raw ketchup – catchup cru

Vi essa receita no canal Diário de uma Vegana de uma moça chamada Alana Rox. Ela não deixa instruções escritas no canal, então é muito difícil a gente ver e anotar os ingredientes e quantidades. E ela faz tudo num potinho minúsculo, acho que é quantidade pra uma pessoa. Mas curti essa idéia e resolvi fazer com os últimos tomates da estação, que comprei no mercadinho de frutas. Os meus eram tomates heirloom e fiz um pouco mais que a quantidade da receita dela. Ficou um molho interessante. Eu congelei três vidros, vamos ver se vai ficar tão bom depois de descongelado.

1 xícara de tomate cereja
1/3 xícara cebola roxa picadinha
1/2 xícara de gojiberry mais 2 tâmaras sem caroço [hidrata em água por uns 10 min]
1 colher de chá de sal
1 colher de sopa de vinagre de maçã
folhas de manjericão fresco
1 dente de alho [usei o fermentado]
1/4 de beterraba
1/3 xícara de azeite

Bater tudo no liquidificador. Colocar um potes fechados e levar à geladeira.

berinjela grelhada [ao meu estilo]

Comemos muitas berinjelas neste último verão e essa foi a minha receita clássica da estação, que fiz, refiz e modifiquei até não poder mais. Usei muitos tipos de berinjela, as comuns, as rajadas, as brancas, as japonesas. Pra fazer essa receita é só fatiar as berinjelas, temperar com sal, pimenta e azeite. Grelhar na grelha, forno ou churrasqueira—aqui é sempre churrasqueira o verão inteiro. Espalhar as berinjelas grelhadas num prato ou travessa, cobrir com um molhinho de pesto feito em casa [geralmente bato no mini-processador folhas de manjericão com azeite, só isso] ou um molho com amêndoas ou de castanhas de caju deixadas de molho de um dia para o outro e colocadas no liquidificador água, limão, azeite, sal, pimenta [algo mais ou menos como essa receita]. Nessa eu misturei o molho de amêndoa com um pouquinho do pesto, depois salpica um punhado de sementinhas de abóbora ou girassol tostadas por cima, outro tanto de ervas frescas picadas, uns tomatinhos cortados ao meio e, bon appétit, aproveitar!

udon com tomates grelhados & ponzu de limão

Uma receita super simples e refrescante para um jantar rápido nesses últimos dias do verão.

1/2 xícara de suco de limão [usei o Tahiti]
1 pimenta vermelha, sementes removidas e finamente picadas
1 pedaço de gengibre descascado e finamente ralado
1/3 xícara de vinagre de arroz
3 colheres de sopa de molho de soja
1 colher de chá de açúcar
4 xícaras de tomates cereja [usei 2 xícaras de tomates maiores]
1 dente de alho finamente picado
1 colher de sopa de azeite de oliva extra-virgem
Uma pitada de sal kosher
500 gr de macarrão udon cozido
2 pepinos médios cortado em fatias finas e depois em tiras
Folhas de coentro e sementes de gergelim tostadas para decorar

Faça o molho [ponzu] misturando o suco de limão, a pimenta, o gengibre, o vinagre, o molho de soja e o açúcar. Reserve.

Misture os tomates com o alho, azeite e sal e espalhe em uma assadeira. Coloque sob o broiler [se não tiver um broiler, grelhe numa frigideira no fogo] até que os tomates estejam bem macios e levemente carbonizados, de 10 a 12 minutos. Remova do forno e deixe esfriar.

Cozinhe o macarrão de acordo com as instruções da embalagem. Escorra e enxágue em água fria. Transfira o macarrão para uma travessa, tempere com o ponzu e misture bem. Na hora de servir coloque os tomates grelhados, o pepino, as folhas de coentro e salpique com as sementes de gergelim.

baingan bharta — berinjela defumada com tomate

baingan bharta smoky mashed eggplant

Outra receita do livrinho Indian Instant Pot® Cookbook que fiz na panela de pressão elétrica, mas que pode ser feita facilmente numa panela de pressão comum ou panela normal. Aparentemente o método mais tradicional de fazer esse prato tosta a berinjela na chama do fogão. A autora usa um líquido para simular o sabor do defumado, mas eu não usei.

1 berinjela média cortada em fatias
1/3 de xícara de óleo vegetal
3 dentes de alho
1/2 cebola picada
1/4 de colher de chá de curcuma em pó
1/8 de colher de chá de pimenta caiena em pó
Sal a gosto
1/3 xícara de tomate picado
1/2 xícara de água
1/4 colher de chá de liquid smoke [*omiti, porque não tinha]
2 colheres de sopa de folhas de coentro picadas [*usei de salsinha]

Pre-aqueça a panela de pressão elétrica selecionando “sauté” em “high heat”. Quando a panela estiver bem quente coloque algumas colheres de óleo e então uma camada de berinjela. Deixe cozinha até elas ficarem bem carbonizadas no fundo. Não mexa. Use uma espátula para remover as berinjelas. Adicione outra camada e deixe ficar bem tostada também. Assim que toda berinjela estiver bem tostadas adicione o alho, a cebola, a curcuma e pimenta e o sal. Deixe cozinhar por 1 minuto. Adicione os tomates e mexa bem com uma espátula. adicione a água, feche a panela e cozinhe por 3 minutos em pressão alta. Deixe a pressão sair, abra a panela e cozinhe em “sauté” por mais uns minutos, até todo o líquido se evaporar. Adicione o liquid smoke [não coloquei], misture o coentro [usei salsinha] e sirva. A autora recomenda servir com o pão naan.

sopa indiana de tomate & coco

tomato-coconut soup

Há muito tempo que eu queria comprar uma panela de pressão elétrica. Meus colegas no trabalho que tem uma, me contavam da praticidade. Panela de pressão sempre foi aquela coisa meio tensa pra mim, por causa do vapor, das histórias de acidentes. No Brasil eu até usei, mas aqui foi poucas vezes Em 1999 trouxe uma panela de pressão do Brasil dentro da mala e até que usei, mas depois ela foi ficando velha, a borracha estragou e acabou sendo reciclada. Com a elétrica e história é totalmente diferente. Ela não faz aquele escândalo com o vapor e é toda programável. Achei um pouco grande demais, mas fiz até o esforço de ler todo o manual pra não ter perigo de fazer nenhuma burrada. E comecei a usar. Já cozinhei muito feijão, arroz, grão de bico, lentilha, fiz sopa, fiz frango, fiz carne, nossa, estou absolutamente encantada! Daí comprei esse livro de receitas indianas para fazer na panela elétrica—Indian Instant Pot® Cookbook. Despiroquei! Já fiz várias receitas desse livro e vou fazer outras. Essa sopa fica linda e absolutamente deliciosa. Quem iria imaginar uma combinação dessas? Eu adorei.

1/2 lata de leite de coco [*uso sempre orgânico]
1/2 cebola roxa cortada em cubos
6 tomates orgânicos cortados em quatro
1/4 xícara de folhas de coentro fresco picadas
1 colher de chá de alho picado
1 colher de chá de gengibre fresco picado
1 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de pimenta caiena
1 colher de chá de curcuma/açafrão
1 colher de sopa de néctar de agave ou mel

na panela de pressão elétrica—Instant Pot
Coloque todos os ingredientes no Instant Pot e cozinhe em High durante 5 minutos. Retire do pote e use um o liquidificador ou um mixer de imersão para triturar todos os ingredientes e obter uma sopa cremosa.

no fogo ou panela de pressão comum
Na pressão cozinhe 5 minutos depois que a pressão começar. Na panela cozinhe todos os ingredientes até que os tomates estejam moles e estourando. Retire da panela e use um liquidificador ou um mixer de imersão para triturar todos os ingredientes e obter uma sopa cremosa.

tomates recheados com quinoa & pesto de pistache

stuffed tomato

Fique de olho nas ofertas que a Amazon faz dos livros pra Kindle e ficará surpreso com a quantidade de livros excepcionais que poderá comprar por bagatelas de até $0.9! Tenho comprado muitos por $1.99, $2.99, um pouquinho menos, um pouquinho mais. Com esses preços dá pra arriscar comprar livros que normalmente não se compraria ou tentar algo novo ou de autores não tão conhecidos [pelo menos pra mim]. O The New Persian Kitchen da autora Louisa Shafia foi um desses livros que comprei porque estava uma bagatela. Fui surpreendida com as receitas maravilhosas e agora estou meio desesperada tentando organizar a lista imensa das que quero testar. Fiz essa com os tomates fora de série que estão chegando no Farmers Market de Woodland. Só mudei a maneira de cozinhá-los, grelhando na churrasqueira pois estava muito quente pra ligar o forno. Na foto eles estão prontos pra serem grelhados. Não consegui tirar foto dos tomates prontos porque uma série de infortúnios aconteceram—eu queimei a mão horrivelmente em dois lugares e o gás da churrasqueira acabou no meio do cozimento [e o Uriel estar tomando banho]. Isso somado à fome que eu estava sentindo, depois de ter acordado cedo e nadado por uma hora, não teve chance nenhuma de eu tirar foto quando os tomates finalmente ficaram prontos. Eles cozinharam muito bem na churrasqueira e soltaram a pele, que desceu como uma saia caindo [hahaha, isso mesmo], ficaram deliciosos!

4 tomates médios [tipo beefsteak]
1/3 xícara de pistache
4 cebolinhas inteiras picadas
1 xícara de salsinha picada
Casca ralada e suco de 1 limão [*usei o Tahiti]
Sal marinho a gosto
3 colheres de sopa de óleo de semente de uva ou outro óleo vegetal
3 dentes de alho picados
1 xícara de quinoa cozida
1/2 xícara de feijão branco cozido e escorrido
150 gr de queijo de cabra [*usei o feta]
Pimenta do reino moída na hora
Sumac para decorar e servir

Pré-aqueça o forno em 425ºF/218ºC. Corte uma tampa em cada tomate, com cuidado remova as sementes [guarde para fazer molho]. Coloque os tomates numa assadeira.

No processador de alimentos coloque os pistache, as cebolinhas, salsinha, as raspas da casca e o suco do limão e 1 colher de chá de sal. Pulse até formar uma farofa grossa.

Numa panela aqueça 2 colheres de sopa de óleo e junte o alho picado. Cozinhe por um minuto, então adicione a quinoa cozida e o feijão cozido e escoado. Cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, por uns 10 minutos. Junte o pesto e cozinhe por maios uns 5 minutos. Tempere com sal e pimenta do reino. Desligue o fogo e junte o queijo. Misture bem. Recheie os tomates com essa mistura. Regue com a restante 1 colher de sopa de óleo e leve ao forno por 25 minutos. Com cuidado transfira os tomates para uma travessa, decore com sumac e sirva.

stuffed tomato stuffed tomato

massa & molho de tomate cru [para fazer a melhor pizza]

Faz anos que eu e o Uriel estamos buscando a pizza feita em casa perfeita. Anos atrás eu aprendi uns truques com o meu irmão que virou o jogo da nossa pizza dos sábados à noite. Passei a colocar a massa crua com molho e queijo, mais os sabores extras, num forno extremamente quente—no meu coloco a 550ºF/ 288ºC. Nunca tentei ir mais do que isso, mas tenho que testar qualquer dia. Abrimos [Uriel] a massa bem fininha, que é como gostamos. E no forno super quente ela fica super crocante em 10 minutos. Também comecei a usar a mussarela fresca ao invés da comum. Acho que a pizza fica muito mais leve assim, também porque eu sempre coloco outras coisas em cima, como atum em lata temperado com limão em conserva, fatias de aliche, fatias de tomate, fatias de coppa ou de pepperoni de boa qualidade, pedacinhos de queijo de cabra, aspargos cozidos, abóbora assada, abobrinha crua, fatias finíssimas de erva-doce [que combina muito com o coppa], verduras cozidas, eteceterás, conforme a estação. Outro dia lendo uma edição da revista Bon Appetit vi muitas dicas legais numa reportagem com o chef Joe Beddia da Pizzeria Beddia em Philadelphia. O que eu mais gostei foi ele dizer que não cozinha o molho de tomate. Pra mim isso simplificou muito, pois eu refogava alho no azeite, juntava o tomate, sal, pimenta do reino e orégano e deixava reduzir. Fazia bastante e congelava as porções para várias semanas. Mas essa versão do Beddia não precisa de muita preparação, nem de fogão, e deixa a pizza ainda mais leve. Eu adorei e é a receita que venho fazendo desde então. Tenho feito o molho com tomate em lata orgânico, mas quando chegar o verão vou fazer com os tomates frescos.

Vou deixar aqui, novamente, a receita da massa que eu já faço há anos, sei até decor. Não sei onde achei essa receita, mas ela é perfeita e faz duas pizzas grandes [massa bem fina]. A receita do molho vem sem seguida.

para a massa:
1 xícara de de água morna
1 envelope [1 colher sopa] de fermento biológico seco [fermento de pão]
1 colher de chá de açúcar
1/4 colher de chá de sal
2 colheres de sopa de azeite
1/2 xícara de farinha de semolina
2 xícaras de farinha de trigo

Coloque a água morna, o açúcar e o fermento numa vasilha e deixe descansar por 5 minutos, até formar uma espuma. Junte o sal, o azeite, a semolina e a farinha de trigo e amasse bem com as mãos. Pode sovar, mas não precisa sovar muito. Cubra a vasilha com um pano e coloque num local escuro. Deixe a massa crescer por pelo menos 30 minutos ou por mais tempo.

para o molho:
2 dentes de alho finamente picados ou espremidos
1 lata grande de tomates orgânicos [sempre uso o Muir Glen]
2 colheres de sopa de azeite
1 e 1/2 colheres de chá de sal fino

Misture o alho, os tomates, óleo e sal em uma tigela média. Cubra e leve à geladeira por umas 3 horas. O molho pode ser feito com uma semana de antecedência e mantido refrigerado. O sabor irá se concentrar quando molho cozinhar com a pizza.