o trem das oito e meia já passou

Tenho fases em que só quero pensar, escrever e matracar sobre cinema e sobre comida. Outro dia encontrei um professor no campus e no meio do nosso conversê puxei um exemplo de filme para ilustrar o assunto de que falavamos—sabe como, igual acontece naquele filme tal? Ele fez uma cara de ué. Claro que não sabia. Eu assumo que todo mundo viu os filmes que eu vi, portanto posso incluí-los nos exemplos e nas conversas. Vai, minha filha, vai ser Seymour na vida…
Fui comprar uns ingredientes na lojinha internacional e uma senhorazinha que parecia saída de um livro ou de um filme puxou assunto comigo. Ela queria saber o que eu iria fazer com o xarope de romã e perguntou se eu frequentava a International House, se eu conhecia a fulana e a beltrana e eu respondi que sim, claro que conhecia. Ficamos conversando por um tempo, eu toda de preto e curvada, ela bem petit e vestida de azul clarinho, sorrindo. Saí da loja tão feliz, como se tivesse reencontrado uma amiga dos velhos tempos.
Eu adoro ir ao Farmers Market no sábado pela manhã, comprar tudo o que eu gosto e voltar carregada com sacolas de frutas, flores, um sacão de pipoca e chupando um picolé de limão com abacate.

3 thoughts on “o trem das oito e meia já passou”

  1. Querida, Happy Friday, to start..e hoje estou mais tranquila, mas eh tarde..
    Pensando em voce muito, e descobrih meu probs: se tem um “bug” eu nao consigo escrever. Well..o bug esta gone (finally) e estou happy e com muita, muita saudades.
    Amiga, um otimo weekend e ja ja volto mesmo:))
    Love
    bri

  2. Fer, carregada de sacolas cheias, bem humorada e feliz por encontrar pessoas de bem com a vida, né?
    Eu sinto-me bem mais leve quando encontro pessoas de sorriso no rosto 🙂

  3. Então Fernanda, só estou escrevendo para dizer que não deixei o tomate na geladeira e realmente é bem mais gostoso!
    R: 😉

Deixe a sua pitada: