me encantó Madrid

A Espanha nunca decepciona. Minha viagem ao sul do país, anos atrás, foi uma das melhores que já fiz. Desta vez pude finalmente conhecer Madrid. Que cidade linda e imponente. E quanta comida gostosa. Não planejei nenhum roteiro gastronômico, mas comemos muito bem por lá, desde tapas [galore!] até lugares onde devoramos postas gigantes de bacalhau. Andamos muito pela cidade, fomos aos museus do Prado e da Reina Sofia, visitamos dois mercados—o de Antón Martín e o maravilhoso San Miguel, bebemos muito vinho, comemos muitos doces com amêndoa, eu até ousei comer ostra [que coragem! hahaha!]. Foi uma visita curta, mas foi maravilhosa.

indiscreet

Não sei como acabei com a incumbência de fazer a salada para o churrasco na casa da minha amiga. Estava na cozinha cortando os tomates, as abobrinhas e as cebolas quando a mãe dela chegou. Assim que fomos apresentadas ela disse—você está me fazendo lembrar a Ingrid Bergman, num filme onde ela está na cozinha preparando breakfast para o Cary Grant! Dei uma risada alta, porque não acho que tenho absolutamente nada semelhante à superstar sueca. A única coisa que eu e a Ingrid Bergman temos em comum é a altura e o fato dela estar na beira do fogão, segurando uma espátula e fritando um ovo no tal filme. Mas a mãe da minha amiga achou que tinha algo com o meu cabelo preso e o fato de eu estar usando um vestido e passou a festa toda me chamando de Ingrid. Sou uma pessoa modesta, não me acho bonita, nem elegante, nem chique, mas fiquei tão feliz e lisonjeada com esse baita elogio. Quero prender meu cabelo mais vezes e usar muitos vestidos daqui pra frente.

O filme é Indiscreet, de 1958.