salada de espinafre com cogumelo [e molho de cominho]

spinach-mushroom

Sempre que vou no mercadinho da família do Laos, numa estradinha numa das saídas da cidade, compro mais coisas do que preciso. É porque eles sempre têm produtos plantados e colhidos na horta deles, no fundo da loja. Nesse dia foi o espinafre. Comprei um sacão e fiz essa salada da Deborah Madison. O molho foi o que me atraiu. A mistura de especiarias combinou perfeitamente com a frescura das folhas verdes e o sabor terroso dos cogumelos. Como exagerei na compra dos ingredientes, refiz essa salada mais duas vezes.

1 e 1/2 colheres de chá de sementes de cominho levemente tostadas na frigideira
1/4 xícara de suco de limão
1 colher de chá de raspas de raspas de limão
2 dentes de alho picados
1/2 colher de chá de páprica
1/2 colher de chá coentro em pó
1/2 xícara de azeite
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
500 gr de cogumelos frescos
1 maço grande de espinafres
1/4 de cebola roxa cortada em fatias
1/3 xícara de folhas de coentro fresco

Em um moedor de especiarias ou pilão moa bem as sementes de cominho. Em uma tigela pequena misture o suco e as raspas da casca de um limão e o alho socado com 1 colher de chá de sal. Misture o cominho, a páprica e coentro em pó. Em seguida junte o azeite de oliva.

Em uma tigela misture os cogumelos com metade do molho e tempere com sal e pimenta. Em outra tigela misture o espinafre com as cebolas, as folhas de coentro e o molho restante. Coloque tudo numa travessa, tempere com mais sal e pimenta se precisar e sirva.

salada clássica de laranja

orange-salad

No meio do verão apareceu uma caixa de laranjas na cozinha do meu trabalho. Colheita tardia de alguma árvore no quintal de alguém. Obviamente que eu enchi minha sacolinha e trouxe as laranjas pra casa. Elas estavam bem doces, comi a maioria so descascando e cortando em cubos. Com as últimas que sobraram fiz essa salada clássica, que acabei devorando sozinha [shiu, abafa!].

Remova as cascas da laranja. Eu corto as bases, depois removo as cascas laterais. Espremo o suco que fica nessas cascas, porque com essas delícias eu não desperdiço nada. Depois corte as laranjas descascadas em fatias, coloque numa travessa. Fatie um pouco de cebola roxa, bem fininho. Eu uso um mandoline. Coloque a cebola numa vasilha, encha com água fria e deixe descansar por uns minutos. Escorra bem e salpique por cima das laranjas. Adicione azeitonas pretas conservadas em óleo [o sabor é mais intenso]. Tempere com sal marinho e azeite de oliva, decore com folhinhas de tomilho fresco e sirva.

molho de alho, iogurte & misô

molho-alho-mis

Sou uma notória odiadoras do alho cru. Detesto o cheiro, detesto o sabor e o gosto que fica na boca por horas e horas. Nem vou mencionar aquele aroma que parece ser absorvido pelo corpo e que vai sendo liberado através dos poros, muitas vezes misturado com o suor e certos perfumes franceses. UG! Fatalmente terei uma dor de cabeça. Por isso evito o alho cru o quanto posso. E aconselho todo mundo a minha volta a fazer o mesmo. Outro dia evangelizei uma amiga sobre a inadequação do alho cru nos molhos de salada. Disse que ela podia usar ervas frescas, raspinha da casca de cítricos, gengibre fresco ralado, o céu era o limite. O único ingrediente fora do baralho era o alho. Ela ficou tão convencida que me disse confiante—finalmente entendi que o alho não pertence nos molho de saladas! Eu aplaudi muito orgulhosa, muito bem, convenci mais uma. Mas foi então que fui olhar receitas no site do The Guardian e dou de cara com um molho de salada [a green lunch salad]. Com alho. A mistura de todos os outros ingredientes me fascinou, mas tava lá o fatídico alho. Fiz o molho, desta vez sem omitir o alho como sempre faço, e caí pra trás. Que delicia! É um molho um pouco picante e deixa sim um leve gostinho de alho na boca. Mas não é nada que não se resolva comendo um pêssego ou outra fruta. Refiz o molho e levei pra minha amiga provar. Cortei um tomate, temperei com o molho alhudo e disse—admito que nem sempre estou certa, e está aqui a exceção no uso do alho na salada. Ela comeu e adorou.

1 dente de alho descascado
2 colheres de sopa de miso branco
2 colheres de sopa de mirin
2 colheres de sopa de vinagre de arroz integral
4 colheres de sopa de iogurte natural

Esmague o alho em uma pasta usando um pilão ou o espremedor de alho. Junte o miso, misture bem, adicione o mirin e vinagre. Misture bem, e adicione o iogurte. Tempere a salada e sirva. Eu usei tomates e pepinos, mas você pode usar o que quiser.

salada de milho grelhado, com abacate, tomate & molho de limão

salada de milho

Essa salada foi a minha última refeição antes de começar um jejum pré-operatório que durou quase 24 horas [fiz uma operação de varizes, nada sério!]. Ficou absolutamente deliciosa e eu comi muito [hahahaha!]. Mudei apenas o fato de que grelhei as espigas de milho e a pimenta poblano na churrasqueira. Estava muito calor pra ligar o forno naquele dia.

5 espigas de milho
1 pimenta poblano cortada em pedaços pequenos
1/2 cebola roxa cortada em fatias finas
1 abacate cortado em cubos pequenos
1/2 xícara tomates cereja cortados ao meio ou em quatro
2 colheres de sopa de suco de limão verde, Tahiti
1/2 colher de chá de mel
Pimenta Cayenne ou Aleppo a gosto
1/4 xícara de azeite extra virgem
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora a gosto
Um punhado de folhas de manjericão e hortelã frescas

Pré-aqueça o broiler e coloque a grade do o forno no segundo nível. Descasque o milho e corte os grãos com uma faca. Adicione a pimenta poblano picada e a cebola roxa cortada. Misture com uma colher de chá de azeite e tempere com sal e pimenta. Transfira para uma assadeira forrada com papel vegetal ou uma frigideira grande. Grelhe o milho, poblano e cebola vermelha por 3 a 5 minutos, sacudindo a panela algumas vezes ou até que fiquem carbonizados em alguns pontos, mas não deixe cozinhar demais. Retire a mistura do forno, adicione o abacate e grelhe por um minuto ou dois mais. Pode pular essa parte e colocar o abacate apenas no final, sem aquecer. Para fazer vinagrete de limão misture o suco de limão, o mel e pimenta vermelha [usei a Aleppo], adicione lentamente no azeite extra virgem, mexendo até ficar bem emulsionado. Tempere com sal a gosto. Transferir a mistura de milho para uma travessa, adicione os tomates cereja, as folhas de hortelã e manjericão, regue com o vinagrete de limão e sirva imediatamente.

aspargos grelhados
com molho de alcaparras

asparagus-caper.JPG

Neste primavera eu realmente me empanturrei de aspargos. Esse legume tem uma temporada curta, então quando eles aparecem tem que aproveitar. Fiz algumas receitas, muitas delas déjà vus do passado. E fiz muitos deles apenas grelhados na churrasqueira. Aspargos grelhados foram a base de muitos almoços, jantares e marmitas. Essa receita do Ottolenghi publicada pelo NYT foi uma das inéditas que fiz este ano. E ficou muito gostosa.

3 maços de aspargos [usei orgânicos]
2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora a gosto
1/4 xícara de alcaparras, escorridas e secas com uma folha de papel
Raspas da casca de 1 limão
2 colheres de chá de suco de limão
1 dente de alho pequeno [*omiti]
1/3 de xícara de folhas de salsinha picadinhas
1/2 xícara de queijo de cabra macio como chèvre, esmigalhado

Encha uma panela de tamanho médio com água fria e coloque em fogo alto. Quando a água ferver, adicione os espargos, e deixe cozinhar por 1 minuto. Escorra os espargos e lave imediatamente com água fria. Escorra os espargos novamente e coloque em uma tigela média, tempere com 1 colher de sopa de azeite, uma pitada de sal e pimenta do reino. Misture delicadamente e reserve. Adicione os aspargos em em uma grelha ou churrasqueira e deixe por cerca de 2 a 3 minutos, virando algumas vezes, transfira para uma travessa. Faça o molho, misturando as alcaparras com a colher de sopa restante de azeite, as raspas e o suco de limão, o alho e a salsinha. Adicione o queijo de cabra à mistura, mexa delicadamente e despeje sobre os espargos.

panzanella de primavera

spring-panzanella
A salada italiana panzanella protagoniza muitos almoços e jantares durante a primavera e o verão aqui em casa. Essa versão primaveril não tem nada a ver com a original, mas fica realmente deliciosa [e é bem substancial]. Já fiz de tantas maneiras diferentes, essa foi mais uma. As sobras guardam muito bem e são potencial candidatas às marmitas. Nesta usei aspargos, ervilhas tortas e tomilho. Tostei cubinhos de pão amanhecido numa frigideira, com azeite, alho espremido, um pouquinho de sal e folhinhas de tomilho. As ervilhas tortas eu grelhei rapidamente na churrasqueira. Mas isso pode ser feito numa grelha ou frigideira. É jogo rápido, porque elas precisam ficar crocantes, não podem amolecer. Os aspargos eu usei cru, fatiei diagonalmente usando um mandoline. Numa saladeira fiz o molho com raspas da casca e suco de um limão [usei o Meyer], vinagre de vinho tinto, sal, pimenta do reino moída na hora e bastante azeite. Juntei os cubinhos de pão tostados, cebola roxa que também fatiei fininho no mandoline, as ervilhas levemente grelhadas e as fatias de aspargos. Misturei tudo, deixei descansar por uma meia hora e servi.

spring-panzanella spring-panzanella