gelatina de uva branca [com agar-agar]

grape-jello

Fiz essa gelatina para gastar um pacotinho de agar-agar e porque de vez em quando tenho lombrigas de gelatina. Essa ficou tão linda, como uma jóia gigante, um objeto de arte. Mas comemos mesmo assim.

2 xícaras de suco de uva branca
1 envelope de 4 gr de agar-agar [3/4 colher de sopa]
1/4 xícara de uva passa branca

Numa panela misture o agar-agar com 1 xícara de suco de uva branca, leve ao fogo e deixe ferver por um minuto. Remova do fogo, adiciona a outra 1 xícara de suco de uva, adoce se quiser, eu não quis porque o suco da uva já é doce o suficiente pra mim. Junte as uvas passas, despeje tudo numa forma untada com uma camada bem fina de óleo vegetal e leve à geladeira até firmar completamente [1 ou 2 horas, a agar-agar é rápida]. Desenforme e sirva.

o inverno dos cítricos

Nosso inverno é iluminado pelas frutas cítricas. A natureza é muito sábia e nos oferece o que precisamos para enfrentar os percalços das estações. Sem os cítricos como iríamos sobreviver às gripes e resfriados? Passei uns dias doentes, bebendo infusões de limão cravo com mel. Ajudou muito! E adoramos fazer aquele clássico chá de limão com gengibre, que pode ser servido quente ou frio. Neste inverno eu praticamente ganhei quase todas as frutas cítricas que tenho consumido. Limões rosa, siciliano ou Meyer, laranjas, tangerinas, grapefruits e pomelos. Minhas vizinhas me presentearam com laranjas e mexericas, meus colegas de trabalho me inundaram com todos os outros tipo, incluindo um pomelo do tamanho de uma bola de futebol, que me rendeu um litro de polpa rosada e doce. Fora as laranjinhas kinkans e os limões que peguei no campus. Estou fazendo tanta receita com cítricos—gelatina com limão rosa, saladas de grapefruit, molhos pesto, cocktails, refiz esse curd com azeite usando os preciosos limões Meyer para presentear amigos no Valentine’s day. E bolos, de laranja, kinkans e limão. Fiz também os limões rosa preservados no sal. Ainda tenho ainda muitos cítricos para usar. Vou congelar o suco dos limões rosa, para poder usar quando essa estação ensolarada dos cítricos terminar.

panna cotta de iogurte
[com purê de damasco]

No ano passado conhecemos umas das nossas vizinhas, um casal de moças simpaticíssimas, num evento de final de ano organizado por um casal da rua ao lado. Desde então estávamos tentando combinar um jantar juntos, trocamos muitos textos e finalmente decidimos por uma noite de pizza num sábado aqui em casa. Fazer pizza pra mim é mel na sopa, faço tudo sem receita, já tenho o esquemão, sei que vai ficar bom e nem esquento a cachola. Só tive que realmente pensar no que iria fazer de sobremesa. Queria servir algo leve, pra encerrar delicadamente o desfile de pizzas de diversos sabores, mas que desse uma continuação para o tema meio italianado da noite. Quando falei panna cotta, meu marido aplaudiu. Fiz uma receita simples, que achei na revista Food & Wine, apenas com sabor de baunilha e com adição de iogurte, que eu acho deixa a panna cotta mais leve e com um toque ácido. Pra acompanhar fiz um purê de damascos secos, no estilo que li no livro da Claudia Roden. A combinação ficou ótima e minhas convidadas adoraram, acharam essa sobremesa o fino da bossa.

para a panna cotta
1 envelope de gelatina sem sabor
2 colheres de sopa de água gelada
1 xícara de creme de leite fresco
1/3 xícara de açúcar
1 fava de baunilha, sementes removidas com a faca
[*usei uma pasta de baunilha]
2 xícaras de iogurte natural integral [ou grego]

Em uma tigela pequena coloque a água fria e polvilhe a gelatina. Deixe repousar até a água absorver a gelatina, uns 5 minutos. Em uma panela pequena coloque o creme de leite, o açúcar e a baunilha e leve ao fogo até ferver. Remova a panela do fogo, junte a gelatina e mexa para dissolver. Em uma outra tigela coloque o iogurte e bata com um batedor de arame até ficar bem cremoso e homogêneo. Junte o iogurte no creme com a baunilha e gelatina. Despeje a mistura em seis ramekins ou forminhas de gelatina untadas um um pouquinho de óleo vegetal [se for desenformar] e leve à geladeira até firmar, por pelo menos 3 horas. Na hora de servir, remova as forminhas da geladeira, se for desenformar coloque a base de cada uma rapidamente em água quente, passe uma faca sobre a borda e inverta. Sirva acompanhado do purê de damasco.

para o purê de damasco
Fiz essa receita sem medidas. Deixei meio pacote de damascos secos californianos [da variedade blenheim] de molho em água fria de um dia para o outro. No dia seguinte coloquei tudo num processador de alimentos com um pouco de açúcar de baunilha [não muito]. Processei bem até formar um purê, coloquei numa vasilha e guardei na geladeira até a hora de servir.

panna cotta de limão meyer
[outra versão]

panna cotta de limão

Umas amigas vieram jantar comigo numa noite durante a semana. Eu preparei uma receita de macarrão feito em casa com molho pesto de salsinha. Elas trouxeram sopa, saladas, pão feito em casa. Como eu tinha muitos limões dando sopa, resolvi fazer uma sobremesa. Já tinha feito uma panna cotta de limão meyer antes, mas quando achei essa receita pensei que ela era muito perfeita para ser ignorada. Panna cottas são deliciosas e super fáceis de fazer. Essa rendeu 8 porções, usei tacinhas de formatos diferentes, só pra deixar a coisa divertida. Todo mundo adorou a sobremesa, mas ninguém comentou minha inventividade com os potinhos—fuén!

1 envelope [7gr] de gelatina em pó sem sabor
1 xícara + 2 colheres de sopa de açúcar
1 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de suco de limão Meyer
2 colheres de sopa de raspas de casca de limão Meyer
1 copo de iogurte grego desnatado

Numa vasilha pequena polvilhe o gelatina sobre 1/2 xícara de água fria e deixe amolecer por 5 minutos. Misture o açúcar e 1/2 xícara de água em uma panela. Deixe ferver e mexa até o açúcar dissolver. Desligue o fogo e adicione na mistura de gelatina, mexendo até que se ela se dissolva completamente. Adicione o creme de leite, suco e as raspas de limão. Deixe esfriar um pouco. Coloque o iogurte em uma tigela e bata para deixá-lo cremoso. Adicione a mistura de gelatina ao iogurte pouco a pouco, mexendo com delicadeza. Despeje a mistura em copinhos. Leve para gelar por pelo menos 6 horas ou de um dia para o outro.

panna cotta de limão panna cotta de limão

panna cotta de matcha

matcha panna cotta

Não sei como foi que cheguei nessa receita, porque não estava buscando por nada parecido, não tinha a intenção de preparar nenhuma sobremesa e nem tinha a maioria dos ingredientes. Fui às compras especialmente para fazer a receita e essa [e fazer uma limpeza e organização na garagem] foi a melhor decisão e ação do meu final de semana. Essa panna cotta fica um primor de cremosidade e faz uma integração perfeita entre o sabor denso do matcha e a vivacidade da framboesa. Eu não quis usar framboesa fresca fora de época, então substituí pela congelada. Cogitei não usar as sementes de chia, mas ela deixou a mistura de framboesa com uma textura mais engrossada de pudim, que fez a diferença.

1 xícara de leite integral
1 envelope [7gr] de gelatina em pó sem sabor
1 xícara de creme de leite fresco
2 colheres de sopa de matcha—o chá verde japonês em pó
1/2 xícara, mais 1 colher de sopa de açúcar
1 fava de baunilha cortada ao meio, sementes removidas
1 e 1/2 xícaras iogurte integral sabor baunilha
1 xícara de framboesas frescas [*usei congeladas]
2 colheres de sopa de sementes de chia

Numa uma panela grande, misture 1/2 xícara de leite, o creme de leite fresco, o matcha e 1/2 xícara de açúcar. Raspe as sementes da fava de baunilha e adicione tudo ao leite. Leve a mistura para cozinhar em fogo médio, mexendo até o açúcar se dissolver. Retire do fogo e deixe descansar por 10 minutos. Coloque a 1/2 xícara de leite restante em uma tigela pequena e polvilhe a gelatina por cima. Deixe descansar por 15 minutos até a gelatina amolecer.

Coe a mistura de matcha por cima da mistura de gelatina. Mexa bem e quando a mistura esfriar um pouco adicione o iogurte e mexa bem. Amasse as framboesas com um garfo e adicione 1 colher de sopa de açúcar e as sementes de chia. Coloque uma colher da framboesa no fundo de 6 copinhos ou taças, despeje com cuidado 1/2 xícara da mistura de matcha em cada copo. Leve à geladeira por 3 a 6 horas ou até firmar. Remova da geladeira e sirva.

cheesecake de morango

cheesecake morango

Essa receita do NYT me atraiu por algumas razões—o vinho, os morangos e o queijo de cabra. Também gostei do fato dela fazer uma massa que simula aquela feita com bolacha. Se não fosse por esses detalhes eu talvez tivesse passado batido, porque não sou a maior fanzoca de cheesecake do planeta. Mas esse fica muito interessante, nós gostamos muito. Como não tinha certeza que iria ficar bom, decidi fazer somente meia receita, por isso saiu uma tortinha pequena. Mas vou publicar a receita inteira. Também errei deixando a massa muito alta pra forma pequena, então não deu o efeito intencionado de ficar uma parte do recheio aparecendo. Mas nós não nos importamos com esse detalhe e comemos o cheesecake inteiro, não sobrou migalha.

para a massa:
115 gramas de manteiga sem sal em temperatura ambiente
2 colheres de sopa de açúcar mascavo escuro
2 colheres de sopa de mel
1 xícara de farinha de trigo
1/4 xícara de farinha de trigo integral
1 colher de sopa cacau em pó sem açúcar
3/4 colher de chá de sal kosher
1/4 colher de chá de canela em pó

para o recheio:
1/2 xícara de vinho tinto seco
1 envelope de 7 gramas [2 e 1/4 colheres de chá] de gelatina em pó sem sabor
455 gramas de cream cheese em temperature ambient
2/3 xícara de açúcar
225 gramas de queijo de cabra fresco em temperatura ambiente
455 gramas de morangos frescos picados grosseiramente

Prepare a massa: Na batedeira ou no processador de alimentos, bata a manteiga e o açúcar mascavo juntos até ficar um creme homogêneo, cerca de 1 minuto. Acrescente o mel. Em uma tigela misture com um batedor de arame as farinhas, o cacau, o sal e a canela. Com a batedeira em velocidade baixa ou usando o botão de pulso no processador de alimentos, adicione os ingredientes secos à mistura de manteiga em dois lotes. Despeje a massa sobre uma folha de plástico. Achate em um disco e leve à geladeira por pelo menos 2 horas ou durante a noite.

Coloque a massa entre duas folhas de papel vegetal ou manteiga. Trabalhando rapidamente abra a massa bem fina. Se a massa ficar muito mole, recoloque na geladeira até ficar firme outra vez. Transfira a massa para uma forma de fundo removível de 22 cm. Pressione a massa no fundo da forma e até dois terços da altura nos lados. Fure o fundo da massa com um garfo. Leve à geladeira 20 minutos.

Aqueça o forno a 325ºF/ 162ºC. Coloque a forma sobre uma assadeira e leve ao forno. Asse até que a massa fique levemente dourada e seca ao toque, por cerca de 25 minutos. Deixe esfriar completamente sobre uma grade.

Enquanto isso, prepare o recheio: Coloque o vinho tinto em uma panela pequena e polvilhe a gelatina por cima. Deixe descansar por 5 minutos, até que ela seja absorvida pelo liquido. Coloque panela em fogo baixo e mexa até dissolver a gelatina. Não deixe ferver, pois isso afeta o seu poder de gelificação. Deixe esfriar.

Em um processador de alimentos ou batedeira, misture o cream cheese, o açúcar e o queijo de cabra; bata bem até ficar homogêneo. Pare de uma ou duas vezes para raspar as laterais da tigela com uma espátula e misture novamente. Adicione os morangos picados e a mistura de gelatina e bata até incorporar. Coloque a mistura na massa; cubra frouxamente com filme plástico e leve à geladeira por pelo menos 6 horas ou durante a noite. Decore com morangos cortados em pedaços ou inteiros antes de servir.

»»» a receita com vídeo.

cheesecake morango

flummeries

flummery.jpg

Não sei como eu encontrei essa receita, mas assim que vi esses pudinzinhos decidi que eles seriam a sobremesa que eu iria fazer para o nosso almoço de Páscoa. Fui pesquisar o que eram os flummeries e só posso dizer que eles são uma sobremesa de gelatina bem antiga e que podiam ser complicadas e com um visual bem rebuscado. Felizmente esta versão é bem simples de fazer, mas o resultado não deixa de ser excelente. Os flummeries ficam bem cremosos e combinam muito bem com frutas frescas. Escolhi os morangos que acabaram de chegar por aqui.

1 envelope de gelatina sem sabor [1 colher de sopa]
1/2 xícara de Sherry doce [ou conhaque]
2 xícaras mais 2 colheres de sopa de creme de leite fresco
1/3 xícara de açúcar
1 colher de chá de raspas da casca de um limão fresco

Numa tigela pequena polvilhe a gelatina sobre o Sherry. Enquanto isso aqueça o creme de leite, o açúcar e as raspas de limão, mexendo com um batedor de arame até que o açúcar fique totalmente dissolvido. Retire do fogo e adicione à mistura de gelatina, misturando bem. Despeje tudo por uma peneira fina em uma jarra medidora de vidro grande e despeje em forminhas ou moldes. Leve à geladeira até firmar completamente, por pelo menos 6 horas. Para desenformar as flummeries mergulhe as forminhas uma de cada vez, em uma vasilha com água quente por 2 segundos, puxe as bordas delicadamente com os dedos ou com a borda de uma faca e inverta sobre os pratos.