo de coco derretido, o tahine, a baunilha, o vinagre e o sal e misture até incorporar bem. Misture os ingredientes secos na mistura de banana até ficar tudo totalmente combinado. Eu coloquei um pouco de sementes de gergelim na massa, umas 2 colheres de sopa. Despeje a massa na forma de pão preparada e polvilhe a superfície com sementes de gergelim. Leve ao forno e asse por 55 a 60 minutos. Remova do forno, desenforme e deixe esfriar antes de servir.

bolo de chocolate [vegano]

Fiz esse bolo duas vezes, receita do blog Love & Lemons. Não fiz a cobertura de batata doce da receita, porque quis simplificar, então usei uma de azeite e laranja que sempre faço e sempre arrasa Péris in Chammas. Receitas de bolo de chocolate vegano abundam e são sempre fáceis de fazer. Essa não é exceção. Faz um bolo pequeno, o que é bom para a minha casa, onde não tem criança e nem comemos muitos doces. Fiz a primeira versão decorada com cascas de laranja cristalizadas que eu mesma fiz no inverno. A segunda versão, onde adicionei chocolate granulado e açúcar colorido por cima, fiz pro almoço de páscoa, ou da celebração da primavera como prefiro chamar essa festividade.

3/4 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de farinha de trigo integral
1/2 xícara de cacau em pó sem açúcar
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal marinho
1/4 colher de chá de canela
1 xícara de leite de amêndoa ou outro leite vegetal
3/4 xícara xarope de bordo [maple]
1/4 xícara de azeite extra-virgem
1 colher de chá de vinagre de maçã
1 colher de chá de extrato de baunilha

Pré-aqueça o forno em 350°F/176°C e unte bem uma assadeira pequena. Em uma tigela grande misture as farinhas, o cacau em pó, o bicarbonato de sódio, o sal e a canela. Numa outra tigela, adicione o leite de amêndoa, o xarope de bordo, o azeite, o vinagre de maçã e a baunilha. Junte os ingredientes líquidos aos secos e misture bem. Despeje a massa na assadeira preparada e asse por 25 a 30 minutos. Remova o bolo do forno e deixe esfriar por 10 minutos. desenforme com cuidado e deixe esfriar completamente. Cubra com a cobertura, decore se quiser e sirva.

cobertura de chocolate
Raspas da casca de 1 laranja
1/4 de xícara de suco de laranja
100 gr de chocolate amargo [70 a 72%] picado
2 colheres de chá de azeite de oliva extra- virgem frutado
1/4 colher de chá de extrato de baunilha
1/8 colher de chá de sal fino

Combine as raspas, suco da laranja e chocolate em uma panela pequena. Cozinhe em fogo baixo até que o chocolate comece a derreter. Retire do fogo e mexa até que o chocolate esteja completamente derretido. Misture o azeite, a baunilha e o sal. Despeje numa tigela de vidro e deixe esfriar à temperatura ambiente durante 20 a 25 minutos. Misture algumas vezes com um batedor de arame antes de usar. Despeje sobre o bolo e alise com uma espátula.

bolo de polenta & grapefruit

Fiz essa receita da revista Food & Wine para usar grapefruits que abundaram na minha cozinha durante o inverno. Eu fui colher a fruta na fazenda da universidade e na mesma semana meu diretor trouxe um balde cheio deles, que ninguém quis. Fiz muitas coisas com esses grapefruits todos e esse bolo foi uma delas. Se não tiver grapefruit, use laranja ou limão. Traduzi o cornmeal da receita original como polenta, porque é o ingrediente mais próximo da textura do primeiro.

para o bolo:
180gr de manteiga sem sal, derretida e resfriada [*uso a vegana]
1 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
1/2 xícara de polenta [cornmeal de moagem média]
1 xícara de açúcar
2 colheres de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal kosher
3 ovos caipiras grandes
1 colher de sopa de raspas de grapefruit [toranja] mais 1/4 xícara do suco de grapefruit fresco
para o glacê:
2 xícaras de açúcar de confeiteiro, peneiradas
1/4 xícara de sementes de papoula
1/4 xícara de suco de grapefruit [toranja] fresco

faça o bolo:
Pré-aqueça o forno a 350F°/176C°. Unte uma forma de bolo com manteiga. Forre o fundo com papel vegetal e passe manteiga sobre o papel.

Em uma tigela média misture a farinha com a polenta, o açúcar, o fermento e o sal. Em outra tigela média bata a manteiga derretida com os ovos, junte as raspas da casca e o suco de grapefruit. Adicione a mistura de manteiga à mistura de farinha aos poucos, mexendo constantemente até ficar tudo bem misturado. Coloque a massa na forma preparada e leve ao forno por cerca de 40 minutos, até dourar e estar cozido no centro. Transfira o bolo para uma grade e deixe esfriar por 10 minutos. Inverta numa travessa ou prato, remova o papel vegetal. Deixe esfriar por cerca de 30 minutos.

faça o glacê:
Em uma tigela média, misture o açúcar de confeiteiro e as sementes de papoula. Mexendo constantemente vá despejando lentamente o suco de grapefruit até formar um glacê delicado e espesso. Despeje o glacê por cima do bolo e espalhe bem por cima. Deixe repousar por cerca de 30 minutos para o glacê solidificar.

carne feita de planta

Já comprei muito hambúrguer vegetal nessa vida. Parei quando comecei a ler os rótulos e ver que, baseado nos ingredientes, eu não estava comendo algo tão saudável assim. Mas a demanda por produtos vegetarianos e veganos aumentou imensamente nos últimos anos, e também a exigência por produtos de qualidade. Num restaurante, no ano passado, comi o Impossible Burger e achei bem sem graça. Talvez porque tenha pedido pra retirar o queijo e não sobrou muita coisa além do hambúrguer dentro do sanduíche. Depois disso recebi um cupom pra comprar o Beyond Meat e achei infinitamente melhor. Talvez pelo fato de ter preparado em casa, acompanhado de outras comidas e não servido socado no meio de um pão. Mas achei essa versão muito estranha, porque ele tem uma textura muito próxima da carne, com aquela aparência de medium-rare por causa da beterraba que é incorporada na massa de uma maneira absurdamente eficiente e calculada para ficar parecendo meio-mal-passada. Comi, mas não fiquei entusiasmada. Depois comecei a olhar para outros produtos veganos no supermercado. E lendo os rótulos, como é do meu costume, percebi que alguns dos produtos melhoraram muito em termos de ingredientes. Comprei duas versões do Good Seeds, feitos com sementes de cânhamo. Achei gostoso, mas também nada que me deixasse impressionada. O da marca Hillary’s ainda não comi, mas não estou antecipando ficar apaixonada. De todas essas versões que já provei, o melhor hambúrguer de todos é sem dúvida o feito em casa. Repito muito essa receita com feijão preto [removo o queijo] ou esse de lentilha. No dia que achar algo melhor fazer esses hambúrgueres em casa, venho correndo contar!