domingo—perde o cachimbo

Abri meus olhos de madrugada e naquela sonolência sonâmbula percebi que não tinha ligado o alarme. Estiquei o braço, puxei a alavanquinha, a luzinha vermelha apareceu, virei e voltei a dormir.

Às seis e trinta da manhã o alarme tocou e eu levantei pensando nos meus projetos no trabalho, o que tinha na agenda pra fazer naquela segunda-feira. Desci, dei comida pros gatos, preparei meu café com leite ainda não totalmente acordada e me sentindo incrívelmente confusa. Como esse final de semana passou rápido, pensei. O que foi mesmo que fiz de almoço no domingo, me perguntei. O sentimento de confusão só aumentava e de repente o interior da névoa que obscurecia o meu pensamento foi clareando. Subi para o quarto, cutuquei o Uriel que ainda dormia e perguntei, hoje é domingo? Ele abriu os olhos e respondeu, sim hoje é domingo!

Me senti uma besta quadrada por acordar em horário de dia de semana num domingo e ainda ter pensado em trabalho e iniciado minha rotina de dia de semana num DOMINGO!
Segui acordada, pois acordada já estava mesmo e decidi aproveitar o tempo extra pra fazer coisas pela casa e na cozinha. Já estava com idéias para o almoço e fui em frente com meus planos. Zanzei pra lá e pra cá a manhã toda e fiz uma receita de galantine de legumes da minha mãe, que era um negócio que eu adorava, mas queria tentar fazer usando a agar agar. Decidi preparar uns espetinhos com um franguinho orgânico, daquele criado e abatido sem crueldade, que descongelei dois peitos, cortei em cubinhos e temperei com iogurte e pimenta. Também decidi que iria fazer aquele quilo de favas frescas—as últimas da temporada—grelhadas. Fiz espetinhos com o frango e uma cebola roxa. Levei tudo para a churrasqueira.

A mesa já estava arrumada no quintal para o almoço, quando fui checar as favas e os espetinhos e reparei que tinha algo errado ali. Por algum motivo até agora desconhecido, o fogo na churrasqueira estava soltando um pretume estranho, que estava colando na comida. Fui correndo chamar o Uriel e enquanto ele tentava ver o que estava errado, fui virar a galantine de legumes numa bandeja e o resultado foi um enorme PLOFT! Tudo mole, não solidificou o suficiente pra desenformar. Enquanto isso no quintal, o corre-corre era geral. Estava na cara que a comida tinha sido contaminada pelo pretume e estava imprópria para consumo. Eu ainda tentava desesperadamente salvar algumas favas, quando o Uriel me segurou pelos ombros e disse, Fer DESISTE, vamos sair pra comer fora.

Subi pra tomar um banho, enquanto ele jogava todo o nosso ex-futuro almoço no lixo e lavava a sujeirada. Fomos almoçar num restaurante japonês bem fraquinho, passeamos um pouco e depois voltamos pra casa onde comemos a sobremesa: a única comida que não foi pro lixo, pois tinha sido feita no sábado.

8 thoughts on “domingo—perde o cachimbo”

  1. Ai, que tristeza. Se ao menos o restaurante tivesse sido um acerto em cheio!
    J´acordei no fim de semana achando que tinha que levantar para trabalhar, mas me dei conta antes mesmo de sair da cama. E ai voltar a dormir foi delicioso.
    Tomara que depois de amanhã seja melhor, que o agar solidifique com algo de acidez como diz Nina, que a churras não entre em greve, que faça um dia gostoso e tudo saia legal.
    Beijos!

  2. Não sei se o agar-agar que você usa é igual o daqui. Sei que preciso acrescentar o mínimo de acidez para que solidifique bem.
    bjo
    R: Nina, acho que errei mesmo foi na qtidade de agar, pois na receita ia suco de limao e sour cream–acido o suficiente, nao? bjo, Fer

  3. Fer, que zica, menina!! Tem dias em que tudo parece conspirar contra nós, não é mesmo? Eu conheço bem a sensação horrivel q a gente fica quando vai para a cozinha, prepara uma comidinha gostosa e tudo dá errado! Já aconteceu comigo tantas e tantas vezes… já chorei, já me descabelei, já fiquei louca da vida por ter de jogar fora ingredientes caros e que eu gostava muito… mas quando a gente está num dia desses, não adianta: a única solução é sair para comer fora mesmo, e deixar para cozinhar no dia seguinte, quando a uruca provavelmente já passou!!!
    Bjo grande,
    Mari

  4. Oh, deves ter sentido uma enorme frustração por deitar assim um almoço para o lixo 🙁
    Mas eu acredito que deveria ter ficado uma delícia. Para a próxima de certeza que sai melhor.
    Beijinhos*

  5. Acho que deve ter sido conjuncao astral desfavoravel 🙂
    se servir de consolo, fiz massa de macarrao ontem, uma trabalheira insana porque decidi fazer com pure de beterraba para dar aquela cor chocante….
    chocante mesmo foi o resultado – o que meu finado pai chamaria de “gororoba”
    nem vale a pena comentar…. pisei na bola em varias etapas, a cor linda de beterraba desapareceu no cozimento… e a massa, que abri fina demais, acabou como o famoso “unidos venceremos”
    Oh, well – there is always next day!

  6. Fer, que desastre… nao era para sair o rango mesmo hein?!
    Putz, eu deteeesto quando acontecem essas coisas. Por melhores q sejam as boas intencoes parece que tudo conspira contra nos em dias assim nao?
    Pelo menos o Uriel ficou calmo e voces sairam tranquilos p/ almocar.
    Mas q fica uma pontinha de decepcao fica nao eh mesmo? Isso tbem ja aconteceu comigo, todos temos dias assim, mas o q mais me deixa triste quando isso acontece eh q mesmo que tenhamos ido a um lugar bacana p/ comer eu tenho uma vozinha no fundo que fica falando “ai, mas eu queria tanto a minha comidinha hoje…”
    Oh well, acontece mas passa, e sorte q nos temos nossa cozinha e nossa boa vontade vem novamente para tentarmos mais uma vez! Afinal, dias p/ cozinhar eh o q nao falta ne Fer?!
    Beijos!
    Ana
    R: ai, Ana, nem fala…. o mais duro pra mim eh jogar todos os ingredientes finos da bossa na lata do lixo–quase chorei, juro! um beijo, Fer

  7. Fer, tem uns meses achei teu blog e comecei a “devorar” cada post, desde o início … Já li tudo, tudinho, tudinho mesmo. Uma delícia de leitura! Já prepareu tuas receitas e tive vontade de comentar meus desastres e sucessos contigo, mas me falta tempo e algumas outras coisas tbem rsrsrs
    Hoje não pude resistir, e dei um rebolado pra conseguir comentar aqui. Esse seu domingo foi bem engraçado (sooorrry), e me lembrou muito de um dia bem parecido que eu tive há uns meses atrás … Ri de nós duas.
    Adoro teus textinhos, comidinhas, louças bem-humoradas, e fotos inspiradoras. Olha, tu dá um belo caldo hein??? rsrsr (no bom sentido viu??)
    Um beijão!!
    R: mil desculpas, Cacau, pois meu sistema de comentario eh um pouco chato. mas fiquei feliz que voce insistiu e escreveu! quem ja nao teve um dia assim, neh? obrigadao e beijao! Fer

Deixe a sua pitada: