8 thoughts on “freezias”

  1. Lindas Fer.
    Perto de casa tem uma feira (lembra das feiras com predominância de japoneses do Brasil ?) todas as quintas e a mulher das flores com suas latinhas de Nescau com água e flores sempre tem frezias. Costumo comprar as amarelas e pago cinco reais por um buquê.
    Elas duram bastante no vaso.
    E também são comuns nos jardins daqui.Ficam hibernando e de repente a gente passa em frente a uma casa e elas estão lá se mostrando. Muito lindo.
    Beijos para você.

  2. Amo essas flores, mas por aqui elas não dão muito certo… que pena!
    Parece que faz uma eternidade que não venho aqui te visitar, você andou inspirada.
    A torta de maçã é bem convidativa.
    Adoro aquela minha panela de cerâmica, foi um achado numa feira de artesanato – a artesã a trouxe como bagagem desde o Uruguai. Está rachada no fundo (esqueci de molhar uma vez quando fui usar…), mas ainda assim funciona. Ufa!
    Segundo a Neide, fazer charque é fácil. Mas na falta dele, usei jerked beef mesmo. COm dois cachorros em casa fazer carne seca seria muita tortura (para eles e para mim).
    Beijos,
    😉

  3. Lindas flores. Você sempre tem fotos lindas! Na sexta à noite eu lembrei de vc (desculpe tanta intimidade, mas baiano é assim, vai se achegando…) pois vi na TV um documentário sobre Alice Waters e mostraram vários “farmers markets” daí da Califórnia, inclusive uma discussao entre Ms. Waters e o jornalista se seria bom levar uma afro-american teenager para comer no Chez Patisse (opiniao do jornalista) ou se ela aproveitaria mais visitando uma fazenda orgânica (opiniao da A. Waters). E eu fiquei me perguntando o que vc, que mora aí e vive a realidade dos EUA faria: fazenda ou Chez Panisse?

Deixe a sua pitada: