sopa indiana de tomate & coco

tomato-coconut soup

Há muito tempo que eu queria comprar uma panela de pressão elétrica. Meus colegas no trabalho que tem uma, me contavam da praticidade. Panela de pressão sempre foi aquela coisa meio tensa pra mim, por causa do vapor, das histórias de acidentes. No Brasil eu até usei, mas aqui foi poucas vezes Em 1999 trouxe uma panela de pressão do Brasil dentro da mala e até que usei, mas depois ela foi ficando velha, a borracha estragou e acabou sendo reciclada. Com a elétrica e história é totalmente diferente. Ela não faz aquele escândalo com o vapor e é toda programável. Achei um pouco grande demais, mas fiz até o esforço de ler todo o manual pra não ter perigo de fazer nenhuma burrada. E comecei a usar. Já cozinhei muito feijão, arroz, grão de bico, lentilha, fiz sopa, fiz frango, fiz carne, nossa, estou absolutamente encantada! Daí comprei esse livro de receitas indianas para fazer na panela elétrica—Indian Instant Pot® Cookbook. Despiroquei! Já fiz várias receitas desse livro e vou fazer outras. Essa sopa fica linda e absolutamente deliciosa. Quem iria imaginar uma combinação dessas? Eu adorei.

1/2 lata de leite de coco [*uso sempre orgânico]
1/2 cebola roxa cortada em cubos
6 tomates orgânicos cortados em quatro
1/4 xícara de folhas de coentro fresco picadas
1 colher de chá de alho picado
1 colher de chá de gengibre fresco picado
1 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de pimenta caiena
1 colher de chá de curcuma/açafrão
1 colher de sopa de néctar de agave ou mel

na panela de pressão elétrica—Instant Pot
Coloque todos os ingredientes no Instant Pot e cozinhe em High durante 5 minutos. Retire do pote e use um o liquidificador ou um mixer de imersão para triturar todos os ingredientes e obter uma sopa cremosa.

no fogo ou panela de pressão comum
Na pressão cozinhe 5 minutos depois que a pressão começar. Na panela cozinhe todos os ingredientes até que os tomates estejam moles e estourando. Retire da panela e use um liquidificador ou um mixer de imersão para triturar todos os ingredientes e obter uma sopa cremosa.

sopa fria [ou quente] de ervilha & espinafre

Fiz essa sopa no mesmo dia em que vi a receita. Fiquei tão entusiasmada pela cor e pela possibilidade de sabor que confundi ervilha seca com ervilha fresca. A Heidi Swanson faz a dela com ervilhas secas cozidas. Eu fiz a minha com ervilhas frescas congeladas. Quando percebi o erro, já tinha sido. Mas com as ervilhas frescas ficou uma sopa deliciosa. Tentarei também com as secas, cozidas, para fazer uma sopa mais quente e robusta em dias mais frios. Essa eu servi morninha e depois fria. Ficou com essa cor incrível e absolutamente deliciosa.

1 xícara de ervilhas frescas [ou ervilhas secas] cozidas em 2 e 1/2 copos de água
2 punhados de folhas de espinafre
1 talo grande de salsão
1 punhado de folhas frescas de salsinha
1 punhado de folhas frescas de coentro
1 dente de alho
1 colher de sopa de missô
1 colher de sopa de levedura nutritiva [nutritional yeast]
2 colheres de sopa de creme de coco [*a parte solidificada da lata de leite de coco]

Cozinhe rapidamente as ervilhas na água e reserve. No liquidificador ou processador de alimentos combine as ervilhas com a água do cozimento, o espinafre, o salsão, a salsinha, o coentro, o alho, o missô, a levedura nutricional e 1 colher de sopa de creme de coco. Bata até ficar um purê cremoso e sedoso. Se quiser servir quente, transfira para uma panela e aqueça em fogo baixo, mas não deixe ferver para não perder as qualidades nutritivas do missô. Ajuste o sal e o missô se precisar. Sirva com um fio do creme de coco restante, amêndoas em fatias e folhinhas de coentro.

sopa indiana de milho

indian-corn-soup

Na sexta-feira, ante-véspera do Natal, ficamos em casa e eu ainda estava resolvendo o cardápio da ceia, sem vontade nenhuma de cozinhar nada, mas com fome, então fiz a receita dessa sopa do David Tanis. Usei milho extra da cesta orgânica que eu tinha congelado no final do verão. Ficou substanciosa e confortante. O Uriel comeu uma tortinha de tapenade comprada pronta, mas eu me contentei somente com um prato dessa sopa.

4 colheres de sopa de manteiga
1 cebola média cortada em cubos
2 dentes de alhos picados
1 colher de sopa de gengibre fresco ralado
1/2 colher de chá de açafrão da terra [cúrcuma]
1/2 colher de chá de sementes de cominho
1/2 colher de chá de sementes de mostarda preta
1 pitada grande de pimenta caiena
3 xícaras de grãos de milho
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
Iogurte integral para servir
Folhinhas de coentro fresco para servir
Fatias de limão para servir

Coloque a manteiga em uma panela robusta e aqueça em fogo médio. Adicione a cebola e cozinhe até ficar macia, cerca de 10 minutos. Adicione o alho, o gengibre, a cúrcuma, as sementes de cominho, as sementes de mostarda e pimenta caiena e deixe cozinhar por um minuto ou assim. Adicione o milho e tempere generosamente com sal e pimenta do reino. Cozinhe, mexendo, durante 2 minutos. Adicione 4 xícaras de água ou caldo de legumes e deixe ferver. Tampe e deixe cozinhar em fogo baixo durante 10 minutos. Bata a sopa no liquidificador [com cuidado!] ou use o mixer de mão. Coloque a sopa em tigelas ou pratos fundos. Decore cada um com 2 colheres de sopa de iogurte e salpique o coentro. Esprema um pouco de limão por cima e sirva.

sopa de lentilha vermelha
[com limão & coentro]

redlentils-lime.jpg

Meu filho deixou na minha cozinha um pacotão de arroz integral, outro de arroz comum e outro de lentilhas vermelha. Com as lentilhas fiz essa sopa duas vezes, porque ficou absolutamente deliciosa. Omiti a cenoura, substituí a pimenta caiena pela pasta de harissa e usei o limão verde, Tahiti.

3 colheres de sopa de azeite de oliva
1 cebola grande picada
2 dentes de alho picados
1 colher de sopa de extrato de tomate
1 colher de chá de cominho em pó
1/4 de colher de chá de sal kosher
1 colher de chá de pasta de harissa [ou caiena em pó]
6 xícaras caldo de legumes [ou de frango ou água]
1 xícara de lentilhas vermelhas
1 cenoura grande picada [*omiti]
3 colheres de sopa de coentro fresco picado
Suco de 1 limão

Em uma panela grande aqueça as 3 colheres de sopa de óleo em fogo alto. Adicione a cebola e o alho e refogue até dourar, cerca de 4 minutos. Adicionar a pasta de tomate, o cominho, o sal, a harissa [ou pimenta de caiena] e refogue por 2 minutos. Adicione o caldo e a lentilha [e a cenoura, se for usar]. Deixe ferver e em seguida tampe parcialmente panela e abaixe o fogo para médio-baixo. Cozinhe até que as lentilhas fiquem macias, por cerca de 30 minutos. Prove e adicione sal se necessário. Usando um mixer de imersão ou o liquidificador triture a sopa, mas deixe que ela fique um pouco pedaçuda. Junte o suco de limão e o coentro fresco. Sirva em seguida, se quiser pode regar com azeite.

[homemade] cup noodles

cup-of-noodles.jpg

Sou notoriamente conhecida no meu trabalho como a pessoa que leva comida fresca e feita em casa para o almoço. Não sou a única. Mas o grupo dos que cozinham e levam marmitas com comida caseira não é muito grande. Eu me sobressaio por ser praticamente uma neurótica com ingredientes frescos, orgânicos e preparados do zero. Sempre explico—gentê, eu não assisto televisão, quase não leio livros, não faço muitas coisas além de cozinhar. Tenho amigos que esquentam caixinhas de comida congelada no microondas, temperam saladas de pacote com molho pronto, comem gelatina com cores florescentes e frutas de lata, e tem até os adeptos dos cup noodles. Não julgo nem critico ninguém, cada um faz o que quer. Mas meu jogo é outro. Sei que para os padrões dessa sociedade onde vivo, minha comida é ridiculamente esnobe. Isso soa irônico demais, porque na verdade a minha comida é super simples. Como pode um tomate cortado na hora, temperado com azeite e sal [que guardo numa gaveta no meu desk] ser algo tão fascinante? Nem preciso dizer que no dia que fiz meu homemade cup noodles, ele foi o assunto da hora no nosso grupo de almoço.

Marmiteira fanática que sou, fiquei excitadíssima quando vi essa receita. Um cup noodles caseiro! Testei, adorei e vou refazer. As possibilidades são inúmeras. Eu preparei o meu com o que tinha na geladeira. Acho que dá pra improvisar com quase tudo. Só não pode faltar o gengibre, o limão e os noodles, é claro! A receita sugere usar um cubo de caldo de legumes, mas eu não gosto do sabor desses cubos, então usei somente sal de limão [caseiro—hahaha!]. Na hora de comer é só despejar água quente, pode por um pingo de azeite ou de óleo de gergelim. Acho que poderia também acrescentar um pouquinho de frango desfiado se quiser fazer uma sopa mais substanciosa.

1 colher de chá de gengibre fresco
1/2 pimenta vermelha ou a gosto
3 cebolinhas picadas
1 cenoura pequena
1/3 xícara de milho cozido
1 punhado de folhas de manjericão
60 gr de macarrão de arroz ou de feijão vermicelli
1 pitada generosa de sal
1 limão tahiti

Comece preparando o pote para os noodles. Pode fazer com até 48 horas de antecedência. Descasque o gengibre e pique bem fininho. Colocar num recipiente grande com tampa selada. Pique a pimenta e adicione ao pote. Junte a cebolinha, a cenoura, o milho [ou outos ingredientes a gosto]. Adicione o macarrão de arroz junto com a pitada de sal. Corte o limão ao meio e adicione ambas as metades do recipiente. E finalmente adicione o manjericão no topo. Na hora de servir, ferva a água no microondas ou na chaleira. Remova a tampa do frasco, remova as metades do limão e despeje a água fervente sobre a mistura de sopa até cobrir tudo. Misture a sopa com um garfo. Feche a tampa e deixe descansar por um minuto. Esprema o limão por cima e bom apetite!

sopa de abobrinha amarela
[com estragão & limão]

sopa abobrinha

Como já tivemos uns dias bem calorentos, o tempo parece estar se acelerando em direção ao verão. Tanto que já estamos recebendo abobrinhas na cesta orgânica. Na primeira semana chegaram uma das verdes, algumas das amarelas e uma daquelas que parece uma espaçonave. Fui procurar algo interessante pra fazer e me deparei com a receita dessa sopa. Fiz assim meio que só pra gastar os legumes e omg, que sopa absolutamente deliciosa! O estragão e o limão são a chave do sabor incrível dessa receita. Experimentem!

1 abobrinha amarela grande picadinha
2 cebolinhas inteiras picadas
1/2 cebola média picada
1 colher de sopa de manteiga
1/2 colher de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de folhas de estragão fresco picadas
1 dente de alho picado
Sal e pimenta do reino moída a gosto
3 xícaras de caldo de frango, de preferência caseiro
Suco de 1/2 limão grande
1/2 xícara de leite integral ou creme de leite fresco
Folhas de estragão picadas e queijo parmesão ralado para servir

Em uma panela grande aqueça o azeite e a manteiga, adicione a abobrinha e cebola e refogue até que a cebola esteja macia, por cerca de 7 a 10 minutos. Adicione o alho no último minuto. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto, adicione o estragão e em seguida despeje o caldo de galinha e suco de limão. Misture bem, tampe a panela e deixe cozinhar por cerca de 10 a 15 minutos, ou até que a abóbora esteja bem macia. Retire a sopa do fogo e adicione o leite ou creme. Bata no liquidificador [ou use um mixer de mão] metade da sopa e retornar para a panela. Assim a sopa ficará cremosa, mas com pedaços de abobrinha. Sirva imediatamente decorada com estragão e queijo parmesão ralado.

sopa espanhola de grão de bico
[com alho & hortelã]

sopa de grão de bico sopa de grão de bico

Minha mãe me recomendou um livro de receitas vegetarianas que minha irmã usa muito e como preciso sempre de fontes de ideias para usar meus legumes e verduras, coloquei ele na minha wish list. Eu conhecia a inglesa Rose Elliot de nome, mas nunca tinha procurado saber mais sobre ela e seus livros. Será que ela poderia ser uma versão britânica da Deborah Madison? Ainda não tenho nenhuma opinião formada sobre a autora, mas já usei o livro para me inspirar em várias ideias e fiz essa deliciosa receita, que me surpreendeu tanto que refiz mais de uma vez.

225 gr de grão de bico seco
2 dentes de alho esmagados
Um punhado grande de folhas frescas de hortelã
Um punhado pequeno de folhas frescas de salsinha
6 colheres de sopa de azeite de oliva
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
2 fatias grandes de pão cortadas em cubinhos

Deixe o grão de bico de molho de um dia para o outro, coe a água, coloque numa panela grande e cubra com água e deixe cozinhar até os grãos ficarem macios [ou use grao de bico enlatado, mas a autora da receita não recomenda]. Coe os grãos e reserve a água do cozimento. Num processador ou liquidificador bata os grãos com 3 xícaras de liquido [o do cozimento, mais água extra até completar 3 xícaras]. Bata até formar um creme, adicione o alho, o hortelã, a salsinha e metade do azeite. Bata até ficar um creme liso. Despeje o creme numa panela, tempere com sal e pimenta do reino a gosto e requente. Enquanto isso frite os cubinhos de pão numa frigideira com o restante do azeite até eles ficarem dourados e crocantes. Sirva a sopa com um punhadinho de cubinhos de pão frito por cima.

Elliot's New Complete Vegetarian by Rose Elliot Elliot's New Complete Vegetarian by Rose Elliot