um verdadeiro milagre

Nos meus primeiros meses como staff do programa de controle integrado de pestes [IPM], levei muitos sustos. Vejam só, eu sou uma web developer e fui contratada para me dedicar full-time à este web site gigantesco, que é mantido pelo Departamento de Agricultura dos EUA, UC Davis, UC Berkeley, UC Riverside, o condado de Yolo e outras entidades. É um programa importantíssimo e utilíssimo, tanto para os fazendeiros do estado, quanto para as pessoas comuns que mantém uma horta ou um jardim. O IPM divulga informação científica para ajudar no controle das pragas, dando prioridade para gerenciamentos biológicos, culturais e orgânicos, aconselhando o uso de químicos somente em último caso, observando e cuidando também para não poluir o meio-ambiente e as redes de água.

Bom, quando coloquei as mãos pela primeira vez nas páginas que monto e mantenho, já tive um chocante encontro inicial de primeiro grau com as pestes da cultura do milho. Passei muito tempo levando sustos horríveis, fazendo caretas, pondo a língua pra fora e me contorcendo toda de arrepio e nojo na frente do meu monitor. Eu não imaginava – realmente, que inocência – que existissem tantas pragas atacando a nossa comida! Achava que o pior que poderia acontecer era uma geada ou uma seca. E eu só conheci até agora as pestes que atacam a produção agrícola da Califórnia. Um IPM do país ou do mundo seria um completo circo de horrores!

A primeira coisa que me passou pela cabeça quando fui apresentada aos horroríveis insetos, ácaros, doenças, ervas daninhas, coisas vertebradas e invertebradas foi – putsz, ter uma salada ou um cozido na nossa mesa é um verdadeiro milagre, pois temos que primeiro lutar bravamente contra todas essas pragas! Meu marido rolou de rir quando me ouviu falar isso, porque ele está cansado de saber quem são os purulentos e cascorentos que infestam os nossos campos e pomares. Eu precisei de um bocado de tempo para digerir essa informação, abismada com o quanto nós humanos temos também que rebolar para poder nos alimentar. Felizmente somos mais fortes e mais inteligentes, senão com certeza nosso menu teria apenas dois itens: sopa de pedra e pão de areia.

4 thoughts on “um verdadeiro milagre”

  1. Menina, que trabalho de responsabilidade! Tenho até medo de pensar nestes bichos todos que atacam nossos alimentos! Já fico enlouquecida quando encontro lagartinhas no milho ou lesmas na alface!!! Arghhhhh!!!! Não tinha lido este post antes de perguntar sobre os pulgões, pelo visto perguntei à pessoa certa! 😉

  2. Ei! Eu também sou web developer! Em formação, mas sou! Depois de uma crise de “Ai, será que faço Ciências Aeronáuticas em vez de Sistemas de Informação?”, voltei com tudo pra Informática e tô feliz, feliz! 😀
    E sobre o post ali de cima, dos limões: Eu prefiro fazer um chazinho com mel, porque a gripe tá pegando geral por aqui… 🙁
    E sobre o post ali de baixo: Eu NUNCA comi figo fresco nesses 22 anos de vida! Hmm… tô me sentindo muito over “frutalmente” falando…
    Beijos!

Deixe a sua pitada: