bolo que rola não cria musgo

let-it-bleed-cover.jpg
Lendo algumas revistas que trouxe da Inglaterra, percebi um nome que pipocava aqui e ali, constantemente. Fui checar quem era aquela tal de Delia Smith e descobri que há outras celebridades culinárias inglesas além de Elizabeth David, Nigella Lawson e o onipresente Jamie Oliver. Delia ficou famosa nos anos 60, especialmente depois de fazer aquele bolo pitoresco, que virou capa do disco Let it Bleed dos Rolling Stones. Pra mim, falou rock ‘n ‘ roll já piscou mil luzinhas e conseguiu a minha atenção. Delia conta que numa manhã recebeu o telefonema de um fotografo perguntando se ela poderia fazer um bolo bem extravagante e feio. Ela aceitou o desafio, fez o bolo e só descobriu que ele iria fazer parte da capa do novo disco dos Stones quando chegou no estúdio do fotografo. Por ela ter feito o bolo da capa de um dos meus discos favoritos, deixei do lado o fato dela ser envolvida com religião e espiritualiasmo, de ter uma carinha e uma vozinha de moça boazinha, que cozinha toda organizadinha em panelas com cores combinantes. Li na wikipedia que ela ficou famosa por ensinar conceitos básicos de culinária. Também vi alguns videos de programas antigos dela no youtube e achei tudo super vintage. Não gostei das receitas dela que vi publicada numa das revistas, mas isso realmente não importa, pois como sabiamente diz o senhor Jagger—you can’t always get what you want.

6 comentários sobre “bolo que rola não cria musgo”

  1. A minha pasta “Puttanesca” foi tirada do livro da Delia “Summer Collection”, que ganhei de presente de casamento junto com outros livros (todos de receitas :-)). Desde 2002, a pasta faz sucesso …
    A Delia eh uma instituicao, de fato, anterior a epoca da Nigella, do Jamie Oliver, etc.
    Dica: As vezes, sai bem mais barato comprar os livros da Delia na Amazon dos EUA do que da Inglaterra. Como a Delia nao eh famosa nos EUA, de vez em quando tem umas ofertas otimas.
    Falando em “instituicao”, voce conhece a Darina Allen, da Irlanda? Comparavel com a Delia Smith, mas eu gosto mais da Darina.
    R; Sueli, obrigada pelas dicas. não conheço a Darina, vou procurar informação! 🙂 beijo

  2. Fernanda..
    Dias sem ler o Chucrute e esta noite li varias coisas…falando da Delia….tenho muitos livros da época que morei no País de Gales durante meu doutorado. Os livros são lindos e já fiz algumas receitas…na minha época por lá ela era muito famosa. Hoje não sei mais !
    Grande beijo,
    Patrícia

  3. Olá, Fer
    Adoro seu blog, sempre passo para ver as novidades. Admiro seu ânimo para usar ingredientes e combinações que eu nem imaginava existirem.
    Não podia deixar de dar minha pitadinha neste post sobre a Delia Smith. Tenho um livro dela, Delia’s Complete Cookery Course, a que recorro toda vez que o marido – inglês – resolve ter saudades da comida de casa. E, olha, as receitas são super detalhadas, ela ensina tudinho para as cozinheiras que, como eu, não dominam muito bem a arte das panelas. Adoro!
    Ela não morreu, não. Está vivíssima e no ano passado recebeu pesadas críticas por publicar um livro “how to cheat”, que mistura produtos processados nas receitas. Parece que o livro é ruim mesmo e vai contra tudo que ela sempre pregou: uso de ingredientes frescos e locais, comida sazonal e essas coisas que você conhece bem!
    Um beijo
    R: oi Eneida, que bom que escreveu. eu sei que ela eh viva e bem ativa. tambem li sobre a polemica do livro de cheating. tive a impressao que ela é envolvida com muita coisa ao mesmo tempo. um beijo

  4. Oi Fer,
    Sempre venho aqui e nunca comento.
    Olha, a Delia é uma instituição nacional britânica. Mais ou menos como a Ofélia era na TV (paulista, pelo menos) nos anos 70, 80 – faleceu no fim dos 90. É bem didática, ensinou toda uma geração a cozinhar, explica tudo a partir dos ingredientes, tempos de cozimento, sabe bastante, apesar de não ser ousada. Ela é dona de um filme de futebol também. Todos os chefs aqui têm um carinho enorme por ela, é um diva vintage.
    Lembro-me de quando cheguei aqui há 12 anos, de ver um programa dela só sobre ovos que era muito interessante, há até um livro.
    Enfim, um abraço!
    R: Daniela, que bom que voce comentou. imaginei que ela tivesse um status bem importante por ai, tipo de diva mesmo. 😉

  5. Fer, eu e a Delia também não somos best friends… Já os Rolling Stones e este Let it Bleed enchem-me as medidas! Sou fã do trabalho do designer Robert Brownjohn (que concebeu a capa). Acho que ainda gosto mais da contracapa. 😉
    Bj grande*

Deixe a sua pitada: