Eu, Mariana, o Zé e o Bob

SF-mariiana_2S.jpg SF-mariiana_1S.jpg
verão do amor—2008

O plano inicial era irmos, eu e o Uriel, juntos encontrar com a Mariana e o Zé em San Francisco. Mas meu marido está atolado em trabalho, com várias viagens programadas, a mesma velha história que rola todo final de verão. Por isso eu acabei indo sozinha, apesar de estar invariavelmente acompanhada simbolicamente pelo Bob, o que fez a Mariana rir muito, lembrando dessa afamada história.
Passamos uma tarde agradável na cidade, que inesperadamente teve um dia bem calorento. Caminhamos até o Ferry Building, onde encaroçamos nas lojinhas bacanas, almoçamos no DELICA rf1, uma delicatessen japonesa que eu adoro, depois devoramos macaroons no Miette. Caminhamos rapidamente por Chinatown, onde eu e a Mariana pudemos piscar nossos olhos seduzidos pelos mil cacarecos de cozinha enfileirados pelas lojas. De carro, fomos até Sausalito cruzando a Golden Gate, depois paramos na Haight Street, bem no famoso cruzamento Haight—Ashbury que ficou famoso por hospedar o inicio do movimento contracultural hippie, conhecido hoje como o Verão do Amor de 1967. Caminhamos pra lá e pra cá, sentamos pra beber algo gelado e, acima de tudo, conversamos muito, o tempo todo!
A Mariana foi me encontrar em Coimbra e desta vez eu fui encontrá-la em San Francisco. É tão bom fazer esses encontros, e melhor ainda foi revê-la!

6 thoughts on “Eu, Mariana, o Zé e o Bob”

  1. O encontro foi maravilhoso, cheio de gargalhadas e passeios bons! Os macarons foram os melhores que comi em toda a minha estadia nos EUA e o de gerânio-rosa era sensacional!
    Fer, querida, mil obrigadas por tudo! E as fotos estão lindas – e olha que você já sabe que nisso somos iguais: foto nossa é mapinha do inferno! 😉
    Beijão *

  2. Fernanda,
    há 3 anos passo as festas de final de ano em San Francisco, na casa do meu melhor amigo, e sou completamente fã da cidade. Nesses três anos tem alguns lugares que não deixo de ir: a Castro, reduto do meu amigo, a Haight Street e Downtown. Esses lugares são ótimos para ver lojinhas fofas e também para babar nas grandes lojas – em Downtown, claro…
    Ainda bem que minha gana consumista não pode ser alimentada pelo meu pobre dinheirinho, senão eu voltava com umas 10 malas, de tanta coisa fofa que eu vejo. Mas é claro que ia acabar sendo um bando de coisa supérflua, pois não preciso de tanto…
    Tenho algumas coisas da cidade que adoro, principalmente para a cozinha, meu lugar preferido…
    Minha vontade é de conhecer a região das vinícolas, mas os meninos estão sempre com preguiça de se distanciarem mais do que 15 minutos de carro, então deixamos para lá…
    mas um dia realizo meu sonho.
    BJS

  3. Fernanda, please, entre em contato comigo. É sobre a receita e a foto de um salmão que preparou. Adorei, eu fiz, ficou ótimo e quero passar para meus amigos. Dou seus créditos direitnho.
    Aguardo seu contato.
    Abs.
    PC

  4. 🙂
    Que bom saber que a Mariana e o Zé estão com você (e com o Bob virtual…), querida! Que sorte! Fiquei com uma (simpática) pontinha de inveja. 😉
    Beijão para vocês, amigas.

Deixe a sua pitada: