um papo muito odara

Eu encho as paçocas dos meus amigos, pois tudo o que preparo e sirvo tenho que frisar antes: é orgânico! Como se alguém se importasse. Mas eu me importo. E compro cada vez mais produtos orgânicos, já que agora até o Safeway tem a sua linha certificada pelo USDA.

Ontem e hoje a minha cidade está sendo pulverizada com um produto químico para matar os mosquitos infectados com o vírus West Nilo. Os verdes da cidade protestaram, mas o protesto foi em vão, pois a decisão foi feita pelo distrito e não pela cidade. Anunciou-se que os produtos usados na pulverização têm efeito zero nos humanos e animais. Seria o mesmo que pulverizar a cidade com um repelente. Vai matar os insetos e evitar que muita gente morra ou fique incapacitada. Esse vírus, segundo o que eu li, atinge o sistema neurológico e os menos resistentes morrem, outros mais fortes podem ficar paralisados. Bom, a horta orgânica da fazenda da universidade, por ser certificada, não vai ser pulverizada. Perguntei pro administrador como que funcionava isso, ele me disse – será tudo feito por GPS.

A minha amiga que fez a sopa de pepino fria também cozinha num forno solar. É a tendência! Realmente, com os verões que temos aqui, mais essa perspectiva de acabarmos torrando no aquecimento global, um forno solar é a pedida. Preciso pensar nisso e começar a olhar um pra comprar.

Meu papo natureba é velho. Quando eu conto pras pessoas como eu alimentei meu filho, todo mundo faz cara de pena – dele, é claro. Mas chega uma hora que eles fogem do nosso controle e das dietas déspotas. Então num belo dia, quando ele tinha dez anos nós fomos morar no Canadá e o guri arrumou um desses empreguinhos de entregar jornal. Trabalhava somente nos finais de semana e fazia uma boa graninha. Por um ano ele despirocou e bateu ponto numa lojinha de conveniência que tinha perto de casa, onde gastou todo o seu salarinho experimentando absolutamente TUUUUUUUUU-DOOOOOOOO que ele nunca havia comido. Balas, doces, chicletes, refrigerante, porcaria de saquinho, com corante, com sabor artificial, you name it! Hoje, aos 24 anos acho que ele tem uma dieta saudável – eu imagino, pois ele tenta cozinhar em casa.

Nos anos 80, quando os microondas viraram moda, eu me dobrei à praticidade do uso do trambolhão. Mas fui logo arranjando uma maneira de usar o meu naturebamente, adaptando o esquemão para cozinhar comidas mais saudáveis, seu usar óleo, por exemplo. Dai eu fazia ovo frito no microondas, que era um verdadeiro horror, mas meu marido comia, assim como comia as carnes de soja, tofu, agrião cozido, cevada e tais. Um amigo dele ficou sabendo desse tal ovo frito e declarou:

precisa MUITO AMOR pra fazer alguém comer um ovo frito que não é frito!

Hoje só usamos o microondas pra esquentar água e comida. Mas eu e o meu marido pegamos uma mania irritante de ficar lendo rótulo de todos os produtos. Checamos a porcentagem de açúcar, de gordura, de trans-fat, de carboidratos, de sódio, e deixamos de comprar coisas dependendo do que lemos. Tem vezes que até eu me irrito, pois deveríamos simplesmente comprar por gosto, e pronto! Bom, ás vezes fazemos…

Não bastando isso, ainda reciclamos neuroticamente todas as embalagens da cozinha – caixas de leite, jarras de suco, caixas de waffles, invólucros de iogurte, etiquetas, latas, tudo, tudo. Então todos já devem imaginar que sou meio chata na cozinha. Eu sou super exigente com a qualidade dos ingredientes. Bato o pé no orgânico, mesmo ninguém dando bola. E quero saber o que eu estou comprando. Uso muito azeite, alguma lataria, mas sou bem escassa nos congelados e uma coisa que eu nunca consegui usar na minha cozinha são aqueles cubos ou pó de caldo de carne/galinha/legumes. Tudo tem um limite!

10 comentários sobre “um papo muito odara”

  1. Oi, Daniela,
    Obrigada pelo comentario!
    Eu acho que a tendencia eh mesmo a reciclagem se tornar obrigatoria.
    Logo, quem nao fizer ou nao der infra-estrutura para que ela possa ser
    feita, vai estar na contra-mao da historia. Pra mim os organicos sao o
    maximo, nao tem comparacao comer uma fruta organica, colhida de manha,
    consumida a tarde. Aqui no verao ha uma abundancia de pessegos,
    nectarinas, damascos. Eu tenho uma arvore de nectarina no meu quintal.
    Essas frutas sao um mel. No inverno pode-se comprar as mesmas frutas
    importadas do Chile. Elas nao tem gosto de nada!
    beijao!

  2. fe,
    eu tambem sou meio pentelha com essa coisa de organico. claro, cresci no quintal da minha avo italiana, que quando queria cozinhar com ovos pedia para eu ir busca-los no galinheiro! perdi as contas de quantas vezes eu colhi ervilhas, alecrim, cenoura 🙂
    o james (como pode ver o piquenique rendeu!) tem um quintal maravilhoso. dias atras estavamos fazendo um churrasquinho (ingles, cl-a-r-o) e resolvemos cozinhar umas batatas pra acompanhar a carne. perdi o james por um instante: quando me dei conta, ele estava la no meio da plantacao, colhendo as batatas! serio! pra cozinhar na hora! 🙂 volta e meia dou uma passadinha la no final de semana e volto com uma “sacolinha” cheia de alguma coisa. semana passada foram abobrinhas! t-u-d-i-n-h-o organico!
    eu tambem nao uso microondas, acho o eletrodomestico mais desnecessario da cozinha. meu ex-marido, fa de pub grubs e fast-foods me achave meio maluca. bem. pra mim maluco era ele que preferia big mac ao meu feijao!
    tambem reciclo tudo! mas tenho que admitir que, quando se trata de caldos instantaneos, eu uso 🙁 quando estava no brasil, alem de trabalhar mais de 12 horas por dia, minha cozinha era muito pequena. acabei me acomodando mesmo!
    beijao, teus textos continuam otimos!

  3. Oi Fer, to sempre por aqui e nunca comentei.
    Moro em SP, a reciclagem eu já faço há um tempão. Morei num prédio em que era obrigatória. Depois me mudei e o condomínio não reciclava; continuei reciclando e levando meu lixo a um supermercado Pão de Açucar. Quanto aos orgânicos eu estou começando a comprar descobri uns dois lugares que entregam em casa e vou testar.
    Aqui abriu um empório orgânico muito bacana chamado Empório Siriuba.
    Até mais.

  4. Karla,
    Concordo com voce qto ao microondas, mas esquentar agua nele virou um habito. Mas no ano inverno do ano passado eu fiz um esforco para usar mais a chaleira. Como quase so comemos comida feita na hora, tambem esquentamos pouquissimo no micro. Aos poucos vamos eliminando, se bem que o meu eh colado na parede, nao ocupa espaco, mas seria um bom local para guardar coisas!! :-))
    beijos,
    . .

  5. Maria, obrigada pelo comentario! 🙂
    O organico de supermercado que eu compro nao sao legumes e verduras, mas produtos em geral: macarrao, pao, suco, leite, latarias, etc. Os legumes e verduras eu compro de um produtor local, na fazendinha da universidade. Concordo com voce, pois tambem acredito em comprar e consumir local.
    Eu ouvi muitas reclamacoes da minha cunhada sobre reciclagem na Inglaterra. Meu irmao foi transferido para Londres depois de uns anos morando em Los Angeles e eles sentiram a diferenca. Bom, acho que a California nao eh parametro, pois aqui todas essas coisas verdes ja eh habito, pois tudo eh muito bem estruturado.
    um beijo! 🙂

  6. Valentina,
    O Farmers Market eh uma otima pedida tambem, neh? Eu vou bastante no daqui.
    Meu irmao morou uns anos em Londres, depois de morar uns anos em Los Angeles e minha cunhada comentava comigo que na Inglaterra a reciclagem ainda esta engatinhando. Essa informacao me surpreendeu muito! A California eh meio incomparavel, pois aqui o “verde” ja esta entranhado. A prefeitura nos oferece uma lata de lixo normal e uma para reciclagem, com compartimentos separados para os diferentes materiais. Entao so o que precisamos fazer eh separar. Um beijo,

  7. Olá!!!!!Cheguei aqui via “garfadas”, gostei do seu texto (ri a bessa),não me leve a mal, estou atenta aos rótulos,mas também tenho preguiça de ler….já não faço uso de vários produtos (de caixinhas e congelados), e quanto ao microondas…….nem pra esquentar, já reparou que a comida sai de lá desmaida…..aquilo mata a comida….tirei ele daqui, abriu o maior espação na cozinha…….

  8. Ola Fernanda! Faz ja algum tempo que leio o seu blog, mas so hoje decidi meter a colherada! Eu ainda nao me convenci com o “organico” de supermercado. Para mim,vegetais organicos sao aqueles que se sabe que vieram de um pequeno produtor! Eu costumava ter acesso a tais vegetais quando morava em Lisboa,pois todos os Domingos havia (ha) um mercado onde e possivel encontrar de tudo em termos de vegetais, e ainda com a vantagem de serem baratissimos! Agora, morando em Inglaterra,os tais organicos ainda nao cairam no goto desta portuga!! Quem sabe um dia! So um pequeno comentario em relacao a reciclagem,em Londres, comparando com Lisboa, reciclagem e anedota! Onde eu moro, temos um caixote verde, que e despejado uma vez por semana, e onde so aceitam latas, vidro, papel e oleo de carro! As embalagens de plastico, vao com o resto do lixo… e uma pena… nao ha ecopontos! Deve de ser medida de seguranca contra bomba (acho eu)… enfim reciclagem em Londres, pelo menos,e nota negativa! Um abraco!

  9. Fernanda, sinto muito do pois aonde moro – uma cidade no sul da Inglaterra, ainda nao consegui um lugar que entregasse comida organica em casa. Mas nao faz mal, vou ao famer’s shop ha 20 min daqui de carro. em outra cidadezinha. Nao sei aonde voce mora mas na Inglaterra ja se recicla muita coisa porem tem que melhorar.amigos holandeses dizem que a Holanda da de 100 a 0.vivo com o porta malas do meu carro cheio de latas vazias, garrafas, jornais, revistas.tudo em saquinhos para serem colocadas no reciclador. Um saco e nao achar muitos lugares para plastico.Isto me enfurece.

Deixe a sua pitada: