clafoutis de cereja

clafoutis_cereja

A amiga do meu chefe tem uma cerejeira no quintal e este ano ela colheu todas de uma vez por causa da onda de calor, que estava chegando, e das drosophila suzukii, que estavam na iminência de começar a infestar as frutas. Ela me trouxe duas caixas cheias de cerejas num intervalo de uma semana. Fiz muitas coisas com elas, além de devorar muitas al natural. Fiz também esse clafoutis, um pra nós e outro que levei pra dividir com meus colegas no trabalho. Nem preciso dizer que o clafoutis fez o maior sucesso, desapareceu em menos de uma hora e eu recebi muitos emails de agradecimento.

500 gr de cerejas maduras frescas, sem caroço
2 colheres de sopa de Kirsch [*usei o Luxardo Maraschino]
6 colheres de sopa de açúcar
3 ovos caipiras grandes
1 fava de baunilha, sementes raspadas com a faca
1 pitada de sal
2/3 xícara de farinha de trigo peneirada
1 xícara de half-half [ou 2/3 creme leite fresco + 1/3 leite]

Coloque as cerejas descaroçadas numa vasilha e misture com o Kirsch e 2 colheres de sopa de açúcar. Deixe marinar por 30 minutos. Coar sobre uma tigela. Reserve as cerejas e o líquido. Pré-aqueça o forno a 375ºF/200ºC. Unte um refratário grande com manteiga e coloque as cerejas drenadas.

Em uma tigela média bata os ovos com o açúcar restante e as sementes de baunilha. Adicione o sal e o líquido coado das cerejas e misture bem. Lentamente adicioine a farinha e bata bem até formar um creme liso. Adicione o half-half, misture e despeje sobre as cerejas.

Leve ao forno pré-aquecido e asse por 30 a 40 minutos até que a superfície esteja dourada, bem firme e um pouco inflada dos lados. Retire do forno e deixe esfriar. Sirva quente ou à temperatura ambiente.

salada de ervilha torta [com picles de cereja & amendoim]

Uma semana depois de fazer o picles de cereja, pude fazer essa receita do livro Six Seasons: A New Way with Vegetables do chef Joshua McFadden. Ficou uma salada muito diferente, feita com as ervilhas tortas cruas. Fica bem crocante e refrescante. E guarda bem para comer no dia seguinte.

500 gr de ervilha torta cortadas em diagonal
1 xícara de picles de cereja [só a fruta]
1/4 xícara do líquido do picles de cerejas
1 xícara de amendoim
3 ramos de cebolinha, parte branca e verde, picados e deixado de molho em água gelada por 20 minutos, e escorrido
1 macinho de manjericão fresco
1 colher de chá de pimenta vermelha em flocos
Sal e pimenta do reino moída na hora
Azeite de oliva extra-virgem

Numa vasilha misture as ervilhas tortas cortadas em diagonal com as cerejas em picles drenadas, o amendoim, a cebolinha picada, o manjericão e o liquido do picles. Adicione os flocos de pimenta vermelha, tempere com sal e pimenta do reino, misture bem, junte 1/4 de azeite, misture novamente e leve à geladeira até a hora de servir. Sirva essa salada levemente gelada.

picles de cereja

cherry-pickle

Para fazer uma das saladas do livro Six Seasons: A New Way with Vegetables do chef Joshua McFadden, tive que fazer esse picles priumeiro. É muito fácil, feito com a salmoura fria. Como não tinha tomilho, usei raminhos de erva-doce para perfumar.

1/2 xícara de vinagre de arroz
1 colher de sopa de vinagre de vinho branco
1 e 1/2 xícara de água quente
5 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa, mais 1 colher de chá de sal marinho ou kosher
Cerejas frescas descaroçadas
Raminhos de tomilho usei erva-doce]

Coloque todos os ingredientes numa jarra e mexa até o açúcar e o sal dissolverem completamente. Em vidros limpos e esterilizados com água fervente coloque as cerejas e raminhos de tomilho [usei erva-doce]. Complete com o liquido, feche os vidros com tampas e leve à geladeira. Pode usar dentro de alguns dias. Esse picles pode ficar na geladeira por até 2 meses.

salada de aspargos [cru] com gengibre fresco e semente de gergelim

aspargo-sesame

Outra receita com aspargos, esta também usando eles cru. Muita gente acha que aspargos só fica bom cozido, vamos aos pouquinhos mudando essa impressão.

2 colheres de sopa de vinagre de arroz
1 colher de sopa de gengibre fresco ralado
1 colher de chá de alho espremido
1 colher de sopa de açúcar mascavo claro
1 pimenta jalapeño, com as sementes removidas, picada
2 colheres de chá óleo de gergelim
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
650 gr de aspargos
1/2 xícara de cebolinha picada
Suco de limão a gosto
Folhas de coentro fresco para decorar
1 colher de sopa de sementes de gergelim branco torradas
1 colher de sopa de sementes de gergelim preto torradas

Faça o molho: em uma tigela pequena misture o vinagre de arroz, o gengibre, o alho e o açúcar mascavo. Adicione a jalapeño picada e o óleo de gergelim. Tempere a gosto com sal e pimenta do reino.

Quebre a base de cada espargos—force delicadamente e ele vai quebrar exatamente na parte mais fibrosa da ponta do legume. Corte os aspargos em fatias diagonais finas, pode usar o mandoline, o descascador de legumes ou uma faca afiada [cuidado!] Coloque as fatias de aspargos em uma saladeira grande. Tempere com sal e pimenta e misture com as mãos. Adicione o molho de gengibre e mexa para revestir bem. Adicione a cebolinha picada e o suco de limão. Misture bem. Polvilhe com as sementes de gergelim, decore com folhas de hortelã e sirva.

bolo de cenoura & nibs de cacau [com cobertura de chocolate]

bolo de cenoura

Outro dia fiquei com vontade de comer o bolo de cenoura brasileiro, o amarelinho com cobertura de chocolate. Por aqui essa versão não existe, só há aquela com nozes, passas e cobertura de cream cheese. Prefiro esse nosso, bolo de cenoura da minha infância. Fui procurar receitas e é basicamente a mesma coisa, com pequenas variações. Quis fazer um bolo um pouco mais rústico, usar um pouco de farinha de trigo integral e gastar um açúcar de coco que eu tinha guardado. Fiz essa daptação. Não fica um bolo super amarelinho, mas ficou muito bom. A cobertura de chocolate é uma que eu já fiz várias vezes, em outras receitas aqui no blog.

200 gr de cenouras cortadas em rodelas finas
1 xícara de óleo vegetal [*usei o de semente de uva]
4 ovos caipiras
1 xícara de açúcar mascavo [*usei o de coco]
1 e 1/2 xícaras de farinha de trigo comum
1/2 xícaras de farinha de trigo integral
1 colher de sopa de fermento em pó
Um punhado de cacau nibs

Pré-aqueça o forno a 400ºF /200ºC. Unte uma forma de bolo com óleo e polvilhe com farinha de trigo ou com açúcar. No copo do liquidificador coloque as fatias de cenoura, o óleo e os ovos e bata em velocidade alta por 3 minutos. Numa vasilha peneire juntos todos os ingredientes secos e misture com um batedor de arame. Acrescente o creme de cenouras, mexendo com uma espátula, até a massa ficar completamente homogênea. Junte as nibs de cacau. Despeje na forma preparada e leve ao forno por 20 minutos. Abaixe a temperatura do forno para 356ºF/ 180ºC e asse por mais 20 minutos. Quando o bolo estiver completamente cozido por dentro, remova do forno e deixe esfriar um pouco. Desenforme num prato e deixe esfriar completamente. Enquanto o bolo esfria, faça a cobertura de chocolate.

cobertura de chocolate
Raspas da casca de 1 laranja
1/4 de xícara de suco de laranja
100 gr de chocolate amargo [70 a 72%] picado
2 colheres de chá de azeite de oliva extra- virgem frutado
1/4 colher de chá de extrato de baunilha
1/8 colher de chá de sal fino

Combine as raspas, suco da laranja e chocolate em uma panela pequena. Cozinhe em fogo baixo até que o chocolate comece a derreter. Retire do fogo e mexa até que o chocolate esteja completamente derretido. Misture o azeite, a baunilha e o sal. Despeje numa tigela de vidro e deixe esfriar à temperatura ambiente durante 20 a 25 minutos. Misture algumas vezes com um batedor de arame antes de usar. Despeje sobre o bolo e alise com uma espátula.

aspargos com panko & avelãs

Comprei esse livro do chef Joshua McFadden de Portland, Six Seasons: A New Way with Vegetables e marquei absolutamente todas as receitas com ingredientes da primavera. Ele faz uma coisa muito legal, usando os ingredientes sazonais de uma maneira inteligente, então a gente não se depara com receitas pedindo morangos [primavera] e semente de romã [outono]. E tudo combina e fica gostoso, porque são produtos da mesma época. A primeira receita que fiz foi essa, de aspargos. Só troquei a farinha de pão pelo panko, e as nozes pelas avelãs. O aspargos é cru e, pra surpresa de todos, fica muito gostoso!

1/3 xícara de panko [ou farinha de pão]
1/2 xícara de queijo parmesão ralado
1/2 xícara de avelãs [ou nozes] tostadas e picadas
1 colher de chá de raspas de casca de limão
Sal Kosher e pimenta do reino moída na hora
Pimenta vermelha em flocos
500 gr de espargos
1/4 xícara suco de limão
1/4 xícara folhas de hortelã
Azeite extra-virgem

Coloque o panko [ou farinha de pão], o queijo parmesão, as avelãs [ou nozes] e raspas de limão em uma tigela grande. Adicione 1 colher de chá de sal, pimenta do reino moída na hora a gosto e 1/2 colher de chá pimenta vermelha em flocos. Misture bem.

Corte os aspargos em ângulo lateral, usando uma faca bem afiada ou um mandoline. Adicione os aspargos à mistura de panko. Adicione 1/4 de xícara de suco de limão e misture bem. Adicione as folhas de hortelã e 1/4 xícara de azeite e misture bem. Sirva imediatamente.

massa & molho de tomate cru [para fazer a melhor pizza]

Faz anos que eu e o Uriel estamos buscando a pizza feita em casa perfeita. Anos atrás eu aprendi uns truques com o meu irmão que virou o jogo da nossa pizza dos sábados à noite. Passei a colocar a massa crua com molho e queijo, mais os sabores extras, num forno extremamente quente—no meu coloco a 550ºF/ 288ºC. Nunca tentei ir mais do que isso, mas tenho que testar qualquer dia. Abrimos [Uriel] a massa bem fininha, que é como gostamos. E no forno super quente ela fica super crocante em 10 minutos. Também comecei a usar a mussarela fresca ao invés da comum. Acho que a pizza fica muito mais leve assim, também porque eu sempre coloco outras coisas em cima, como atum em lata temperado com limão em conserva, fatias de aliche, fatias de tomate, fatias de coppa ou de pepperoni de boa qualidade, pedacinhos de queijo de cabra, aspargos cozidos, abóbora assada, abobrinha crua, fatias finíssimas de erva-doce [que combina muito com o coppa], verduras cozidas, eteceterás, conforme a estação. Outro dia lendo uma edição da revista Bon Appetit vi muitas dicas legais numa reportagem com o chef Joe Beddia da Pizzeria Beddia em Philadelphia. O que eu mais gostei foi ele dizer que não cozinha o molho de tomate. Pra mim isso simplificou muito, pois eu refogava alho no azeite, juntava o tomate, sal, pimenta do reino e orégano e deixava reduzir. Fazia bastante e congelava as porções para várias semanas. Mas essa versão do Beddia não precisa de muita preparação, nem de fogão, e deixa a pizza ainda mais leve. Eu adorei e é a receita que venho fazendo desde então. Tenho feito o molho com tomate em lata orgânico, mas quando chegar o verão vou fazer com os tomates frescos.

Vou deixar aqui, novamente, a receita da massa que eu já faço há anos, sei até decor. Não sei onde achei essa receita, mas ela é perfeita e faz duas pizzas grandes [massa bem fina]. A receita do molho vem sem seguida.

para a massa:
1 xícara de de água morna
1 envelope [1 colher sopa] de fermento biológico seco [fermento de pão]
1 colher de chá de açúcar
1/4 colher de chá de sal
2 colheres de sopa de azeite
1/2 xícara de farinha de semolina
2 xícaras de farinha de trigo

Coloque a água morna, o açúcar e o fermento numa vasilha e deixe descansar por 5 minutos, até formar uma espuma. Junte o sal, o azeite, a semolina e a farinha de trigo e amasse bem com as mãos. Pode sovar, mas não precisa sovar muito. Cubra a vasilha com um pano e coloque num local escuro. Deixe a massa crescer por pelo menos 30 minutos ou por mais tempo.

para o molho:
2 dentes de alho finamente picados ou espremidos
1 lata grande de tomates orgânicos [sempre uso o Muir Glen]
2 colheres de sopa de azeite
1 e 1/2 colheres de chá de sal fino

Misture o alho, os tomates, óleo e sal em uma tigela média. Cubra e leve à geladeira por umas 3 horas. O molho pode ser feito com uma semana de antecedência e mantido refrigerado. O sabor irá se concentrar quando molho cozinhar com a pizza.