the walking tempura

Meu marido acha que eu exagero nas minhas criticas, mas eu detesto o Zen Toro. Ele é um restaurante japonês pseudo-modernex, que veio para Davis nesses esquemas massificantes de franchising. Está instalado num espaço minúsculo em downtown e quem vai almoçar ou jantar lá sai sempre fedendo a fritura da cabeça aos pés. Mas eu não desgosto de lá somente por isso. Também acho a comida pretensiosa e o serviço uma porcaria. Tá certo que numa cidade universitária, onde noventa e nove por cento dos atendentes dos restaurantes são estudantes, não se pode esperar o melhor serviço do mundo. Mas no Zen Toro eu tive um dos piores, com o agravante que de lá sempre se sai com cabelo, pele e roupa empesteados numa fedentina de óleo de fritura.
Meu chefe veio me ajudar num projeto que realmente eu não precisava de ajuda. Quando ele sentou-se ao meu lado, senti na hora que ele tinha almoçado em algum lugar catinguento, daqueles onde frituras abundam. Depois de me dar uma mão desnecessária ele entabulou num convercê e então confidenciou que ele e a esposa tinham ido almoçar num lugar diferente. E eu—ah é, onde? Nem fiquei surpresa quando ele respondeu—no Zen Toro.

6 comentários sobre “the walking tempura”

  1. Fer,dizem que a grande sacada prum supermercado é conseguir fazer com que os consumidores sintam os aromas (pães, flv, etc) quando estejam fazendo as suas compras. Agora, em alguns restauranres realmente não dá !
    Ah! Já te tirei do poço de novo ! Acho que é alguma coisa DCPVxWordpressxChucrute.

  2. estes dias fomos a um restaurante japa entregar umas louças e ainda eram 5hs da tarde, o serviço ainda nem havia começado e o local fedia insuportavelmente a peixe,note bem,eu AMO peixe mas aquele futum de peixe cru com raiz forte em profusão não me faz a cabeça.Daí que fiquei me perguntando como seria um jantar naquele local, que é chique e ocupa uma casa bem espaçosa, creio que eles perderam a mão pois não creio que seja assim normalmente,beijo!!

  3. Eu odeio quando isso me acontece. No fim-de-semana fui jantar a um restaurante indiano que eu adoro e onde isso nunca me tinha acontecido. Mas mal saí de lá percebi que o cheiro vinha comigo! Fiquei a noite toda incomodada. Não sei se era por estar mais cheio ou se o sistema de ventilação estava avariado, mas a verdade é que passei o resto da noite a sentir-me uma samosa.

Deixe a sua pitada: