salada de tomate com molho morno de manjericão & alcaparras

Um dos sinais de que o verão está chegando ao fim, é o gradual desaparecimento dos tomates. E os que ainda resistem vão ficando meio sem gosto. Então corri nestas duas últimas semanas para aproveitá-los ao máximo. Última chance! Para fazer essa salada usei uma receita da revista Bon Appétit e ajustei pro meu gosto, isto é, veganizei. Ficou muito boa, enquanto conseguir comprar tomates gostosos vou repetí-la.

1/2 xícara de azeite extra virgem
1 chalota grande cortada em rodelas finas
2 dentes de alho em fatias finas
3/4 colher de chá flocos de pimenta vermelha
2 colheres de sopa de alcaparras escorridas
1 xícara de folhas de manjericão [roxo ou verde]
450 gr de tomates
2 colher de sopa vinagre de vinho tinto
sal Kosher
Raspas de 1/2 limão [*não usei]

Numa panela pequena, em fogo médio, coloque o óleo e cozinhe nele a cebola, o alho e os flocos de pimenta vermelha, mexendo ocasionalmente, até que a cebola e o alho comecem a dourar, uns 7 a 9 minutos. Retire do fogo e coloque as alcaparras e o manjericão.

Misture os tomates com vinagre e uma pitada de sal em uma tigela média. Transfira para uma travessa e despeje o molho quente por cima. Rale as raspas de limão por cima e polvilhe com mais sal, se quiser.

polenta com milho fresco & legumes picantes

No verão é a época de comer milho fresco. Recebo milho orgânico na cesta semanal e faço a festa. Essa polenta foi improvisada, mas ficou absolutamente deliciosa. Tanto que refiz. Não tenho as quantidades exatas, mas debulhei 4 espigas de milho, coloquei no liquidificador com umas 4 xícaras de água e processei. Deu mais ou menos 8 xícaras de líquido. Coloquei esse liquido numa panela e deixei ferver. Então coloquei bem devagar 1 e 1/2 xícara de milho de polenta e deixei cozinhar uns 5 minutos em fogo baixo. Tem que tampar porque espirra. Temperei com sal e joguei pedacinhos de queijo cremoso vegano, feito de castanha de caju. Esse milho de polenta é de cozimento rápido, então essa comida fica pronta num instante.

Para os legumes, use o que tiver. Eu usei cenouras, tomate, abobrinha e cebola roxa. Acrescente azeitonas verdes. Numa tigela misture:

1 colher de sopa de páprica doce
1 pitada de pimenta vermelha em pó
1/4 de colher de chá de cominho em pó
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de chá de xarope de bordo [maple] ou outro liquido doce
sal a gosto

Coloque os legumes nessa mistura e deixe marinar por uns minutos.

Coloque um pouco de azeite numa frigideira e salteie os legumes em fogo médio por uns 10 minutos. Se precisar acrescente um pouco de água. Os legumes devem ficar num molhozinho. Para servir, coloque a polenta nos pratos e por cima uma porção generosa dos legumes refogados.

sopa de tomate, missô e gergelim

Essa receita é do livro da Anna Jones – A Modern Way to Cook. Fiz num sábado à noite e ficou um jantarzinho bem simples e rápido, porém nutritivo e aconchegante, bom pra uma noite fria. Como no inverno aqui não rola tomate, usei toda a quantidade de tomates em lata. Uso uma marca muito boa, orgânica, daqui da Califórnia.

para a sopa:
4 cebolinhas verdes
óleo de coco ou azeite
500 g de tomates maduros
1 lata pequena de tomate picado
2 colheres de sopa de pasta de missô vermelho
1 colher de sopa de tahine
Sal marinho

para o molho:
1 colher de sopa de mel líquido [ou xarope de bordo]
1 colher de tahine
1 colher de sopa de pasta de missô
Suco de 1/2 limão
4 colheres de sopa de sementes de gergelim
Um punhado de coentro fresco

Encha uma chaleira de água e leve ao fogo, deixe ferver.

Pique as cebolinhas verdes e adicione-as à panela com um pouco de óleo de coco ou azeite. Aumente o fogo para médio e mexa de vez em quando por alguns minutos até começar a dourar. Corte os tomates frescos ao meio ou em quatro e adicione-os à panela. Adicione os tomates enlatados, encha a lata com água fervente e despeje na panela também, em seguida, adicione o missô, misture bem e deixe a panela alcançar o ponto de fervura.

Enquanto a panela ferve, faça a cobertura. Misture o mel ou bordo, o missô, o tahine e o suco de limão. Torre as sementes de gergelim em uma frigideira até dourar e pique o coentro. Assim que a sopa ferver, ela está pronta. Retire do fogo, adicione o tahine e bata bem no liquidificador, adicionando um pouco de sal se necessário. Na minha não precisou.

Sirva a sopa com uma colherada do molho de missô e mel, salpique por cima as sementes de gergelim e o coentro picado.

bolinhos de abobrinha num molho com tomate & condimentos

Com essa receita do Livro Rose Elliot’s 30-Minute Vegetarian. Para fazê-la, usei as últimas abobrinhas e tomates da temporada. Mesmo fritos, os bolinhos ficam ultra leves e o molho condimentado dá um toque muito delicado ao prato.

para o molho:
2 cebolas médias picadas
1 colher de sopa de azeite
1/4 colher de chá de curcuma em pó
1 colher de chá de cominho em pó
2 colheres de chá de coentro em pó
2 e 1/2 xícaras de tomates despelados e picados
1 lata de leite de coco, ou 1 e 2/3 xícara de leite de coco feito em casa

para os bolinhos:
500 gr de abobrinha ralada grossamente
1 colher de chá de gengibre fresco ralado
2 colheres de sopa de coentro fresco picado
1/2 xícara de farinha de grão-de-bico
Sal a gosto

Cozinhe a cebola no azeite por 7 minutos. Coloque a abobrinha num pano de prato e esprema bem, extraindo o máximo de água que puder. Reserve a abobrinha e a água. Misture a abobrinha drenada com 2 colheres de sopa da cebola cozida, o gengibre, o coentro, a farinha de grão-de-bico e sal a gosto. Forme bolinhos e reserve. Na panela com o restante da cebola frita, adicione a curcuma, o cominho, o coentro e cozinhe por uns segundos. Junte os tomates, o leite de coco e a água recolhida das abobrinhas, depois de espremidas no pano. Deixe cozinhar em fogo baixo. Coloque um pouco de óleo vegetal numa panela e frite os bolinhos. Remova para um prato forrado com papel. na hora de servir, adicione o molho sobre os bolinhos, adicione mais coentro fresco picado e sirva com uma fatia de limão.

farinata vegana com aspargos & tomate e cebola caramelizados no balsâmico

Fiz essa receita da Meera Sodha várias vezes durante a primavera, quando os aspargos estavam abundantes, e refiz já no inicio do verão usando apenas tomates frescos. Dá pra inventar com vários outros legumes. Da primeira vez usei tomates secos e também ficou muito bom. Não deixei a farinha de molho durante a noite, deixei apenas por algumas horas, mas acho que vale a pena experimentar fazer essa receita de todo e qualquer jeito.

300g gr de farinha de grão de bico
Azeite de oliva extra virgem
2 cebolas roxas, descascadas e cortadas em fatias finas
200g de tomate cereja ou outro que esteja disponível
80g de azeitonas pretas sem caroço
2 colheres de sopa de vinagre balsâmico
1/2 colher de chá de flocos de pimenta chipotle ou calabresa
Sal marinho fino
1/2 colher de chá de fermento em pó
250g de aspargos, sem as pontas fibrosas

No dia anterior coloque a farinha de grão de bico em uma tigela e adicione 450ml de água, batendo com um batedor de arame até obter uma massa lisa. Cubra com um pano de prato limpo e deixe na bancada durante a noite.

No dia seguinte, aqueça o forno a 475F/240C. Forre uma forma de 40cm x 30cm com papel vegetal ou manteiga e pincele com óleo.

Despeje três colheres de sopa de azeite em uma frigideira e frite a cebola por 15 minutos, mexendo de vez em quando, até ela ficar macia e escura. Adicione apenas um punhado de cada um dos tomates e azeitonas [guarde o restante para decorar a farinata] e o vinagre balsâmico, os flocos de pimenta e meia colher de chá de sal e cozinhe, mexendo ocasionalmente, por mais seis a oito minutos, até que a mistura esteja com uma aparência de geléia. Retire do fogo e deixe esfriar um pouco.

Descubra a tigela de massa e misture duas colheres de sopa de azeite, o fermento em pó e uma colher de chá de sal. Junte a mistura de cebola resfriada à massa e despeje na assadeira preparada. Sacuda um pouco para assentar a massa, coloque os aspargos e o restante do tomate cereja e das azeitonas. Regue com azeite e leve ao forno por 15 minutos, até dourar e ficar firme ao toque. Coma imediatamente ou espere esfriar e coma em temperatura ambiente.

abobrinha frita com molho de tomate picante

Outra receita do livro Vegetarian Indian da Madhur Jaffrey que fiz pra gastar abobrinhas que abundam por aqui durante o verão. O molho de tomate é típico indiano, um pouco diferente do molho que fazemos no ocidente. Faz bastante molho e dá pra usar em outras receitas ou congelar pra usar numa outra hora.

2 abobrinhas médias cortadas em fatias grossas
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
Sementes de cominho tostadas e moída
Pimenta vermelha em pó
Molho de tomate apimentado [receita logo a seguir]

Numa frigideira coloque um pouco de azeite ou óleo. Coloque as fatias de abobrinha e frite de ambos os lados. Remova da frigideira e coloque numa travessa. Polvilhe com o sal, a pimenta do reino, cominho tostado e moído e a pimenta vermelha em pó. Coloque uma colher de molho de tomate picante sobre cada fatia de abobrinha e sirva.

molho de tomate picante
A Madhur Jaffrey diz que esse molho maravilhosamente picante pode ser jogado sobre macarrão ou misturado no arroz, espalhado sobre berinjela grelhada ou nessas fatias de abobrinha, ou usado como molho para uma variedade de bolinhos, batatas fritas ou panquecas indianas.

2 quilos de tomates maduros picados grosseiramente
1 cebola, descascada e picada
1 ou 2 pimentas verdes frescas cortadas em rodelas finas
2 punhados de coentro fresco picado
1 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de concentrado de tamarindo
1/2 colher de chá de pimenta vermelha em pó
1/4 colher de chá de cúrcuma em pó
2 colheres de chá de azeite ou óleo vegetal
1/2 colher de chá urad dal*
[*uma lentilha usada como condimento, pode omitir se não tiver]
1/4 colher de chá de sementes de mostarda inteiras
1/4 colher de chá de sementes de cominho inteiras
8 a 10 folhas de curry frescas levemente amassadas na mão

Coloque os tomates em uma tigela e amasse-os o máximo que puder com a mão para liberar o liquido. Adicione a cebola, pimenta verde, coentro, 1/2 colher de chá de pasta de tamarindo de sal, pimenta em pó e cúrcuma.

Coloque uma panela média em fogo médio e adicione o óleo. Quando estiver bem quente, adicione o urad dal. Assim que começar a ficar avermelhado acrescente os grãos de mostarda. Quando começarem a estourar, em questão de segundos, jogue as folhas de curry [cuidado, pois elas espirram!]. Adicione a mistura de tomate, reduza o fogo para médio baixo e deixe cozinhar em fogo brando. Cozinhe sem tampa, mexendo de vez em quando, até que o molho engrosse, em cerca de 20-25 minutos. Prove, adicione a outra 1/2 colher de chá de sal se necessário. Deixe esfriar um pouco e bata no liquidificador até formar um molho espesso.

salada de tomate cereja com folhas de curry

Uma receita simplérrima do livro Indian Vegetarian da Madhur Jaffrey. Se conseguir umas folhas de curry frescas, faça. Se não achar, substitua por outra folhinha, tipo manjericão, ou mesmo com louro fresco.

300 gr de tomate cereja
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
2 colheres de sopa de azeite
1/2 colher de chá de sementes de mostarda marrom
1 pimenta vermelha seca
7-8 folhas frescas de curry ou pequenas folhas de manjericão

Disponha os tomates com o lado cortado para cima em um prato. Salpique levemente sal e pimenta do reino.

Coloque o óleo em uma frigideira pequena e leve ao fogo médio-alto. Quando estiver bem quente, coloque as sementes de mostarda. Assim que começarem a estourar, coloque a pimenta vermelha e mexa até escurecer. Adicione rapidamente as folhas de curry [cuidado, pois espirra muito!], remova a panela do fogo e despeje esse azeite sobre os tomates. Sirva.

curry verde feito em casa

Fiz esse curry de uma receita no livro Vibrant India da autora Chitra Agrawal. Mas não gostamos muito do resultado. Era um curry com abobrinha. Mas teve muita sobra, então reusei o curry, e coloquei coisas gostosas por cima. Reinventei mais ou menos esse curry laksa. Essa segunda versão improvisada ficou muito melhor!

1/2 xícara de coco ralado sem açúcar
[fresco, congelado ou seco *usei o seco]
1 colher de sopa de chana dal torrado ou deixado de molho por 15 minutos [*pode substituir por amêndoa moída]
1/2 colher de chá de sementes de cominho
1 e 1/2 colher de chá de sementes de mostarda preta
1/4 colher de chá de açafrão em pó, cúrcuma
2 ou 3 pimentas verdes
1 xícara de coentro, folhas e caules
2 xícaras de iogurte natural [*usei de aveia]

2 colheres de chá de óleo vegetal
1/2 colher de chá de sementes de mostarda preta
1 raminho de folhas de curry [cerca de 20 folhas]
Sal a gosto

Descongele o coco congelado ou coloque o coco seco em um pouco de água quente para reidratar.

Em um liquidificador ou processador triture o chana dal torrado até virar um pó. Adicione as sementes de cominho, sementes de mostarda preta e açafrão em pó e moa bem. Coloque cerca de 1 xícara de água no liquidificador. Em seguida adicione o coco e as pimenta verdes, adicionando um pouco de água se precisar. Em seguida, adicione o coentro e lentamente adicione água apenas o suficiente para manter as lâminas do liquidificador em movimento, cerca de 1/2 xícara, dependendo do tamanho do recipiente do liquidificador. Bata bem até obter um creme e então adicione o iogurte. Misture bem.

Coloque o azeite na frigideira em fogo médio. Quando o óleo estiver quente adicione as sementes de mostarda. Mantenha uma tampa à mão para cobrir a panela enquanto as sementes de mostarda estão estourando. Quando o estouro começar a diminuir [alguns segundos], abaixe o fogo. Esfregue as folhas de curry entre os dedos um pouco para liberar seus óleos naturais e coloque-as no óleo. Cubra imediatamente com a tampa, pois a umidade das folhas de curry fará com que o óleo espirre muito. Mexa bem. Tempere com sal. Adicione a mistura de coentro e coco. Aqueça mas não deixe ferver. Coloque porções em travessas individuais. Sirva com o que tiver disponível. Eu adicionei um macarrão feito de tofu, tomates, germinados de lentilha e abobrinha espiralizada.

quiabo da Madhur Jaffrey

Aproveitei um monte de quiabos fresquinhos, que tinha comprado no mesmo dia no farmers market, pra fazer essa receita da Madhur Jaffrey. Não é uma receita desconhecida dos brasileiros, acostumados a ter quiabos nas suas cozinhas. Eu tenho comprado muitas coisas fresquinhas na banquinha de um mocinho, que toca sozinho uma fazendinha orgânica aqui na região. Logo no inicio ele perguntou meu nome e todo sábado quando chego ele me cumprimenta pelo nome—hi Fernanda! Eu compro muita coisa dele, tomates lindos, berinjelas delicadas, batatas, melões, ervas. Desde que ele começou a trazer os quiabos que eu tenho comprado um monte. Nesse dia ele se desculpou pelos quiabos não estarem tão frescos, pois ele tinha colhido na quinta-feira [era sábado!!]. Dei muita risada! Os quiabos estavam fresquíssimos, super tenros, não tinha um fibroso. A receita da Madhur é super simples e fica aquele quiabo gostoso, sequinho.

700 grs de quiabos frescos
1 cebola média
4 colheres de sopa de azeite de oliva ou óleo vegetal
1 colher de chá de coentro em pó
1 colher de chá de cominho em pó
1 pitada generosa de pimenta vermelha em pó
1/4 de colher de chá de amchoor [pó de manga verde] ou 1 colher de sopa de suco de limão fresco
Sal a gosto
1 tomate médio cortado em cubinhos

Lave, seque e corte os quiabos em rodelas grossas. Corte a cebola em cubinhos. Numa panela grande, eu usei uma wok, coloque no fofo, junte o óleo e quando estiver bem quente jogue a cebola e os quiabos. Cozinhe, mexendo, até o quiabo ficar douradinho nas bordas. Vai abaixando o fogo e cozinhando. Junte o coentro e cominho em pó, a pimenta e o amchoor ou suco de limão. Adicione sal a gosto. Mexa por mais 3 minutos, adicione os tomates, cozinhe mexendo por mais uns 4 minutos. Remova do fogo, coloque numa travessa e sirva.

gazpacho com milho fermentado

No verão eu faço gazpacho o tempo todo, sempre improvisado, e vou colocando o que tiver. A baser é sempre tomate maduro, acrescento as vezes um pedaço de pão, ou pimentão vermelho sem pele [geralmente uso comprado pronto], pepino, folhas de manjericão. Esse fiz só com tomate, folhas de manjericão, sal, páprica apimentada, vinagre jerez e azeite. Depois piquei uns tomates e pepinos e coloquei por cima na hora de servir. E adicionei milho fermentado.

Esse milho fica uma delicia. Só precisa colocar o milho num vidro e esperar uns dias! Pese o milho que for usar. Coloque também umas folhas de louro e uma ou duas pimentas jalapeño [ou outra da sua preferência] junto com o milho. Calcule 2% do peso do milho e pimentas em sal, use um sem iodo, tipo sal marinho ou o pink do Himalaia. Coloque o milho e pimentas num vidro grande. Dissolva o sal em água filtrada e cubra o milho. Coloque um peso por cima, pode ser um saquinho bem fechado com água dentro ou um saquinho com pedras [bem lavadas] ou mesmo umas folhas de couve, para cobrir bem a superfície e ter certeza de que todo o milho vai ficar imerso na água. Feche o vidro e deixe numa bancada, num local seco e fresco, por alguns dias. Cheque todos os dias, abra se precisar sair gas, veja se não tem nada mofando. Dependendo do clima a água vai borbulhar como um refrigerante e vai vazar, então é boa pratica colocar o vidro sobre um pratinho. Deixe fermentar uns 4-6 dias. Depois guarde na geladeira e use. Dura bastante. Fiz essa versão com pimenta jalapeño e outra com cebola e tomate. O milho fica delicioso e assim no gazpacho, é uma adição auspiciosa.

» Milho e pimentão roxo fermentando em vidros. Eu tenho umas tampas que ajudam a esvaziar o gas e cerâmicas pra por no liquido e manter os legumes embaixo da salmoura. mas nenhuma dessas gadgets são realmente necessárias para fazer fermentação, elas apenas facilitam o trabalho. O importante é sempre colocar data no seu fermentado, pra poder controlar o tempo de fermentação e depois saber quanto tempo está na geladeira.