O que tem pra hoje?

No final do ano passado o meu querido amigo Moa, com quem eu divido aquele blog simpático sobre cinema, foi diagnosticado com uma condição chamada de esofagite. Ele foi intimado a entrar numa dieta rigorosa, pelo menos neste inicio de tratamento, que eliminou do seu cardápio diário o café, o açúcar, os produtos com glúten, frutas ácidas, vinho, entre outras coisinhas. Mas o Moa tem a sorte de ter ao seu lado o Lau, um chef de cozinha excepcional, que está se desdobrando para fazer as comidinhas da dieta ficarem saborosas e interessantes. Sendo assim, o caminho natural era o Moa abrir um blog de culinária, para poder deixar registrado toda a sua experiência e poder ajudar outras pessoas com o mesmo problema, ou apenas deixar lá as idéias bacanas dele e do Lau para quem quiser se inspirar. Eu já me entusiasmei toda com uma receita de pizza com sobras de arroz… hmmm!
Pois agora já posso perguntar para o Moa e o Lau com um misto de curiosidade e expectativa—O QUE TEM PRA HOJE?

meu dia de fúria

Não vou conseguir traduzir em palavras o tamanho do cansaço que estou sentindo neste momento. É cansaço misturado com um sentimento imenso de indignação e desilusão. Vira e mexe eu observo abusos sendo praticados por todos os lados, gente repassando e surrupiando receitas desenvolvidas por blogueiros, ou copiando conteúdo com pesquisas detalhadas, o trabalho árduo de outra pessoa sendo usado indiscriminadamente, sem falar na cópia de imagens, de idéias e de estilo. A web oferece aos desonestos uma maneira fácil de ganhar reconhecimento e até uma graninha, sem precisar produzir absolutamente nada, só praticando a habilidade da cópia e da cola. Quase todo dia eu encontro websites usando minhas fotos sem permissão e sem crédito. Também fico desalentada vendo o estilo do Chucrute com Salsicha ser reproduzido aqui e ali, como se o que eu faço naturalmente e espontaneamente fosse uma espécie de fórmula mágica para o sucesso. Agora recebo a denúncia de que uma revista brasileira está copiando e publicando minhas receitas e minhas fotos, ganhando com publicidade, sem nunca ter me contactado, nem me dado nenhum crédito, nada! É o fim da picada da malandragem, da desonestidade e da falta de caráter. O descaso total pelo direito do outro parece ser uma praga que se abateu sobre a humanidade. Pra mim é completamente incompreensivel que uma publicação use o meu material sem autorização, violando meus direitos autorais, assim na boa. Nem vamos falar de ética aqui, né? Estou cansada, chateada e abatida. Mas vou tomar providências legais desta vez. Toda vez que deixamos pra lá numa situação dessas, estamos dando permissão para esses LADRÕES agirem tranquilamente e à luz do dia, dando risada na nossa cara e lucrando às nossas custas. Pra mim é BASTA! BASTA MESMO!
A tal revista ladra chama-se In House. É distribuida gratuitamente na região de Suzano e Mogi das Cruzes no estado de São Paulo e vive de publicidade paga por anunciantes. Se alguém tiver acesso, por favor guarde um exemplar.