The Olive Pit

olive_pit_3S.jpg olive_pit_1S.jpg
olive_pit_2S.jpg

Depois do almoço no Granzella’s em Williams, dirigimos mais umas trinta milhas em direção ao norte, com destino à cidade de Corning no condado de Tehama, conhecida como the olive city—a cidade das azeitonas. Corning fica no meio de campos imensos de oliveiras e tem uma loja famosa que vende azeitonas e azeites de todos os tipos. Fiquei impressionada com a quantidade de maneiras diferentes de preparar as azeitonas, e com as inúmeras variedades que a loja oferecia. Comprei um azeite não filtrado feito com a variedade Arbequina e um outro feito com a variedade Mission prensada junto com laranjas vermelhas.
Um professor, colega do Uriel, nasceu em Corning e contou que a cidade não mudou nada desde o tempo em que ele era criança. Pudemos constatar o fato in loco. Achei fofo que muitas ruas tinham nomes de frutas. Mas a cidade é outra daquelas sem muitos atrativos, com uma rua principal bem larga, com cara de downtown dos anos 50. Pude até visualizar o Bill rebolando a pélvis num bailinho da escola pública de Corning ao som da sensação musical do momento—Elvis Presley.

8 comentários em “The Olive Pit”

  1. Fer, aqui em POA acho azeite espanhol feito com a arbequina,gosto muito pois acho perfumado e com sabor delicioso de fruta, a salada fica gostosíssima,beijo!

  2. Pelo visto parece uma Ferraz de Vasconcelos! Com o agravante de, por aqui, o máximo de azeite que se vê é um Gallo além da ‘pequena’ diferença entre a Califórnia e a Zona Leste de São Paulo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *