peixe com erva-doce, cenoura e tomilho

peixe-erva-doce_1S.jpg

Decidi começar pelas revistas. Acho que precisei começar pelas revistas, porque a imensa quantidade delas já estava me preocupando. Estava ficando sem espaço e um procedimento proativo se fazia extremamente necessário.

Comecei catando as edições da Real Simple, que é uma revista que eu assino desde 2000 e tenho desde a número uno. O destino final dessas já estava decidido—o container de lixo reciclável. Também já tinha decidido encerrar minha carreira de leitora dessa revista, que começou a ficar chata há muito tempo, se repetindo e me causando um imenso tédio. Mas quando comecei a colocar os onze anos de Real Simple numa pilha, me assustei. Imagine uma coluna de revistas empilhadas chegando quase na minha altura física. Pois é.

Tomar a decisão de me livrar de praticamente todas as minhas revistas foi a parte mais fácil. O resto foi um bocado tormentoso. Separar tudo, juntar tudo, poderar mais um pouco, folhear algumas, descer zilhões de vezes os vinte degraus de escada carregando todo o peso. Fiz isso por alguns dias.

Nesse meio tempo, separando, decidindo, reciclando, acabei salvando algumas coisas. Fiz ainda no inicio, quando estava com paciência. Rasguei páginas e para o meu próprio espanto iniciei mais uma pequena pilha, desta vez com as folhas com receitas que rasguei das revistas que foram para o lixo.

Felizmente a história de rasgar páginas não vingou e foi praticamente indolor jogar fora as 8624554 edições da Bon Appetit, Food & Wine, Cooking Light, Country Living, Everyday Food, Sunset, Saveur, entre outras revistas importadas, compradas em viagens, ou outras já defuntas como a Cottage Living, Organic Living ou a Domino, que eu guardei por anos e anos sei lá por que raios de motivo. Ficaram somente a coleção da aposentada Gourmet e as Martha Stewart Living, das quais ainda não consegui desapegar.

Essa limpeza não envolveu somente as revistas já acumuladas, mas também delineou um plano para o futuro das que ainda vão chegar. Primeiro que vou deixar expirar a assinatura de parte das revistas que recebo. E as que vou continuar assinando serão lidas, páginas com receitas interessantes arrancadas e o resto vai pro lixo da reciclagem num período que não vai poder ultrapassar um mês. E as receitas que eu não fizer em algumas semanas também serão defenestradas. Estou no momento perfeito para tomar esse tipo de decisão, porque estou mudando de casa e de cidade e não quero carregar absolutamente nenhum peso inútil comigo. Vida nova!

Uma das receitas que guardei no entusiasmo rapidamente esmorecido do inicio dessa empreitada, estava num daqueles encartes de cozinha que vem na Revista Claúdia. Lá tinha muita coisa bem interessante, mas aproveitei que compro peixe no sábado e preparei esse rango bem simples e saboroso. O peixe usado na receita brasileira era o robalo, mas eu usei o nosso delicioso halibut e deu certissimo. Essa é daquelas receitas bem rápidas, enquanto o peixe assa você cozinha uma porção de quinoa e faz uma salada.

faz 8 porções
1 xícara de azeite
1 bulbo grande de erva-doce cortado em fatias finas
8 filés de badejo [120 gr cada—usei halibut]
Sal e pimenta do reino moída a gosto
1/2 xícara de água
2 cenouras médias cortadas em tiras finas
16 ramos de tomilho fresco
2 dentes de alho descascados

Forre uma assadeira grande com papel alumínio deixando sobra suficiente para cobrir toda a superfície. Pincele o interior com um pouco de azeite. Disponha a erva-doce e coloque os pedaços de peixe por cima. Polvilhe com sal e pimenta. Distribua a cenoura e os ramos de tomilho sobre o peixe. No liquidificador ou processador, bata o azeite restante com o alho e tempere com sal e pimenta. Regue os pedaços de peixe com esse azeite. Cubra com a sobra de papel alumínio e leve ao forno aquecido em 355ºF/ 180ºC por 25 minutos. Retire da assadeira com uma espátula e transfira para uma travessa. Sirva imediatamente.

10 comentários sobre “peixe com erva-doce, cenoura e tomilho”

  1. Estou te lendo de frente pra trás e não entendi ainda o motivo da mudança, mas apesar de tudo, mudar é bom, na nossa idade é fogo, mas é um jeito de segurar o não envelhecimento também. Quanto a revistas, vi em um blog uma moça que as sorteia, claro que mandar dos eua pro brasil fica caro, mas pode valer a pena pela farra.
    vou continuar a colocar em dia!

  2. Fer querida,
    depois de muito tempo sem internet em casa e trabalhando feito uma mula, acessei o chucrute hoje e vi q vc está passando por uma mudança?! EU acabo de me mudar de novo para uma casa nova em Joinville. Entendo bem o seu drama pq nos últimos 10 anos me mudei 7 vezes.
    Vc vai sair de Davis? Tá indo pra onde?
    Nossa… tenho muitos posts para ler e descobrir tudo isso…
    bjs,
    Lívia

  3. Fer, e’ incrivel como a gente acumula coisa ao passar dos anos. Fiz 6 mudancas inter-continentais na minha vida – duas dessas sozinha, levando apenas uma mala e deixando para tras historias densas.
    Em nove meses na California, me pego no mesmo movimento que voce, jogando fora muita coisa.
    c’est la vie… ne’?
    voce sabe que te desejo toda a sorte do universo na nova vida.

  4. Eu gosto de revistas e por um tempo guardava minhas cooking lights, mas depois peguei tudo e doei na biblioteca. Hoje eu assino algumas revistas, mas leio e levo na biblioteca local. Eles tem um espacinho la do tipo “bring one/take one”, vc deixa suas revistas la e pode pegar quais e quantas quiser. Eh bem bacana pois tem revistas de todos os tipos e vc pode share as revistas q ja leu com outras pessoas q tem o mesmo interesse!
    As revistas de exercicio eu levo no YMCA Gym, eles adoram la pois as pessoas usam p/ ler enquanto andam no threadmill!
    Reciclar eh sempre bom ne Fer?! Seja la revistas ou partes da vida, bacana q vc vai mudar, exciting! Aproveite bem sua nova casa e toda a experiencia q vira com ela! 🙂
    Beijos!
    Ana

  5. Nega, é invejável a energia disponível que você tem pra não esmorecer desse blog. Cada vez que fico uma semaninha, dez dias sem pintar aqui, por absoluta falta de tempo, me surpreendo com tanta coisa linda e gostosa que você preparou no entrementes. Queria hablar contigo hoje, mas pelo jeito não será possível. Novidades pra te contar.
    Beijos, Lu

  6. Fer,
    Vai mudar? Já pode contar pra onde?
    Sera uma cidade pequena ou via para um grande centro? E as coisas lindas da cozinha? Vão contigo?
    Nossa… a Guest house… se puder contar divide conosco, senão não tem problema!
    Beijo e boa sorte

Deixe a sua pitada: