uma nova casa [virtual]

Oi, pode entrar, é aqui mesmo! Você não clicou em blog errado. Este é o velho Chucrute com Salsicha de guerra, finalmente de casa nova depois de quase onze anos de estrada. Não estava pensando em mudanças visuais, mas fui obrigada. Há anos que eu estava querendo aposentar o publicador que eu usava desde 2001, o Movable Type, pois ele deixou de ser o melhor programa já faz uma década. Mas a falta de tempo me fez protelar. Sem falar no medo da trabalheira que iria ser mudar tantos anos de tagarelice e imagens de um lado pro outro. Aproveitei uma folga que tive, folga forçada por causa de uma pequena cirurgia, e usei os dias de cama pra fazer a migração. Foi uma tarefa hercúlea e precisei da ajuda do meu filho no final, mas consegui migrar meus blogs para o WordPress. Uma das grandes vantagens desse publicador é que agora meus blogs são responsive, ou seja, visualizam bem em todas as plataformas. O Chucrute agora é mobile friendly e tem um monte de outras coisinhas utilitárias. Por favor me avisem se virem algo quebrado, que eu consertarei prontamente. Bem-vindos a nossa nova moradia, fiquem a vontade e divirtam-se!

borscht frio
[do Jackson Pollock]

Pollock's borscht

Essa sopa fria de beterraba estava impressa num pequeno livro de receitas que veio com um liquidificador Waring, que Pollock e sua esposa Lee Krasner compraram no final da década de 40. Era uma das receitas favoritas deles. Eu fiz e levei na minha marmita pro almoço no trabalho. Quando mostrei toda animada pros meus amigos russo e tcheco, eles protestaram uníssonos de que essa receita não era do borscht autêntico. Segundo eles, o real deal levava mais ingredientes, como batata, e tinha que cozinhar por muitas horas eteceterá. Meu contra-argumento foi que essa era a versão do Jackson Pollock, um artista criativo. Autêntica ou não, era o de menos. O que importava é que essa sopa é facílima de fazer e fica linda e deliciosa! Encerramos o assunto. Hahahaha!

1/2 quilo de beterraba crua
1 xícara de caldo de carne ou legumes
1/2 xícara de sour cream
Suco e raspas da casca de 1 limão
1/2 colher de chá de sal
2 pitadas de pimenta do reino moída na hora
1/4 xícara de endro e ou cebolinha, finamente picada, para servir

Lave as beterrabas, coloque em uma panela e cubra com água fria levemente salgada. Leve ao fogo, deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe até as beterrabas ficarem bem macio, cerca de 40 minutos dependendo do tamanho da beterraba. Deixe esfriar, coe o líquido e reserve. descasque e pique as beterrabas, coloque no liquidificador com 1 xícara do líquido do cozimento das beterraba, o caldo de carne ou legumes, o sour cream, o suco e as raspas do limão, e o sal e pimenta. Bata até ficar um creme. Leve para gelar. Sirva em cumbucas individuais, decorado com sour cream e cebolinha picada.

aspargos grelhados
com molho de alcaparras

asparagus-caper.JPG

Neste primavera eu realmente me empanturrei de aspargos. Esse legume tem uma temporada curta, então quando eles aparecem tem que aproveitar. Fiz algumas receitas, muitas delas déjà vus do passado. E fiz muitos deles apenas grelhados na churrasqueira. Aspargos grelhados foram a base de muitos almoços, jantares e marmitas. Essa receita do Ottolenghi publicada pelo NYT foi uma das inéditas que fiz este ano. E ficou muito gostosa.

3 maços de aspargos [usei orgânicos]
2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora a gosto
1/4 xícara de alcaparras, escorridas e secas com uma folha de papel
Raspas da casca de 1 limão
2 colheres de chá de suco de limão
1 dente de alho pequeno [*omiti]
1/3 de xícara de folhas de salsinha picadinhas
1/2 xícara de queijo de cabra macio como chèvre, esmigalhado

Encha uma panela de tamanho médio com água fria e coloque em fogo alto. Quando a água ferver, adicione os espargos, e deixe cozinhar por 1 minuto. Escorra os espargos e lave imediatamente com água fria. Escorra os espargos novamente e coloque em uma tigela média, tempere com 1 colher de sopa de azeite, uma pitada de sal e pimenta do reino. Misture delicadamente e reserve. Adicione os aspargos em em uma grelha ou churrasqueira e deixe por cerca de 2 a 3 minutos, virando algumas vezes, transfira para uma travessa. Faça o molho, misturando as alcaparras com a colher de sopa restante de azeite, as raspas e o suco de limão, o alho e a salsinha. Adicione o queijo de cabra à mistura, mexa delicadamente e despeje sobre os espargos.

Dinner with Jackson Pollock

Dinner with Jackson Pollock Dinner with Jackson Pollock
Dinner with Jackson Pollock Dinner with Jackson Pollock
Dinner with Jackson Pollock Dinner with Jackson Pollock
Dinner with Jackson Pollock Dinner with Jackson Pollock
Dinner with Jackson Pollock Dinner with Jackson Pollock

Fazia um tempinho que não investia em livros e comprei esse do Pollock e outro do Monet. O pacote foi entregue na porta da minha casa quando eu estava viajando a trabalho e quando voltei ele não estava mais lá. Foi a primeira vez que tive algo roubado da minha porta, fiquei imensamente chateada. Liguei pra Amazon e eles me perguntaram se eu queria o dinheiro de volta ou que os livros fossem reenviados. Optei pelo reenvio e dois dias depois eles chegaram. O do Monet—bonito, mas com as fotos de sempre, as receitas de sempre. O do Pollock—lindo, criativo, estimulante, muitas histórias sobre ele e a mulher, Lee Krasner, receitas de família, compiladas de recortes e anotações escritas a mão, tudo isso lindamente encadernado em espiral, com fotos históricas, fiquei encantada, não larguei do livro por algumas semanas e fiz algumas das receitas. Com a atual abundância de livros de culinária, onde tudo parece ser feito no mesmo formato, com o mesmo estilo de fotos e layout, esse foi uma exceção muito auspiciosa que me deixou muito feliz!

crumble de cereja
[com ruibarbo & hibisco]

crumble-cereja1.JPG

Senti um fluxo de excitação logo que vi essa receita, justamente no pico da temporada das cerejas. Faço muito chá com as folhas secas de hibisco. É uma delicia. Simplesmente coloco umas duas colheres de sopa das folhas numa jarra, encho com água e coloco na geladeira de um dia para o outro. No dia seguinte eu removo as folhas, espremo um limão, coloco o chá numa jarra com tampa e levo pro trabalho, onde beberico o dia todo. As flores de hibisco são tão perfumadas, fiquei super animada de poder usá-las numa receita. Saí na missão de comprar os ruibarbos e fiz o crumble, que servi num lanche de tarde de domingo.

para o recheio
6 xícaras de ruibarbo picado, dividido
20 ou mais cerejas sem caroço e cortadas ao meio
1 xícara de açúcar mascavo
2 ou 3 colheres de sopa de folhas de chá de hibisco

Numa panela de fundo grosso colocar 4 xícaras de ruibarbo picado, as cerejas, 1 xícara de açúcar mascavo e o hibisco. Misture bem, cubra a panela com uma tampa e cozinhe em fogo médio-baixo até que o ruibarbo comece a liberar líquido e se desfazer, por cerca de 10-12 minutos. Adicione as 2 xícaras restantes de ruibarbo picado, misture bem e retire do fogo. Reserve.

para a cobertura
1/2 xícara de farinha de trigo integral
1/2 farinha de trigo comum
1/2 xícaras de aveia em flocos
1/4 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de amêndoas fatiadas
1/2 colher de chá de canela em pó
6 colheres de sopa de manteiga em temperatura ambiente
1 pitada de sal

Pré-aqueça o forno a 400ºF/205ºC. Em uma tigela misture as farinhas de trigo, a aveia, o açúcar mascavo, as amêndoas, a canela e o sal. Com os dedos ou um cortador de massa junte a manteiga até obter uma mistura farofenta. Despeje o recheio de fruta em um refratário e em seguida coloque a cobertura uniformemente por cima. Leve ao forno e asse por 22 minutos. Remova do forno, deixe esfriar e sirva, puro ou com uma bola de sorvete de creme.

crumble-cereja2.JPG crumble-cereja3.JPG