thanksgiving dinner

Esse foi um thanksgiving onde eu tive muito o que agradecer. Um agradecimento ultra especial pela saúde de todos na minha família. Não foi um jantar super planejado, porque ando muito atolada de trabalho. Felizmente abri a edição da revista Bon Appétit no iPad a tempo e foi lá que encontrei todas as receitas que fiz para esse jantar. Fui ao supermercado antes de escolher as receitas e acabei tendo que voltar mais uma vez. O supermercado onde sou freguesa fecha no dia de Thanksgiving [coisa rara por aqui], então tive que pensar em todas as possibilidades com antecedência. No final tudo deu certo, fiz a sobremesa e um chutney de cranberries na quarta à noite e o resto na quinta. Troquei o peru pelo frango caipira, porque fomos apenas três comensais no jantar. Três humanos, dois gatos e uma cachorra. Comemos muito, estava tudo delicioso, as receitas virão em seguida.

o n z e !

Onze anos, hein? Quem diria. Passei o marco da década e comemorarei o décimo primeiro ano do Chucrute já de cara nova, o que eu sempre achei que nunca iria acontecer. Mas é necessário mudar. E como teve mudança nestes últimos onze anos. Como eu mudei desde este primeiro post onde quase tudo que eu dizia já não é mais tão real. Hoje gasto muito mais tempo cozinhando do que precisaria, mas gosto tanto de cozinhar e de ficar praticando minha meditação preparando, descascando e picando ingredientes, que até aboli outros hobbies. Nestes onze anos posso dizer que evoluí e que fiz muito mais comidas gostosas do que gororobas. Mudou cidade, mudou casa, mudou gato na cozinha, mudou panelas, mudou louça, mudou objetivos, mudou rotina, mudou tanta coisa, mudou, evoluiu e melhorou, não concorda? Então, acho que onze é um excelente número pra se comemorar!

[mais um] bolo de aniversário

bolo de aniversário

Pro aniversário do meu marido eu fiz este bolo. Foi um final de semana agitado, porque o parceiro do meu amigo também fez aniversário, um dia antes, e fui convocada para fazer um bolo para a festa. Dois bolos num final de semana. Dois bolos de festa. Os dois bolos iriam ser servidos pra pessoas que eu não conhecia muito bem, pois lembrem-se que eu levei o bolo pro Uriel na festa das vizinhas. Pensei bem e decidi fazer a receita deste bolo de festa que eu tinha certeza que daria certo. Aprendi minha lição de não inventar moda nessas ocasiões. Pro meu amigo recheei com as framboesas cozidas, como está na receita, e fiz a cobertura cor de salmão e decorei com confeitos verdes e rosas. Ficou mais bonito do que saiu na foto e fez muito sucesso com os convidados [ufaaaa!]. Pro bolo do Uriel caprichei um pouco mais e fiz um recheio mais elaborado, com uma camada de compota de morango feita com casa [cozinhei morangos frecos com açúcar de coco], outra camada de chantilly [adicionei um pingo de mel e outro de água de rosas] e outra camada de morangos frescos cortados em fatias finíssimas. Fiz uma pataquada absurda batendo o creme de leite em chantilly. Com a batedeira portátil ligada na tomada, fui ajustar os batedores, encostei no botão, o negócio ligou na velocidade máxima com um dos meus dedos enroscado num batedor. Levei um susto enorme, consegui desligar tudo e achei que meu dedo tinha quebrado, mas felizmente não quebrou, tive muita sorte. Assim aprendi outra lição––SEMPRE DESLIGUE todos os utensílios elétricos da tomada quando estiver mexendo nas partes! Depois dessa, com o dedo inchado e dolorido, terminei de fazer o bolo, com a cobertura na cor natural e confeitos multi-coloridos. Ficou absolutamente delicioso!