one-track mind

Acontece frequentemente comigo, porque eu estou sempre obcecada por algum assunto. Ninguém precisa realmente ficar sabendo qualé o babado. Mas essa é outra caracteristica do tipo bitolado: não conseguir ficar calado quando se trata do seu assunto favorito. Anos atrás eu falava sobre blogs para uma platéia paralisada com aquele sorriso amarelo na cara e um ponto de interrogação na testa. Dava pra perceber que estavam todos pensando sériamente, já em estado de pânico, em fugir correndo pra bem longe daquela pessoa que com certeza falava sobre alguma doença infecciosa e contagiosa—blog? coisa boa que não pode ser.
Me dediquei com afinco à fazer um sorvete de baunilha. Não qualquer baunilha, mas a baunilha fresquinha do Taiti, que eu cortei ao meio e raspei, esquentei por uns minutos no melhor creme de leite fresco e orgânico que pude encontrar e deixei em infusão na geladeira até o dia seguinte. Preparei o melhor sorvete de baunilha que pude preparar para levar ao chá de bebê de uma pessoa muito fofa, que vai ter sua filhinha no meio de setembro. Todo mundo levou uma coisinha, comprada ou feita em casa, nem tudo from scratch, mas tudo preparado com amor e carinho. Eu cheguei carregando um cooler com duas variedades de sorvete de baunilha. Não qualquer baunilha, mas aquela baunilha fresquinha do Taiti. Fiz um mais doce, outro menos doce e com a adição de uma colherzinha de chá de pasta de baunilha.
O problema não é o que eu preparo, mas a minha total obsessão por tudo o que eu faço, o que inclui o tal blog de culinária. Estou ficando seriamente tapada. Vejam só, eu só falo sobre COMIDA. Em qualquer encontro ou evento social, lá estou eu falando sobre comida. Eu falo sobre comida até com o meu marido, que não sabe fritar um ovo, mas sorri gentilmente e até dá palpites. Com ele tudo bem, estou em casa. Mas em outros lugares, preciso ir com cuidado, porque eu acabo entediando as pessoas, especialmente as que não cozinham e não estão nem aí pro assunto de comida.
Fui ao chá de bebê e já cheguei explicando que tinha feito um sorvete de baunilha, mas que não era com qualquer baunilha, mas sim a baunilha fresquinha do Taiti. E pra quem fez cara que não entendeu, eu entrei em detalhes: não tinha usado o extrato liquido, mas sim a fava, fresquinha, do Taiti. Depois tive obviamente que frisar que era tudo orgânico e que a receita era do David Lebovitz. As caras que me olhavam enquanto eu descrevia os detalhes sorriam educadamente, mas demostravam sinais visíveis de que o meu assunto não estava fazendo muito sucesso.
Se eu tiver a oportunidade, vou falar abusivamente sobre comida, com detalhes dos ingredientes, dizer que é tudo orgânico—essa parte é imprescindível, e se sobrar tempo vou dizer que a receita está no meu BLOG, um blog de culinária, preciso sempre sublinhar. Se alguém morde a isca e pergunta onde, eu já disparo rapidinha a frase apoteótica—DÁBLIU-DÁBLIU-DÁBLIU CHUCRUTE COM SALSICHA [TUDO JUNTO] PONTO COM.

27 comentários sobre “one-track mind”

  1. Fer, não têm quem consiga deixar de passar um só dia por aquí, é muito bom poder dividir de todas essas histórias com você. Eu também estou da mesma forma, onde eu estiver, seja lá o que estiver fazendo, paro tudo e compartilho do assunto com os que estão ao meu redor. Fico parecendo uma criança, e os olhos chegam a brilhar…

  2. Fer, se as pessoas no baby-shower não perceberam que a culinária é um papo sério p/ vc, deveriam ler os teus posts. Talvez não tão apetitosos quanto as tuas receitas, mas deveras deliciosos.
    beijocas

  3. Também preciso me controlar sempre. Acho que por isso que a gente criar o blog, né? Porque qí a gente pode falar a vontade sobre o assunto do momento e trocar idéia com quem tem os mesmos interesses sem ninguém achar que somos ETs hehehe

  4. Ah…respondendo sua pergunta sobre o azeite,não precisa esterelizar não é só lavar bem o recepiente(eu jogo uma água fervendo)colocar o azeite e os temperos que escolher e saborear esta delícia

  5. Querida Fer adoro o seu blog, porque gosto de tudo o que vc coloca aqui, seus textos, seu dia a dia, Tenho que acompanhar cada capitulo, náo perco nadinha.Vc é uma pessoa feliz, sem duvidas!!! beijinho Fah.

  6. Fe´, minha querida já é uma delicia poder ler seus post de comida , fico eu aqui imaginando que maravilha seria sentar ao teu lado e poder falar, ouvir e discutir pessoalmente sobre este delicioso assunto ! Espero que um dia quem sabe isso se torne possivel ! Agora quanto aqueles que não apreciam tal assunto fazer o quê ? Deus dá assas a quem não sabe voar …… Tenho a certeza que você continará a falar sobre comida com esta paixão , pois sempre terás alguem por aqui para dividir contigo estás delicias !!!
    Forte beijo

  7. Fer, é fantástico ler os comentários de todos depois deste teu post fantástico (como sempre!). Não vale a pena dizer que sei bem como te sentes porque isso é por demais evidente,mas estranho é sermos tantos com o “mesmo problema” e mesmo assim sentirmo-nos tão sozinhos quando tentamos conversar com alguém sobre o tema, mas julgo que é mesmo assim. Cada um com a sua mania não é? E pensa assim, para quê ficar triste porque os outros não se interessam com as nossas manias quando tens aqui uma plateia que adora ler o que escreves e tudo o que tens a dizer. Eu falo por mim, mas tenho a certeza que este sentimento é o mesmo de todos os que te “visitam”.
    Confesso-te que sempre que ando “por aqui” e quero boa disposição ou sinto necessidade de sorrir :), dou aqui um saltinho e a alegria aparece instantaneamente… 🙂
    Por isso Fer, continua a falar sempre que te apetecer porque mais conhecimentos nunca fizeram mal a ninguém, mas acima de tudo continua a fazer-nos sorrir… :)))
    Muitos beijinhos!

  8. fer, eu também sou assim, fora que perco noites de sono tentando decifrar alguma receita que eu comi, e não sossego até tentar fazer igual….
    vai entender né??

  9. Fer, te compreendo perfeitamente ! Até com meu filho de 5 anos eu falo sobre isto, e ele gosta ! O marido tb ouve bem e se interessa muito e da palpite até demais pro meu gosto ! bjs

  10. Menina, não é todo mundo que fala essa língua e só mesmo aqueles que entendem é que se manifestarão. Os outros (não-foodies) levantam as sobrancelhas, esboçam aquele sorriso amarelo de Gioconda e fazem como as vacas de presépio, só balançam a cabeça. O que parece fascinate para nós “foodies”, foge completamente aos olhos deles. Fazer o quê? “Cada doido com sua mania”, como diz minha mãe.

  11. Fer, no meu caso, acho que a idade veio com o respeito..hehe..Falo tudo e “eles” (sejam la quem forem:)) prestam atencao..E sao “soh” 43 anos!! hahaha..O mais bonitinho eh o surfer de 25 y.o, second on the list of natureba da turma..olha de olhos arregalados e nod..hhehe..bonitinho:))
    Tudo isso pra dizer que sim, envy teu sorvete de baunilha que saiu e o meu nao..:-D E o blog estah de volta:)))))))))))))))))))))))
    Bjs
    Bri

  12. Fer, ficaria escutando com muita atenção e horas passaríamos entabulando uma deliciosa conversa sobre comida, quer melhor? “Eles” não sabem o que estão perdendo…acordo e durmo pensando em comida…agora faz parte do meu trabalho, delícia total!!!
    Beijos mil!

  13. minh irma briga comiggo ela diz vc nunca vai arranjar um namorado só ffalando de comida, eu dicordo e insisto n assunto pq se eu arranjar alguem q nao goste do assunto cm viverie…a nõ…eu falo sempre e sempre. p engraçadó é qdo falo q fiz gastronomia soltam ah vc estuda estrrela? ou vc cuida de gastrite? e o pior é que acreditam memso nessas hipoteses…
    mudando de assunto realmente tava um horror seu provedor…passei aqui varias vezes pra comentar o post anterior e nao consegui…q bom q consertaram! bjos

  14. Isso acontece direto comigo! Eu e o Marcel falando sobre comida e vinho sempre! Mas os amigos e familiares já se acostumaram e até se renderam (muito já fizeram degustações de vinhos, cachaças, cervejas e passaram a frequentar bons restaurantes com frequencia). As vezes as pessoas não entendem, mas na hora de comer percebem a diferença! bjo!

  15. KKKKKKK!.Eu fiz isso no dia dos pais. Me peguei explicando detalhadamente a receita do prato que levei. E na hora do endereço: agá te te pe dois pontos barra barra ggmaria ponto blogspot – o quê?!? Bogs o quê?!?
    Bjs.

  16. Vixe mas as moçoilas nao babaram com o sorvete de baunilha ? 🙂
    Considere que vc faz uma caridade de falar sobre esse assunto. No começo o povo pode nao entender, mas vao acostumar. Sabia que eu aprendi aqui o que era fava de baunilha ? Sei lah eu pensava que baunilha jah saia liquida de alguma torneira ha ha ha ! Eu tinha pouco interesse por culinaria, meu marido gosta, aqui as pessoas em geral gostam e apreciam muito. Hoje eu consigo apreciar a diferença que faz um bom produto orgânico, mesmo nao comprando sistematicamente e nao tendo grana pra tal. A primeira vez que usei cebola roxa foi depois de ter lido aqui, e agora viciei 🙂 O oleo de oliva nao prestava muita atençao, comprava um extra-virgem qualquer de uma marca italiana qualquer no super, ai descobri uma loja e fui fuçando nos orgânicos, ja comprei um italiano e um outro português. Faz a diferença, desde o gosto, da garrafa, é como vinho.
    Fer, brigada pela dica das palhas de milho, fiquei mais tranquilex de saber que senhor Aby nao estah sozinho (outro dia ele também vomitou a palha do milho, mas foi de madrugada). Beijocas

  17. Fer (desculpa a intimidade), acompanho sua vidinha aí em Davis tem mto tempo, mas não sou de comentar muito. Eu sei extamente como vc se sente… tb sou obcecada por alguns assuntos. As pessoas nos olham com umas caras, né? rsrsrsrs.
    Antes era só moda e filmes, e agora comida está entrando na dança tb… não sei o q fazer, alguma dica??!!
    Beijas.

  18. Também sou uma pessoa obcecada e tenho TOC. Hahahahahaha. Você não é aquariana, é? Hahahahahahaha.
    Mas é verdade, quando encasqueto com alguma coisa na cabeça, sai de baixo.
    Essa semana, por exemplo, estou obcecada com a questão dos recalls, escrevi um pequeno texto sobre isso no message board do grupo de mães e sei que não vão compreender o meu ponto de vista. OK, quando me empolgo posso soar confusa…
    Eu não acho de maneira alguma que o seu blog ou você seja uma pessoa bitolada. Você traz assuntos sempre interessantes e pertinentes para a mesa. E é muito gostoso escutá-la.
    Beijos. Adorei o post.

  19. kkkkkkkkkkkkk
    Menina, eu tb às vezes acho q fico monotemática, qdo estou falando com pessoas q vivem bem longe do mundinho da comida…
    Mas vc, mesmo q venha a ser monotemática, não vai ter o menor perigo de se tornar chata e enfadonha, não se preocupe!!!
    Beijão!!!

  20. pois é Fer, coisa séria este amor por comida,às vezes me pego explicando todo o processo de fazer um pão para quem não está nem um pouco interessado no babado, pelas caras de :0 cai a ficha rapidinho que mudar o assunto às vezes cai bem..beijão!

Deixe a sua pitada: