molho romesco

romesco

Na segunda-feira a cesta orgânica estava mezzo final de verão/ mezzo inicio de outono e me trouxe berinjelas [verão] e uma spaghetti squash [outono]. Essa abóbora é aquela que a gente assa, passa o garfo e ela fica toda desfiada, parecendo [se você se esforçar bastante] com espaguete. Então eu assei a squash no forno alto [400ºF/ 205ºC] até ela ficar bem macia. E cortei as berinjelas em rodelas grossas, temperei com sal, pimenta do reino moída na hora e azeite. Grelhei na churrasqueira, mas isso pode ser feito no forno também, ou numa frigideira. Depois fiz esse molho romesco, que eu tinha comido na Espanha servido com vários legumes grelhados. Servi o molho com a abóbora desfiada e as rodelas de berinjela grelhadas. Foi o meu jantar e depois o meu almoço. hmm!

1 pimentão vermelho grande assado [pode ser daqueles em conserva que vem num vidro—ou pode assar o pimentão no forno ou chama do fogão]
1 dente de alho esmagado
1/2 xícara de amêndoas em fatias tostadas rapidamente na frigideira
1/4 xícara extrato de tomate [use orgânico]
2 colheres de sopa de salsinha picadinha
2 colheres de sopa de vinagre Sherry [Xerez]
1 colher de chá de páprica picante defumada
1/2 colher de chá de pimenta vermelha [caiena]
1/2 xícara de azeite extra-virgem
Sal a gosto

Num processador de alimentos pulse os 8 primeiros ingredientes. Com o motor ligado, adicione lentamente azeite e processe até ficar um molho bem homogêneo. Tempere com sal, coloque num frasco e leve à geladeira.

pimentão recheado
com quinoa & grão de bico

pimentão recheado

Meu esquema na cozinha é normalmente partir dos ingredientes que recebo na cesta orgânica e daí saio a procura de receitas para usá-los. Mas no caso desses pimentões recheados eu fiz o inverso. Fui comprar os pimentões especialmente para poder testar essa ideia. Usei o último maço de manjericão que recebi na cesta para fazer o molho. Aliás, o molhinho é a cereja no topo dessa receita. Nós adoramos a combinação. E como esses pimentões assados sobrevivem bem à geladeira, podem ir pra categoria #Marmita #Team.

para os pimentões:
1 xícara de quinoa crua
1 xícara de caldo de legumes
2 colheres de chá de cominho em pó
1 xícara de grão de bico cozido
1/2 xícara de currants
1 xícara de folhas de espinafre picadas
1/2 xícara de queijo feta
1/4 xícara de azeite
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
4 pimentões verdes grandes
para o molho:
1 xícara de folhas de manjericão picado
1/2 xícara de iogurte grego
3 colheres de sopa de azeite de oliva
1 colher de sopa de água
1 dente de alho picado
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Pré-aqueça o forno a 400°F/205°C. Numa panela colocar a quinoa, o caldo de carne e o cominho e levar ao fogo para ferver. Cubra a panela e abaixe o fogo, deixe cozinhar por 15 minutos ou até que o líquido esteja completamente absorvido. Retire do fogo e deixe descansar por uns minutos. Numa tigela grande despeje a quinoa cozida, adicione o grão de bico, as currants, o espinafre picado, o queijo feta, azeite, sal e pimenta do reino a gosto. Corte uma tampa nos pimentões e retire as sementes com cuidado. Recheie os pimentões com a mistura de quinoa, feche com a tampa e regue com um pouco de azeite, Coloque os pimentões em pé num refratário e despeje uns 2 cm de água na base. Asse por cerca de 1 hora [se as tampas começarem a ficar escuras muito rápido, cubra com papel alumínio e continue a assar]. Enquanto os pimentões estão assando, coloque todos os ingredientes do molho em um processador de alimentos ou liquidificador e bata até ficar homogêneo. Remova os pimentões do forno e sirva, acompanhado do molho.

pimentão recheado pimentão recheado pimentão recheado

salada de vagem & pimentão

salada-vagempimentao.jpg

Acho que causarei surpresa [ou não] dizendo que ainda não larguei mão do livro Jerusalem do Ottolenghi e Tamimi. Ele continua na minha cozinha e eu continuo fazendo receitas, como a dessa salada. Mais uma vez o resultado foi extraordinário. O azeite aromatizado pelo alho, alcaparras e sementes mais o sabor de anis do estragão fresco são o toque de midas dessa salada. As vagens precisam estar al dente, meio crocante. Essa receita será repetida muitas vezes na minha cozinha.

400 gr de vagem verde
2 pimentões amarelos [ou vermelhos] cortados em tiras
4 colher de sopa de azeite de oliva
3 dentes de alho cortado em fatias finas
1 colher de sopa de alcaparras pequenas, drenadas e secas com papel
1 colher de chá de sementes de cominho
1 colher de chá de sementes de coentro
1/2 xícara de folhinhas de estragão fresco e ciboulette [chives] picada
Raspas da casca de 1 limão
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Pré-aqueça o forno a 450°F/ 230ºC. Leve uma panela grande de água para ferver e adicione as vagens. Cozinhe por alguns minutos e escorra para uma vasilha. Reserve.

Misture as tiras de pimentão com uma colher de sopa de azeite e espalhe sobre uma assadeira. Asse por 5 minutos. Retire do forno e adicione à tigela com as vagens cozidas.

Aqueça as 3 colheres de sopa de azeite restantes em uma panela pequena em fogo médio. Adicione o alho, mexa e deixe fritar por uns segundos. Adicione rapidamente as alcaparras, as sementes de cominho e coentro. Não deixe o alho queimar, mexa com freqüência. Retire do fogo e jogue esse azeite com alho sobre as vagens e pimentões. Misture delicadamente e adicione as folhinhas de estragão e a ciboulette picada. Tempere com sal e pimenta do reino a gosto. Sirva.

curry de legumes

green-curry_2S.jpg

Fiz esse curry pela primeira vez quando me deparei com um surplus de berinjelas e quiabos nas gavetas da minha geladeira. Refiz ainda algumas vezes, adicionando ou mudando alguns dos ingredientes. Usei tanto o curry tailandês verde, como o vermelho. Em todas as vezes ficou muito bom. Eu intencionava fotografar e publicar aqui, só que na correria do dia a dia acabei nunca fazendo. Mas desta vez foi! Refiz o curry mais uma vez e consegui finalmente tirar uma foto. Os melhores são os que levam quiabo—legume que eu adoro. Mas sem quiabo também fica muito bom. Esse curry é facílimo de fazer e é também uma excelente maneira de gastar um monte de legumes numa só tacada. Pode ser feito grelhando ou apenas refogando os legumes. Ele guarda bem na geladeira e faz uma excelente marmitinha pra levar no trabalho, sozinho ou acompanhado de arroz.

Berinjelas picadas em tiras ou cubinhos [usei a comum e a japonesa]
Quiabos cortados em rodelas [neste da foto não tem quiabo]
Pimentões de todas as cores
Pimenta vermelha e jalapeño [uma unidade de cada]
Vagens verdes e vagens chinesas [as bem longas]
Tomatillos
Cebola roxa cortada em fatias
Folhas frescas de manjericão e de coentro
1 lata de leite de coco
2 colheres de sopa de curry tailandês verde ou vermelho [em pó]
Sal a gosto
Suco de 1 limão verde [lime]
Azeite, óleo vegetal ou de coco para refogar

Numa panela bem grande coloque o óleo e refogue a cebola cortada em tiras. Junte os outros legumes e refogue bem [pode grelhar os legumes antes, que fica muito bom]. Quando os legumes estiverem bem cozidos, junte sal a gosto, o curry em pó e misture bem. Despeje o leite de coco, deixe ferver e desligue o fogo. Junte o suco do limão verde e as folhas de manjericão e coentro frescos. Sirva acompanhado de arroz, se quiser.

omelete com pimentão vermelho

omelete-jamie_3S.jpg

Fechei a revista e estava decidido. Marquei a receita da omelete mais simples que já tinha visto, publicada na edição de janeiro da revista do Jamie Oliver. Ovos e pimentão vermelho assado. Usei os piquillos, porque os tinha. E fiz uma porção individual, pra um dos meus jantares de dia de semana, que agora faço sozinha. Tostei umas fatias de pão de batata na frigideira de ferro e voilá!
para uma pessoa:

2 ovos caipiras
3 piquillos cortados em fatias
um fio de azeite
sal e pimenta do reino moída a gosto
Coloque o azeite numa frigideira, junte os ovos batidos e temperados com sal e pimenta. Deixe cozinhar até a omelete ficar firme e puder levantar as bordas sem quebrar. Vá mexendo a frigideira pra espalhar bem os ovos. Quando estiver na firmeza do seu gosto [eu gosto bem cozido], coloque as fatias de pimentões de um lado da omelete e dobre a outra parte por cima. Remova da frigideira e sirva imediatamente.

molho de pimentão [da Maria]

ravioli_pimentao_1S.jpg

Atéquenfim os pimentões locais chegaram e assim eu pude colocar em prática o molho que a Maria serviu no jantar que ela nos ofereceu lá em Milão. É absurdamente fácil de fazer e fica muito saboroso. A Maria me passou a receita sem medidas super exatas, pois ela faz esse molho sempre. Eu servi com raviolis recheados com alcachofras assadas e queijo. Aqui está a receita, a moda da Maria:

Para 2 pessoas:
2 pimentões vermelhos
1 latinha de tomate pelado
Alho
Azeite de oliva extra virgem
Sal
Aceto balsâmico

Remova a pele do pimentão com o descascador de batatas e corte em tirinhas finas. Em uma panela coloque o azeite de oliva, o alho e deixe refogar, mas cuidado para não queimar o alho. Depois acrescente o pimentão, sal e deixe refogar até praticamente desmanchar. Nesse ponto acrescente o aceto balsâmico [não coloque muito e não precisa ser aquele super caro]. Quando evaporar o aceto, coloque o tomate e deixe cozinhando até notar que toda a água do molho evaporou. Corrija o sal, se quiser pode colocar pimenta também, vai do gosto pessoal [*eu não coloquei]. Pode usar esse molho para temperar praticamente todo tipo de pasta.

pimentão recheado com arroz

pimentao_arroz_S.jpg

Usei o arroz jasmine coral já cozido de maneira tradicional e segui o principio da receita de pimentão recheado da tia Dirce, pois acho que aliche/anchova combina muito bem com pimentão. É só cortar os pimentões ao meio—usei verdes, vermelhos e amarelos, já que tinha uma coleção—remover sementes e rechear com a mistura de arroz, cubinhos de pimentão vermelho, filézinhos picadinhos do melhor aliche que seu dinheiro puder comprar, azeitonas pretas picadinhas e salsinha fresca picadinha. Assar em forno médio, até os pimentões ficarem macios. Servir quente ou frio.