salmão selvagem a provençal

Meu supermercado manda um e-mail semanal com ofertas para um monte de produtos e uma oferta secreta, que geralmente é algo super bom, digo, com um desconto de cair o queixo. No dia que chegou a oferta secreta pro salmão rei selvagem do Alasca corri lá para aproveitar. Era um desconto incrível, porque esse peixe é bem caro. Comprei duas postas lindas com as quais pude fazer essa receita simplíssima do Mark Bittman. Ficou absolutamente delicioso!

4 filés de salmão selvagem com a pele
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
1 colher de sopa de semente de erva-doce
1 colher de sopa de alecrim fresco picado
1 colher de sopa de raspas da casca de laranja
2 colheres de azeite ou manteiga clarificada

Tempere os filés de ambos os lados com sal e pimenta. Triture as sementes de erva-doce em um moedor de café ou especiarias e misture com o alecrim picado e as raspas de laranja. Pressione esta mistura na parte superior de cada filé. Pré-aqueça o forno a 400ºF/205ºC. Pré-aqueça uma frigideira antiaderente grande em fogo médio-alto por 3 ou 4 minutos. Adicione o azeite ou manteiga e coloque os filés, lado revestido com as sementes para baixo, na frigideira. Cozinhar por cerca de 1 minuto ou até que a mistura de especiarias forme uma crosta bem dourada. Vire os filés com cuidado e cozinhe por cerca de um minuto mais. Transfira a frigideira para o forno e deixe lá por cerca de 4 minutos a 8 minutos, dependendo do seu gosto para o cozimento. Eu sempre deixo cozinhar completamente, não gosto de nada mal passado. Remova do forno e sirva. Eu servi acompanhado de um purê de lentilhas e salada de agrião.

Salmão provençal Salmão provençal

bolo de banana & gergelim

bolo banana & gergelim

bolo banana & gergelim

Comprei banana só pra fazer esse bolo, que aqui eles chamam de pão. Mas como tem textura de bolo, eu chamo de bolo. Acho tudo que vai gergelim uma delicia, especialmente quando tem bastante sementinhas pra fazer croc-croc. Essa receita faz um bolo grande e acho que eu precisava de uma forma de pão um pouco maior. O bolo não vazou, mas cresceu e caiu para os lados formando uma borda crocante e na hora de desenformar não ficou tão bonito. Mas esse detalhe não é importante. Apenas mudei um pouco o modo de fazer pra ser mais prática e usar somente uma vasilha e o processador de alimentos.

1/3 xícara de sementes de gergelim branco
1/4 xícara de sementes de gergelim preto
4 bananas muito maduras
1 e 1/4 xícara de farinha de trigo para bolo
1/4 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal kosher
2 ovos caipiras grandes
1/2 xícara de óleo vegetal
2 colheres de sopa de tahine
1 colher de sopa de extrato de baunilha
2 xícaras de açúcar mascavo

Preaqueça o forno a 350F°/176°C. Separe 1 colher de sopa das sementes de gergelim branco e 1 colher de sopa das sementes pretas e toste em uma frigideira em fogo médio, mexendo ocasionalmente, por cerca de 5 minutos.

Numa vasilha misture a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal. Coloque as bananas em um processador de alimentos pulse até fazer um purê. Junte os ovos, o óleo, o tahine, e a baunilha no processador. Junte por fim o açúcar mascavo ao purê de banana e pulse até ficar bem misturado. Despeje a mistura de banana aos ingredientes secos, usando uma espátula e incorporando tudo delicadamente. Coloque em sementes de gergelim torradas na massa.

Despeje a massa em uma forma de pão grande untada com óleo. Polvilhe o restante das sementes de gergelim brancas e pretas por cima. Leve ao forno e asse por 60-70 minutos. Remova do forno e deixe esfriar completamente na forma. Desenforme e sirva.

salada de espinafre com cogumelo [e molho de cominho]

spinach-mushroom

Sempre que vou no mercadinho da família do Laos, numa estradinha numa das saídas da cidade, compro mais coisas do que preciso. É porque eles sempre têm produtos plantados e colhidos na horta deles, no fundo da loja. Nesse dia foi o espinafre. Comprei um sacão e fiz essa salada da Deborah Madison. O molho foi o que me atraiu. A mistura de especiarias combinou perfeitamente com a frescura das folhas verdes e o sabor terroso dos cogumelos. Como exagerei na compra dos ingredientes, refiz essa salada mais duas vezes.

1 e 1/2 colheres de chá de sementes de cominho levemente tostadas na frigideira
1/4 xícara de suco de limão
1 colher de chá de raspas de raspas de limão
2 dentes de alho picados
1/2 colher de chá de páprica
1/2 colher de chá coentro em pó
1/2 xícara de azeite
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
500 gr de cogumelos frescos
1 maço grande de espinafres
1/4 de cebola roxa cortada em fatias
1/3 xícara de folhas de coentro fresco

Em um moedor de especiarias ou pilão moa bem as sementes de cominho. Em uma tigela pequena misture o suco e as raspas da casca de um limão e o alho socado com 1 colher de chá de sal. Misture o cominho, a páprica e coentro em pó. Em seguida junte o azeite de oliva.

Em uma tigela misture os cogumelos com metade do molho e tempere com sal e pimenta. Em outra tigela misture o espinafre com as cebolas, as folhas de coentro e o molho restante. Coloque tudo numa travessa, tempere com mais sal e pimenta se precisar e sirva.

bolinhos de carne com hortelã e alho [e salada shirazi]

Beef Kofte and Shirazi Salad

Adoro achar receitas que são uma refeição completa. Esses bolinhos com a salada são. Foi uma refeição leve para um dia um tanto pesado. E teve muitas sobras, o que significou M A R M I T A !

beef-kofte—bolinhos de carne
1/2 xícara de arroz basmati, deixado de molho em água fria por 1 hora
4 dentes de alho esmagados
3 colheres de sopa de hortelã fresca
1 cebola grande
1/2 quilo de carne moída
1 ovo caipira batido
2 colheres de chá de sal
1 colher de chá de pimenta do reino moída na hora
Óleo de semente de uva [ou outro óleo vegetal] para fritar
1/2 xícara de extrato de tomate
1 colher de chá de endro seco
1/2 colher de chá canela em pó
1/2 colher de chá de cúrcuma
3 xícaras de água quente
1/4 xícara de suco de limão

Lave o arroz em água fria até que a água saia totalmente limpa e deixe escorrer bem numa peneira. Num processador de alimentos coloque o arroz, o alho, a hortelã e 1/2 cebola cortada em cubos e pulse até formar uma mistura grossa. Transfira tudo para uma tigela grande e adicione a carne, o ovo, sal e pimenta. Misture bem. A mistura deve ficar flexível e fácil de moldar. Faça pequenos bolinhos. Aqueça uma frigideira grande em fogo médio e adicione óleo suficiente para forrar o fundo. Frite os bolinhos até dourar dos dois lados, remova da frigideira e coloque num prato. Na mesma frigideira adicione a outra meia cebola picada. Cozinhe em fogo médio por cerca de 15 minutos, até que a cebola doure. Misture o extrato de tomate, o endro seco, a canela, a cúrcuma e água. Deixe ferver e em seguida abaixe o fogo . Delicadamente coloque os bolinhos no molho. Cubra e cozinhe lentamente por 30 minutos, até que os bolinhos estejam totalmente cozidos. Misture o suco de limão e sirva quente.

shirazi salada—salada de pepino e tomate
3 pepinos picados
2 tomates grandes picados
2 colheres de sopa de hortelã seco
1/2 xícara de suco de limão espremido na hora
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Misturar os pepinos com os tomates. Esfregue o hortelã seco entre as palmas da mãos para ativar o sabor. Jogue sobre a salada. Adicione o suco de limão, tempere com sal e pimenta e mexa delicadamente para misturar. Sirva imediatamente com os bolinhos de carne.

berinjela grelhada [com alcaparras & balsâmico]

eggplant-caper-balsamico

O que fazer com um monte de berinjelas orgânicas acumulando na geladeira? Receitas não faltam e dessa vez foi essa uma super simples que me salvou. Modifiquei o modo de fazer, trocando a frigideira pela churrasqueira, porque nesta época do ano eu prefiro cozinhar no quintal e não esbaforir e esquentar a cozinha.

1/2 xícara de vinagre balsâmico
1 xícara de azeite de oliva
2 berinjelas cortadas em fatias grossas
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora a gosto
2 colheres de sopa de alcaparras
olhas de manjericão fresco

Colocar o vinagre numa panelinha e levar pra ferver em fogo médio até formar um xarope espesso, cerca de 10 minutos. Aquecer metade do azeite em uma panela ou frigideira em fogo médio-alto e fritar as rodelas, virando uma vez, para dourar dos dois lados. Coloque as rodelas fritas sobre folhas de papel para escorrer e tempere com sal e pimenta. Eu fiz essa parte na churrasqueira, grelhando as fatias temperadas com azeite dos dois lados. Arrume as berinjelas numa travessa, regue com o xarope de vinagre balsâmico, decore com alcaparras e folhas de manjericão. Sirva.

aspargos grelhados
com molho de alcaparras

asparagus-caper.JPG

Neste primavera eu realmente me empanturrei de aspargos. Esse legume tem uma temporada curta, então quando eles aparecem tem que aproveitar. Fiz algumas receitas, muitas delas déjà vus do passado. E fiz muitos deles apenas grelhados na churrasqueira. Aspargos grelhados foram a base de muitos almoços, jantares e marmitas. Essa receita do Ottolenghi publicada pelo NYT foi uma das inéditas que fiz este ano. E ficou muito gostosa.

3 maços de aspargos [usei orgânicos]
2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora a gosto
1/4 xícara de alcaparras, escorridas e secas com uma folha de papel
Raspas da casca de 1 limão
2 colheres de chá de suco de limão
1 dente de alho pequeno [*omiti]
1/3 de xícara de folhas de salsinha picadinhas
1/2 xícara de queijo de cabra macio como chèvre, esmigalhado

Encha uma panela de tamanho médio com água fria e coloque em fogo alto. Quando a água ferver, adicione os espargos, e deixe cozinhar por 1 minuto. Escorra os espargos e lave imediatamente com água fria. Escorra os espargos novamente e coloque em uma tigela média, tempere com 1 colher de sopa de azeite, uma pitada de sal e pimenta do reino. Misture delicadamente e reserve. Adicione os aspargos em em uma grelha ou churrasqueira e deixe por cerca de 2 a 3 minutos, virando algumas vezes, transfira para uma travessa. Faça o molho, misturando as alcaparras com a colher de sopa restante de azeite, as raspas e o suco de limão, o alho e a salsinha. Adicione o queijo de cabra à mistura, mexa delicadamente e despeje sobre os espargos.

bolo de limão [& gengibre]

bolo_limao_gengibre

Fui buscar os ovos caipiras na fazenda e separei seis, porque queria fazer de novo esse bolo de fécula de batata italiano e colocar um pouco de limão na massa. Fui quebrando os ovos e separando as claras das gemas. Conselho que sempre segui—quebrar os ovos em cumbucas separadas, normalmente pra evitar que um ovo podre estrague toda a receita, mas aqui felizmente eu nunca achei um ovo podre, ainda mais esses caipiras que são coletados dois dias antes de eu trazê-los pra casa. Mas nesse dia não sei por que não usei a cumbuca e fui separando direto nos vasilhames. Os ovos frescos estavam tão molinhos, uma das gemas quebrou e escapuliu, caiu um tantão na vasilha das claras. NÃOOOOOOOOOO!!! Fui até na dabliudabliuweb procurar uma solução. Não tinha. As claras estavam arruinadas. O jeito foi arrumar outra receita com a mesma quantidade de ovos. Eu já tinha essa uma da MS engatilhada e foi a que fiz. Ficou um bolo bem gostoso, mas muito grande para duas pessoas. Acabou virando o acompanhamento do meu café da manhã por muitos dias, deu até pra enjoar.

Agora vou dizer uma coisa bem sincera e prática sobre o website da Martha Stewart: que lixo! Ela era uma referência pra mim dez anos atrás. Hoje fujo dela, da revista dela e principalmente do website dela. As receitas são boas, mas a revista [que eu assinava no iPad] perdeu a interatividade e o website está cada vez mais confuso, poluído, cheio de ruídos, você clica na receita e abre um banner gigante que cobre tudo, nota zero em UX/UI, ela deveria despedir todo o grupo que faz aquilo, peloamordedeus. Se tem um troço que me irrita é interface de website mal feita, atrapalhada e poluída, que não me deixa chegar eficientemente no que estou procurando. Que coisa irritante! GRRR!!!

1 xícara [2 tabletes de 113g] de manteiga sem sal em temperatura ambiente
3 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de sopa de raspas de casca de limão
1/3 xícara de suco de limão fresco (a partir de 2 limões)
1/3 xícara de gengibre cristalizado picado
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de sal
2 e 1/2 xícaras de açúcar granulado
6 ovos caipiras grandes
1 xícara de sour cream

Pré-aqueça o forno a 350ºF/176ºC. Unte uma forma bundt, com um buraco no meio, com manteiga e polvilhe com farinha. Em uma tigela média, misture a farinha de trigo, as raspas de limão, o gengibre picado, o bicarbonato e o sal. Reserve.
Numa batedeira, bata a manteiga e o açúcar em velocidade média-alta até formar um creme, uns 4 a 5 minutos. Adicione os ovos, um de cada vez, batendo bem após cada adição; misture o suco de limão. Com a batedeira em velocidade baixa, adicione a mistura de farinha alternadamente com o sour cream, em 3 partes, começando e terminando com a mistura de farinha. Misture apenas até os ingredientes se incorporarem, não bata demais. Despeje a massa na forma preparada e bata firmemente numa superfície firme, para nivelar a massa e remover qualquer bolha de ar.
Leve ao forno e asse por 55 a 60 minutos. Remova do forno e deixe o bolo esfriar na forma por 30 minutos, depois desenforme sobre uma grade e deixe esfriar completamente. Se quiser, polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva.

bolo_limao_gengibre2.JPG bolo_limao_gengibre2.JPG