bolo siciliano de laranja

Eu ganhei muitas laranjas neste inverno. Eu sempre ganho, mas este ano a árvore do vizinho do meu chefe, que é imensa e muito prolífica, perdeu um galho durante uma das várias tempestades que tivemos aqui. Deste galho quebrado saiu uma quantidade absurda de laranjas [nem, posso imaginar o tamanho da árvore] que meu chefe dividiu generosamente comigo. Fiz algumas receitas com elas, além de devorá-las pura como sobremesa. Ainda tenho muitas.

Quis fazer um bolo de laranja usando a fruta inteira. Já fiz receitas assim e publiquei aqui, um com amêndoas que sempre refaço. Mas queria algo diferente e dei de cara com essa receita, uma adaptação de uma receita siciliana. Fiz como foi recomendado, pesando os ingredientes [pra quem não quiser pesar, tem a quantidade em xícaras entre parênteses]. A textura desse bolo é uma coisa incrível. Adaptei a manteiga e o iogurte pra versão vegana, porque não uso mais nenhum derivado do leite. Mas foi minha opção. Não deixe de fazer o glacê e espere ele esfriar totalmente antes de cortar. Eu fiz numa tarde e só cortei no dia seguinte. É um bolo, mas pode ser servido como sobremesa, pois fica simplesmente luxuoso!

para o bolo
3 ovos caipiras
250g [1 e 1/4 xícara] de açúcar
275g [1 e 3/4 ] de farinha de trigo
2 e 1/2 colher de chá de fermento em pó
100g de manteiga amolecida [*usei a vegana]
110g [1/3 xícara] de iogurte grego [*usei o vegano de amêndoas]
1 laranja orgânica grande pesando cerca de 300g, lavada e cortada em pedaços [retire as sementes]

para a calda
Suco de uma laranja orgânica
100 gr [1/3 xícara] de açúcar

Preaqueça o forno a 350°F/176°C.Unte uma forma de fundo removível com manteiga ou óleo vegetal e forre com papel vegetal.Unte sobre o papel também. Reserve.

Em um processador de alimentos, coloque a laranja inteira e processe até que vire quase um purê. Reserve.

Coloque o açúcar e os ovos em uma tigela grande e bata com a batedeira até ficar bem leve e fofo.

Numa outra tigela peneire a farinha com o fermento. Acrescente a farinha à mistura dos ovos, um pouco de cada vez, alternando com a manteiga amolecida. Continue a misturar alternadamente até toda a farinha e manteiga ser incorporada. Adicione o iogurte. Por último adicione o purê de laranja e mexa bem com uma espátula. Despeje tudo na forma preparada e leve ao forno pré-aquecido.

Asse por 50-60 minutos. Cheque à partir dos 50, o meu levou 60 minutos pra assar totalmente. Remova do forno, deixe esfriar por cerca de 15 minutos e desenforme.

Enquanto o bolo esfria faça o glacê. Junte o açúcar e o suco de laranja e leve ao fogo, deixe cozinhar por alguns minutos até que o líquido tenha uma consistência de xarope. Com uma colher despeje o liquido sobre o bolo. Deixe esfriar completamente e então fatie e sirva.

tacos com carnitas de cogumelos

Eu assisto vídeos dessa moça vegana no youtube. Ela tem umas ideias muito boas e essa das carnitas foi a melhor que já experimentei. Fica muito gostoso, os cogumelos desfiados e meio picantes! Fiz tacos improvisados com o que tinha na geladeira [não muito, depois das festas de final de ano]. Dá pra criar com ingredientes diversos.

500 gr de cogumelos trompete
2 colheres de sopa de óleo vegetal [*uso sempre o de semente de uva]
1/2 cebola cortada em tiras
4 dentes de alho picados
1 pimenta jalapeño sem sementes e cortada em tiras
1 colher de sopa de orégano seco
2 colheres de chá de cominho em pó
1 colher de chá de sal marinho
1 colher de chá de pimenta do reino moída na hora
suco de 1 laranja [cerca de 1/4 de xícara]
1 colher de sopa de aminos líquido ou molho de soja

na panela de pressão elétrica [instant pot]:
Desfie os cogumelos usando um garfo. Quanto mais comprido, melhor. Vai ficar com uma aparência similar a carne de frango cozida e desfiada. Reserve.

Refogue a cebola, o alho e a pimenta jalapeño no azeite na opção “refogar” da panela. Refogue até que as cebolas fiquem translúcidas e macias.Adicione os cogumelos, orégano, cominho, sal marinho e pimenta. Mexa bem. Adicione o suco de laranja e o aminos líquido ou molho de soja e mexa mais um pouco. Cancele o refogado, coloque a tampa no Instant Pot e coloque na opção de “pressão” por 5 minutos. Abra a panela quando a pressão baixar, tempere com mais sal se achar necessário. Remova os cogumelos da panela junto com o líquido acumulado e coloque em uma assadeira forrada com papel vegetal. Leve ao broiler [ou no forno alto, se não tiver broiler] por cerca de 15 minutos ou até que os cogumelos fiquem meio crocantes e dourados.

na panela comum:
Refogue tudo e ao invés da pressão, cozinhe por 30 minutos depois de acrescentar o suco de laranja e o aminos líquido. ou molho de soja. Coloque no forno por 15 minutos como nas instruções acima..

Esquente as tortillas no fogo ou numa frigideira e recheie como quiser. Eu usei o que tinha, cenoura ralada e folhas frescas de coentro. Mas vale tudo, repolho ralado, abacate, tomate, pepino, eteceterá, eteceterá.

rotini integral com couve lacinato, pesto de rúcula, limão & sementes de abóbora

pasta-kale

Me inspirei nessa receita da Heidi para fazer um jantar rápido para uma pessoa numa sexta-feira à noite. Usei a versão integral da pasta rotini, um pesto de rúcula que já tinha pronto na geladeira, folhas de couve lacinato normal e limão Meyer preservado no sal. Ficou super gostoso, saudável, muito melhor que pegar take out de fish tacos no restaurante mexicano!

pesto de rúcula
Processe as folhas de rúcula com um limão inteiro [retire as sementes—eu usei o limão Meyer, mas pode ser o Siciliano], amêndoas, sal, pimenta do reino moída na hora e azeite, até formar uma pasta. Pode acrescentar um pouco de água também. Coloque num vidro e mantenha na geladeira. Esse pesto fica muito bom em sanduíches.

Cozinhe uma porção de macarrão em bastante água com sal. Quando a massa estiver al dente, remova um pouco da água do cozimento, escorra e retorne o macarrão para a panela. Tempere com o pesto e acrescente a água do cozimento, aos poucos, para ajudar a espalhar bem o pesto. Acrescente folhas da couve lacinato rasgadas com as mãos [remova a parte do centro, mais fibrosa], adicione a casca de meio limão preservados no sal picadinho [*eu usei o feito com limão Meyer, a receita básica é essa]. Misture bem, salpique com bastante semente de abóbora tostada e sirva.

o reuben vegano [sanduíche de beterraba assada]

Eu não fiz esse sanduíche. Comi numa confraternização de final de ano no meu trabalho. Somos um grupo de 20 pessoas e outro dia contei: são 8 vegetarianos e eu—que não sou nem vegetariana, nem vegana, mas tenho um pé em cada caso. Eu poderia ter pedido um bagel com salmão [que era selvagem, de fonte confiável] mas resolvi optar por esse reuben vegano. Fui a única que pediu esse sanduíche. A colega que sentou ao meu lado pediu um reuben original, que é feito com corned beef ou pastrami, queijo suíço e chucrute, no pão de centeio. Era um dos meus sanduíches favoritos. A versão vegana foi feita com beterraba assada no lugar da carne, e usou um queijo cremoso vegano. Estava bem gostoso, acompanhado de pickles de pepino e chips de bagel. Achei a ideia muito boa, se alguém quiser repetir em casa. Legumes assados dentro do sanduíche são uma ótima pedida. Hoje, por exemplo, trouxe de almoço cenouras de várias cores assadas, dentro de uma ciabatta com humus e um pesto de rúcula e limão. Hmmm!

bolo de limão [de liquidificador]

Desencantei essa receita deste post antigo. Fiz o bolo de laranja adaptado pra o limão. Ficou muito bom e refiz essa receita muitas vezes, levei até para uma festa no trabalho, o bolo decorado com um glacê feito com açúcar de confeiteiro, suco e raspinhas de limão. Usei o limão Meyer, que é bem aromático e tem uma casca bem fina. Mas com o siciliano também deve ficar bom.

1 limão grande [ou dois pequenos] inteiros, com casca e tudo, cortado em quatro e sem sementes
1 xícara de óleo vegetal [*sempre uso o de semente de uva]
3 ovos caipiras
2 xícaras de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó

Pré-aqueça o forno em 400ºF/205ºC. Unte e enfarinhe uma forma de buraco no meio. Bata os limões, os ovos e o óleo no liquidificador até ficar um liquido. Numa vasilha separada junte o açúcar, a farinha e o fermento. Despeje o liquido do liquidificador nessa mistura seca. Mexa bem com uma espátula e despeje em numa forma untada e enfarinhada. Leve ao forno e asse por 10 minutos, depois baixe a temperatura para 350ºF/176ºC e asse por mais uns 25 minutos. Remova do forno, deixe esfriar e desenforme.

couve-flor picante & adocicada, com molho de iogurte

Comprei esse livro da autora Áine Carlin pra o Kindle por 0.99 centavos na Amazon e fui surpreendida com inúmeras receitas veganas maravilhosas. Fiz essa e ficou bem interessante, mais doce do que picante. Se eu refizer, vou querer que fique o contrário.

1 couve-flor média cortada em florzinhas
70 gr de panko ou farinha de pão

massa:
70 g de farinha de grão de bico ou farinha de arroz
1 pitada de sal marinho
1/4 de colher de chá de alho em pó
1/4 de colher de chá de pimenta do reino
1/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio
150 ml de leite de soja ou outro leite vegetal [*usei de castanhas]
suco de 1/2 limão

molho de pimenta
2 colheres de sopa cheias de gochujang [pasta coreana de pimenta]
2 colheres de sopa de molho de soja
1 colher de sopa de vinagre de maçã ou de arroz
3 colheres de sopa de xarope de bordo [maple]
50 ml de água, mais se necessário
1 colher de sopa de sementes de gergelim preto

molho de iogurte para servir
150 g de iogurte de coco [*usei de amêndoas, mas pode usar iogurte de leite comum se o prato não precisar ser vegano]
1 dente de alho picado [*omiti]
raspas e suco de 1 limão
1 colher de chá de vinagre de maçã
1 pitada de sal rosa do Himalaia ou sal marinho

Pré-aqueça o forno a 475°F/240°C e forre uma assadeira com papel alumínio ou papel vegetal.

Coloque os ingredientes para o molho de iogurte no liquidificador e bata bem até ficar homogêneo ou misture com um batedor de arame numa tigela. Leve à geladeira até a hora de servir.

Para fazer a massa, misture todos os ingredientes em uma tigela até ficar bem homogêneo.

Coloque o panko ou farinha de pão em um processador de alimentos e pulse algumas vezes. Transfira para uma tigela separada.

Mergulhe as florzinhas de couve-flor na massa e escorra qualquer excesso antes de colocá-las nas migalhas panko. Vá colocando na assadeira preparada. Repita o processo com o resto das florzinhas. Leve ao forno pré-aquecido e asse por 25 minutos, virando uma vez, até que elas fiquem crocantes e douradas.

Enquanto isso coloque todos os ingredientes para o molho de pimenta em uma panela, deixe ferver e cozinhe por 2-3 minutos ou até ficar bem homogêneo e brilhante, adicionando um pouco mais de água se o molho começar a ficar muito grosso. Mantenha quente em fogo baixo.

Transfira a couve-flor assada para uma tigela grande, despeje o molho de pimenta e misture bem com as mãos ou uma espátula. Em seguida salpique com as sementes de gergelim. Sirva com o molho de iogurte.

torta de abóbora com tahini [e massa de chocolate]

Essa foi umas das sobremesas que fiz pro jantar de Thanksgiving. Meu filho achou que ficou com sabor amendoado. Como se tivesse usado manteiga de amendoim ou outra fruta oleaginosa. Mas é só o tahini!

para a massa:
1/2 xícara de manteiga [*usei a vegana]
1/3 xícara de água
1 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
1/4 xícara de cacau em pó
1/4 de xícara de açúcar
1 colher de chá de sal

para o recheio:
450 gr de purê de abóbora
1/2 xícara de tahine [mais para servir]
2 ovos caipiras
3/4 de xícara de açúcar
1 e 1/2 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de gengibre em pó
1/4 colher de chá de cravo em pó
1/4 colher de chá de noz moscada ralada
2/3 xícara de leite [*usei de castanhas]

Corte a manteiga em pedaços pequenos e coloque no congelador juntamente com 1/3 xícara de água para manter tudo bem frio. Coloque a farinha, o cacau em pó, o açúcar e sal em um processador de alimentos e pulse para combinar. Adicione a manteiga gelada e pulse 5-6 vezes até que a manteiga fique em pedacinhos do tamanho de uma ervilha. Com o processador de alimentos em funcionamento, coloque a água gelada. A massa vai parecer um pouco quebradiça no início, mas vai tornar-se úmida o suficiente para quando pressionada com com os dedos manter sua forma. Coloque a massa sobre uma folha de filme plástico. Usando o filme plástico, pressione a massa em um disco. Embrulhe bem e deixe descansar por pelo menos uma hora na geladeira. Polvilhe uma superfície de trabalho com farinha e abra a massa num circulo. Coloque a massa numa forma de torta, deixando um pouco de massa extra na borda, para fazer uma barrinha frisada. Deixe a forma na geladeira enquanto faz o recheio.

Preaqueça o forno a 425°F/220°C. Coloque o purê de abóbora, o tahine, os ovos, o açúcar, a canela, o sal, o gengibre, o cravo e a noz moscada em um processador de alimentos. Bata bem até que os ingredientes estejam totalmente combinados. Aos poucos, adicione o leite e pulse até obter uma mistura bem cremosa. Despeje tudo na massa de torta. Leve ao forno e asse por 15 minutos. Abaixe a temperatura para para 350°F/176°C e continue a assar por mais 35 minutos. Retire do forno e deixe esfriar sobre uma grade. Sirva a torta completamente fria, acompanhada de chantilly ou mais tahini.

o jantar com peru [que não comi]

Fiquei doente uns dias antes do Thanksgiving. Nem sei o que tive. Uma febre baixa, um frio, um cansaço. Fiz as sobremesas na noite anterior e no dia do Thanksgiving trabalhei cuidadosamente na cozinha para não me exaurir e fiz metade das coisas no dobro do tempo. Pela primeira vez em muitos anos não servi nenhum queijo de appetizer. Cozinhei muitas coisas, tudo sem nenhum produto laticínio. Foi uma maratona da qual me considerei vitoriosa! Enquanto isso o meu filho preparou um peru forrado com bacon. A casa cheirou a temperos e coisas assando o dia todo. O peru deve ter ficado muito bom, mas eu não comi. E ele levou todos os restos embora. Comemos as sobras dos pratos com legumes no dia seguinte e depois eu transformei isso naquilo e encerrei a jornada desse primeiro Thanksgiving dos novos tempos.