salada de frango com erva-doce & molho de laranja e açafrão

saladafrango1.jpg saladafrango2.jpg

Não quero admitir [ainda] que estou obcecada por esse livro do Ottolenghi e Tamimi, mas a verdade é que toda vez que abro Jerusalem saio correndo para fazer uma receita dele. Tudo ali é superbacana, hiperinteressante, divinomaravilhoso, I kid you not! Essa receita fiz para o almoço de um domingo horrivelmente calorento. Ficou perfeita. O único porém foi que usei as sobrecoxas no lugar do peito e não recomendo, porque tive que cortar com a faca, não ousei desfiar. As sobrecoxas têm mais gordura e achei que com o peito ficaria mais leve. Farei com peito na próxima.

1 laranja grande
2 e 1/2 colheres de sopa de mel
1 colher de sopa de vinagre de vinho branco
1/2 colher de chá de açafrão
4 colheres de sopa de azeite de oliva
1 quilo de peitos de frango caipira sem pele e desossados
Sal marinho e pimenta do reino moída na hora
2 bulbos de erva-doce cortados em fatias finas
1 xícara de coentro
1 xícara de folhas de manjericão rasgadas
1 pimenta vermelha [*usei em flocos]
Suco de 1 limão

Corte as extremidades da laranja, corte ao meio e fatie com a casca. Coloque fatias em uma panela pequena com o mel, o vinagre de vinho branco, o açafrão e água apenas o suficiente para cobrir as rodelas de laranja. Adicione mais água se for necessário, durante o processo. Cozinhe em fogo baixo por 1 hora. Deixe esfriar um pouco e coloque as laranjas e a calda num processador e transforme num purê. Reserve.

Pré-aqueça o forno em 400ºF/ 205ºC. Tempere os peitos de frango generosamente com sal e pimenta do reino. Aqueça uma frigideira ou a grelha em fogo médio-alto. Adicione uma colher de sopa de azeite e frite os peitos do frango dos dois lados, apenas selando. Transfira para uma forma e leve ao forno para terminar de cozinhar, por cerca de 15 minutos. Remova do forno, deixe esfriar e desfie grosseiramente ou parta em pedaços com as mãos. Reserve.

Coloque metade do purê de laranja em uma saladeira grande. Misture o frango desfiado com o purê de laranja. Adicionar 3 colheres de sopa de azeite de oliva, os bulbos de erva-doce cortados em fatias finas, as folhas de coentro, as folhas de manjericão rasgadas e a pimenta vermelha picada. Misture tudo com as mãos. Tempere com suco de limão e mais sal e pimenta do reino se desejar. Sirva a seguir.

»Achei esse video no website da revista Bon Appetit com o Ottolenghi e o Tamimi fazendo a receita. Melhor explicada por eles do que por mim. [*pisc!]

frango com chipotle

frango-chipotle.jpg

Peguei o hábito de ver os vídeos disponibilizados no website da finada revista Everyday Food, que agora ficou mais ilustrado com a as receitas práticas da editora Sarah Carey. Ela às vezes exagera um pouco nos maneirismos, mas eu finjo que não vejo essas chaticezinhas e me concentro nas ideias. E neste video ela mostra uma ideia bem simples, apenas o frango cozido num molho tomatudo e apimentado. Eu nunca tinha usado essas pimentas chipotles no molho adobo que por aqui se compra pronto em qualquer supermercado. A pimenta chipotle é a jalapeño defumada e tem um sabor bem intenso. O molho adobo é uma marinada com páprica e outros temperos. Servi esse frango com um arroz basmati integral californiano.

4 peitos de frango caipira desossados cortados ao meio [*usei sobrecoxas]
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
2 colheres de sopa de óleo vegetal
1 cebola média cortada em fatias finas
4 dentes de alho picados
1 e 1/2 colheres de chá de cominho em pó
1 pimenta chipotle em molho de adobo picada
1 lata grande de tomates inteiros picados com a tesoura

Tempere o frango com sal e pimenta. Em um panela robusta aqueça o óleo em fogo médio-alto. Frite o frango, em partes se necessário, até dourar por cerca de 7 minutos. Transfira para um prato e reserve. Reduza o fogo para médio. Adicione a cebola e refogue até que fique macia e translúcida, por cerca de 5 minutos. Adicione 2 colheres de sopa de água. Adicione então o alho, cominho e pimenta chipotle e cozinhe até que o alho esteja macio e perfumado, por cerca de 2 minutos. Adicione os tomates, tempere com sal e deixe cozinhar por 5 minutos. Retorne os pedaços de frango para a panela; deixe ferver, tampe e cozinhe até que o frango esteja totalmente cozido, por mais uns 15 minutos. Sirva acompanhado por arroz.

chipotle_01.jpg chipotle_01.jpg
pimenta chipotle no molho adobo

frango com sumac
[cebolas & amêndoas]

frongo-sumac.jpg

Mais uma receita de frango, essa também do livro Moro East. Fico sempre animada com qualquer oportunidade de usar o sumac, uma especiaria muito usada na cozinha do oriente médio. Sumac são sementes de uma planta, que depois de secas e moídas concentram um sabor bem cítrico. Só substitui os pinoles que eu não tinha, pelas amêndoas que são sempre abundantes na minha cozinha. Servi esse frango com um arroz basmati integral muito aromático, produto local daqui do norte californiano.

1 frango caipira médio cortado em partes
[*usei somente as sobrecoxas já desossadas]
4 colheres de sopa de azeite de oliva
6 cebolas pequenas cortadas em tiras
2 colheres de sopa de sumac
50gr de pinoles [*usei amêndoas cruas sem pele]
3 colheres de sopa de água

Pré-aqueça o forno a 425ºF/ 220ºC. Coloque 3 colheres de sopa de azeite em uma frigideira larga que possa ir ao forno e aqueça em fogo médio-alto. Tempere os pedaços de frango com sal e pimenta do reino moída na hora. Frite os pedaços de frango no azeite virando no meio tempo para ficar dourado dos dois lados. Remova o frango da frigideira e reserve.

Na mesma frigideira onde fritou o frango coloque as cebolas e polvilhe com metade do sumac, a colher de sopa restante de azeite e um pouco de sal e pimenta do reino. Arrume os pedaços de frango por cima das cebolas, com a pele voltada para cima se tiver, e polvilhe com os pinoles ou amêndoas e o sumac restante. Coloque a panela em fogo médio por 5 minutos e em seguida transfira para ao forno. Asse por 15-20 minutos, até que o frango esteja completamente cozido.

Transfira o frango para uma travessa, adicione a água sobre as cebolas e mexa bem com uma espátula para fazer um molho espesso. Despeje esse molho sobre os pedaços de frango e sirva.

frango com uvas brancas
& molho de amêndoas

frango-amendoas.jpg

Essa receita é do livro Moro East e ajudou a transformar um humilde franguinho num almoço bem especial de domingo. Para completar a refeição você só precise de uma linda salada de folhas verdes para acompanhar—e vinho, claro!

100gr de amêndoas cruas moídas
4 colher de chá de vinagre de jerez [sherry]
4 colheres de sopa de azeite
8 dentes de alho com a casca
1 frango caipira cortado em pedaços
[*usei apenas sobrecoxas desossadas]
2 folhas de louro frescas
40 uvas brancas sem sementes
100 ml de vinho branco seco

Coloque as amêndoas no processador de alimentos e processe sem parar por uns 10 minutos, raspando as amêndoas das laterais com uma espátula se elas ficarem muito coladas no copo do aparelho. Com o motor ligado junte devagar o vinagre Jerez e 250 ml de água, processando por mais uns minutos até formar um creme bem espesso e sedoso. Reserve.

Coloque uma frigideira grande em fogo médio e adicione o azeite de oliva. Quando estiver bem quente adicione os dentes de alho com casca e frite por 3 minutos de cada lado até que fiquem dourados. Retire o alho e reserve. Tempere os pedaços de frango com sal e coloque na frigideira, com o lado da pele para baixo. Frite por cerca de 5 a10 minutos. Vire os pedaços de frango e cozinhe por mais 5 a10 minutos, até dourar do outro lado. Retorne o alho para a panela com as folhas de louro e as uvas e refogue por meio minuto, logo em seguida junte o vinho sacudindo a frigideira para emulsionar o molho. Reduza o fogo, junte os pedaços de frango e então misture o purê de amêndoas. Se precisar vá adicionando 150 ml de água aos poucos, caso o molho fique muito espesso—a consistência final não deve ficar mais grossa que a do creme de leite. Desligue o fogo, deixe descansar por uns minutos, acerte o sal e sirva com uma salada simples de folhas verdes.

arroz com frango
[do Ottollenghi]

arroz-frango.jpg

E cá estou eu publicando outra foto muito da ordinária para ilustrar um prato de comida deliciosamente surpreendentes. Confesso que pulei essa receita nas minhas marcações no livro Jerusalem dos chefs Ottolenghi e Tamimi. Mas a Ana Cardia me deu um toque por e-mail, dizendo que ela tinha preparado a receita e que ela era incrível. Decidi fazer esse prato ao invés da indefectível pizza no sábado a noite. Foi uma excelente manobra e nós, que nem somos muito fans de carne de frango, gostamos imensamente da combinação aromática e leve desse prato tradicional do oriente médio.

para o frango e arroz:
3 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de água
2 e 1/2 colheres de sopa de berberis [pode usar passas/currants]
4 colheres de sopa de azeite de oliva
2 cebolas cortadas em fatias finas
1 frango inteiro e esquartejado ou 2 quilos de coxas de frango
[*eu usei a sobre-coxa]
10 vagens de cardamomo verde [*usei em pó]
1/4 colher de chá de cravos [*usei em pó]
4 paus de canela [ou 2 longos quebrados pela metade]
1 e 2/3 xícara de arroz basmati
2 e 1/4 xícaras de água fervente
1 e 1/2 colheres de sopa de salsinha picada
1/2 xícara de endro finamente picado [*usei o seco]
1/4 xícara de coentro picadinho
sal kosher e pimenta do reino moída na hora

para o molho de iogurte:
1/2 xícara de iogurte grego
2 colheres de sopa de azeite de oliva
Misture o açúcar e a água em uma panela pequena e aqueça em fogo médio até que o açúcar se dissolva. Retire a panela do fogo e adicione as berberis. Deixe de molho enquanto prepara o resto da receita. Se for usar passas ou currants não precisa fazer isso.

Aqueça 2 colheres de sopa de azeite em uma frigideira. Adicione a cebola e cozinhe por 10-15 minutos, mexendo ocasionalmente até que esteja dourada e caramelizada. Transfira tudo para uma tigela.

Tempere o frango com sal, pimenta, 2 colheres de sopa de azeite de oliva, o cardamomo, os cravos e canela. Misture tudo com as mãos.

Numa panela robusta, coloque o restante do azeite e aqueça em fogo médio. Adicione o frango temperado com as especiarias e cozinhe por 5 minutos de cada lado. Remova o frango da panela e reserve.

Na mesma panela coloque o arroz, a cebola caramelizada, sal e pimenta. Refogar por uns minutos. Escorra as berberis e adicione também na panela com o arroz. Mexa e coloque o frango frito por cima do arroz. Adicione a água fervente, tampe e deixe ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 30 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar por 10 minutos. Enquanto isso faça o molho misturando o azeite no iogurte e reserve. Misture as ervas e use um garfo para afofar o arroz. Tempere com mais sal e pimenta, se desejar. Transfira para uma travessa e sirva acompanhado do iogurte.

frango com laranja

frango-laranja_4S.jpg

E cá estou eu novamente com uma receita do livro [tchan ran] Jerusalem dos chefs Ottolenghi e Tamimi [tchan ran]. Admito que fazia tempo que não ficava tão obcecada com um livro de receitas, mas esse merece toda essa atenção pois é um primor. E desta vez não segui nada a risca, apenas me inspirei e adaptei, porque não tinha todos os ingredientes.
Comemos pouquíssima carne de frango por inúmeras razões que não vou cansar a beleza de ninguém enumerando mais uma vez aqui. Mas só para dar uma ideia, a periodicidade das minhas receitas com frango passaram de uma vez ao mês para uma vez a cada três meses ou mais. Então quando eu compro um franguinho caipira quero fazer algo especial. Usei sobrecoxas já desossadas, troquei o mandarin da receita original pela laranja e omiti a erva-doce.

100 ml de arak, ouzo ou pernod
[*ou qualquer outra bebida com base de anis]
4 colheres de sopa de azeite de oliva
3 colheres de sopa de suco de limão
3 colheres de sopa de suco de laranja
2 colheres de sopa de açúcar mascavo
2 bulbos médios de erva-doce, cortados em fatias [*omiti]
1 frango caipira cortado em pedaços [*usei somente as sobrecoxas]
1 laranja grande com casca, cortada horizontalmente em fatias
2 colher de chá de sementes de erva-doce
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Numa vasilha misturar os 5 primeiros ingredientes. Adicione o frango, a erva-doce [se usar] a laranja em fatias e deixe marinar por algumas horas. Eu deixei durante a noite, na vasilha coberta na geladeira.

Pré-aqueça o forno a 450ºF/ 230 C. Transfira o frango, erva-doce e a marinada com as laranjas para uma assadeira larga e funda e asse por 35-45 minutos ou até que o frango esteja bem cozido e sua pele é crocante e dourada. Sirva imediatamente com um arroz, couscous ou com quinoa, que foi o que eu fiz.

yorkshire pudding
[e uma história antiga]

saidos do forno

yorkshirepudding1.jpg

no forno

yorkshirepudding2.jpg

e o galetinho

cornishhen.jpg

Numa das nossas férias voltando a pé das nossas nadações em um dos rios da cidade, meu primo paulistano que passava todas as férias de verão e de inverno com a gente lá no interior viu uns pintinhos ciscando soltos pela beira da estrada. Nunca admitimos o fato de que os pintinhos deveriam ter donos e de que fizemos uma afanação ilegal, mas a verdade é que simplesmente decidimos levar os bichos pra casa. Na minha casa tinha um galinheiro, normalmente vazio, onde ficavam provisóriamente as galinhas compradas vivas para serem abatidas e virarem frango assado no domingo. Os pintinhos ficaram por ali e as férias nem tinham terminado e eles já tinham virado uns franguetes. Num belo domingo ensolarado fomos ao clube e voltamos animados e cheios de fome para um almoço de churrasco que tinha sido anunciado desde o sábado. Para o nosso mais completo horror, o prato principal do churrasco era galeto—feito com os nossos franguinhos. Lembro que as crianças sairam chocadas da mesa e não sei se os outros voltaram e comeram, mas eu não arredei o pé e passei um domingo esfomeada e magoada. Por essa e por outras que nunca tinha ousado comprar o cornish hen—o franguinho jovem. Outro dia fazendo compras no Co-op resolvi levar um, dos caipiras. No minuto em que peguei o bichinho já me deu um certo remorço. O Uriel recomendou que eu devolvesse o frango pra geladeira, mas eu insisti e levei Vá lá, vou tentar. Quando desempacotei o bicho o arrependimento bateu forte, porque ele é uma coisinha e veio com o pescoçinho, bem fininho e comprido. Quase chorei. Pra não estender a minha tortura, decidi fazer o galeto à maneira do Thomas Keller como fiz com o frango grande nesta receita incrível. Desta vez coloquei fatias de pão amanhecido por baixo do franguinho, sequei bem, temperei com sal e pimenta e fiz como da outra vez, só que desta sem fumacê. Na hora de servir deixei descansar, reguei com azeite e salpiquei com folhas frescas de tomilho. Ficou gostoso e serviu bem duas pessoas numa refeição. E agora que já fiz o galeto, sossegarei o facho e não vou precisar fazer novamente por muitos e muitos anos. Para acompanhar o galeto, fiz uma salada de folhas de alface e um purê de batata doce [das cor de laranja]. Cozinhei as rodelas descascadas em água até elas quase desmancharem, amassei com um garfo, adicionei sal, manteiga e um pouco de leite e voalá. E também fiz os yorkshire puddings, que são sempre um ótimo acompanhamento. Escolhi esta receita super fácil e os bolinhos ficaram lindíssimos e super leves. Acrescentei folhinhas de alecrim fresco na massa e adoramos o resultado, que ficou bem aromático.

1 xícara de farinha de trigo
1/2 colher de chá de sal
2 ovos caipiras
3/4 xícara de água
1/2 xícara de leite
Folhinhas de alecrim fresco

Numa vasilha misture todos ingredientes com um batedor de arame até formar uma massa bem lisa, não muito grossa. Se tiver tempo deixe descansar na geladeira por 1 hora, senão prossiga. Unte 12 forminhas de muffins ou de popover [*usei de mini popover] com azeite, coloque 3 colheres de sopa da massa em cada forma e leve ao forno pré-aquecido em 425ºF/ 220ºC por 20 minutos. A massa vai crescer e sair pra fora das formas. Remova do forno e sirva imediatamente.

frango bbq [com tequila]

frango-bbq.jpg

Receitas com carnes são raras por aqui, porque elas também são raras na minha cozinha. Até o peixe, que eu me esforçava pra servir uma vez por semana, anda difícil porque no Farmers Market de Woodland não tem um peixeiro como no de Davis. Mas quando fiquei sabendo que teria três convidados [bons de garfo] pra um almoço de domingo, fui buscar uma receita com carne pra fazer na churrasqueira. Essa saiu de uma revista Cooking Light, com o sugestivo título de tequila-glazed grilled chicken thighs. Comprei ante-coxas desossadas de frango caipira. Como não tinha suco de abacaxi, usei um de tangerina. Se alguém ficar ressabiado com a adição da tequila, eu direi que a calda cozinha o suficiente para o álcool evaporar e que não precisa se preocupar. Ninguém ficará beubo depois de comer esse frango.

1 e 1/2 colher de chá de cominho em pó
1 colher de chá chili em pó
3/4 colher de chá de sal kosher [mais grosso]
1/4 colher de chá de pimenta chipotle em pó
1 quilo de ante-coxas dessosadas
3/4 xícara de suco de abacaxi [*usei tangerina]
1/3 xícara de tequila
1/4 xícara de mel
2 colheres de chá de amido de milho [maizena]
2 colheres de chá de água
2 colheres de chá de raspas da casca de um limão verde [lime]
3 colheres de sopa de suco de limão verde [lima]
1/4 colher de chá de flocos de pimenta vermelha

Combine os 4 primeiros ingredientes numa vasilha e esfregue sobre os pedaços de frango. Misture bem e reserve. Numa panela pequena misture o suco de abacaxi, a tequila e o mel e deixe ferver. Cozinhe até reduzir para 3/4 xícara [uns 10 minutos]. Misture bem o amido de milho com a água até dissolver completamente. Junte essa mistura de amido e água à panela com o suco reduzido e cozinhe por 1 minuto batendo com um batedor de arame. Remova do fogo, junte as raspas e o suco de limão e os flocos de pimenta vermelha.

Junte a calda aos pedaços de frango temperado e misture bem. Eu preferi fazer assim, mas pode-se também ir pincelando a calda sobre os pedaços de frango enquanto eles cozinham. Asse na churrasqueira ou na grelha até o frango ficar bem cozido e dourado. Sirva imediatamente acompanhado de fatias de limão verde [lime].

frango assado simples
[do chefe Thomas Keller]

frango-keller_3S.jpg

Da linda trilogia de livros do chefe Thomas Keller—The French Laundry Cookbook, Ad Hoc at Home e Bouchon, este último é o que tem receitas mais fazíveis. Nele, o chefe divide com nós, reles mortais, as receitas clássicas do seu bistrô francês. Com explicações tão minuciosas e precisas, fica difícil errar. Escolhi fazer uma das primeiras receitas do livro, e justamente a mais simples e mais comentada. Um simples frango assado, que ele chama de my favorite simple roast chicken—mon poulet rôti. O frango é temperado apenas com sal e assado numa temperatura bem alta. Não precisa marinar, nem rechear, nem pincelar a cada meia hora e sendo o favorito do chefe, foi a minha primeira opção. In Keller we trust.

frango-keller_1S.jpg

ingredientes:
1 frango caipira de 1 quilo ou 1 quilo e meio
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora
2 colheres de sopa de tomilho fresco [opcional]
Manteiga sem sal e mostarda Dijon para servir

Pré-aqueça o forno em 450ºF/ 232ºC. Lave o frango bem, por dentro e por fora e seque completamente, também por dentro e por fora, usando folhas de papel toalha. É importante que o frango esteja bem seco, para não formar nenhum vapor de água dentro do forno durante o cozimento. Salpique sal e pimenta na cavidade do frango. Amarre o frango com um barbante—veja instruções passo-a-passo. Keller explica que o frango amarrado cozinha mais uniformemente e fica mais bonito. Não posso discordar. Depois do frango amarrado, salpique ele todinho com sal e um pouco de pimenta moída na hora. Coloque o frango numa assadeira, eu usei uma com grade própria para assar carnes. Coloque o frango no forno e asse por 60 minutos [o meu frango precisou de mais tempo—vá checando]. Quando estiver totalmente assado, remova do forno, salpique o tomilho picado sobre o frango e molhe com o molho que juntar na assadeira. Deixe descansar por uns 15 minutos, corte e sirva acompanhado de manteiga e mostarda Dijon se quiser.

frango-keller_2S.jpg

Esta é a receita do Keller, exatamente como está no livro e como eu fiz, mas agora senta que lá vem história. Claro que na cozinha equipadérrima do famoso chefe, tudo dá certo. Ele deve ter um super forno, um super exaustor, eteceterá. Mas será que ao escrever esse livro, divulgando suas receitas perfeitas, ele pensou [como a Julia Child fez] nas cozinhas comuns, das pessoas comuns, com certeza não tão equipadas? Depois de fazer esse frango fiquei achando que ele realmente não pensou. Tá certo que fui fazer meu frango assado numa noite de inverno, com a casa toda fechada, janelas e portas. Mas isso não é desculpa pro bafafá que procedeu-se.

Nem vou mentir que não foi muito simples lavar, enxugar e amarrar o franguinho caipira, porque eu sou uma criatura imensamente atrapalhada. Mas eu esperava ficar tranquila fazendo outras mil coisas enquanto o bicho assava. Que nada! De repente comecei a achar que a cozinha estava meio esfumaçada. Podia ser que fosse só a minha impressão, mas infelizmente não era. Mais ou menos uns 40 minutos de forno e todos os detetores de fumaça da casa [um em cada cômodo—na parte de cima e de baixo] começaram a apitar. Minha casa é toda de madeira, como a maioria absoluta das casas por aqui, então esses detetores são obrigatórios e importantes salva-vidas em caso de incêndio. Eles precisam fazer um barulho que te faça sair da casa, portanto o apito deles é forte. Digo forte de doer lá dentro dos ouvidos, de deixar todo mundo louco. E louca eu fiquei correndo pela casa que apitava numa barulhada uníssona, sem saber o que fazer. O Uriel estava na estrada voltando de Santa Clara, então liguei pro Gabriel que jogava videogame com o tio. Ele simplesmente me aconselhou a desligar os detetores ou abanar com um pano. A cena que se sucedeu foi digna de uma comédia pastelão. Eu correndo pela casa abanando o ar com um pano, abrindo portas e janelas, o gato Roux desembestado em pinotes desesperados pelo corredor, um forfé que deve ter chamado a atenção de todos os vizinhos. Até que de repente, os apitos pararam. Voltei a ligar o forno, para terminar de assar o frango. Janelas abertas, exaustor ligado no mais forte, consegui terminar de fazer o jantar. Contei minhas desventuras no twitter e então recebi a preciosa dica da Raquel, que faz essa receita regularmente e me contou de um truque. O fumacê acontece por causa da gordura do frango que pinga na forma e ela então coloca por baixo uma forma grande de muffins com meia batata em cada forminha. Quando a gordura caí é absorvida pela batata e não faz fumacê. Vou refazer esse frango e usar esse truque. Porque apesar do incidente escandaloso, da fumaceira e da minha casa inteirinha ter ficado cheirando à frango assado por uns cinco dias, esse foi sem nenhuma dúvida o melhor frango assado que já comi na minha vida! Meu irmão simplesmente não conseguia parar de comer e no final do jantar só sobrou a carcaça.

[*durante o reboliço dos alarmes apitando que percebi o grau de surdez do meu gato Misty. enquanto o outro gato corria desesperado com o barulho, ele continuou deitado como uma esfinge, olhos fechados, em cima de um tapete e justamente em baixo de um dos alarmes. só saiu de lá porque percebeu a movimentação e deve ter achado que era a hora do snack.]

torta de frango & milho

torta-frangomilho_5S.jpg

torta-frangomilho_2S.jpg

Marquei várias páginas da revistinha Everyday Food do mês de julho, que trouxe muitas idéias de tortinhas para se fazer em formas de muffins. usei forma de muffins gigante, mas em forma de tamanho regular também dá certo, só que as tortinhas ficar menores. Improvisei a minha primeira experiência, com sobras de um jantar que teve frango grelhado e milho cozido. Preparei uma mistura com o frango desfiado, o milho cortado da espiga, folhas de manjericão fresco e azeitonas pretas secas picadinhas. Usei uma massa fillo orgânica e integral, que apenas cortei em quadrados e pincelei cada folha com óleo [mas pode usar azeite ou manteiga derretida]. Unte as formas de muffins com azeite e vai colocando seis folhas, uma por uma em cada forma, pincelando cada uma com óleo. Daí é só colocar o recheio, dobrar a massa fechando bem na parte de cima e untar com óleo pela última vez. Levar ao forno pré-aquecido em 400ºF/ 205ºC por uns 10 minutos, ou até a massa ficar bem dourada. Servir logo em seguida. Pode variar o com diferentes idéias de recheio ao gosto do freguês. Sirva imediatamente, acompanhado de uma salada refrescante de folhas verdes.