dia feijão com arroz

Não quero de jeito nenhum ficar só reclamando das segundas-feiras, porque não é justo. Mas que nesses dias eu me sinto mais desgastada, isso é verdade. Faz tempo que o Uriel vem sugerindo que eu arrume uma pessoa pra dividir a cesta orgânica, mas eu sempre respondo exaltada—mas QUEM?QUEM?QUEM? Não tenho muita paciência de sair por aí perguntando e buscando por alguém. Mas uma cesta inteira por semana para uma família de dois está se tornando um estresse. Neste momento, além das abundantes folhas verdes, muitas cenouras tomaram conta das gavetas da geladeira. E eu vivendo essa fase desânimo.

Como ainda estamos em janeiro, muitas resoluções de ano novo ainda estão na roda, sendo planejadas, administradas e colocadas em prática. Portanto, quase que meio sem querer, arrumei uma partner para dividir comigo a opulenta cesta de verduras e legumes. A Marianne chegou logo depois das cinco e meia da tarde daquela segundona, empunhando uma sacolinha de pano. Discutimos sobre algumas idéias, eu fiquei feliz pois ela aceitou levar um maço de chard e metade do brócoli romanesco, que pra mim não é apenas um legume esdrúxulo de outro planeta, mas um troço realmente dos infernos, que não sei como fazer e não gosto de comer.

—leva essas cenouras coloridas… elas são bem doces…
—okay.
—e o brócoli?
—sim, posso levar tudo.
—e esse lindo legume fractual [o monstro romanesco]?
—tem gosto do quê?
— uma mistura de brócolis com couve-flor.
—detesto couve-flor.
—okay, mas o sabor mais evidente é de brócolis.
—okay.
—e aquele repolho gigante?
—odeio repolho!
—okay.

Ficamos um tempo conversando sobre receitas, ela tentando me dar idéias de como detonar o repolhão, levou bastante coisa e combinamos de fazer um teste. Ela decidiu que precisa se alimentar melhor, embora não tenha muita paciência com cozinha. E eu preciso desesperadamente dar vazão para a imensa quantidade de legumes e verduras superdesenvolvidas que recebo toda semana. It’s a done deal.

Feliz da vida, lavei apenas metade das verduras e legumes que costumo lavar sempre. Será que esse nosso acordo vai vingar? Tomara! E mesmo sendo uma segunda-feira, precisei pensar no que fazer pro jantar. O feijão já estava cozido, só precisei temperar. Fiz um arroz vapt-vupt. Refoguei folhas de chard no azeite e depois espremi um limão por cima e salpiquei com flor de sal. Esse foi o nosso jantar, que o Gabriel também acabou levando pra casa dele—arroz, feijão e verdura, cuidadosamente ajeitados numa marmitinha de vidro.

16 comentários sobre “dia feijão com arroz”

  1. Angie e Lud, minha cesta da fazenda dos estudantes da universidade eh um CSA nao comercial, eles nao tem lucro, nao sao um business, trabalham com os estudantes que fazem as classes la, nao podem sofisticar muito. Mesmo assim, com a abundancia de produtos sazonais [que pra mim eh um ponto importantissimo–apesar da repeticao] essas cestas sao requisitadissimas e tem lista de espera e anos para pega-las. Todo quarter eles perguntam se vamos continuar com a nossa inscricao, porque tem centenas de gente esperando pra pegar uma. Eles sao um pouco mais do que apenas uma fazenda comercial vendendo cestas. Por isso ja sou membro ha uma decada! 🙂 beijos!

  2. Fer, eu que também reclamei da quantidade e da repetição de legumes na minha cesta orgânica, agora estou com saudade deles. O inverno aqui é triste: a feirinha do meu bairro fecha e o mercado só tem os mesmos três legumes locais e uns aspargos horrorosos do México, morangos mixurucas do Peru e assim em diante. Que saudade da pilha de chard que eu tinha que lavar nas quintas-feiras, hehehehehe!!!
    PS: o esquema da cesta orgânica da Angie me pareceu ideal, porque o que eu menos gostei da minha foi a repetição dos mesmos legumes toda semana (mesmo com uma variedade enorme de outras coisas)

  3. oi Fer! que bom que achaste uma parceria para a cesta,te confesso que não suportei a minha quando morava no interior e só prossegui quando pude escolher,entre os sazonais, o que gostaria de receber naquela semana,depois que voltei a POA e virei assídua da feira ecológica,que é maravilhosa,aí achei o paraíso. Agora estou na casa da mãe e tenho dois irmãos que tem sítios onde cultivam orgânicos,ambos trazem HORRORES de tudo que é coisa da estação,ontem mesmo a mãe ganhou 4 abóboras gigantes,um cacho inteiro de bananas , muita rúcula e outras verdurinhas mais. Estamos rebolando para dar conta e já resolvemos que boa parte irá para um asilo, o que também será ótimo,beijo e até breve!!!

  4. Oi Fer,
    A fazenda onde compro minha biokiste, aqui na Alemanha, organiza as cestas por produtos e por precos. Há os vegetais, as frutas, os produtos especializados para mulheres grávidas e criancas, os vegetais que podem ser consumidos crus (cenoura, nabo, rabanete, nhac, nhac, nhac) e queijos. E, com base nesses produtos, e na quantidade que voce deseja (que, na verdade, depende do valor que voce escolhe: 5, 10, 15 ou 20 euros por tipo de produto), voce monta a sua própria cesta!
    Quem sabe a fazenda da universidade nao acaba adotando um esquema desses? :o)
    http://wabe-aachen.de/kiste/index.php?option=com_content&task=view&id=12&Itemid=30
    Beijos, e boa comilanca :o)
    Angie

  5. Não entendo como funciona esse esquema de Cesta Orgânica. É uma entrega semanal de legumes e verduras orgânicos de algum tipo de serviço mensal?
    Ou você compra no supermercado?
    Sei que a resposta deve estar perdida entre as centenas de posts daqui, mas como isso funciona? Procuro sempre consumir produtos orgânicos. E fico curioso sobre o fato; afinal, o que impede de ter aqui no Brasil?
    Beijo, e adorei os outros posts, principalmente o da prima caipira e da mesa do Jantar (que ficou simples e muito bonita!). Parabéns para o filhão!
    R: Luiz, todos os micros detalhes sobre a cesta podem ser lidos AQUI. Tem desse tipo de cesta ai no Brasil, nao exatamente como a minha, mais comercial, mas devem ser tao boas qto. beijo! Fer

  6. ai, Fer, tu bem sabes da nossa paixão por feijão aqui em casa, né? mnhommm… eu não sei o que é chard, mas aqui rola, seguidamente, arroz, feijão e salada de tomate temperada com orégano e azeitezinho de oliva, apenasmente! divino! claro, a primeira a provar o feijão é a Nah, numa canecona com bastante caldo!
    bjus prá ti o Roux e o Misty!

  7. Fer, por isso que ainda não tive coragem de começar a pedir uma cesta aqui pra casa! Se eu morasse perto de vc dividia!
    Tomara que vingue com a Marianne!!!
    beijocas

  8. Ai tão vegetariana! Meu marido iria logo perguntar: “Cadê a mistura?” É que no interior do nordeste “a carne” seja frango, bife, porco ou peixe é o ítem principal e chamado de mistura. Faz sentido? 🙂
    Eu acho que teria estralado um “bife do oião” (aka: ovo). Bem nordestino também!

  9. Pena que moro tao longe…. aqui eu fico so’ sonhando com sua cesta organica, algo que inexiste por aqui. Os “farmer’s market” so’ vao comecar no final de marco, e a food co-op mensal nao se compara com o que voce tem por ai’
    De qualquer forma, eu acho que iria usar o ser de outro planeta no “compost pile”, porque como voce, nao consigo curtir, experimentei algumas vezes, nao deu para encarar. Entendo perfeitamente sua frustracao….

  10. Ai amiga. Primeiro, saudades. Segundo: queria EU poder dividir a sua cesta..Fico feliz que a Marianne se prontificou, mas queria mesmo poder ser eu..hehehehe
    Bjs amiga e uma otima semana!! Ja ja eu volto:)
    Bri

Deixe a sua pitada: