clafoutis de pluots & lavanda

pluot-clafoutis

Toda semana eu exagero na compra das frutas. Desta vez errei na mão da compra dos pluots, que são um hibrido de damasco com ameixa. Eles são lindos, com uma cor num tom de rosa antigo. Comemos muitos frescos e com um outro tanto fiz um clafoutis. Essa sobremesa é facílima de fazer, dá pra usar uma variedade de frutas e sempre fica uma delícia. Usei essa receita básica que serve pra qualquer tipo de fruta. Servi como sobremesa no jantar do sábado, mas esses clafoutis também vão muito bem pra um café da tarde de domingo.

1 colher de sopa de manteiga sem sal em temperatura ambiente
350 gr de frutas frescas [pluots, neste caso]
1 xícara de leite integral
1/2 xícara de açúcar [*usei o açúcar de lavanda]
3 ovos caipiras grandes
1 colher de chá de extrato de baunilha
1/2 xícara de farinha de trigo
1/4 colher de chá de sal
açúcar de confeiteiro para servir [opcional, não usei]

Pré-aqueça o forno em 400°F/ 205ºC. Numa frigideira de ferro ou refratário grande [22cm] espalhe a manteiga e reserve. Corte as frutas ao meio e remova os caroços. No liquidificador ou processador de alimentos coloque o leite, o açúcar de lavanda, os ovos e baunilha e bata até que a massa fique lisa, cerca de 20 segundos. Junte a farinha e o sal e pulse até incorporar, de 5 a 7 pulsadas. Despeje a massa na forma preparada com manteiga, coloque a fruta por cima, afundando cada uma levemente com o dedo. Leve ao forno e asse por cerca de 50 minutos, ou até a massa inflar e ficar dourada. Remova do forno, deixe esfriar por 15 minutos [nesse tempo o clafoutis vai murchar um pouquinho]. polvilhe com açúcar de confeiteiro, se quiser, e sirva.

pluots pluots

gelado de morango & lavanda

Aqui tomamos sorvete year-round, não importa se está frio ou quente, ventando, chovendo ou fazendo o maior solão escaldante. Mas é verdade que durante os meses frios acabo comprando sorvetes prontos, talvez por pura preguiça. Mas nos últimos dias gelado-morango-lavandame deu uma vontade de sorvete feito em casa e de preferência com alguma fruta refrescante. Já tinha decidido usar fruta congelada, pois tenho alguns pacotes no freezer. No final, essa receita virou uma daquelas pra se gastar ingredientes na geladeira e despensa. Usei o que eu tinha e o que eu tinha era um pote de sour cream orgânico da melhor qualidade, um saco de morangos orgânicos locais que congelei no verão e um tanto de um açúcar de lavanda que tinha preparado um tempão atrás. Pra mim esses sorvetes assim simples, sem creme feito com gemas e outros tralálás, funcionam muito bem. São bons pra comer no mesmo dia em que são feitos, mas se sobrar eu não desprezo. Gostamos muito do resultado um pouco mais azedinho propiciado pelo sour cream. Já fiz um sorvete bem parecido seguindo uma receita e usando iogurte.

2 xícaras de sour cream
1 xícara de morangos orgânicos congelados
1/2 xícara de açúcar de lavanda
Um splash de vodka [*opcional]
Bater todos os ingredientes no liquidificador—deixei com alguns pedaços de morango. Colocar na sorveteira, depois num recipiente de vidro com tampa e deixar no congelador até a hora de servir.

gelado-morangolavanda_2S.jpg

Cache Creek lavender fields

lavender-cachecreek
lavender-cachecreek lavender-cachecreek
lavender-cachecreek lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek lavender-cachecreek
lavender-cachecreek
lavender-cachecreek

Visitamos outra região que não conhecíamos, aqui no norte da Califórnia, ainda no nosso condado deo Yolo. São tantos lugares legais, cidadezinhas, mercados, vinhedos, vinícolas. O Capay Valley é bem conhecido pela sua riqueza agrícola. No caminho vimos muitos campos de arroz, alguns de tomates alternados com trigo e os indefectíveis pomares de amêndoas e nozes. Nosso destino era a pequeníssima cidade de Rumsay, com 95 habitantes, onde ficava os campos de lavanda orgânica do Cache Creek. O lugar é bem pequeno, pelo menos a parte que nós visitamos. O Uriel insistiu na tese de que aquile sítio era uma ex-comuna hippie. O ambiente era todo zen. Os pequenos campos de lavanda, uma casinha simpática, uma green house, um pomar de frutas salpicado com mesinhas e bancos para picnic. No dia do festival vendia-se perfumes, produtos de beleza e culinário feitos com lavanda. E por quatro patacas você podia colher o seu próprio bouquet. Também vendia-se um pacote com pão, queijo e morangos para picnicar e havia a opção de comprar a caixa de vinhos produzidos no Capay Valley. Nos compramos o ranguinho, nos servimos da limonada e dos brownies com lavanda que eram gentileza da casa e nos sentamos numa mesa decorada com vaso de flores embaixo de uma macieira. Coloquei atenção especial nos detalhes zen que enfeitavam o pomar e nos ramos de lavanda secando na beira do riacho. Enquanto comíamos nosso lanchinho, escutamos a banda que tocava, uma mistura de new age com ritmos indianos. O rapaz que tocava a cítara parecia importado da India. E assim passamos umas horas muito agradáveis do sábado, visitando um perfumado campo de lavandas.

as minhas lavandas

minhas-lavandas_2S.jpg minhas-lavandas_2S.jpg
minhas-lavandas_3S.jpg

Até eu me espantei em perceber que nunca tinha apanhado nenhum raminho das lavandas do meu quintal para por num vaso. Já tinha usado pra cozinhar, mas nunca para enfeitar. Quando nos mudamos pra esta casa, há oito anos, plantei lavanda por todos os lados, diferentes variedades, algumas foram pra frente e outras não. As que prosperaram estão no canteiro onde ficam também o limoeiro e o pé de nectarina. Tenho o maior amor por essas lavandas, pois elas perfumam o meu quintal. Num outro dia acabamos de jantar na mesa do quintal e de repente eu olhei pras florezinhas, catei a tesoura de jardim e plicplicplicplic. Enchi dois vasinhos. Posudo, aqui está um deles.

pudim de earl grey & lavanda

earl-grey-pudim_1S.jpg
Meses atrás eu e a Leila fomos à uma loja de chás muito bacana e moderna em Sacramento. Tirei umas fotos bem legais usando o iPhone, mas acabei não publicando nada, sei lá por que. Naquele dia comprei pacotes de chá com folhas de ervas misturados com frutas e um de earl grey com lavanda. Os chás de fruta bebemos quase tudo como chá quente ou gelado misturado com suco de limão, mas o earl grey com lavanda me deixou divagando com muitas idéias na cabeça. O earl gray já é um chá ultra aromático, com a adição da lavanda ele ficou incrivel. Eu tinha que usar pra fazer alguma receita. Primeiro pensei num sorvete [e ainda não descartei a idéia], mas no meio do caminho mudei de rumo e decidi fazer um pudim. Usando o agar-agar, of course. Como tudo que é feito com essa gelatina de algas, esses pudins ficaram prontos numa piscada. Usei umas forminhas de cobre vintage que estava animada para estrear. Os pudins ficaram deliciosos. Se você não achar o earl grey com lavanda, tenta fazer a sua mistura, comprando os ingredientes separados. Por aqui, esse chá é bem fácil de achar. Prefira o de folhas soltas.
1 xícara de creme de leite fresco
2 colheres de sopa de chá earl grey com lavanda
1 pacote de 4 gr ou 1 colher de sopa de agar-agar
1 xícara de leite integral
Mel [ou outro adoçante da sua preferência] a gosto
Numa panela coloque o creme de leite e as folhas de chá. Leve ao fogo médio e deixe ferver. Desligue o fogo e deixe a mistura descansar por uns 10 minutos. Passe tudo por uma peneira fina, para remover as folhas de chá. Volte o creme para a panela, junte o mel e o agar-agar. Leve novamente ao fogo somente até ferver. Remova a panela do fogo, adicione o leite, bata bem com um batedor de arame e distribua pelas forminhas molhadas com água—deu quatro formas pequenas. Leve à geladeira e quando firmar solte as beiradas cuidadosamente com uma faca e vire os pudins em pratos ou travessas.

bolo de lavanda e limão

bolo-lavandalimao_1S.jpg
Ler a palavra limão numa receita me dá um snap instantâneo. Coloco imediatamente na minha lista de receitas para fazer. Receitas com limão ou laranja nunca me escapam. E esta é a melhor época pra começar a fazer delicias citricas. Dois dos meus vizinhos já estão com árvores envergadas ecarregadas de limão Meyer, uma variedade que me agrada muito, pois é bastante aromática. Ganhei alguns e usei nesta receita simples e simpática que peguei no excelente blog da Monica Hering. Ficou um bolo no estilo do pound cake, muito macio. Todo mundo que comeu gostou. O aroma e sabor da lavanda predomina sobre o limão. Mas isso não é um defeito.
3/4 xícara de leite integral
1 colher de sopa de flores de lavanda
1 3/4 xícara de farinha de trigo
1 1/4 colher de chá de fermento em pó
1/4 colher de chá de sal
1/2 xícara [113gr] de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
1 xícara de açúcar
1 colher de sopa de raspas de limão
2 ovos grandes
Misture o leite e a lavanda em uma panela pequena e leve ao fogo médio. Assim que ferver, transfira para uma vasilha de vidro, e deixe esfriar em temperatura ambiente. Pré-aqueça o forno em 355ºF/ 180°C. Unte e enfarinhe uma forma para bolo inglês média [12,5 x 22,5cm].
Misture a farinha, fermento e sal em uma tigela. Misture a manteiga, açúcar e raspas em uma tigela grande e bata com a batedeira até ficar cremoso e fofo [velocidade média por 3 minutos], raspando as laterais da tigela vez por outra. Junte os ovos, um de cada vez, raspando as laterais da tigela após cada adição.
Com a batedeira em velocidade baixa, adicione 1/3 da mistura de farinha e bata até incorporar. Adicione metade do leite e bata mais. Repita com o restante da farinha e do leite, terminando com a farinha. Após a última adição, bata por mais 30 segundos em velocidade média.
Coloque a massa na forma preparada e alise a superfície com uma espátula. Asse até que o bolo esteja dourado, 50 a 55 minutos. Faça o teste do palito. Deixe o bolo esfriar na assadeira por 10 minutos, vire sobre uma grade e deixe esfriar completamente antes de servir.

açúcar com sabores

sugar flavorQuando fiz esse sorvete de morango com lavanda, tive a idéia de refazer o açúcar que gastei. Não tem nenhum segredo, é só misturar mais ou menos uma xícara de açúcar da sua preferência com uma colher de sopa de flores de lavanda, misturar bem e guardar. Eu já faço o açúcar de baunilha há muitos anos, reaproveitando as favas usadas em receitas, que eu seco e coloco direto no açúcareiro ou no pote onde guardo o açúcar. Faço com vários tipos de açúcar— o demerara, o mascavo, a rapadura e o branco comum. Da baunilha e lavanda foi um pulinho para fazer o açúcar de limão [e de laranja em breve] e o de gerânio rosa. O de limão foi só raspar as casquinhas bem fininhas [eu uso um ralador microplane] e deixar secar de um dia para o outro, então misturar com o açúcar: uma xícara de açúcar e raspas de um limão. E o de gerânio foi só lavar as folhinhas, deixar secar rapidamente e fazer camadas no potinho: folhas e açúcar intercalados. Ficam açúcares perfumadíssimos para se usar como quiser, adoçando chá, limonada, fazendo calda, no sorvete, no chantilly, no bolo, eteceteráeteceterá.