como comprar vinho

Eu não sou nenhuma connaisseur de vinhos. Só sei beber e dizer se gostei ou não. Já fiz as rotas das vinícolas do Napa e Sonoma Valley, aprendi a cheirar, girar o copo e fazer aquela pose de bebedora sabe-tudo. Mas saber mesmo, não sei. Só que como toda cozinheira e provedora e promotora de jantares e eventos, tenho que comprar vinhos, o que faço com razoável freqüência. Como comprar vinho sem saber absolutamente nada sobre uvas, safras, vinícolas? Worry no more! Aqui está o meu guia de compras de vinhos!

Primeiro eu escolho a procedência. Como eu moro na Califórnia e santo de casa não faz milagres, sempre olho pra prateleira dos importados. Importado pra mim é vinho chileno, italiano, espanhol, francês e – raramente – um português. Os vinhos californianos são excelentes e eu conheço algumas das vinícolas, mas não me concentro neles quando vou comprar vinho. Compro os californianos baratos para cozinhar – temperar carne, adicionar em sopas, molhos. Eu saio da regra geral de cozinhar com o mesmo vinho que se vai beber.

Daí eu estipulo uma escala de preços. Com seis dólares dá pra comprar um vinho razoável. De doze à quinze dólares é o preço médio, que abre um leque de muitos vinhos excelentes. E o meu preço máximo é vinte dólares por uma garrafa, se o evento for realmente especial. Decidido esse detalhe, passo à etapa final da escolha dos vinhos.

A terceira e última fase é olhar os rótulos. Beleza põe a mesa! Podem me chamar de fútil, mas gosto dos rótulos criativos e bonitos. Rótulo feio tá fora! Os rótulos também são uma fonte de informação sobre o vinho e eu sempre leio o que está escrito neles – vinho bom para servir com isso e aquilo, sabor cítrico, crispy, refrescante, denso, seco, etc – antes de decidir.

No verão comprei muito chardonnay californiano com preço abaixo na minha tabela, para ser bebido na grama do parque para os picnics que organizei. As garrafas custavam no máximo quatro dólares, mas o vinho não perdia em sabor e acompanhavam muito bem as saladinhas. Nunca caia na armadilha de pensar que você não sabe nada sobre vinhos, nem que somente vinhos carésimos são os bons. Mas preste bem atenção quando for levar uma garrafa de vinho de presente para o seu anfitrião: não seja muito mão de vaca e não faça um papelão levando um vinho baratotal, pois a maioria pode até não conhecer os vinhos caros, mas os baratos são figuras conhecidas e de domínio público.

6 comentários sobre “como comprar vinho”

  1. Olá. O que acha dos vinhos portugueses…? Eu sou portuguesa e não aprecio vinho nenhum. Acho que ainda não ganhei o gosto por essa bebida. Mas porque diz “raramente portugueses”? Cumprimentos

  2. Eu me incluo na mesma categoria de usuária que vc, Fer. Tb não sou connaisseur, mas sei dizer quando e pq gostei. E me oriento pela procedência, de preferência, se for francês, italiano ou chileno, nessa ordem. Francês, somente se for engarrafado em chateau. Mas, nem pense que sei avaliar, bouquet, aroma, teor alcoólico e essência, chacoalhar o vinho na boca, se é crú, etc. etc.
    Mas, beber, sim, eu sei quando é bom, ao meu modo. Hehe
    Bj

  3. Fer, eu te digo que é bom começar a apostar mais nos “santos de casa”.
    Os vinhos californianos, assim como os italianos (falo especificamente dos sicilianos) são produzidos no mesmo paralelo geográfico (latitude 35° – 45°) e assemelham-se muito. Todas as principais zonas do mundo onde são cultivadas as videiras localizam-se entre os 30° e 50° de latitude, em zonas de clima temperado e onde a temperatura e a regularidade das estações revelam-se ótimos aliados para a qualidade das uvas.
    Você conhece os vinhos Donnafugata? Eu gosto muito e tenho certeza que você irá adorar os rótulos também… 🙂
    Você prefere branco, tinto ou rosé?
    Beijos.

  4. Eu costumo comprar os da California mesmo, gosto muito. Também gosto dessa faixa de preço entre 12 e 15 dólares, Fer. Mas, pelo que sei, é mais seguro comprar direto na winery, porque os vinhos ficam guardados deitadinhos, e não em pé como nas prateleiras do supermercado, onde a gente nem tem noção quanto tempo eles ficaram em posição ou temperatura inadequadas. O problema é que não dá para ir nas wineries com freqüência, e lá também o preço é bem mais caro.

  5. Carla, se for uma ‘very special occasion’, vai ate um de $40, nao? mas pras ocasions normais, festas, jantares, um de 12 a 15 esta excelente. quem sabe, sabe, nao? eu as vezes penso em fazer um curso, pra aprender a entender de vinhos, acho chic a beça! 🙂
    beijos,

  6. Caraca, vinho de 20 dolares ta fora do meu orcamento. Desse preco em diante, so se for presente. La em casa o preco e 12-15. Tenho um amigo que e especialista em encontrar o que ele chama de: “custou 12 mas tem sabor de um de 40”. Eu acho que ele e um artista.

Deixe a sua pitada: