bucatini a carbonara com limão

lemony-carbonara

Não sou muito chegada em carbonara porque tenho um pouco de aflição do ovo cru misturado, embora sei que ele cozinha no molho. Mas essa receita vai limão, então tive que fazer. Usei o limão Meyer, porque era o que eu tinha, mas a receita pede o siciliano. Comi metade no jantar e a outra metade levei na marmita pro almoço no trabalho. O carbonara não fica tão bom no dia seguinte, mas mesmo assim eu devorei. As pessoas que almoçaram comigo não tiravam os olhos do meu prato e pediram a receita.

1 colher de sopa de azeite
150 gr de guanciale, panceta ou bacon comum cortado em pedacinhos
2 chalotas finamente picadas
4 dentes de alho cortados em fatias finas
1 colher de chá de pimenta do reino moída
350 gr de bucatini ou outro tipo de massa longa
Sal kosher
55 gr de queijo parmesão, ralado, mais mais
2 gemas de ovo caipira
1 colher de chá de raspas de limão [*usei o limão Meyer]
2 colheres de sopa de suco de limão

Aqueça o óleo em uma frigideira e frite o bacon até dourar e ficar crocante, uns 6-8 minutos. Adicione as chalotas e o alho e cozinhe, mexendo ocasionalmente até amolecer, por cerca de 5 minutos. Adicione a pimenta e cozinhe, mexendo sempre, até ficar perfumado, cerca de 1 minuto.

Enquanto isso, cozinhe a massa em uma panela grande com bastante água fervente salgada, mexendo ocasionalmente, até ficar al dente. Escorra, reservando 1½ xícaras de líquido de cozimento de massa.

Adicione a massa na panela com o refogado de bacon juntamente com 1/2 xícara do líquido de cozimento do macarrão e metade do queijo parmesão. Mexa bem, retire a panela do fogo e junte as gemas. Misture de novo, adicionando mais líquido de cozimento de macarrão se precisar. Adicione as raspas e o suco do limão e o restante do queijo parmesão. Sirva imediatamente, com mais raspas de limão e queijo ralado por cima, se quiser.

arroz com frango [ervilhas & cogumelos]

chickenrice

Eu recebo emails diários do NYT Cooking e às vezes decido fazer uma receita só por causa da foto. Essa foi uma. Até comprei ingredientes para fazê-la e ela foi o prato principal de um almoço de domingo. Essa receita faz uma quantidade grande, se quiser divida os ingredientes pela metade. Ou use as sobras para [ M A R M I T A ! ].

2 quilos de peito de frango [prefira o caipira] cortado em pedaços
Sal e pimenta do reino moída na hora pra temperar
2 colheres de sopa de azeite
1 cebola grande cortada em cubos
1 raminho de tomilho, além de 1 colher de chá das folhas frescas
1 folha de louro
1 xícara de vinho branco
2 xícaras de arroz de basmati deixadas de molho em água por 20 minutos, depois lavadas e escorridas
250 hrs de cogumelos frescos fatiados [*usei o crimini e o enokitake]
4 xícaras de caldo de legumes quente
3 colheres de sopa de manteiga sem sal
1 xícara de ervilhas congeladas, cozidas por 2 minutos em água e sal
2 dentes de alho pequenos esmagados com um pouco de sal
3 colheres de sopa de salsinha picada

Coloque os pedaços de frango em uma travessa e tempere generosamente com sal e pimenta. Reserve. Pré-aqueça o forno a 350ºF/ 176ºC. Despeje o azeite numa panela robusta [que possa ir ao forno] e leve ao fogo médio-alto. Adicione a cebola e cozinhe mexendo até dourar, por 8 a 10 minutos. Tempere com sal. Adicione o frango picado, o raminho de tomilho e o louro e continue a cozinhar, mexendo sempre, por mais de 2 minutos. Adicione o vinho e deixe ferver vigorosamente até ele ser reduzido pela metade, cerca de 5 minutos. Adicione o arroz e um punhado dos cogumelos e misture. Adicione o caldo e deixe ferver. Cubra a panela e cozinhe por 10 minutos em fogo médio. Transfira a panela tampada para o forno pré-aquecido e asse por 20 minutos. Retire do forno e deixe descansar por 10 minutos.

Enquanto o arroz assa, refogue os cogumelos restantes: derreta a manteiga em uma frigideira grande em fogo alto. Adicione os cogumelos, tempere com sal e pimenta e cozinhe, mexendo rapidamente, até que estejam macios e levemente dourados, 5 a 7 minutos. Acrescente as ervilhas. Desligue fogo, adicione o tomilho picado, o alho amassado com sal e a salsinha.

Na hora de servir mexa bem o arroz com um garfo, despeje numa travessa, cubra com os cogumelos refogados e sirva.

peixe poché no leite [com alho-poró & batata]

peixe no leite

Essa receita é muito fácil de fazer e eu gostei imensamente dessa ideia de fazer um peixe poché no leite. Fica uma refeição bem leve, as sobras [se houver] continuam boas no dia seguinte.

1 e 1/2 quilos de batatas pequenas
Sal Kosher
2 colheres de sopa de azeite
2 alhos-porós médios bem lavados e cortados longitudinalmente
4 raminhos de tomilho
2 dentes de alho esmagados
3 xícaras de leite integral
4 filés de bacalhau fresco
Pimenta do reino moída na hora a gosto

Coloque as batatas em uma panela, cubra com água fria, tempere com sal e leve ao fogo para ferver. Reduza o fogo e deixe cozinhar por 15 – 20 minutos, até que as batatas estejam macias. Escorra, reservando 1/4 de xícara de líquido de cozimento. Retorne as batatas para a panela, adicionar 2 colheres de sopa do líquido de cozimento e 2 colheres de sopa de azeite e amasse levemente com um garfo. Tempere com sal. Mantenha as batatas aquecidas em fogo baixo até a hora de servir.

Combine o alho-poró, o tomilho, o alho e o leite em uma panela. Tempere generosamente com sal e leve ao fogo médio. Deixe levantar fervura e cozinhe até o alho-poró começar a amolecer, por uns 6-8 minutos. Coloque os filés de bacalhau delicadamente na mistura de leite e deixe cozinhar por uns 7 – 9 minutos.

Divida as batatas, o molho de leite e alho-poró e os filés de bacalhau entre 4 pratos. Regue com azeite, tempere com pimenta do reino e sirva imediatamente.

peixe no leite

galette de batata & alho-poró
[com massa de pistache]

galette-potato-leek

Fiz essa receita para receber minhas amigas num almoço antes do Ano Novo. Fiz duas galettes ao invés de quatro. Ficou muito gostoso, servi acompanhado por uma salada de folhas verdes.

para a massa:
1/2 xícara de pistache cru
2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de chá de sal kosher
1 colher de chá de açúcar
1 xícara de manteiga sem sal gelada e cortada em cubinhos
para o recheio:
1 colher de sopa de azeite
1 alho-poró grande cortado longitudinalmente e depois em fatias finas
120 gr de queijo de cabra fresco
5 colheres de sopa de creme de leite fresco
2 dentes de alho finamente picados [*omiti]
Sal Kosher e pimenta do reino moída na hora
4 colheres de sopa de endro picado
2 batatas grandes tipo Yukon Gold, cortadas em fatias finas

Pulse o pistache em um processador de alimentos até ficar grosseiramente moído. Adicione a farinha, sal, açúcar e pulse para combinar. Adicione a manteiga e pulse até formar uma farofa grossa. Com o motor funcionando, gradualmente adicione 1/2 xícara de água gelada e o processo até formar uma massa. Transfira a massa para uma superfície de trabalho, forme um disco, cubra com filme plástico e leve à geladeira pelo menos 30 minutos.

Aqueça 1 colher de sopa de azeite em uma frigideira pequena em fogo médio-baixo. Cozinhe o alho-poró, mexendo ocasionalmente, até ficar macio, cerca de 5 minutos. Transfira para um prato. Misture o queijo de cabra, creme e o alho em uma tigela. Tempere com sal e pimenta do reino.

Pré-aqueça o forno a 400ºF/205ºC. Divida a massa em 2 partes. Estenda uma parte da massa sobre uma superfície polvilhada com farinha de trigo. Transfira para uma assadeira forrada com papel vegetal. Usando uma espátula espalhe por cima da massa metade da mistura de queijo de cabra, deixando uma borda de uns 3cm. Espalhe 1 colher de sopa de endro e em seguida cubra com uma fina camada de fatias de batata. Regue com azeite e tempere com sal. Espalhe metade do alho-poró sobre batatas. Dobre as bordas da massa sobre o recheio, deixando o centro aberto. Repita com a segunda parte da massa, fazendo outra galette. Pincele as bordas com uma mistura de ovo ou água, ou com mostarda diluída em água [que é o que eu faço].

Leve as galettes ao forno pré-aquecido e asse até que a massa fique dourada, uns 30-40 minutos. Regue com mel e cubra com raminhos de endro. Polvilhe com pimenta rosa moída, se quiser.

risoto cremoso de cevada

risoto-cevada

Outro dia me deu vontade de fazer algo com cevada, então comprei os grãozinhos e fui procurar uma receita. A ideia era fazer algo simples e usar o último vidro de caldo de legumes caseiro que eu tinha feito na semana anterior. Um risoto foi a receita perfeita! Eu servi com espinafre refogado rapidamente no azeite e alho.

4 xícaras de caldo de legumes, de preferência caseiro
2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
1 cebola média cortada em cubinhos
1/4 colher de chá de folhas de tomilho fresco
1 xícara de cevada [a.k.a. cevadinha]
1 xícara de vinho branco
1/2 xícara de queijo Parmigiano-Reggiano ralado, mais para servir
4 colheres de sopa de manteiga sem sal
Sal e pimenta do reino moída na hora

Em uma panela média colocar o caldo de legumes para ferver em fogo alto. Assim que ferver reduza o fogo para baixo e mantenha o caldo quente. Em uma panela grande e funda aqueça o azeite. Adicione a cebola e o tomilho e cozinhe em fogo moderado, mexendo ocasionalmente, até que a cebola amoleça, por cerca de 6 minutos. Adicione a cevada e cozinhe, mexendo, durante 2 minutos. Adicione 1 xícara de vinho branco e deixe absorver totalmente. Adicione 1 xícara do caldo quente e cozinhe, mexendo, até que fique quase completamente absorvido. Continue adicionando o caldo, 1 xícara de cada vez e mexendo algumas vezes entre as adições. O risoto estará pronto quando a cevada ficar al dente e o molho ficar espesso e cremoso, cerca de 35 minutos. Misture então a 1/2 xícara de parmesão e a manteiga e tempere com sal e pimenta do reino. Sirva imediatamente, colocando mais queijo se quiser.

frango da Tia Neci

frango-neci

Eu e minha mãe conversamos sobre comida. Ela tem um arquivo imenso de receitas de família, que já foram refeitas inúmeras vezes durante o passar dos anos. Algumas das autoras das receitas já nem estão mais entre nós, mas o legado que elas deixaram continua bem vivo. A tia Neci era casada com irmão da minha avó, o tio da minha mãe. Ela era uma fofura de pessoa e cozinhava muito bem. Era também bastante frugal. A receita pede para lavar o frango com água e vinagre para tirar “a catinga”. Não consegui interpretar isso muito bem, se ela cozinhava com algum tipo de frango caipira ou se o frango vendido na época não era cem por cento fresco. Eliminei essa parte de lavar o frango na receita, mas mantive o vinagre. Então a receita é bem simples. Use sobrecoxas desossadas, tempere com sal, pimenta do reino moída na hora, um pouco de vinagre de vinho tinto, cebola ralada e bastante cheiro verde picadinho. Deixe marinar por algumas horas ou de um dia para o outro, na geladeira. Pré-aqueça o forno em 365ºF/185ºC. Forre uma assadeira com papel vegetal ou alumínio. Passe os pedaços de frango na farinha de rosca [*eu usei Panko] dos dois lados e coloque sobre a assadeira. Leve ao forno e asse, virando os pedaços na metade do tempo, até eles ficarem dourado dos dois lados. Minha mãe serviu esse frango com batata assada, eu servi com batata doce assada. Apenas tempere os cubinhos de batata com sal, flocos de pimenta vermelha e azeite. Coloque no forno junto com o frango, numa assadeira separada.