sopa fria [ou quente] de ervilha & espinafre

Fiz essa sopa no mesmo dia em que vi a receita. Fiquei tão entusiasmada pela cor e pela possibilidade de sabor que confundi ervilha seca com ervilha fresca. A Heidi Swanson faz a dela com ervilhas secas cozidas. Eu fiz a minha com ervilhas frescas congeladas. Quando percebi o erro, já tinha sido. Mas com as ervilhas frescas ficou uma sopa deliciosa. Tentarei também com as secas, cozidas, para fazer uma sopa mais quente e robusta em dias mais frios. Essa eu servi morninha e depois fria. Ficou com essa cor incrível e absolutamente deliciosa.

1 xícara de ervilhas frescas [ou ervilhas secas] cozidas em 2 e 1/2 copos de água
2 punhados de folhas de espinafre
1 talo grande de salsão
1 punhado de folhas frescas de salsinha
1 punhado de folhas frescas de coentro
1 dente de alho
1 colher de sopa de missô
1 colher de sopa de levedura nutritiva [nutritional yeast]
2 colheres de sopa de creme de coco [*a parte solidificada da lata de leite de coco]

Cozinhe rapidamente as ervilhas na água e reserve. No liquidificador ou processador de alimentos combine as ervilhas com a água do cozimento, o espinafre, o salsão, a salsinha, o coentro, o alho, o missô, a levedura nutricional e 1 colher de sopa de creme de coco. Bata até ficar um purê cremoso e sedoso. Se quiser servir quente, transfira para uma panela e aqueça em fogo baixo, mas não deixe ferver para não perder as qualidades nutritivas do missô. Ajuste o sal e o missô se precisar. Sirva com um fio do creme de coco restante, amêndoas em fatias e folhinhas de coentro.

salada de ovo

Nã gosto muito de ovo, mas adoro salada de ovo, que só faço quando tenho um surplus de ovos da fazenda. Não acontece sempre, mas neste verão aconteceu duas vezes. Faço uma receita bem simples e improvisada. Cozinho os ovos, pico, junto salsão picadinho, um tipo de picles qualquer [nesse usei o pepperoncini de vidro cortado em fatias], bastante salsinha fresca, tempera com sal, pimenta do reino, um pouco de mostarda, um pouco de iogurte ou sour cream, polvilha com páprica picante e serve. Eu uso também pra rechear sanduíches.

salada de cogumelo & salsão

mushroom-salad.jpg

Fiz a receita dessa salada duas vezes, a primeira vez sem as alcachofras [que decidi no último segundo usar em outra receita] e na segunda vez com um tipo de cogumelo diferente. Nas duas vezes adicionei folhas verdes, o que achei ter sido uma ótima decisão. Na primeira salada [representada na foto acima] usei cogumelos crimini e na segunda usei uns cogumelos japoneses chamados matsutakes, mas também conhecidos como pine. É uma salada com uma mistura deliciosa de sabores, para refazer muitas vezes.

1 e 1/2 colheres de sopa de suco de limão fresco
2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto
6 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
3 colheres de sopa de salsinha picada grosseiramente
1 colher de chá de orégano fresco picado grosseiramente
1 dente de alho amassado
300 gr de cogumelos frescos
Sal kosher & pimenta do reino moída na hora
400 gr de coração de alcachofra cortados ao meio
4 talos de aipo cortados em fatias finas
Folhas verdes variadas
Queijo parmesão fatiado bem fino

Em uma tigela média misture o suco de limão com o vinagre. Adicione o azeite e bata até ficar um molho bem emulsificado. Adicione a salsinha, o orégano, o alho e os cogumelos, tempere com sal e pimenta e misture bem. Deixe descansar em temperatura ambiente por 15 minutos. Descarte o dente de alho. Numa travessa coloque as folhas verdes, as alcachofras e o aipo. Junte os cogumelos temperados, ajuste o sal e a pimenta, decore com lascas de queijo e sirva.

arroz integral com salsão
e cenoura refogada

celeryrice-carrots.jpg

Era uma receita sem foto no livro 30-minute vegetarian da Rose Elliot. Fui fisgada não por uma imagem apetitosa e convidativa, mas por um parágrafo com uma descrição de comida que me encheu os olhos e o coração. Na introdução da receita a autora diz que há algo quase zen com relação a esse prato, que a faz sentir equilibrada, calma e relaxada. Os sabores naturais e delicados são parte do charme dessa combinação. Eu achei a mistura bem gostosa, mas não pude compartilhar do sentimento descrito pela Rose Elliot, pois infelizmente não me senti iluminada por nenhuma epifania gastronômica.

para o arroz:
8 talos de salsão picados
1 copo de arroz basmati integral
2 e 1/4 xícara de água
1/2 xícara de amêndoas torradas em fatias
Sal a gosto
para a cenoura:
1 colher de sopa de óleo de gergelim torrado
500 gr de cenouras cortadas em fatias diagonais
8 talos de cebolinha picados
1 pequeno maço de agrião [*usei manjericão]
Shoyu—molho de soja, para temperar

Numa panela coloque o salsão picado, o arroz lavado e escorrido, a água e sal. Leve ao fogo alto, deixe ferver, abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar até a água ser totalmente absorvida e o arroz ficar macio.

Numa panela aqueça o óleo de gergelim, adicione as cenouras e mexa bem. Abaixe o fogo, tampe a panela e cozinhe por uns 5 minutos. Misture novamente e adicione uns pingos de água se estiver ressecando. Pra mim não precisou. Tampe e cozinhe por mais 5 minutos, até que as cenouras fiquem bem macias, mas não desmanchando. Adicione as cebolinhas, mexa e cozinhe por uns 2 minutos, junte o agrião ou manjericão, deixe cozinhar por 1 minuto, tempere com shoyu, remova do fogo. Sirva o arroz acompanhado das cenouras e salpicado com as amêndoas.

salada de salsão
[com amêndoa & tâmara]

salada-salsao.jpg

Desculpem a enxurrada de saladas que tem tomado conta deste espaço recentemente. A culpa é do verão. Se eu fizer uma retrospectiva vou descobrir que provavelmente digo isso todos os anos, mas este ano estamos tenho o verão mais longo e tórrido deste século. Já estou com a língua de fora, sinceramente, chega! Essa receita é da revista Bon Appetit e ficou bem diferente, crocante e refrescante, com o salsão num raro papel de protagonista.

8 talos de salsão com as folhas cortados em fatias finas na diagonal
6 tâmaras, sem caroço, picadas grosseiramente
3 colheres de sopa de suco de limão fresco
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora
50gr de queijo parmesão cortado em raspas finas
1/4 de xícara de azeite extra-virgem
Pimenta vermelha em flocos

Pré-aqueça o forno a 350ºF/ 176°C. Espalhe as amêndoas em uma pequena assadeira, leve ao forno mexendo ocasionalmente, até elas ficarem marrom dourado, de 8 a 10 minutos. Deixe esfriar e pique grosseiramente.

Misture as amêndoas, o salsão com as folhas picadas, as tâmaras e suco de limão em uma saladeira, tempere com sal e pimenta. Adicione o parmesão e azeite e misture delicadamente, tempere com pimenta vermelha em flocos. Sirva em seguida.

salada de grão de bico
[com cenoura & salsão]

salada-cenoura-grao.jpg
A receita número 32 na lista do Mark Bittman é super simples e leva um ingrediente pouco usado cru em saladas, o salsão. Aliás, são dois ingredientes, pois o coco fresco também não é tão assíduo em pratos salgados nas nossas cozinhas ocidentais. Pode-se usar o grão de bico de lata pra facilitar. Daí é só misturar o grão de bico, a cenoura ralada, o salsão fatiado bem fino, coco em tiras tostado na frigideira, temperar com curry em pó [eu usei o thai curry, que era o que tinha], sal, azeite extra-virgem , suco de limão tahiti e salpicar com folhas frescas de coentro. Muito delícia!

salada de couve-flor assada
[com salsão & avelã]

salada-couvef-avela.jpg

Um pé de couve-flor o Farmers Market + livro Jerusalem do Ottolenghi = gostosura absoluta de salada para o almoço do sábado. E é só isso que vou dizer aqui. Se acharem pouco, façam a salada e depois me contem se gostaram.

1 pé de couve-flor
5 colheres de sopa de azeite de oliva
1 talo de salsão grande cortado em fatias
5 colheres de sopa de avelãs
1/3 xícara folhas de salsinha
1/3 xícara sementes de romã [*omiti]
1 colher de sopa de vinagre jerez [sherry]
1/2 colher de chá de maple syrup
1/4 colher de chá de canela em pó
1/4 colher de chá de pimenta da jamaica [allspice] moída
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Pré-aqueça o forno a 425ºF/ 220ºC. Forre uma assadeira com papel vegetal ou alumínio. Separe os floretes da couve-flor e tempere com 3 colheres de sopa de azeite, sal e pimenta do reino a gosto. Espalhe pela assadeira e asse no forno por 25-35 minutos, até que elas fiquem douradas. Transfira para uma tigela grande e reserve para esfriar.

Diminua a temperatura do forno a 325º F/ 162ºC. Espalhe as avelãs em uma assadeira também forrada e asse por uns 10-15 minutos. Vá olhando pra não deixar queimar. Eu prefiro fazer isso numa frigideira e ir chacoalhando até todas ficarem douradas.

Em uma tigela pequena misture as 2 colheres de sopa restantes do azeite de oliva, o vinagre jerez, o maple syrup, a canela e pimenta da jamaica. Misture bem e reserve.

Deixe as avelãs torradas esfriarem um pouco e pique grosseiramente com uma faca. Numa saladeira coloque a couve-flor assada, junte as avelãs picadas, as sementes de romã, as fatias de salsão, a salsinha e o molho. Mexa bem, tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Sirva imediatamente.