bolo de ruibarbo

rhubarb-cake

Os ruibarbos também estão dando as caras por aqui, embora eu ache que eles não são produtos extremamente locais, devem vir de áreas mais pro norte. Mesmo assim, quando vejo os talos pra vender não consigo resistir. Lá na lojinha da estrada vicinal comprei um monte deles e depois fiquei rodando a dábliu dábliu web tentando achar uma receita que me satisfizesse. Eu queria uma massa básica e os ruibarbos assados inteiros sobre ela. Achei essa receita no que me pareceu ser um "portal do ruibarbo". Achei ela perfeita, exatamente como eu queria. Mas na hora de fazer fiquei muitíssimo desconfiada de que o bolo não iria dar certo, pois a massa era muito densa. Tive que usar uma espátula para espalhá-la na forma retangular. Dedos cruzados, a forma foi pro forno e quando finalmente servi, no lanche da tarde do domingo, tchandã—uau, que bolo gostoso! Às vezes vale muito a pena arriscar numa receita obscura, de um website estranho e antiquado, porque você pode ter encontrado uma jóia de família, uma daquelas receitas que passam de geração em geração, sempre dando bons resultados.

para o bolo
1 e 1/2 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de manteiga
1 ovo caipira
1/2 colher de chá de sal
1 xícara de buttermilk ou sour cream [*usei sour cream]
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de extrato de baunilha
2 e 1/4 xícaras de farinha de trigo
1 e 1/2 xícara de ruibarbo cortado de comprido
para a cobertura
1/4 de xícara de açúcar mascavo
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de noz moscada ralada

Bata bem o açúcar, a manteiga, o ovo e o sal até formar um creme. Adicione o sour cream [que foi o que usei], o fermento e o bicarbonato de sódio, a baunilha e a farinha de trigo. Espalhe a massa numa forma retangular bem untada com manteiga. Coloque os talos de ruibarbo sobre a massa e afunde um pouco, empurrando levemente com o dedo. Polvilhe com cobertura e leve para assar em forno pré-aquecido a 375ºF/200ºC por 35 minutos ou até que a massa esteja cozida e levemente dourada. Deixe esfriar completamente e sirva.

rhubarbrhubarb
picles de aspargos & ervilha

spring-pickles

Estou naquela vibração obsessiva de comprar todo e qualquer aspargos que vejo pela frente. Estamos na estação e ela é curta, então aproveitarei, custe o que custar! Hahahaha. Daí me ponho louca procurando receitas novas, porque já cansei de refazer as boas e que eu gosto, quero algo novo. Uma das ideias novas foi tentar fazer um picles. A primeira receita que encontrei foi a que fiz. Só mudei uma coisinha na hora de encher os vidros, porque sabia que iria levar muitos dias pra consumir todo esse picles e não queria que eles ficassem muito apimentados ou com sabor muito forte de alho. Também acrescentei as ervilhas, que não estavam na receita original, mas estão abundantes neste momento primaveril. Gostei muito do resultado e intenciono refazer essa receita com outros ingredientes.

1 quilo de aspargos e ervilhas
1 litro de vinagre branco destilado
1/4 de xícara de sal kosher
2 colheres de sopa de açúcar
12 pimentas vermelhas secas [tipo chiles de árbol]
6 dentes de alho esmagados
2 colheres de sopa de pimenta do reino inteira
2 colheres de sopa de sementes de mostarda

Coloque os aspargos e ervilhas em recipientes ou frascos. Em uma panela grande misture o vinagre com 1 litro de água e os ingredientes restantes. Leve para ferver e deixe cozinhar por 10 minutos, mexendo para dissolver o sal e açúcar. Desligue o fogo e deixe repousar à temperatura ambiente até que o liquido fique morno. Despeje esse liquido sobre os espargos e ervilhas nos vidros. Tampe bem e leve à geladeira. Quanto mais tempo ficar na geladeira, mas forte será o sabor. Por isso, na hora de colocar o liquido nos vidros eu removi a maior parte das pimentas e todo o alho. Deixei só um pouquinho das sementes de mostarda e pimenta do reino, e umas 6 pimentas vermelhas. O resultado de sabor mais delicado funcionou bem pra mim, que não gosto de coisas com sabor muito forte de alho.

u-pick
U-pick
U-pickU-pick
U-pickU-pick

Desde que nos mudamos pra Woodland, há 5 anos, que vamos lá colher morangos [e damascos e berries]. É de lá também meus ovos caipiras. Pacific Star Garden.

feijão branco com espinafre

canary-beans-spinach

Às vezes dou uma passadinha num fruit stand que fica no final de uma estradinha vicinal, antes de entrar na estrada principal. É uma venda muito popular, eles vendem de tudo e a maioria dos produtos são locais. Não vou lá frequentemente porque é meio fora de mão pra mim, mas sempre que vou saio com muitas coisas gostosas e diferentes. É lá que sempre encontro canary beans, também conhecido como feijão peruano ou mayocoba. É um tipo de feijão meio amarelado que não desmancha depois de cozido. Eu normalmente deixo qualquer feijão de molho em bastante água salgada [sim, é uma salmoura e funciona!] de um dia para o outro. Lavo os feijões numa peneira e troco a água, desta vez não coloco sal e levo ao fogo numa panela de barro. Quando a água ferver, deixo cozinhar por cinco minutos, desligo o fogo e tampo a panela. deixo descansar por uma hora. Depois disso pode coar o feijão ou temperar e deixar engrossar, conforme a ideia do dia. Neste dia eu quis fazer essa receita, que achemos absolutamente deliciosa. Comprei o espinafre num outro mercadinho mais próximo da minha casa, onde vou toda semana. Eles também trabalham com produtos locais e o espinafre era da horta deles, super fresquinho.

1 e 1/2 xícaras de feijão branco cozido
[usei o canary, mas pode ser qualquer um]
2 dentes de alho amassados
3 folhas de sálvia
6 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal kosher
1/2 colher de chá de flocos de pimenta vermelha
2 maços de espinafre
1 colher de sopa de raspas de limão
2 colheres de sopa de suco de limão fresco

Cozinhe o feijão da sua maneira. Pode adicionar alho e folhas de sálvia na água do cozimento. Deixe esfriar. Numa outra panela ou frigideira aqueça 3 colheres de sopa de azeite. Adicione o alho, a pimenta vermelha, umas folhas de sálvia e refogue até o alho ficar ligeiramente dourado. Adicione o espinafre em partes, mexendo até as folhas murcharem totalmente. Tempere com sal. Usando uma escumadeira transfira o feijão para a frigideira com o espinafre e refogue, mexendo suavemente com uma colher de pau, até que os feijões fiquem aquecidos. Adicione as raspas e o suco de limão, 1/4 xícara de líquido de cozimento do feijão e misture. Adicione mais sal, se precisar. Transfira para uma travessa, regue com azeite e sirva com fatias grossas de pão tostados numa frigideira.

na primavera temos

artichokes
alcachofras
delta-asparagus
aspargos [Delta]
fresh-garlic
alho fresco
ovos-caipiras
ovos caipiras
strawberries
morangos

frango com gergelim

sesame-chicken2.jpg

Tivemos uma churrasqueira por mais de 15 anos e um dia vimos que os tubos por onde passava o gás estavam todos corroídos e tivemos que levá-la pro ferro velho, não tinha conserto. Quando fomos comprar uma nova eu decidi que queria uma com um queimador de gás do lado, pra poder fazer comidas fritas no quintal e não empestear a casa. Eu quase não fazia nada frito, porque detesto como as casas aqui são herméticas e tudo o que você faz no fogão propaga pela casa. Sem falar na sujeirada. Então compramos uma churrasqueira nova, a gás e carvão [novidade pra mim] e com o queimador ao lado. Que maravilha! Quando não está chovendo, nem ventando, posso preparar rangos no quintal que nunca ousaria fazer dentro da cozinha. Primeiro fritei peixe e depois fiz essa receita de frango. Uma versão caseira deliciosa [e com certeza muito mais saudável] de um take out chinês. A receita original acrescenta brócolis, mas eu não tinha e foi sem. Servi com arroz integral.

1 quilo de frango cortado em cubinhos
[use uma mistura de peito e sobrecoxas desossadas]
6 colheres de sopa de amido de milho
1/2 colher de chá de pimenta do reino moída na hora
4 colheres de sopa de óleo vegetal
5 colheres de sopa de mel
4 colheres de sopa de molho de soja
3 colheres de sopa de vinagre de arroz
1 colher de sopa de molho Sriracha
1 dente de alho grande picadinho
1 colher de chá de gengibre fresco ralado
1 e 1/2 colheres de chá de óleo de gergelim torrado
2 colheres de sopa de sementes de gergelim torrado
Cebolinha picada para servir

Numa tigela grande misture o amido de milho, a pimenta e 1 e 1/2 colher de chá de sal. Adicione os cubinhos de frango e misture bem. Aqueça 2 colheres de sopa de óleo vegetal em uma frigideira grande em alta. Adicione metade do frango e frite, virando ocasionalmente, até que o frango esteja cozido e dourado, cerca de 5 minutos. Transfira o frango para um prato. Aqueça as 2 colheres de sopa restante de óleo vegetal; frite o restante do frango e transfira para um prato. Combine o mel, molho de soja, vinagre, Sriracha, alho, gengibre, óleo de gergelim, 1 colher de sopa de sementes de gergelim, 1/4 colher de chá de sal em uma tigela média. Coloque esse molho na frigideira assim que remover o frango e cozinhe por 1 minuto para dar uma reduzida. Retorne o frango frito para a frigideira, misture bem no molho e cozinhe até que o molho engrosse um pouco, cerca de 2 minutos. Retire do fogo, salpique com o restante das sementes de gergelim, bastante cebolinha picada e sirva com arroz integral.

sesame-chicken1.jpgsesame-chicken1.jpg
involtini de frango & aspargos

chicken-involtini.jpg

Peguei uma embalagem de peito de frango caipira no supermercado e fiquei pensando como iria cortar fatias com as minhas facas ceguetas. Fui até o açougue:

—não sei se você poderia fazer isso pra mim...
—posso fazer qualquer coisa por você!

Então o açougueiro fatiou os peitos de frango bem fininho. E eu fui pra casa e fiz os involtini com aspargos. Me inspirei numa receita deste livro, mas acabei fazendo uma adaptação. Na receita original o peito de frango é recheado com uma fatia de mortadela e uma fatia de queijo fontina. Mas eu resolvi usar um queijo de cabra que eu já tinha. Coloque os filés de frango entre duas folhas de plástico e bata bem com um martelo de carne, para eles ficarem finíssimos. Tempere com sal e pimenta do reino moída na hora e empane levemente com farinha de trigo. Coloque uma fatia de queijo de cabra [ou a mortadela e o fontina] sobre cada filé, coloque dois aspargos inteiros [remova apenas a ponta] e enrole. Pode segurar com barbante ou um palito. Eu deixei sem. Numa frigideira grande aqueça uma boa quantidade de manteiga e frite os involtini nela. Quando os rolinhos estiverem dourados dos dois lados, remova do fogo, acrescente vinho Marsala à frigideira e raspe bem o fundo com um batedor de arame para formar um molho. Se precisar acrescente mais manteiga. Coloque os rolinhos de volta na frigideira, deixe cozinhar no molho por um minutinho e sirva. Na foto, servi os involtini com beterrabas assadas e verdura amarga cozida.

kefir com laranja
[gengibre e cúrcuma]

kefir-orange.jpg

Fiz essa bebida tantas vezes, que já perdi as contas. Fica tão gostosa e refrescante. Geralmente levo pro trabalho, para beber no meio da manhã quando bate aquela fome e ainda tá muito cedo pra pensar em almoço. É só misturar o kefir com o suco de laranja [meio a meio ou um pouquinho mais de kefir do que de suco] ralar um pouquinho de raiz de gengibre fresco, outro pouquinho de raiz de cúrcuma fresca. Adicionar, mexer. Pode colocar gelo, ou não. Pode também fazer sem a cúrcuma fresca e trocar o kefir pelo iogurte. Eu não adoço, porque acho o suco de laranja doce o suficiente pra mim. Fica a seu critério.

bolo de polenta & ricota

bolo de polenta

bolo de polenta

Eu e o meu filho viramos cidadãos italianos, ele no ano passado, eu este ano. Ele foi pra Itália aprender italiano e eu estou tentando aprender um pouco por aqui mesmo, usando um curso online [Duolingo]. Tô sofrendo horrores, não tá sendo fácil. Já ele pegou uma fluência incrível. Agora tudo ele fala em italiano comigo, eu respondo tentando o meu melhor, mas quase sempre faço erros ou falo com aquele sotaque de palhaço de ator de novela brasileira. A Itália sempre foi pra mim um grande ponto de referência, já que sou metade italiana [por parte de mãe, com 45% de Italia no meu DNA]. Agora tudo isso está mais acentuado, porque adotar a cidadania dos seus antepassados é um evento muito relevante. Me sinto fechando um ciclo, desde que os meus bisavós entraram num navio rumo à América. Por isso [também] ando fazendo e refazendo muitas receitas italianas e até resgatei uns livros que estavam empoeirados na estante do andar de cima da casa, onde nunca olho. Esse é um daqueles livros bonitos de enfeitar mesa de sala, mas acho que nunca tinha testado nenhuma receita dele. É um livrão todo recheado de fotos lindas com passo-a-passo. Sempre desconfio desses tipos de livros bonitos, porém com receitas que não dão certo. Dei uma chance pra esse bolo, que me deu a impressão de ser uma daquelas receitas de tempos difíceis ou de inverno, quando não se podia ter todos os ingredientes em mãos. A massa fica super líquida, achei sinceramente que iria dar tudo errado. Mas felizmente deu tudo certo. Fica um bolo meio pudim, mas muito saboroso. Comemos no dia seguinte, mas ele não dura muito, vai ficando mas seco e duro depois de uns dias.

40 gr de passas brancas
2 colheres de sopa de brandy
225 gr de ricota
250 gr de açúcar super fino
225 de farinha de polenta
1 pitada de nos moscada ralada na hora
Casca ralada de 1 limão siciliano
1/4 colher chá de extrato de baunilha
20 gr de manteiga sem sal gelada cortada em cubos
2 colheres de sopa de pinoles [*não usei]
Açúcar de confeiteiro para decorar se quiser [*não quis]

Coloque as passas de molho no brandy e cubra com água, deixe descansar por 30 minutos. Escorra as passas e seque bem. Pré-aqueça o forno em 320ºF/160ºC. Unte uma forma grande [25cm] de fundo removível com manteiga e reserve. Coloque a ricota numa vasilha grande e adicione 440ml de água fria. Bata bem com um batedor de arame até a ricota dissolver completamente. Adicione o açúcar e bata bem. Junte a polenta [polvilhando para não empelotar] a nos moscada, raspas de limão, baunilha e as passas. Mexa bem. Não se assuste com a cara líquida da massa! Coloque tudo na forma untada. Coloque uma assadeira por baixo, porque vai vazar um pouquinho do liquido. Salpique com os cubinhos de manteiga e os pinoles, se for usar. Leve ao forno e asse por 1 hora e 30 minutos, até a massa estar bem firme e com um tom dourado. Remova do forno, deixe esfriar, desenforme e sirva polvilhado com açúcar de confeiteiro. Eu não polvilhei. Mangiare questa delizia! Buon appetito!

bolo de polentabolo de polenta