aspargos frescos
[com farofinha de panko]

aspargos-panko_2S.jpg

aspargos-panko_3S.jpg

Esfriou, choveu, choveu, choveu, baixou até neblina e hoje pela manhã tive que limpar uma camada de gelinho do vidro do meu carro e vi telhados e gramas das casas cobertos de geada. Mesmo assim os já presentes e evidentes sinais da primavera não permite tolos enganos—o inverno já virou a esquina, pelo menos oficialmente. E os sinais da nova estação estão por todos os lados. Um deles é a chegada dos aspargos. Uma chegada mundialmente celebrada, vamos concordar, pois esse legume é super versátil, além de delicioso. Dá pra fazer tanta coisa com eles, cozidos ou crus. Desta vez usei um maço para fazê-los da maneira mais simples possível, cozendo no vapor, temperando com azeite e limão e servindo com uma farofinha. Vi uma idéia mais ou menos como essa em algum lugar, mas esqueci onde. Por isso nem pude ter um guia e tive que inventar.
Numa frigideira coloque um pouquinho de azeite e refogue um ou dois dentes de alho picadinho. Junte panko [farinha de pão japonesa] o suficiente e refogue até ficar levemente dourado. Tempere com sal e com raspinhas da casca de limão [usei o Meyer] e polvilhe sobre os aspargos já temperados com azeite e suco de limão [usei o Meyer]. Sirva a seguir. Só isso.

aspargos-panko_1S.jpg

aspargos com ovos

aspargos-ovos_1S.jpg

Minha casa ainda não está arrumada. Porque temos que trabalhar nos nossos respectivos empregos e portanto estamos fazendo o que podemos, um pouquinho de cada vez. Já dei uma arrumada geral no quintal, arranquei montes da horrorenda e invasiva hera que tomava conta de muitas partes do jardim e plantei muita lavanda e gerânio. Arrumei o gazebo com uma mesa e cadeiras de ferro, onde já tomamos um café da noite de domingo. Também organizei os armários—estranhos walk-in closets da década de 40, e tivemos o carpete cor de vinho removido das salas de estar e jantar e chão de madeira instalado. Assim finalmente posicionamos os últimos móveis que ainda faltavam irem pro seu devido lugar. Mas ainda há muitas caixas com coisaradas dentro e muitas dessas coisas eu realmente não sei onde vou guardar nem como vou rearranjar. Preciso de mais móveis! Nem digo isso em voz alta pra não espantar os gatos e o marido, que acha que já temos muitos cacarecos.

Nos ínterins da arrumação eu dirijo até Davis olhando os campos de tomate, trigo, milho e girassol ladeando a estrada. Tenho feito o meu almoço em estilo picnic, sentada num banco atrás do meu prédio, onde tenho tido a companhia constante de esquilos e passarinhos. Descobri uma piscina bem perto da minha casa e tenho ido nadar quase todos os dias depois do trabalho. Essas braçadas e pernadas dentro da água fresquinha tem me salvado, pois se não fosse isso eu já teria tido um colapso de tanto cansaço. Por isso não tem dando tempo de cozinhar nada mais do que uma receita de macarrão com legumes ou uma saladona ou qualquer sanduíche usando os ingredientes frescos da cesta orgânica, que continua chegando semanalmente. Não tenho comido mal, muito pelo contrário, só não estou conseguindo fazer nada inédito e blogável.

Nossos vizinhos estão nos recepcionando com singeleza ímpar. Outro dia um casal trouxe um vaso com orquídeas brancas. E outra vizinha me trouxe cerejas frescas. Fruta não tem faltado, pois tenho feito compras no Farmers Market da cidade. Preparei uma gelatina que ficou muito boa, usando uns morangos locais dulcíssimos, batidos com xarope de elderflowers [aquele da Ikea], creme de leite fresco e misturados com agar-agar. Comi tudo e não fotografei nada. Numa outra noite fiz, rápidamente antes de ir nadar, esse prato frio com aspargos usando uma receita da revista do Jamie Oliver. A versão dele era feita com ovo de pata, mas eu fiz com os de galinha mesmo. Foi só dar uma leve cozinhada nos aspargos, colocar num prato e regar com um fio de azeite. Daí cozinhar os ovos, picar em pedacinhos e salpicar sobre os aspargos. Colocar algumas alcaparras escorridas, uns filézinhos de aliche picadinhos, folhinhas rasgadas de manjericão fresco. Temperar tudo com sal e pimenta do reino moída e servir—se quiser, acompanhado de um pão fresquinho.

torta [rápida] de aspargos

torta-aspargos_1S.jpg

torta-aspargos_2S.jpg

Embarquei na missão de usar todos os produtos que tenho nos meus dois congeladores antes do dia da mudança. Não são muitos, pois não curto muito congelar coisas, nem fazer estoque no freezer. Porque sei que mesmo os congelados têm data de validade e se esquecer de usar eles ficam ruim e acabam indo pro lixo. Tenho sempre fatias de bacon, ervilhas e edamames, alguma fruta, meus molhos de tomate [que já estão acabando], uma base de torta ou pizza, massa folhada Dufour e uma ou outra coisinha. E foi para gastar um par de massa de pizza feita com farinha de milho, que resolvi preparar essa torta. Foi também porque eu tinha três maços de aspargos na geladeira—um que veio na cesta orgânica e os outros dois que não resisti e comprei no Farmers Market. A torta foi super simples de fazer e como fiz duas, rendeu um jantar e dois almoços. Dá pra comer fria ou quente. Use qualquer massa que tiver disponível ou prepare alguma da sua preferência.

Lave os aspargos, remova a parte mais dura da extremidade e cozinha rapidamente com um pouquinho de água numa panela. Não deixe amolecer, é somente para dar uma cozida rápida. Salpique queijo feta quebrado com as mãos sobre a superfície da massa. Cubra com os aspargos, colocando um ao lado do outro alternando a direção das pontas. Tempere os aspargos com sal e pimenta do reino moída, regue com um fio de azeite extra-virgem. Salpique mais queijo feta por cima dos aspargos e leve ao forno até a massa assar. No caso da minha massa foram 20 minutos em forno 400ºF/ 205ºC.

pasta com aspargos & favas

pasta_aspargos_2S.jpg
pasta_aspargos_4S.jpg pasta_aspargos_4S.jpg
pasta_aspargos_7S.jpg

Está bem perceptível a minha falta de vontade de ficar na cozinha, porque neste momento preciso mesmo é estar fazendo outras coisas, como empacotar meus 87554 suéters de lã, os 54322 casacos de inverno, minha coleção de copos de martini e de margarita, meus 98875 pratos, pratinhos, pratões, travessas, saladeiras, a extensa coleção de jarras e bules, os zilhões de livros de culinária, eteceterá eteceterá. Já gastei bem uns dez quilómetros de plástico bolha na embrulhação. Mas isso não vem ao caso.

Embora eu esteja ocupada e focada em outras atividades, a cesta orgânica continua chegando semanalmente, trazendo os produtos da estação. Aspargos e favas não tem faltado e foi com esses dois ingredientes que resolvi fazer esse macarrão. O mais trabalhoso foi descascar as favas, que precisam sair de dois casulos para serem facilmente saboreadas. Mas esse trabalho vale a pena. Eu acho as favas um dos legumes mais saborosos que existem. E adoro usá-las em diferentes receitas, mesmo sabendo que vou perdeu um tempinho razoável na descascagem.

Para fazer esse macarrão, usei um maço de aspargos cortadinho, um maço de favas que cozinhei rapidamente numa panela com um pouquinho de água. Removi os feijõezinhos das vagens, depois removi a pele de cada um. Usei também um pouquinho de cream cheese temperado com sal, pimenta do reino moída e cibouletes picadinha diluido num pouco de creme de leite. Numa panela refoguei cebolinha picada, adicionei os aspargos, deixei cozinhar, juntei o cream cheese diluido no creme de leite, no final as favas. Depois é só jogar esse molho sobre o macarrão da sua preferência cozido al dente numa panela com bastante água e sal, misturar bem e servir, com queijo parmesão ralado por cima se quiser. Eu quis.

o aspargo [que era] roxo

asp-roxo_1S.jpg

No meio dos maços de aspargos verdes tinha apenas um maço do roxo. Foi justamente o que comprei. E por causa da minha escolha, o moço comentou—cuidado para não ter um déjà vu psicodélico! ha ha ha! Mas eu já sabia que depois de cozidos os aspargos roxos iriam ficar verdes, assim num *plin*. Tie-dye desbotados. O moço ainda deu a dica pra eu pingar suco de limão e fazer um branqueamento. Ah, nem pensar viu. Quis fazer tudo bem simples, porque esses aspargos foram servidos no almoço de Páscoa, quando eu preparei sozinha outros pratos e, atrapalhada na cozinha, nem cogitei fazer nenhum truque acrobático apenas para manter a cor.

aspargoroxo_2S.jpg

Cozinhe os aspargos rapidamente numa panela com um pouquinho de água. Somente até eles ficarem cozidos, mais al dente—isto é, mantendo uma certa resistência às dentadas. Daí é só colocar os aspargos cozidos numa travessa, regar com azeite de oliva e salpicar com uma farofinha feita com panko, folhas de salsinha, sal, raspas e suco de limão, tudo moído num mini processador. E servir.

stir-fry de aspargos e tofu

tofu-aspargos-stir_1S.jpg

Como todas as receitas da Heidi Swanson, este stir fry ficou super delicioso e com aquela vibe de comida ultra saudável. Fiz usando os primeiros aspargos da temporada e também aproveitei para gastar um maço de verdura.

Óleo de gergelim tostado
250 gr de tofu extra firme cortado em cubos
4 ramos de cebolinha picadinha
1 colher de sopa de gengibre picadinho
1/2 colher de chá de pimenta vermelha em flocos
1/2 maço de aspargos picado
Sal marinho a gosto
3 dentes de alho picados
1 bpunhado de castanhas de caju
Folhas de espinafre ou couve ou chard [*usei chard]
Raspas da casca e suco de 1 limão
2 colheres de sopa de molho hoisin [*usei o teriyaki]
1 punhado de folhas de hortelã
1 punhado de folhas de manjericão [*não usei]

Prepare todos os ingredientes e deixe ao alcance das mãos ao lado do fogão. Numa panela grande coloque um pouco de óleo de gergelim e frite o tofu até os cubinhos ficarem dourados—vire para fritar dos dois lados. Remova o tofu da panela e reserve.

Na mesma panela coloque um pouco mais de óleo e adicione as cebolinhas, o gengibre, a pimenta, o aspargos e o sal. Refogue por uns minutos, junte o alho, as castanhas e as folhas verdes [eu usei chard] e refogue rapidamente, somente até a verdura murchar. Coloque o tofu de volta na panela, adicione o suco e as raspas da casca do limão, o molho hoisin [usei teriyaki]. Cozinhe por alguns segundos mexendo com uma colher de pau. Remova do fogo, junte o hortelã e o manjericão picados e sirva imediatamente.

☆ aspargos ☆

aspargos11_1S.jpg

Apesar do tempo chuvoso e frio parecer estar murmurando nos nossos ouvidos—inverno, inverno, inverno, já estamos na portinha da primavera e os sinais estão por todos os cantos. Nas árvores floridas e nas novidades brotando nas hortas. Já chegou o primeiro macinho de aspargos na cesta orgânica, que eu tive que dividir muito a contragosto com a minha ex-nora. Tudo bem, pois segundo o pessoal da fazenda, vamos ter aspargos pelas próximas oito semanas. Iurrruu!!

coleslaw de aspargos

coleslaw-aspargos_1S.jpg

Com meio repolho e quatro aspargos magrinhos, fiz um coleslaw que ficou deveras interessante. Usei um punhado de dried currants—aquelas passas super micro, e um vinagrete de limão.

Rale meio repolho e fatie os aspargos usando um mandoline. Junte um punhado de currants, ou passas, ou outra fruta seca da sua preferência. Faça um vinagrete com o suco e a casca ralada de 1 limão, 1 colher de chá de mostarda doce, sal [usei o maldon], pimenta do reino moída a gosto e bastante azeite. Bata bem com um batedor de arame para emulsionar, misture à salada e sirva.

salada de aspargos

salada_aspargos_2S.jpg

Acho que eu nunca iria arriscar fazer algo com os aspargos crus, se não tivesse visto a idéia na revista da Dona Martha Stewart—a rainha das idéias originais surrupiadas e adaptadas, segundo as bocas de Matildes. Permaneci cética até o momento iluminado em que dei a primeira garfada nessa salada. Benditos aspargos, ficam bom de qualquer jeito!

Pra fazer essa salada só precisa aspargos e paciência. Não sou a pessoa mais jeitosa do mundo com itens que requeiram destreza manual. Então não foi muito tranquilo fazer as tiras dos aspargos, que são fininhos e me deixaram com a cara torcida, tentando não quebrar as fitas, nem ralar o dedo. Usei um descascador de legumes.

Depois é só temperar as tiras de aspargos com suco e raspas da casca de um limão, sal maldon ou flor de sal, bastante azeite extra-virgem e uma pitadinha de pimenta do reino branca moída na hora. Adicione no final um punhado de raspas de queijo parmesão e sirva.

quinoa negra com legumes verdes

quinoa-verdes_1S.jpg

Para um ranguinho corrido no meio da semana, uma mistura de ingredientes bem auspiciosa. Quinoa negra com legumes verdes. Uma refeição nutritiva e saborosa, que fiz usando a quinoa negra [orgânica e fair trade da Bolivia] misturada com uma cornucópia de legumes verdes—kohlrabi, aspargos, alho-poró, alho verde, favas verdes e ervilhas tortas— tudo orgânico, da minha cesta.

Lave bem em água corrente 1 xícara de quinoa e deixe escorrer bem. Numa panela coloque a quinoa e 1 1/2 xícara de água, um fio de óleo vegetal e uma pitada de sal. Deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe até a água ser absorvida e a quinoa ficar cozida.

Numa outra panela, coloque um pouco de azeite e refogue o alho-poró e o alho verde picadinhos por uns minutos. Junte os outros legumes picados, deixe refogar até tudo ficar cozido. Tempere com sal, uma pitada de pimenta cayenne se quiser. Junte a quinoa, misture bem e sirva.