bolo de chocolate & earl grey

bolo-choc-earlgrey_1S.jpg

Eu tinha decidido não comprar nada de chocolate para a Páscoa, porque meu filho avisou que iria viajar e eu perdi a motivação para fazer qualquer coisa celebrativa para esse evento. Sem falar que eu mesma não como muito chocolate e normalmente tenho que desovar as sobras desse tipo de festividade no meu trabalho. Mas uma amiga que mora em outra cidade avisou que viria me visitar no sábado à noite e como eu sei que ela curte comemorar a Páscoa com chocolate, resolvi fazer esse bolo para servir de sobremesa acompanhado por sorvete. Gosto dessas misturas diferentes que o chocolate proporciona. E essa com o chá earl grey fica realmente auspiciosa. O aroma e sabor do chá harmonizam perfeitamente com o chocolate, fazendo um bolo muito saboroso.

6 pacotinhos de chá earl grey [ou 2 colheres de sopa do chá solto]
1 xícara de água
1/2 xícara [8 colheres sopa] de manteiga em temperatura ambiente
3 ovos
2 xícaras de açúcar
115 gr [4 ounce] de chocolate amargo derretido* e em temperatura ambiente [usei o 70% cacau da Scharffen Berger]
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/4 colher de chá de sal
1/2 xícara de iogurte natural
Açúcar de confeiteiro pra decorar

Pré-aqueça o forno em 350° F /176ºC. Unte uma forma com um furo no meio [bundt] com manteiga e polvilhe com chocolate** em pó.

Prepare o chá, imergindo os 6 saquinhos na xícara de água fervendo. Deixe descansar por 5 minutos, remova os saquinhos da água e reserve o chá.

Na batedeira, bata a manteiga, os ovos e o açúcar até formar um creme fofo. Junte o chocolate derretido e em temperatura ambiente. Junte a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal, o iogurte e o chá. Bata bem e despeje a massa na forma untada.
Asse por mais ou menos 50 minutos ou até o centro do bolo estar totalmente cozido. Remova do forno, deixe esfriar e vire o bolo numa travessa. Polvilhe com o açúcar de confeiteiro.

*derreti no microondas por 1 minuto, mexi, depois por mais 1 minuto. deixe esfriar completamente antes de adicionar na massa.
**polvilhei com um achocolatado tipo nescau que eu tinha comprado pros meus sobrinhos tomarem café da manhã quando eles estiveram aqui em dezembro e sobrou. funcionou super bem. mas pode-se também usar o cacau em pó.

bolo-choc-earlgrey_2S.jpg

gelatina de chá preto

gelatina-chapreto_1S.jpg

Idéias para fazer gelatinas super gostosas e saudáveis sem corantes ou sabores artificiais não faltam. Mas parei resoluta nessa versão feita com chá. Fiz e não deu certo da primeira, pois achei que não tinha gelatina em pó suficiente. Refiz, mudando algumas coisinhas e voilá! Usei um chá preto que o Uriel trouxe da China e como não dava pra ler instruções na caixa, coloquei 1 colher de sopa das folhas pra cada xícara de água. E acrescentei half and half, porque gosto de chá com creme [fancy that!]. Servi com cubinhos de laranja e ficou uma sobremesa super leve e diferente.

2 xícaras de chá preto já preparado e em temperatura ambiente
1 xícara de água fervendo
1/2 xícara de half and half [ou creme de leite misturado com leite]
3 envelopes de gelatina sem sabor [cada envelope tem 7gr]
1/4 xícara de açúcar

Numa vasilha salpique a gelatina sobre o chá preto e deixe por 5 minutos. Numa outra vasilha misture o açúcar na água fervendo e mexa bem até dissolver completamente. Junte o half and half. Misture o chá com a gelatina à mistura de água e açúcar. Misture bem e coloque tudo numa forma molhada. Leve á geladeira até a gelatina ficar bem firme. Desenforme com cuidado—se precisar coloque o fundo da forma rapidamente em água quente, decore com frutas frescas da sua preferência e sirva.

[hot cider tea]

cider-teaIdeia super genial que vi na edição de outubro da Martha Stewart Living. Ao invés de usar água para fazer o chá, usa uma cidra de maçã ou um suco de maçã puro [do fosco, não do translúcido]. Daí é só imergir o saquinho ou folhas de chá da sua preferência no suco fervendo. A revista recomenda o Earl Grey, mas eu usei o Lady Grey e ficou uma delícia. E como o suco já é naturalmente doce, nem é necessário adicionar açúcar. Pra mim, que prefiro chá completamente sem açúcar, ficou um pouco mais doce do que eu esperava. Mas não foi motivo forte o suficiente para me impedir de sorver essa bebida incrementada com grande satisfação!

chá para um

cha-para-um_1S.jpg

Adoro misturar as peças que tenho—muitas órfãs ou incompletas, que compro na thrift store. Num pisque, juntei essas três para poder tomar meu chazinho de gengibre enquanto trabalhava no computador. O bule custou três mangos na ponta de estoque, o copinho e o prato que virou bandeja foram adquiridos por centavos na loja de segunda mão. E combinaram tão bem!

Ladurée at Harrods

Ladurée at Harrods
Ladurée at Harrods Ladurée at Harrods
Ladurée at Harrods
Ladurée at Harrods
Ladurée at Harrods
Ladurée at Harrods

Inventamos de dar uma “passadinha” na loja Harrods no boxing day—o dia seguinte do Natal, que é quando tudo liquida. Toda a população local e turística de Londres resolveu fazer o mesmo. Não teve condições. Além do que estávamos com os meus pais, que não têm mais aquela destreza e energia para abrir caminho na multidão. Chegou uma hora que jogamos a toalha e decidimos ir tomar um cházinho. Dentro da Harrods tem uma filial da doceria francesa Ladurée, então ficamos por ali. Não podia tirar fotos lá dentro, apesar que vi flashes pipocando galore. Eu fui discreta e registrei nosso chá com o celular.

um chá com a Valentina

chá com Valentina
chá com Valentina
chá com Valentina
chá com Valentina chá com Valentina
chá com Valentina
chá com Valentina chá com Valentina
chá com Valentina
chá com Valentina
chá com Valentina chá com Valentina
chá com Valentina

Marcamos de nos encontrar na saída do metrô em Notting Hill. Foi a primeira vez que fui me encontrar com uma amiga blogueira totalmente às cegas, pois apesar de conhecer a Valentina e o Trem Bom há anos, nunca tinha visto uma foto dela. Por alguns minutos fiquei lá parada com aquela expectativa estranha, olhando para cada rosto que se aproximava pensando, será ela? Mas quando ela chegou, sorridente e já de braços abertos para um abraço, não me surpreendi. A Valentina é exatamente o que ela nos passa pelo blog. Nem precisa mesmo de foto!

Fomos caminhando pela noite gelada pelas ruas de Notting Hill, conversando sem parar, até que encontramos um lugarzinho simpático para beber um chá. Eu não vou saber dizer onde fica exatamente, mas era uma loja, com coisas lindas de decoração, uma boutique de roupas no subsolo e um restaurantezinho no fundo da loja. Ainda não eram nem 6pm, apesar da escuridão, e portanto ainda poderíamos oficialmente pedir um chá da tarde.

A Valentina que me orientou nos pedidos, pois eu queria provar algo tradicional inglês. Pedimos então duas tortas—pra mim a banoffee pie com banana fresca e pra ela uma treacle tart com custard. Bebemos chá, of course, eu fui de hortelã fresco e a Valentina de lapsang souchon, um chá bem aromático, que ela mesma disse que não é todo mundo que gosta. Achei o aroma bem defumado, mas não provei.

Conversamos tanto, tanto, que até constrangimos o garçon. Fomos caminhando novamente pelas ruas de Notting Hill, paramos numa livraria para olhar livros de culinária e depois a Valentina me acompanhou até a minha estação, pra não ter perigo de eu pegar o lado errado da linha às nove da noite. Foi de uma delicadeza ímpar.

Tivemos um encontro de duas dinossauras da velha guarda dos blogs de culinária brasileiros. Já fizemos e vimos muita coisa e continuamos firmes, ou quase. Esses são laços importantes, que eu gosto de preservar. Valentina, muito obrigada pela noite tão agradável! e espero um dia poder retribuir toda a sua gentileza, quando você for me visitar lá do outro lado do mundo!

Earl Grey tea cookies

earl_grey_cookies_s.jpg

Definitivamente, eu não sou uma cookie person, nem pra fazer, nem pra comer. Cookies não são o meu cup of tea, embora eu coma biscoitinhos que eu compro no supermercado, mas eles precisam ser simplíssimos, quase sem açúcar, sem recheio, sem cobertura. Quanto mais simples melhor.

A primeira e última vez que fiz cookies em casa foi no aniversário de cinco anos do Gabriel, que coincidiu—ano e mês, com a passagem do cometa Harley pelo céu do nosso planeta. Então o motivo da festa foi, a pedido dele, o tal cometa. O bolo foi feito por uma profissional, com cobertura branca de coco e no formato de um cometa estilizado. Dai eu fiz gelatina em forminhas de estrelas e comprei um cortador de cookies de estrela e fiz lá os tais cookies, que pelo que eu me lembro não ficaram muito apetitosos nem fizeram sucesso com os pequenos convidados. Pudera, devia ser cookies naturebas que eu gostaria de comer e achei que todos também iriam gostar. Sobrou cookies a beça!

Por isso nunca me interessei muito por essa categoria da culinária. Mas outro dia topei com uma receita que achei impressionantemente interessante. Tratava-se de cookies feitos com folhas do chá Earl Grey, que é sem dúvida um dos meus favoritos. Eu já tinha feito uma receita bem interessante com esse chá no passado, os Earl Grey pots de créme que ficaram deliciosos. Nunca mais refiz a receita do cremezinho, mas os cookies eu precisava tentar. Parecia facil e foi. Só dei uma mancada, deixando eles ficarem mais tempo do que o necessário dentro do forno. Meu cabeção na cozinha é uma coisa irritante. Mas desculpemos. Os cookies ficaram bem interessantes, apesar de um tantinho marronzinhos demais. Provei acompanhado com chá de laranja, onde mergulhei os retangulosinhos—chomp!

Earl Grey tea cookies
faz duas dúzias
1 xícara de farinha de trigo
1/4 xícara de açúcar
1/4 xícara de açúcar de confeiteiro
1 colher de sopa de folhas do chá Earl Grey
1/4 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de baunilha
1 colher de chá de água
1/2 xícara / 113g de manteiga sem sal

Coloque todos os ingredientes secos no processador e pulse até as folhas de chá ficarem bem moídas. Acrescente a baunilha, a água e a manteiga e pulse até formar uma massa. Coloque a massa embrulhada em papel manteiga ou vegetal e ponha para gelar por pelo menos 30 minutos. Essa massa pode ser congelada.

Pré-aqueça o forno em 375ºF/ 200ºC. Corte a massa em rodinhas ou retangulos, disponha numa forma com espaço suficiente para os cookies expandirem. Asse por uns 12 minutos, ou até os cookies ficarem com as bordas douradas. Preste atenção e não deixe os cookies ficarem escuros, como eu fiz! Deixe esfriar numa grade, sirva ou guarde numa lata fechada.

Risoto de chá verde com camarão e banana

risottocamaraoebanana.jpg

Receita fabulosa da Lara, que eu fiz um pouquinho modificada, mantendo os ingredientes principais e a base do risoto. Ficou excelente, apesar do meu marido não-gourmet ter reclamado da presença da banana. Mas pra mim a banana é que deu aquele toque especial.

A receita original:
Risoto de chá verde com camarão e banana
Para o arroz:
500 ml de chá verde
1 litro de caldo de legumes
300 g de arroz arbóreo
100 g de manteiga * usei azeite por engano – distração
30 g de alho
60 g de cebola
150 ml de vinho branco
sal
Para o risoto:
900 g de camarão grande
2 limões sicilianos *usei o verde e acrescentei a casca ralada
25 g de gengibre
15 g de curry *não usei
7 g de açafrão *não usei
10 g de pimenta dedo-de-moça *usei chipotle em pó
2 bananas nanicas em rodelas
salsinha
sal e pimenta

Preparo:
Coloque o camarão para marinar no suco de limão. Junte as raspas do limão, o gengibre, o curry, a pimenta cortada em cubinhos e o açafrão. Numa panela, doure o alho no azeite, junte a cebola e acrescente o arroz. Junte o vinho branco e deixe evaporar, mexendo sempre. Coloque todo o chá verde e deixe reduzir até a metade. Comece a regar o arroz com o caldo até atingir a consistência desejada. Corrija o sal e reserve. Em outra panela, junte as rodelas de banana com o restante do caldo de legumes, agregue os camarões (incluindo a marinada) e o arroz. Mexa até dar o ponto. Salpique a salsinha e sirva.

* fiz um pouco diferente, pois grelhei os camarões na churrasqueira antes de acrescentar ao risoto com a banana e a salsinha. Fiquei meio assim de acrescentar os camarões crus e o marinado no risoto.

mint sun tea

suntea.jpg

Bebi o sun tea feito pela Elise com hortelã e verbena e achei uma delícia. Não fica com o sabor tão acentuado como no do chá comum, feito com água fervendo. Eu fiz só com hortelã—uma variedade chamada “chocolate” que se domina a minha horta há anos. Numa jarra ou garrafa transparente com tampa, coloque as ervas—use a mistura que quiser, adicione lascas de gengibre, casca de limão ou laranja, vale tudo! Encha de água filtrada, tampe bem. Como eu usei uma jarra, lacrei com filme plástico bem apertado. Deixe no sol por no mínimo duas horas. Ponha na geladeira e quando estiver bem fresquinho, beba. Esse chá feito no sol tem que ser consumido rapidamente, pois como não chegou a ser fervido, pode estragar fácil. *Não precisa tirar as ervas da garrafa ou jarra para servir. Elas fazem uma decoração linda dentro do vidro.