bolo de amêndoas & framboesa

garbanzo curry

Naquele domingo eu procurei incansavelmente por uma receita que eu não sabia exatamente o que era. Eu queria um bolo, mas queria que tivesse fruta, podia ser na massa, podia ser recheio, mas tinha que ser algo fácil. E rápido. É assim o meu esquema. Rodei a World Wide Web atrás do que eu queria, até achar a receita perfeita. É uma bakewell—a tradicional receita inglesa feita com amêndoas e frutas. Eu não tinha a framboesa fresca, usei a congelada. O meu bolo demorou bastante no forno, depois de uns 40 minutos vai olhando e testando, pra se certificar que o centro ficou totalmente cozido. Nós adoramos o resultado e achamos que a textura fica ainda melhor no dia seguinte.

140g de amêndoas moídas [*usei farinha de amêndoas moída grossa]
140g de manteiga amolecida
140g de açúcar
140g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1/4 colher de chá de sal
2 ovos caipiras
1 colher de chá de extrato de baunilha
250g de framboesas [*usei congeladas]
2 colheres de sopa de amêndoas em lâminas
açúcar de confeiteiro para decorar se quiser

Aqueça o forno a 356ºF/180ºC. Unte e forre com pepel vegetal uma forma de fundo removível de 20 centímetros. No processador de alimentos misture bem as amêndoas, a manteiga, o açúcar, a farinha, fermento, sal, ovos e baunilha. Espalhe metade da massa sobre a forma usando uma espátula. Espalhe as framboesas por cima e então o restante da massa por cima. Use uma espátula ou mesmo os dedos. Espalhe as lâminas de amêndoa por cima e leve ao forno por 50 minutos até dourar. Remova do forno, deixe esfriar cpmpletamente, desenforme, polvilhe com açúcar de confeiteiro se quiser [eu não quis] e sirva.

torta de iogurte com pêssego
[e massa de pecans]

torta-pessego-pecan.jpg

Essa foi outra receita guardada que viu a luz do dia e acabou se revelando muito melhor do que eu esperava. Como tínhamos planos de sair de casa o dia todo no domingo, fiz essa torta para o sábado à noite, mas dividi a receita ao meio para não ter perigo de acabar com um monte de sobras. Fiquei com uma cara de nhoca quando dei a primeira mordida e percebi a delicia que tinha encontrado. Vou refazer e da próxima vez farei a torta inteira. Mudei apenas a fruta da receita original, pois pêssego era o que eu tinha em casa. E drenei o iogurte grego por dois dias na geladeira, mas sinceramente acho que não precisa. Decidi adoçar o iogurte, porque o iogurte grego drenado fica bem pungente. Acho que pra essa torta ele precisa ser adoçado, embora na receita original ele não seja. Eu usei um açúcar de lavanda que eu tinha, mas pode usar açúcar baunilhado ou mel. Fica a seu critério.

faz uma torta de 22 cm
1 e 1/2 xícara de pecans
2 colheres de sopa de mel
2 colheres de sopa de manteiga sem sal gelada, cortada em pedaços pequenos
1 xícara de iogurte grego
1/4 xícara de açúcar de lavanda [ou outro adoçante de sua preferência]
4 pêssegos descascados e cortados em fatias

Aqueça o forno a 400°F/ 205ºC. Coloque as pecans em um processador de alimentos e pulse até obter uma farofa grossa. Transfira para uma tigela e misture o mel e em seguida os pedaços de manteiga, misturando bem com os dedos. Pressione essa mistura em uma forma de torta redonda de uns 20 cm. Aperte bem no fundo e só um pouquinho dos lados. Coloque forma sobre uma assadeira e leve ao forno. Asse por cerca de 12 minutos, até a massa ficar dourada. Retire do forno e deixe esfriar completamente. Bata bem o iogurte com o açúcar de lavanda e espalhe com uma espátula sobre a massa. Coloque as fatias de pêssego por cima do iogurte e sirva imediatamente. Ou guarde a torta na geladeira coberta com um filme plástico até a hora de servir.

sopa de amêndoas & alho

sopa-amendoa-alho.jpg
Essa charmosa receita pode ser confundida com o ajo blanco, a famosa sopa fria espanhola feita com alho e amêndoas. O principio é o mesmo, mas esta usa os legumes assados, que acrescenta robustez ao creme. Tenho certeza que ela pode ser servida fria, mas nós comemos morna, como a receita sugere.
300gr de parsnip [pode substituir pela mandioquinha/batata baroa]
1 bulbo inteiro de alho
1 cebola grande
1 colher de sopa de óleo de oliva
1 xícara de amêndoas sem casca
4 xícarasou mais de água fervente
1 colher de sopa de vinagre de maçã ou de vinho branco
2 raminhos de tomilho fresco ou 1 colher de chá de folhas secas
Sal marinho e pimenta do reino moída na hora a gosto
20 uvas vermelhas orgânicas cortadas ao meio, sem sementes
Pré-aqueça o forno a 400° F/ 200° C. Prepare os legumes, descasque a cebola, o alho e a mandioquinha. Corte em pedaços grandes, coloque em uma tigela, regue com azeite de oliva e misture bem. Cubra uma assadeira com papel vegetal ou alumínio e espalhe os legumes. Coloque no forno e asse por 15-20 minutos ou até que os legumes fiquem dourados e tenros. Escalde as amêndoas em água fervendo para remover as cascas. Aqueça as 4 xícaras de água numa chaleira. Remova os legumes assados do forno e coloque no liquidificador ou processador de alimentos. Adicione as amêndoas, a água quente, o vinagre de maçã, o tomilho, sal e pimenta e bata até obter um creme liso. Prove e ajuste sal de acordo com sua preferência. Sirva imediatamente decorado com um fiozinho de azeite, folhas de tomilho e uvas.

bolo de avelã
[com molho de limão]

hazelnutcake1.jpg

hazelnutcake2.jpg

Quando me dá o cinco minutos que eu quero fazer uma receita de um certo jeito, não tem como escapar. Eu procuro, procuro, procuro e se não achar exatamente o que eu quero, eu adapto. Foi o que fiz com essa receita. Tudo porque eu queria um bolo denso de azeite. Quando mencionei pro Uriel quie o bolo teria um molho de caramelo [porque não tinha creme de leite fresco e alguém teria que sair pra comprar] ele reagiu inesperadamente de maneira bem negativa—não faz molho de caramelo não, que é muito açúcar! faz outra coisa. E então eu fiz, usando limões, preparei um molho de iogurte com mel. Ficou muito bom.

1/2 xícara de manteiga sem sal, em temperatura ambiente*
[*substituí por 1/4 de xícara + 2 colheres de sopa de azeite conforme esta tabela]
1 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de avelãs
1 xícara de açúcar
1 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal kosher
3 ovos caipiras grandes

Preaqueça o forno a 350°F/ 176ºC. Unte uma forma redonda de 20cm com azeite, forre com papel vegetal, unte o papel e polvilhe com farinha de trigo.

No processador de alimentos pulse as avelãs com 1 colher de sopa de açúcar até formar uma farofa. Coloque numa vasilha grande e junte o fermento, o sal e a farinha de trigo.

Usando uma batedeira em velocidade alta, bata o azeite e o restante do açúcar até formar um creme, por cerca de 3 minutos. Adicione os ovos um de cada vez, batendo sem parar. Reduza para a velocidade baixa e misture os ingredientes secos. Coloque a massa na forma preparara e leve ao forno pré-aquecido. Asse até que o bolo esteja dourado e cozido no centro, por uns 40-45 minutos. Remova do forno, coloque a forma sobre uma grade e deixe esfriar. Inverta numa travessa, remova o papel vegetal, deixe esfriar completamente e sirva com o molho de limão.

molho de limão
1 xícara de iogurte natural integral
1 limão—casca ralada e suco espremido
1/4 xícara de mel

Misture todos os ingredientes e bata bem com um batedor de arame até ficar um greme bem emulsificado. Sirva sobre fatias do bolo.

iogurt-lemon.jpg iogurt-lemon.jpg

torta de ricota
[com massa de nozes]

Ricotta tart

Para fazer essa receita maravilhosa da chef Deborah Madison eu não consegui simplesmente comprar um pote daquelas ricotas ordinárias vendidas nos supermercados daqui. Tive que fazer a receita de ricota caseira, o que se constatou mais tarde ter sido uma decisão auspiciosa. Essa torta fica muito delicada e festiva, com o recheio cremoso e acetinado contrastando com a rusticidade da massa crocante de nozes. Sirva com aquelas frutas secas cozidas no vinho e garanto que não se arrependerá!

para a crosta:
1/2 de xícara de nozes
1/4 de xícara de farinha de trigo integral
1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa de amido de milho [maizena]
1/4 colher de chá de sal
3 colheres de sopa de açúcar mascavo claro
4 colheres de sopa de manteiga gelada cortada em pedaços pequenos
1 colher de sopa de óleo de noz [ou manteiga se não tiver o óleo]
1/2 colher de chá de extrato puro de baunilha misturado com 3 colheres de sopa de água gelada
para o recheio:
1 xícara de ricota caseira [ou cream cheese ]
1/2 xícara de queijo de cabra
1/4 xícara de mel
1 pitada de sal
1/2 xícara de creme de leite fresco [ou crème fraîche]
2 ovos caipiras

Coloque as nozes, farinhas, sal e açúcar no processador de alimentos e pulse várias vezes para quebrar as nozes. Adicione a manteiga e óleo e pulse até ficar uma massa quebradiça. Adicione a água de baunilha e pulse até que fique uma massa úmida. Remova a massa do processador e pressione no fundo de uma forma de torta ou de fundo removível de 22 cm. Leve a forma à geladeira até a massa ficar firme.

Pré-aqueça o forno a 375ºF/ 190ºC. Coloque forma com a massa sobre uma assadeira e forre a massa com papel alumínio e cubra com pesos de assar torta [pode ser feijões]. Asse por 20 minutos. Retire o papel alumínio e os pesos. Reduza a temperatura do forno para 350ºF/ 176ºC e deixe dourar levemente por mais 10 minutos mais ou menos.

Enquanto a massa da torta assa, misture os ingredientes do recheio e bata bem até ficar um creme homogêneo. Despeje o recheio na massa pré- assada e retorne ao forno por mais 30 minutos. O recheio pode inflar um pouco enquanto assa, mas ela murchará quando esfriar em temperatura ambiente. Remova a torta do forno, deixe esfriar completamente, desenforme se usar a forma de fundo removível, coloque numa travessa. Sirva cada fatia com uma colher das frutas secas cozidas no vinho.

bolo de castanha & chocolate

bolo-castanha-choco.jpg

Sou daquela tribo de pessoas excessivamente entusiasmadas que compram ingredientes em quantidade demasiada. Fiz essa pataquada com umas castanhas portuguesas, que só aparecem mais frequente durante as festas de final de ano. Nem sei quanto tempo as caixinhas com as chestnuts já cozidas, descascadas estavam na minha geladeira. Com medo da validade estar vencendo [não estava, ufa!] me apressei pra encontrar uma receita. Em inglês acha-se muitas receitas com o purê de latinha ou com a farinha de chestnut, mas eu queria algo com as castanhas inteiras. Consegui essa receita que tinha tudo o que eu queria, com a adição auspiciosa do chocolate. Não podia dar errado. E não deu. Ficou um bolo fininho e sedoso, daqueles de derreter na boca e devoramos várias fatias acompanhadas de chá earl grey com creme half and half, que é como gostamos.

1 xícara de castanhas portuguesas [chestnuts] pré- cozidas e descascadas
2 colheres de sopa de açúcar
3/4 xícara de leite
7 colheres de sopa de manteiga sem sal
3/4 de xícara de chocolate amargo picadinho [*usei 70%]
3 ovos caipiras
1/2 xícara de açúcar
cacau em pó para polvilhar

Pré-aqueça o forno a 350º F/176ºC. Forre uma forma grande de fundo removível com uma folha de papel vegetal ou manteiga. Unte o papel com manteiga e polvilhe com 1 colher de sopa de cacau em pó. Reserve.

Misture as castanhas, as 2 colheres de sopa de açúcar e o leite em uma panela de tamanho médio. Leve ao fogo médio-baixo e cozinhe por 5-10 minutos até que as castanhas comecem a amolecer. Retire do fogo e coloque num processador de alimentos, pulse até ficar uma massa homogênea.

Coloque os pedaços de chocolate e a manteiga sem sal em uma tigela para microondas e derreta em um nível baixo ou sobre uma panela com água quase fervendo. Deixe esfriar ligeiramente. Na batedeira misture os ovos e a 1/2 xícara de açúcar e bata por uns 6 minutos até obter um creme liso e com o dobro de volume. Em velocidade média-baixa misture a massa de castanhas. Por fim misture delicadamente o chocolate derretido.

Com cuidado despeje a massa na forma preparada. Espalhe a massa uniformemente com uma espátula e leve para assar na grade central do forno por aproximadamente 30 minutos ou até que o topo forme uma crosta bem delicada. Retire o bolo do forno e deixe esfriar completamente sobre uma grade. Polvilhe com cacau em pó e sirva com creme fraiche se quiser.

tea-for-two.jpg tea-for-two.jpg

bolo de figos & amêndoas

bolo-figo-amend.jpg

Mais figos, minha gentê! Comprei muitos de duas variedades diferente e para usar os que não devoramos au natural, usei essa receita do NYT que me foi recomendada pela querida Sally Newton. A massa ficou bem densa e tive que espalhar pela forma com uma espátula. Mas ela cresce e envolve os figos, fica perfeita. O sabor é bem delicado, o doce mais acentuado é o dos figos assados.

4 colheres de sopa de manteiga derretida
1 xícara de amêndoas cruas [inteiras e com pele]
1/4 de xícara de açúcar mascavo
1/4 xícara de farinha de trigo
1/2 colher de chá de fermento em pó
1/8 colher de chá de canela em pó
1/8 colher de chá de sal
3 ovos caipiras batidos
2 colheres de sopa de mel
1/2 colher de chá de extrato de amêndoa
12 figos maduros

Pré-aqueça o forno em 375ºF/ 190ºC. Unte uma forma de fundo removível de 22 cm com manteiga e reserve. Coloque as amêndoas e o 1/4 de xícara de açúcar em um processador de alimentos e pulse até obter uma farofa. Adicione a farinha de trigo, o fermento, a canela e o sal e pulse para combinar.

Em uma tigela, misture os ovos, a manteiga derretida, o mel e o extrato de amêndoa. Adicione a mistura de ovos à mistura de amêndoa e mexa bem por um minuto para incorporar todos os ingredientes. Despeje a massa na forma untada.

Remova o cabinho e corte cada figo ao meio. Coloque os figos sobre a massa na forma. Se quiser polvilhe um pouquinho de açúcar demerara sobre os figos e leve ao forno por 30 minutos, até a massa ficar bem dourada e firme. Remover do forno e deixar esfriar bem antes de servir.

figos-galore13.jpg figos-galore13.jpg

salada de salsão
[com amêndoa & tâmara]

salada-salsao.jpg

Desculpem a enxurrada de saladas que tem tomado conta deste espaço recentemente. A culpa é do verão. Se eu fizer uma retrospectiva vou descobrir que provavelmente digo isso todos os anos, mas este ano estamos tenho o verão mais longo e tórrido deste século. Já estou com a língua de fora, sinceramente, chega! Essa receita é da revista Bon Appetit e ficou bem diferente, crocante e refrescante, com o salsão num raro papel de protagonista.

8 talos de salsão com as folhas cortados em fatias finas na diagonal
6 tâmaras, sem caroço, picadas grosseiramente
3 colheres de sopa de suco de limão fresco
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora
50gr de queijo parmesão cortado em raspas finas
1/4 de xícara de azeite extra-virgem
Pimenta vermelha em flocos

Pré-aqueça o forno a 350ºF/ 176°C. Espalhe as amêndoas em uma pequena assadeira, leve ao forno mexendo ocasionalmente, até elas ficarem marrom dourado, de 8 a 10 minutos. Deixe esfriar e pique grosseiramente.

Misture as amêndoas, o salsão com as folhas picadas, as tâmaras e suco de limão em uma saladeira, tempere com sal e pimenta. Adicione o parmesão e azeite e misture delicadamente, tempere com pimenta vermelha em flocos. Sirva em seguida.

figo com anis, ricota e avelã

figo-ricota.jpg

Na semana retrasada perdi por questão de segundos a última caixinha de figos que um dos produtores do Farmers Market de Woodland estava vendendo. Fiquei emocionalmente arrasada. Neste último sábado cheguei mais cedo e consegui comprar duas caixinhas. Essa é a primeira leva dos figos, que fazem um pequeno hiato e regressam no final de agosto para encerrar o verão num apoteótico gran finale. Comemos alguns dos figos al natural, acompanhados de mel e queijo brie. O restante eu assei, inspirada numa receita da Deborah Madison, que faz a versão sem assar e que também deve ficar muito bom. É regar os figos com um licor de anis [usei o Pernod] salpicar com um pouco de açúcar demerara e coloca-los para assar rapidamente no forno. Depois é só servir com ricota fresca e avelãs [ou amêndoas] tostadas.

coleslaw de couve crespa
[com pistacho & tomilho]

coleslaw.jpg

Repolho, repolho, repolho. Esse legume é o que sempre acaba ficando por mais tempo na geladeira esperando por uma ideia, porque eu não sou a maior entusiasta desse ingrediente. Por isso dois repolhos crespos já tinham praticamente adquirido o uso capião da geladeira, quando resolvi fazer um coleslaw com um deles. Fiz no olhometro, mas com essa salada há poucas chances de erro.

para a salada:
Um repolho crepo ralado bem fininho [usei um mandoline]
Um punhado de uvas passas brancas deixadas de molho por uma meia hora num pouco de vinho sherry [*usei o Amontillado]
Um punhado de pistachos descascados e picados grosseiramente
Um punhado de tomilho fresco
para o molho:
Suco de limão
Vinho Sherry [use o que sobrou do molho das passas]
Sour cream
Mostarda Dijon
Sal e pimenta do reino a gosto

Coe as passas e guarde o sherry que sobrar. Numa saladeira misture o repolho com as passas, o pistacho e o tomilho. Misture bem. Prepare o molho misturando todos os ingredientes e emulsificando bem com um batedor de arame. Tempere a salada com o molho, misture bem e sirva.