⟨⟨⟨ em maio ⟩⟩⟩

may-flowers
may-flowers
may-flowers
may-flowers

bolo de cenoura & amêndoa

carrot cake

carrot cake

Se você curte os bolos de cenoura americanos, daqueles cheios de especiarias, vai adorar essa receita. Até eu que não sou super fã, adorei. Fica um bolo fino, mas bem denso e úmido. Eu preparei no sábado antes do dia das mães e levei o bolo pra casa do meu filho no dia seguinte. Acho que foi um presente pra ele, que devorou várias fatias e ficou com as sobras. Eu fiz como a receita recomenda, cobri bolo com plástico e deixei descansar para servir apenas no dia seguinte. Acho que vale a pena o longo tempo de espera!

1 e 1/2 xícaras de amêndoas torradas sem sal
1/4 de xícara de açúcar turbinado [cristal]
1 e 1/2 colheres de chá de fermento em pó
1/4 colher de chá de sal
1 colher de chá de canela
1/2 colher de chá de noz-moscada ralada na hora
2 colheres de chá de raspas da casca de limão
4 ovos caipiras grandes
1/3 de xícara de açúcar branco orgânico
1 colher de chá de extrato de baunilha
2 xícaras de cenoura ralada finamente

Aqueça o forno a 350ºF/ 176ºC graus e coloque a grade no centro do forno. Unte uma forma de fundo removível de 22 cm com manteiga e forre com papel vegetal. Unte o papel também. No processador de alimentos coloque as amêndoas e do açúcar turbinado. Pulse até que as amêndoas fiquem bem moídas. Adicione o fermento em pó, o sal, a canela, a noz-moscada e as raspas de limão e pulse novamente. Na batedeira coloque os ovos e bata bem até até ficar um creme espesso. Adicione o açúcar orgânico e continue a bater até obter uma mistura bem espessa. Adicione a baunilha. Junte a mistura de amêndoas e as cenouras raladas bem fino em três adições alternadas, batendo em velocidade baixa. Coloque a massa na fôrma preparada. Coloque no forno e asse por uma hora até a que o bolo fique firme e dourado. Retire do forno, deixe esfriar sobre uma grade por 10 minutos. Passe uma faca ao redor das bordas e desenforme cuidadosamente. Remova o papel vegetal da base do bolo. Coloque em uma travessa e deixe esfriar completamente. Embrulhe em plástico e deixe descansar até o dia seguinte.

carrot cakecarrot cake
bolo de chá preto & frutas

tea cake

Num domingo eu encasquetei que queria fazer um bolo usando uma infusão de chá preto. Procurei, procurei, procurei, até achar essa receita [a última no final da página], que preencheu todos os requisitos. O resultado foi um bolo bem denso, com bastante fruta e um leve toque do chá Earl Grey. As medidas dessa receita são um pouco estranhas, mas eu usei uma balança e deu tudo certo. A temperatura nos fornos ingleses equivale à do convection oven que deve ser comum por lá, mas ainda não é por aqui. Eu tenho a opção de convection no meu forno, mas calculei a conversão—335ºF no convection equivale a 360ºF no forno comum ou 182ºC.

275g de frutas secas [*usei cerejas e passas brancas]
300ml de chá preto bem forte, de preferência Earl Grey
60g de açúcar mascavo
raspas da casca de uma laranja
2 ovos caipiras grandes
275g de farinha de trigo
2 e 1/2 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de gengibre em pó
1/2 de colher de chá de canela
1/4 de colher de chá de noz-moscada
1/4 de colher de chá de sal

Unte com manteiga e forre com papel vegetal uma forma retangular de pão. Pré-aqueça o forno a 360ºF/ 335ºF convection/ 182ºC.

Coloque as frutas secas e o chá juntos em uma panela e deixe ferver por 1 minuto. Em seguida adicione o açúcar e deixe esfriar um pouco antes de adicionar as raspas da casca de laranja e os ovos. Em uma tigela misture a farinha, o fermento em pó, gengibre, canela, noz-moscada e sal.

Adicione os ingredientes secos à mistura de chá e mexa levemente até ficar bem misturado. Despeje a massa na forma de pão e asse por 50-55 minutos. Remova do forno, deixe esfriar, desenforme e sirva, acompanhado de chá se quiser.

tea caketea cake
pilaf de trigo & erva-doce
aromatizado com laranja

orange-scented bulgur pilaf

Adorei essa receita que achei no livro 30-minute vegetarian da Rose Elliot. Nunca imaginei fazer um pilaf com trigo bulgur e me surpreendi com a simplicidade desse prato. Ele fica pronto numa piscada e sobrevive muito bem até o dia seguinte, portanto é uma ótima pedida para se levar na marmita pro trabalho.

1 cebola roxa fatiada
1 bulbo de erva-doce cortado em fatias finas [usei um mandoline]
1 colher de sopa de azeite
1 xícara de trigo bulgur
Raspas da casca de 1 laranja
Suco de 1 laranja [1 xícara—se precisar complete com água]
Um punhado de azeitonas verdes e pretas
Um punhado de amêndoas torradas
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
Um punhado de salsinha picada grosseiramente

Numa panela coloque o azeite e refogue a cebola e o bulbo de erva-doce fatiado por uns 10 minutos. Junte o trigo bulgur e o suco de laranja. Deixe ferver, desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar por uns 15 minutos, ou até que o trigo fique bem macio. Junte as azeitonas, as amêndoas, tempere com sal e pimenta do reino moída na hora a gosto, junte a salsinha picada, misture bem e sirva.

peixe assado
com sabores sicilianos

peixe-siciliano.jpg

Essa foi outra receita do livro Plenty da Diana Henry. Achei super simples de fazer [meu estilo!] e ficou muito gostoso, diferente de tudo o que eu já tinha comido com peixe antes. Usei peixe pescado, não criado, daqui da costa do Pacífico.

1 bulbo de erva-doce
6 colheres de sopa de azeite de oliva
3 dentes de alho picadinhos
1 e 3/4 de xícara de migalhas de pão [*usei o panko]
1/2 xícara de passas currants
6 colheres de sopa de pinoles [*usei amêndoas]
1 colher de chá de pimenta vermelha em flocos
Um punhado de salsinha fresca picada
Um punhado de folhas de hortelã fresco picadas
800 gr de filé de peixe branco
Suco de um limão
Sal a gosto

Pré-aqueça o forno a 400ºF/ 205ºC. Lave e pique bem o bulbo de erva doce. Numa panela aqueça 2 colheres de sopa de azeite e refogue o bulbo de erva doce até ficar bem macio. Adicione o alho picado e refogue por mas um minuto. Remova do fogo e adicione as migalhas de pão [usei panko], as currants, os pinoles [usei amêndoas], a pimenta en flocos, as ervas picadas e sal a gosto. Num refratário coloque os filés de peixe intercalados com a mistura de erva-doce, terminando com uma camada de mistura de erva-doce. Regue com suco de limão e azeite e leve ao forno para assar por dez minutos. Remova do forno e sirva.

fish_Sicilianflavorsfish_Sicilianflavors
batatas vienenses

viennese_potatoes

No final de semana em que comprei o livro Plenty da Diana Henry, preparei uma refeição completa só com receitas dele. Quantas idéias legais! Uma delas foi essas batatas, que eu achei simplesmente o máximo. No livro ela recomenda cozinhar as batatas em água antes de fritar, mas eu fritei direto e achei que ficou muito bom. Fiquei com medo das batatas desmancharem se fritasse já cozidas. Não sei, se alguém quiser arriscar, depois me conta.

1 e 1/2 colher de sopa de óleo vegetal
500g de batatas cortadas em pedaços pequenos
2 colheres de chá de sementes de cominho
1 e 1/2 colher de chá de páprica picante
1 e 1/2 colher de chá de páprica doce
50ml de sour cream
1 e 1/2 colher de sopa de pickles de pepino [*eu usei limão em conserva]
1 colher de sopa de endro picadinho [*usei o seco pois não tinha o fresco]

Aqueça o óleo em uma panela grande e adicione as batatas. Frite em fogo médio até que comecem a ficar douradas. Adicione o cominho, as pápricas e sal a gosto e cozinhe por mais dois minutos, mexendo para incorporar os condimentos. Coloque as batatas em uma tigela, ponha o sour cream por cima e decore com com pickles de pepino [ou o limão em conserva como eu fiz] e o endro. Sirva.

sopa de abobrinha amarela
[com estragão & limão]

sopa abobrinha

Como já tivemos uns dias bem calorentos, o tempo parece estar se acelerando em direção ao verão. Tanto que já estamos recebendo abobrinhas na cesta orgânica. Na primeira semana chegaram uma das verdes, algumas das amarelas e uma daquelas que parece uma espaçonave. Fui procurar algo interessante pra fazer e me deparei com a receita dessa sopa. Fiz assim meio que só pra gastar os legumes e omg, que sopa absolutamente deliciosa! O estragão e o limão são a chave do sabor incrível dessa receita. Experimentem!

1 abobrinha amarela grande picadinha
2 cebolinhas inteiras picadas
1/2 cebola média picada
1 colher de sopa de manteiga
1/2 colher de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de folhas de estragão fresco picadas
1 dente de alho picado
Sal e pimenta do reino moída a gosto
3 xícaras de caldo de frango, de preferência caseiro
Suco de 1/2 limão grande
1/2 xícara de leite integral ou creme de leite fresco
Folhas de estragão picadas e queijo parmesão ralado para servir

Em uma panela grande aqueça o azeite e a manteiga, adicione a abobrinha e cebola e refogue até que a cebola esteja macia, por cerca de 7 a 10 minutos. Adicione o alho no último minuto. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto, adicione o estragão e em seguida despeje o caldo de galinha e suco de limão. Misture bem, tampe a panela e deixe cozinhar por cerca de 10 a 15 minutos, ou até que a abóbora esteja bem macia. Retire a sopa do fogo e adicione o leite ou creme. Bata no liquidificador [ou use um mixer de mão] metade da sopa e retornar para a panela. Assim a sopa ficará cremosa, mas com pedaços de abobrinha. Sirva imediatamente decorada com estragão e queijo parmesão ralado.

alguém na cozinha

maridonacozinha

Essa imagem é uma daquelas visões que enchem o seu coração de amor e conforto. Alguém na cozinha preparando alguma coisa pra você comer [ou lavando a louça enquanto você termina de bebericar o vinho]. Neste dia, jantamos no quintal e meu marido entrou para preparar a sobremesa—sorvete de chocolate com shrub de cereja e morangos frescos. ♥

curd de limão meyer
[feito com azeite]

meyer-lemon-curd

Me interessei imediatamente por essa receita, porque apesar dela ser chamada de custard no título, ela é na verdade um curd de limão, só que feito com azeite de oliva. A receita é feita num liquidificador super poderoso que esquenta. Nem todo mundo tem essa máquina então há a opção de se fazer no liquidificador comum ou com o batedor de imersão, como eu fiz, e depois engrossar [e cozinhar os ovos] no double boiler. Esse curd é muito simples de fazer e o double boiler é apenas um panela com água fervendo em fogo baixíssimo e uma vasilha de metal ou vidro por cima—sem nunca tocar a água. Fica um creme bem forte e não conseguimos comer puro como se fosse pudim. Tivemos que acompanhar com morangos frescos e bolachinhas. Usei os maravilhosos limões meyer, mas vale usar os sicilianos.

faz 6 porções
3 ovos caipiras inteiros em temperatura ambiente
1/2 xícara de açúcar
1/2 copo de suco de limão Meyer
2 colheres de sopa de raspas de limão Meyer
1/2 colher de chá de extrato de baunilha
1/2 xícara de azeite virgem extra

Coloque todos os ingredientes, menos o azeite numa vasilha. Bata bem usando um mixer de mão. Esse processo deve durar 4 minutos e deve formar um creme espumante. Coloque o azeite aos poucos e continue batendo. Coloque a vasilha sobre uma panela com água fervendo em fogo baixo [bloube-boiler] e vá mexendo o creme até ele engrossar. Remova do fogo, deixe esfriar um pouco e coloque em potinhos. O creme pode ser refrigerado por até três dias ou congelado. Quando descongelado ele irá retornará para a mesma consistência cremosa de quando fresco. Nota: Esta receita foi criada usando o Série Vitamix Professionial 750, usando o ciclo programado para "sopa quente".

bolo invertido de ruibarbo

upsidedown-rhubarb-cake

Chega a primavera, chegam também os ruibarbos. Embora aqui eles cheguem discretamente, mesmo assim eu os encontro bem rapidinho. E daí fica difícil ignorar o fato de que eles estão nas redondezas, com seu sabor acido tão fabuloso. Justo num final de semana em que colhi dois baldes de morango, passei sem querer ao lado dos ruibarbos e—whooooooooosh—quando vi já tinha um monte deles na minha cesta. Deixei os morangos esperando e resgatei essa receita que eu tinha guardada nos meus e-alfarrábios. A farinha de trigo sarraceno que eu usei é da mais escura e não usei as sementes de papoula. O resto fiz tal e qual a receita e o bolo ficou muito bom. Sei que ruibarbo não é algo facilmente encontrável em algumas partes do planeta, então se não houver ruibarbo perto de você use a criatividade para substituir. Que tal abacaxi?

4 ou 5 talos de ruibarbo fresco
4 colheres de sopa de mel
2/3 xícara de água
1 e 1/2 cm de gengibre fresco ralado
1 vagem de baunilha, as sementes raspadas

2 xícaras de farinha de amêndoa
1/2 xícara de farinha de trigo sarraceno
1 colher de chá de fermento em pó
2 ou 3 colheres de sopa de sementes de papoula [*omiti]
1/2 colher de chá de sal marinho
100 g de manteiga
1/2 xícara de mel ou maple syrup
Raspas da casca de 2 limões orgânicos
3 ovos caipiras, claras e gemas separadas
1 xícara de iogurte integral

Aqueça o forno a 350° F / 180° C. Apare os ruibarbos e corte em pedaços de 5 centímetros. Numa panela coloque os pedaços de ruibarbo, o mel, água, o gengibre e as sementes raspadas de uma vagem de baunilha e cozinhe em fogo médio baixo por 7-8 minutos, mexendo ocasionalmente até que o ruibarbo fique macio mas ainda intacto. Remova os ruibarbos delicadamente com uma pinça de cozinha, coloque num prato. Deixe o liquido que sobrar na panela engrossar em fogo baixo até formar um xarope. Desligue o fogo e reserve.

Numa tigela misture a farinha de amêndoa, farinha de trigo sarraceno, o fermento em pó, as sementes de papoula [se for usar] e o sal. Reserve. Na tigela da batedeira coloque a manteiga, o mel e as raspas de limão e bata até ficar cremoso. Acrescente as gemas e continue a bater por mais um minuto. Adicione a mistura de farinha. Numa outra tigela bata as claras até formar picos moles. Lentamente, adicione as claras de ovos batidas e o iogurte na mistura de amêndoas.

Forre o fundo de uma forma de fundo removível de 22 centímetros com papel vegetal. Arrange os ruibarbos cozidos no fundo da forma. Cubra cuidadosamente o ruibarbo com massa de bolo. Leve ao forno por cerca de 50-60 minutos. Remova do forno e deixe esfriar por pelo menos 30 minutos antes de desenformar numa travessa. Remova o papel. Regue com o xarope de ruibarbo reservado e sirva.

bolo ruibarbobolo ruibarbo
bolo ruibarbobolo ruibarbo
pudim de baunilha [custard]

vanilla-custards

Para gastar as três gemas que sobraram quando fiz a charlotte de morangos saí procurando por uma receita de pudim de baunilha. Queria uma bem simples e achei essa aqui, que preencheu todos os requisitos. Servi esses pudinzinhos, decorados com apenas um morango orgânico, junto com a charlotte no almoço de páscoa. Para a minha surpresa, os pudins foram a estrela da festa. A namorada do Gabriel depois de dar a primeira colherada no pudim declarou toda animada—Gabe, I'm afraid I'm gonna have to leave you for your mother after eating this custard! E com isso encerro a narrativa introdutória para essa receita. The End.

2 xícaras de leite integral
3 gemas de ovos caipiras
1/4 de xícara de açúcar
3 colheres de sopa de amido de milho
1 colher de chá de extrato de baunilha [*usei a pasta]
1 colher de sopa de manteiga

Numa panela aqueça o leite até quase ferver. Enquanto isso bata as gemas, o açúcar e o amido de milho juntos. Vá juntando um pouco de leite quente nessa mistura e vá batendo com um batedor de arame até ficar tudo incorporado. Em seguida despeje essa mistura no restante de leite fervido. Em fogo baixo cozinhe o creme, mexendo sempre até engrossar, por cerca de 3 ou 4 minutos. Adicione a manteiga e baunilha. Misture bem e transfira para uma tigela. Deixe esfriar completamente e cubra a superfície do creme com filme plástico para evitar que se forme uma película. Refrigere até a hora de servir.