muitos achados nos perdidos

guernsey_earthenware.jpg
guernsey_earthenware_a.jpg

Diz o ditado que quem procura acha e eu vivo achando gratas surpresas nas minhas procuras por coisinhas bonitas nas lojas de segunda mão. Tenho um monte de histórias de achados. Os mais recentes, umas cumbuquinhas de madeira super lindas, com aquela cara de que foram muito usadas na cozinha de alguma senhora muito prendada. E uma assadeira redonda e funda de cerâmica esmaltada, que me pareceu ter produzido muito suflê bem-sucedido em alguma cozinha bem equipada.
Nas minhas garimpagens, eu não vou comprando qualquer coisa. Aprendi algumas regras básicas com a sogra do meu filho que é uma antique dealer. Olho muitas coisas no achado, mas a primeira coisa que eu faço é virar e olhar a base. Ali pode estar toda a informação que você precisa. Se estiver escrito made in china eu descarto imediatamente, mesmo se a coisa for linda prá lá de metro. Procuro por porcelanas inglesas ou japonesas, que são as melhores. Cerâmicas francesas ou italianas. Muitas vezes acho utilitários escandinávos, muito populares por aqui, ou alemães. E tem os produtos made in USA, que são quase sempre bacanérrimos. É só ter paciência, muita paciência e um bocado de determinação.
Quando vi a palavra Munising engravada na base das cumbuquinhas de madeira, o final quase ilegível pelo desgaste do tempo, tive a intuíção de que ali estava um achado. Faço uma pesquisa descubro a Munising Wood Products, em Michigan, que produziu utilitários lindos de madeira entre 1911 e 1955. Dá pra calcular mais ou menos a idade das minhas cumbuquinhas. Vou chutar 1930, pois é a minha década favorita.
A assadeira vitrificada mostrava o nome Guernsey no fundo e quando fui atrás de informação, descobri com grande surpresa que ela foi feita por uma cerâmica chamada Guernsey Earthenware Company, que produziu peças utilitáras de mesa e cozinha em Cambridge, Ohio, entre os anos de 1909 e 1924. Posso dizer com certeza que essa peça que eu comprei na loja de segunda mão por duas patacas de dólar tem entre 80 e 90 anos. Como aqui na América qualquer coisa com mais de cinquenta anos já pode ser considerada antiguidade, esses foram grandes achados, sem dúvida alguma!

4 thoughts on “muitos achados nos perdidos”

  1. Fer, adoro a descrição que vc faz das suas compras. Aqui, infelizmente, é muito difícil encontrar esse tipo de venda. Existe uma idéia de que o legal é vc ir ao shopping e comprar tudo novinho, as pessoas não têm muito interesse pelos produtos que vc descreve, acho uma pena. Eu, por exemplo, adoro assistir aos programas americanos e ingleses que mostram as garage sales, aqui eu nunca soube de nenhuma. Ô povo besta!
    beijocas

Deixe a sua pitada: