Ginger Elizabeth Chocolates

ginger_chocolates_1s.jpg
ginger_chocolates_10s.jpg ginger_chocolates_11s.jpg
ginger_chocolates_3s.jpg ginger_chocolates_5s.jpg
ginger_chocolates_2s.jpg
ginger_chocolates_31s.jpg ginger_chocolates_14s.jpg
ginger_chocolates_20s.jpg

O querido Garrett do blog Vanilla Garlic organizou um evento bem bacana para os food bloggers de Sacramento. Fomos fazer um chocolate tasting na chocolateria Ginger Elizabeth Chocolates em midtown Sac. Como eu não sou louca por chocolate, fui sem nenhuma expectativa. Tive uma surpresa incrivelmente agradável com a qualidade e a delicadeza dos bonbons que nos foram servidos pela chocolatier e proprietária da lojinha encantada. Ginger Elizabeth tem apenas 26 anos e confessou ter se iniciado no fascinante mundo do chocolate aos 16. Ela primeiro nos deu uma explicação minuciosa sobre as plantações, colheita e processamento do cacau. Até nos mostrou fotos dela em fazendas na América do sul e central. Depois contou detalhes da manufatura da matéria básica e finalmente a parte que é a sua paixão—transformar o chocolate em pequenas delicias que dissolvem na boca. Provamos desde o puro chocolate em micro pedacinhos, até a manteiga, que pura tem um gosto repugnante, mas é o que faz o chocolate ser tão gostoso e viciante. Depois fizemos o tasting de vários tipos de chocolate amargo, seguido dos mais delicados bonbons, feitos de uma massa sedosa de ganache e cobertos com uma crosta quase imperceptível de chocolate. Dois bonbons me encantaram—o de chocolate amargo com ganache de meyer lemon e o de chocolate ao leite com ganache de maracujá. Ginger diz que usa os melhores chocolates e somente suco ou polpa de frutas, nada de essências. O sabor é um nocaute! Depoiis ela ainda nos serviu um bolo de várias camadas com gianduia, que eu tive que partir ao meio para conseguir comer e um tipo de semifreddo, cremoso e gelado. Visitamos também a cozinha da pequena chocolateria, onde Ginger pratica sua arte. Alguém aí pensou no filme Chocolat? Eu estou pensando nele agora. Acho que temos a nossa versão da Madame Rocher, aqui no vale central da Califórnia.

bolinhos de ruibarbo
& chocolate branco

rhubarb_muffins3s.jpg
rhubarb_muffins1s.jpg

Fui comprar pão e leite e vi ruibarbos, super vermelhos e fresquinhos, comprei dois talos. Essa é a minha segunda experiência com o ruibarbo. A primeira teve seus muitos percalços. Já estou achando que não dou muita sorte com esse ingrediente. Pensei em fazer uns muffins com ruibarbo e maçãs. Coloquei as palavras chaves no google e a primeira receita que apareceu foi esta. Nem quis procurar mais—era essa mesma que eu iria fazer! Achei facílima, com uma mistura de ingredientes maravilhosa. O unico problema é que eu não me adapto mais à essas medidas em gramas. Sinto muito, mas gosto do modo americano das xícaras e colheres. Você compra um set padrão e não tem como errar. Por isso as receitas da Marthinha S. dão sempre certo pra mim. Com essa receita o que aconteceu, concluí, foi que não consegui traduzir as maledetas gramas do buttermilk. Sinceramente, como se mede liquido em gramas, eu não entendo. Fiquei com pregui de usar o conversor e simplesmente coloquei um recipiente na balancinha, descontei o peso dele e pesei o buttermilk. Óbviamente que não deu certo, pois eu achei que os cupcakes ficaram muito moles, parecendo um bombocado. Sem falar que 150g de chocolate também foi demais. Usei um chocolate californiano de excelente qualidade, o Ghirardelli e mesmo assim achei que essa quantidade deixou os muffins muito oleosos.
Bom, no dia seguinte eles ficaram um pouco mais firmes e apesar de estarem bem comíveis, o resultado não foi o que eu esperava. De qualquer maneira, valeu pela experiência e me ensinou a lição de não me entusiasmar tão rapidamente com a primeira receita que me aparecer na frente e sempre procurar uma que tenha medidas em xícaras e colheres—better safe than sorry.
rhubarb & white chocolate buttermilk cupcakes
[faz 12 cupcakes normais ou 10 grandes]
150 g de açúcar
80 g de manteiga amolecida
2 ovos grandes
225 g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
150 g de buttermilk
400 g de ruibarbo
150 g de chocolate branco em pedaços
Pré-aqueça o forno em 225º C/435ºF.
Bata o açúcar e a manteiga até virar um creme. Adicione os ovos e continue batendo. Acrescente a farinha e o fermento, depois o buttermilk. Adicione o ruibarbo já lavado, descascado e cortado em cubinhos. Mexa e coloque o chocolate delicadamente. Distribua a massa em forminhas de muffins e asse por 20 minutos. Deixe esfriar numa grade.

cupcakes de baunilha & de chocolate

baunilha_chocolate1.jpg
baunilha_chocolate2.jpg

Fazia tempo que eu estava querendo trazer uns treats para os meus colegas no trabalho. Cupcakes são uma boa pedida, pois são fáceis de fazer, de carregar e de comer. Já tinha feito isso uma vez com os cupcakes de cranberry e pumpkin. Desta vez optei por duas receitas básicas—chocolate & baunilha.

Tenho uma insegurança enorme com relação à minha comida, principalmente com relação às coisas que não tenho muita prática, como bolos e sobremesas. Por isso providenciei uma sessão de degustação particular, quando provei um de cada bolinho e fiz o Uriel comer um de cada também, para poder dar o seu palpitezinho. Depois analisei intensivamente a questão dos ingredientes que eu normalmente uso. O cupcake de chocolate, por exemplo, foi feito com azeite e cacau orgânicos. O de baunilha com a melhor manteiga e açúcar, também orgânicos. O Uriel me aconselhou a não falar nada sobre isso—se você ficar falando que é tudo orgânico, é capaz de assustar o pessoal e eles ficarem com medo de comer os bolinhos. Meu marido, um cara ponderado e sábio! Ele também sugeriu que eu levasse uma geléia pra acompanhar os bolinhos, pois é fato público que meus colegas adoram coisas super doces, de preferência com bastante creme e sabores artificiais. Bom, eles pensam que isso é que é bom, já que não têm outra experiência pra comparar. Pois decidi que será meu papel de agora em diante providenciar essa experiência. Não fui ainda ver quantos cupcakes foram comidos. Estou aqui roendo as unhas—serão os meus bolinhos um sucesso ou um fracasso de publico? No decorrer do dia ficaremos sabendo.

As receitas:
mom’s chocolate cupcakes
1 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de açúcar
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de sa;
1/3 xícara de cacau em pó
1/2 xícara de óleo – usei azeite
1 xícara de água
1 colher de chá de extrato de baunilha
1 colher de sopa de vinagre

Misture todos os ingredientes muito bem e coloque nas formas de cupcake. Asse por 20 minutos em forno pré-aquecido em 350º F/176º C.

simple vanilla cupcakes
2 xícaras de farinha de trigo
1/2 colher chá de sal
2 colheres de chá de fermento em pó
1/2 xícara – 113 gr de manteiga sem sal amolecida
3/4 xícara de açúcar
2 ovos
1 xícara de leite – usei egg nog
1 colher de chá de extrato de baunilha

Pré-aqueça o forno em 375ºF/ 176ºC. Forre as formas de cupcake com forminhas ou unte com manteiga. Bata bem a manteiga com o açúcar até formar um creme bem leve. Acrescente os ovos, um por vez. Adicione os outros ingredientes e a farinha e o leite alternadamente. Distribua a massa nas formas e asse por 20 minutos.

**update: 4:37 pm, passei pela cozinha e dos vinte e quatro cupcakes que eu coloquei lá às 8 am, restaram ZERO! ainda bem que eu não pronunciei a palavra orgânico—pisc!

Mousse de chocolate

moussechocolate.jpg

Peguei essa receita de mousse de chocolate no jornal Folha de São Paulo. Gostei dessa versão, que eles chamam de “light”, por não conter as gemas, mas sim as claras de ovos. Resolvi experimentar. É um doce que vai agradar muito aos chocólatras e que de light só tem o nome. Achei bem forte e não consegui comer nem um potinho inteiro. Tem que ser servido com frutas frescas, pra contrabalançar a robustês do chocolate. Usei uma barra de Lindt 85% cacau e não coloquei as raspas de laranja, pois elas estavam na lista de ingredientes, mas não apareceram no modo de fazer, portanto eu deixei passar. Mas acho que as raspas adicionariam um toque elegante extra. Como fiquei com medo de misturar o chocolate nas claras muito vigorosamente, o mousse ficou com brancos do suspiro visíveis. Mas não comprometeu em nada o sabor, só o visual que ficou funky.
Mousse de chocolate
Tempo de preparo: 20 minutos, mais 2 horas para resfriar
Rendimento: 4 porções
100 g de chocolate escuro [com, pelo menos, 70% de cacau] quebrado em pedaços
3 claras de ovos
1/2 colher de chá de vinagre de framboesa ou de maçã
100 g de açúcar de confeiteiro
raspa da casca de 1 laranja
morangos ou framboesas, para decorar
Ponha o chocolate em uma vasilha refratária, sobre uma panela de água fervente. Aqueça-o até que derreta, mexendo de vez em quando.* pode derreter no microondas também.
Misture as claras de ovos, o vinagre e o açúcar em uma vasilha refratária, colocada sobre uma panela com água começando a ferver. Bata a mistura com uma batedeira elétrica de mão, por 5-8 minutos, até que fique firme. * não deixe a água ferver, nem a vasilha encostar na água—esse processo vai cozinhar as claras, o que é muito importante [lembrem-se da odiosa salmonela!]
Tire as claras em neve do fogo, depois misture com cuidado o chocolate derretido, até que fique homogêneo. Coloque em 4 forminhas. Deixe esfriar, depois refrigere por, pelo menos, 2 horas. Decore com os morangos e sirva.

as sobremesas do Ano Novo

Quando há uma festa ou eu tenho visitas, sempre fico animada para experimentar receitas novas e fazer coisas que normalmente não faço, como sobremesas. Para o Ano Novo decidi fazer uma pumpkin pie, porque o meu irmão e minha cunhada adoram essa torta. E quis experimentar uma torta de chocolate e pêra.

tortasanonovo1.JPG

Pumpkin Pie
da edição de novembro da revista Martha Stewart Liviing
Prepare a massa – graham crust
2/3 xícara de farinha de trigo
1/3 xícara de farinha de trigo integral
3 colheres de sopa de germe de trigo ou pepitas [sementes verdes de abóbora] tostadas
1/2 colher de chá de sal
1/4 colher de chá de canela em pó
1 tablete de manteiga sem sal, amolecida
1/3 xícara de açúcar mascavo
No food processor misture as farinhas, o germe ou pepitas, sal e canela. Adicione a manteiga e o açúcar, misturando até a massa ficar bem consstente. Forre a forma redonda, leve ao freezer por 15 minutos e então asse em forno pré-aquecido em 350ºF/176ºC até ela ficar dourada.
Prepare o recheio:
1 abóbora pequena assada – remover casca e sementes, usar só a polpa
3 ovos ligeiramente batidos
3/4 xícara de açúcar mascavo
1 colher de sopa de maizena [eu omiti]
1/2 colher de chá de sal
1/4 colher chá de allspice
1 pitada de pimenta cayenne em pó
1 pitada de cravo em pó
1 1/2 xícaras de leite evaporado [evaporated milk]
Bata todos os ingredientes no food processor. Deixe descansar por 20 minutos. Coloque essa mistura na massa já assada e coloque novamente no forno em 325ºF/162ºC por 40 minutos. Sirva em temperatura ambiente ou gelada. Eu servi com chantily feito com creme de leite fresco.

tortasanonovo2.JPG

Chocolate Pear Tart
da edição de dezembro da revista Everyday Food
1 tablete de manteiga sem sal na temperatura ambiente
1 xícara de amendoas sem pele
3/4 xícara de açúcar
3 ovos
1/3 xícara de cacau
1 colher de chá de extrato puro de baunilha
1/2 colher chá de sal
3 pêras [Bartlett] bem firmes
Pré-aqueça o forno em 350ºF/176ºC. Unte uma forma redonda com o fundo removível com manteiga. No food processor misture as amêndoas e o açúcar. Moa bem fininho. Adicione a manteiga, cacau, baunilha, sal, e misture bem. Coloque a massa na forma untada. Descasque as pêras e corte em fatias. Vá arranjando as fatias sobre a massa de maneira decorativa. Coloque a forma numa assadeira plana e asse por 40 minutos. Desenforme depois de fria e sirva. Parece um brownie bem fino, com as fatias da fruta – perfeito!!

hot chocolate

hotchocolate.JPG

Quando li a Anna contando numa das passagen da sua viagem a Argentina, de como os argentinos colocam barras de chocolate no leite quente, fiquei passada! Como nunca pensei em fazer isso antes? Que idéia genial! Então arregacei as mangas e mandei bala. Sob os olhares desconfiados do Uriel, mergulhei no leite uns quadradinhos super finos de chocolate amargo da Lindt que tenho sempre guardados num vidro. Eles são pra aquele eventual “craving”, que raramente acontece. Gosto desses porque são fininhos e têm 70% de cacau. Pois coloquei três deles para cada xícara grande de leite bem quente. Não precisa colocar mais nada. Pro nosso gosto de açúcar ficou perfeito, já que não gostamos de nada doce demais. Mas pra quem é formiguinha, uma colher de mel faz o truque. Bom pra dias frios, ou não tão frios—qualquer dia!