torta pudim de maçã

Torta pudim de maçã

No dia do super bowl, o final do campeonato de futebol norte-americano, chegou um e-mail do Food 52 dizendo—fique em casa neste domingo e cozinhe muito. A primeira foto na mensagem era a dessa receita. Que coisa mais linda! Então naquele domingo, enquanto o meu marido assistia ao interminável jogo trancado na sala de televisão para não ser incomodado pelos gatos, eu preparei essa torta-pudim deliciosa. Ela é praticamente uma massa de maçãs. Muito melhor que bolo, muito melhor que torta na minha opinião. Antes de servir o pudim acompanhado por xícaras de chá Earl Grey com leite, tirei essa foto horrorosa, que no final tornou-se o único registro da curta existência dessa receita fenomenal.

3 maçãs orgânicas médias
1/2 xícara de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
2 ovos caipiras
1/3 xícara de açúcar
1 pitada de sal marinho fino
2 colheres de chá de extrato de baunilha
6 colheres de sopa de leite integral
2 colheres de sopa de manteiga sem sal derretida e esfriada, mas ainda líquida
Açúcar de confeiteiro para decorar

Aqueça o forno a 400°F/205°C. Unte uma forma quadrada com manteiga e forre o fundo com papel vegetal. Descasque as maçãs. Se você tiver um mandoline corte as maçãs em fatias finas. As fatias devem ser finas, mas não transparente. Se você não tiver um mandoline corte o mais fino que puder com uma faca afiada [com cuidado!]. Em uma tigela misture a farinha e o fermento em pó. Em outra tigela maior, misture os ovos, açúcar e o sal e bata com um batedor de arame por alguns minutos, ou até que se o açúcar se dissolva. Em seguida misture a baunilha e depois o leite e a manteiga derretida. Adicione a farinha e misture até ficar uma massa homogênea. Com uma espátula misture delicadamente nas maçãs na massa, até todas as fatias ficarem revestidas. Coloque a massa na forma untada e alise o topo com uma espátula. Asse o bolo por 40 a 50 minutos ou até ele ficar dourado. Remover do forno, deixar esfriar, remover da forma, polvilhar com açúcar de confeiteiro, cortar em quadrados e servir.

Apple Hill — colhemos maçãs

 

colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs
colhendo maçãs colhendo maçãs

Tanta coisa aconteceu na minha vida em outubro paralelamente com a colheita das maçãs norte da Califórnia, que eu acabei só conseguindo ir até Apple Hill em novembro. Estava até preocupada que não iria ter mais maçãs pra gente colher, mas que nada! Não só ainda tinha maçãs, como a paisagem estava no auge da sua beleza de outono. Tivemos um dia muito produtivo, colhendo deliciosas Granny Smiths, passeando pelas montanhas coloridas pelas cores outonais, comprando geléias e apple turnovers, almoçando com amigos em Placerville, indo provar vinhos na vinícola Boeger e encerrar o passeio devorando fatias enormes das melhores tortas de maçã deste reino encantado. Para nós esse é um passeio curto, que pode ser feito em apenas um dia e, se outono for, vai valer todos os minutos em que houver luz para a gente tirar centenas de fotos magníficas.

pãezinhos de maçã e passas

paozinho-maca.jpg

Mais de 40 anos se passaram desde a última vez que devorei um desses pãezinhos. Era uma alegria quando minha mãe pedia pra cozinheira fazê-los. Eu adorava a maçã assada com as passas e sempre removia a casquinha de açúcar, porque essas doçuras nunca foram minha predileção. Lógico que na minha casa havia livros publicados pelo Açúcar União. Que casa que não tinha? Era desse volume que os deliciosos pãezinhos se materializavam pelas mãos da cozinheira Cida. Mas esse livro que eu tenho não é herança de família. Pelo menos não da minha família. Há alguns anos várias caixas de papelão com doação de livros chegaram na minha garagem e esse estava entre eles. Foi o único que eu peguei pra mim, só por causa dessa receita. Deixei o livro por anos aberto na página dela e finalmente decidi fazê-la pela primeira vez. A minha versão ganhou o toque especial do açúcar de grapefruit na massa, mas ficaram igualzinhos aos que eu comia na minha infância. Devorei muitos, removendo a casquinha de açúcar, e matei aquelas lombrigas que estavam me atormentando há mais de 40 anos!

para a massa
2 tabletes de fermento biológico fresco [*usei dois envelopes]
4 colheres de sopa de manteiga
1 xícara de água morna
2 ovos caipiras
1 xícara de açúcar [*usei um açúcar de grapefruit feito exatamente como este de limão]
7 xícaras de farinha de trigo
1 colher chá de sal
3 colheres de sopa de manteiga derretida
1 xícara de uvas passas
2 e 1/2 xícaras de maçãs descascadas e fatiadas finas
para o glacê
2 xícaras de açúcar de confeiteiro
4 colheres de sopa de leite

Numa vasilha grande dissolva o fermento na água, junte o açúcar, o sal, a manteiga, os ovos e aos poucos a farinha. Sove bem, cubra com um pano e deixe crescer em lugar escuro por uma hora ou até a massa dobrar de volume. Abra a massa com um rolo , pincele com a manteiga derretida, cubra com as maçãs e salpique as passas. Corte a massa em quadrados e enrole cada um de ponta a ponta. Coloque os pãezinhos numa assadeira forrada com papel vegetal, leve ao forno desligado e deixe crescer novamente por mais uma hora.

Pré-aqueça o forno em 365ºF/ 185ºC. Coloque as assadeiras com os pãezinhos e asse até ficarem levemente dourados. Remova do forno, deixe esfriar uns minutos e cubra com o glacê, que é apenas o açúcar misturado com o leite.

receitasuniao.jpg receitasuniao.jpg

bolo de maçã, rum & nozes

bolo de maçã, rum e nozes

bolo de maçã, rum e nozes

Com algumas maçãs pra usar, procurei por ideias para fazer um bolo. Essa receita da revista Bon Appetit me serviu porque era fácil e juntou booze com frutas. E muitas frutas. Juro que fiquei um tanto preocupada quando misturei um quilo de maçãs picadas à massa. Achei que aquela argamassa não iria virar um bolo, mas virou um bolo bem gostoso!

1/2 xícara de rum escuro
2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de chá de fermento em pó
2 colher de sopa de canela em pó
1 colher de chá de sal
1/2 colher de chá de pimenta da Jamaica moída
2 xícaras de açúcar
3 ovos caipiras grandes
3/4 xícara de óleo vegetal
2 colheres de chá de extrato de baunilha
4 maçãs grandes [1 quilo] descascadas e cortadas em cubinhos
1 xícara de nozes picadas
1 xícara de passas [*usei as currants]

Preaqueça o forno a 350°F/ 176ºC. Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma grande e retangular. Coloque o rum numa panela pequena e cozinhe até reduzir a 1/ 4 de xícara. Reserve.

Peneire os próximos 5 ingredientes em uma tigela média. Usando batedeira, bata o rum, o açúcar, os ovos, o óleo e a baunilha por cerca de 5 minutos até formar um creme grosso. Adicione a mistura de farinha e bata só até misturar. Acrescentar as maçãs, nozes e passas e misturar com uma espátula. Coloque a massa na forma preparada. Leve ao forno e asse por cerca de 40 minutos ou até o bolo ficar totalmente cozido no centro. Remova do forno e deixe esfriar. Corte em quadrados e sirva.

bolo de maçã, rum e nozes bolo de maçã, rum e nozes

gelatina de maçã

gelatina de maçã

gelatina de maçã

Sou notória por ter lombrigas de comer gelatina todo santo inverno. Deve ser uma maneira do organismo equilibrar a ingestão desenfreada de comidas e bebidas quentes. Sei lá. Só sei que é nessa época do ano que começo a inventar moda. Desta vez encasquetei com a ideia de fazer uma gelatina com uma garrafa de suco de maçã gaseificado, que aqui é comumente conhecido como Martinelli’s. Não é aquela cidra densa feita com purê de maçãs mas é bem gostosa. O resultado ficou bem refrescante e foi a minha sobremesa da semana no meu almoço no trabalho.

1 garrafa de cidra gasosa [*usei a Martinelli’s]
3 envelopes de gelatina em pó sem sabor
1/3 xícara de açúcar
1 maça verde Granny Smith
Suco de limão

Coloque 1 xícara da cidra numa panela, acrescente o açúcar e leve ao fogo até quase ferver. Enquanto isso coloque o restante da cidra [mais ou menos 3 xícaras] num recipiente de vidro e salpique a gelatina por cima. Descasque e pique a maça em cubinhos e regue com suco de limão. Coloque os cubinhos de maçã numa vasilha ou em copinhos. Junte a cidra quente na mistura de gelatina e mexa bem para a gelatina dissolver completamente. A cidra vai espumar um pouco. Despeje a gelatina na vasilha com os cubos de maçã e leve à geladeira até firmar. Para desenformar é só colocar a forma sobre um prato com água quente por uns segundos, passar uma faca com cuidado pelas bordas e virar numa travessa.

bolo de trigo sarraceno & maçã
[ shwarzplententorte ]

bolo-sueco.jpg

Procurando por uma sobremesa para fazer para um jantar me deparei com essa receita de shwarzplententorte — buckwheat & apple cake e parei por ali mesmo. Eu sei que esse tipo de bolo não é exatamente uma sobremesa, mas pra mim foi. Servi acompanhado de sorvete de creme e amoras frescas. O restante nós devoramos com chá no dia seguinte. A massa fica bem densa e escura e a maçã praticamente desaparece—fica só como presença saudável no background, porque o trigo sarraceno domina o sabor desse bolo. Eu não achei geleia de lingonberry nem de cranberry no meu supermercado local, então substitui por uma artesanal de framboesa ácida e ficou muito bom.

1 xícara [250 gr] de manteiga em temperatura ambiente
1 xícara [250 gr] de açúcar
6 ovos caipiras, gema e clara separadas
2 xícaras de farinha de trigo sarraceno
2 e 1/4 xícaras de farinha de amêndoas [almond meal, se possível com a pele]
1 maçã ralada
1 fava de baunilha
200 gr de geléia de lingonberry [ ou groselha, ou cranberry ou framboesa ]
1/2 colher de sopa de açúcar de confeiteiro para polvilhar

Bata a manteiga e o açúcar. Adicione as gemas e bata até ficar pálido e cremoso. Adicione o trigo sarraceno, a farinha de amêndoa, a maçã ralada e as sementes raspadas da baunilha e mexa até ficar bem misturado.

Bata as claras em picos firmes. Misture delicadamente, aos poucos, na massa até ficar bem incorporado e despeje tudo em uma assadeira redonda untada com manteiga e forrada com papel vegetal.

Asse em forno pré-aquecido em 350ºF/ 176º C por cerca de 50 minutos ou até que o bolo fique dourado e cozido no centro. Remova do forno e deixe esfriar completamente. Corte o bolo ao meio com a ajuda de uma faca afiada e depois passando uma linha pelo corte. Coloque a parte inferior numa travessa e espalhe a geléia por cima. Cubra com a outra parte, polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva.

cha-bolo-rosa.jpg cha-bolo-rosa.jpg

torta de maçã sueca

swedishapplepie_8S.jpg
swedishapplepie_7S.jpg swedishapplepie_5S.jpg

Tivemos um domingo absolutamente agradável, tanto que pudemos almoçar, tomar o chá da tarde e depois fazer o lanche da noite no gazebo do nosso quintal. Até os gatos aproveitaram ao máximo o dia. O velhinho Misty veio tomar sol na porta da cozinha e até arriscou uns passinhos no quintal e o Roux passou o dia entrando e saindo por todas as portas que davam acesso ao quintal, fazendo caminhadas por entre as plantas e rolando e se espreguiçando no cimento do chão. Acho que ele nem dormiu nesse dia. Exatamente às 5 da tarde preparei um cházinho de capim-limão que servi acompanhado dessa torta de maçã sueca que preparei numa piscada.

7 colheres de sopa de manteiga
1/3 xícara de açúcar
1/2 xícara de amêndoas [ou avelãs] picadas
1 ovo caipira [usei o de pata]
1/2 xícara de farinha de amêndoa [pode ser também de trigo ou de arroz]
1 colher de chá de fermento em pó
Umas gotas de extrato de amêndoa [opcional]
1 maçã grande descascada e cortada em fatias
[usei a variedade Granny Smith]

Pré-aqueça o forno em 360ºF/ 182ºC. Na batedeira bata bem a manteiga e o açúcar até formar um creme. Junte os outros ingredientes e misture bem. Unte uma forma redonda com manteiga e polvilhe com farinha de amêndoa. Coloque a massa na forma usando uma espátula, pois ela fica bem grossa. Espalhe bem sobre a forma. Coloque as fatias de maçã por cima da massa, apertando levemente com os dedos para as fatias afundarem um pouquinho. Polvilhe com canela em pó e açúcar se quiser [eu quis]. Asse por uns 40 minutos ou até o centro da torta ficar bem cozida. Remova do forno, deixe esfriar e sirva com creme de leite batido em chantily ou fresco, que foi como eu fiz.

bolo de maçã
[apple sharlotka]

apple-sharlotka_1S.jpg
Eu estava com essa receita pendurada há semanas. Comprei as maçãs verdes não sei quantas vezes e tive que recomprar outras tantas vezes, porque acabávamos comendo quase todas e eu precisava de exatamente seis unidades. Finalmente saiu a minha versão da apple sharlotka—um bolo com mais fruta do que massa e que agradou muitíssimo o nosso paladar. Usei maçãs granny smiths orgânicas.
Manteiga para untar a forma
6 maçãs bem acidas, como as granny smiths
3 ovos grandes
1 xícara de açúcar
1 colher de chá de extrato puro de baunilha
1 xícara de farinha de trigo
Canela em pó e açúcar de confeiteiro para decorar
Pré-aqueça o fornoo em 350ºF/ 176ºC. Forre uma forma de fundo removível de 22 cm [9-inch] com papel vegetal. Unte com manteiga por cima do papel e a lateral da forma. Reserve. Descasque e corte as maças em quadrados de tamanho médio. Coloque os cubos de maçãs na forma forrada e untada. Vai quase encher a forma inteira com a fruta. Reserve.
Na batedeira coloque os ovos e o açúcar e bata bem até formar um creme denso e liso. Adicione o extrato de baunilha, desligue a batedeira e acrescente a farinha incorporando com a ajuda de uma espátula. Fica uma massa grossa. Coloque a massa sobre as maçãs na forma, se precisar use a espátula pra ajudar a espalhar. Leve ao forno por mais ou menos 1 hora ou até o centro do bolo estar bem firme e cozido por dentro. Remova do forno, deixe esfriar numa grade por uns 10 minutos. Abra a forma e vire o bolo num prato. Remova o papel vegetal do fundo e desvire numa travessa. Polvilhe levemente com canela em pó e depois com açúcar de confeiteiro. Eu usei um açúcar baunilhado. Sirva morno ou frio. Eu achei que esse bolo ficou melhor ainda no dia seguinte.

spritzer de maçã & erva-doce

fennelapple-spritzer_2S.jpg

Não é sempre que uma receita de bebida aparece por aqui, mas essa me arrebatou completamente. Um cocktail refrescante e sem álcool.

para o xarope de erva-doce
1 e 1/2 colheres de chá de sementes de erva-doce
1 xícara de açúcar
1 xícara de água

Coloque as sementes num mini-processador, moedor ou pilão. Moa grosseiramente. Numa panela coloque as sementes moídas, a água e o açúcar. Misture bem e leve ao fogo médio, deixe ferver e cozinhe mexendo de vez em quando até começar a engrossar, uns 5 minutos. Remova do fogo, deixe esfriar e coe o liquido usando uma peneira fina. Coloque o xarope num pote tampado e guarde na geladeira até a hora de usar. Esse xarope pode ficar guardado na geladeira por até um mês.

para o spritzer
[faz um copo]
1/4 de xícara de suco de maçã [não-filtrado]
1 colher de sopa de suco de limão
1 e 1/4 de xícara de seltzerou água com gás
Fatias de maçã e galhinhos de erva-doce fresca para decorar

Num copo alto coloque 2 colheres de sopa do xarope de erva-doce previamente preparado, junte o suco de maçã, o de limão e complete com a água com gás. Decore e sirva. Eu preparei várias porções numa jarra e na hora de servir adicionei a água com gás.

fennelapple-spritzer_3S.jpg

sopa de abóbora & maçã

sopa-abo-maca_1S.jpg

A primeira coisa que fiz no meu fogão novo a gás foi assar uma abóbora red kuri enorme, que descasquei, removi as sementes e cortei em cubos grandes. Com ela fiz uma saladona e depois usei mais uma parte para fazer esta sopa. Ainda sobrou uma boa quantidade, que vai virar outra comida em breve. Eu tenho o costume de encher o forno e assar muitas coisas ao mesmo tempo, depois guardar tudo em potes de vidro com tampa na geladeira e ir usando em seguida. Pra me ajudar nessa tarefa meu forno agora tem a opção “convection”, também chamada aqui de “forno europeu”, que assa com um ventilador que faz o ar circular e assar tudo mais uniformemente. Quanto mais cheio o forno, melhor.

Achei essa receita super interessante por causa da mistura dos ingredientes—abóbora, maçã, bacon e maple syrup. Me inspirei nela, mas fiz do meu jeito. Troquei a butternut squash pela red kuri. Ficou uma sopa bem delicada, porém robusta. Usei um bacon que comprei um tempo atrás de um produtor no Farmers Market de Davis. Um bacon de sabor intenso, pra se usar moderadamente. Delicioso!

2 xícaras de abóbora em cubos assada
1 maçã granny smith grande em cubos assada
2 xícaras de caldo ou água [*usei água]
3 fatias de bacon
Maple syrup
Sal a gosto
1/8 colher de chá de pimenta cayenne em pó
Azeite

Asse a abóbora e a maçã cortadas em cubos, em forno pré-aquecido em 400ºF/ 205ºC. Asse também as fatias de bacon até elas ficarem bem crocantes. Remova do forno e regue cada uma com um fio de maple syrup. Quebre as fatias de bacon em pedacinhos com as mãos. Reserve.

Coloque os cubos de abóbora e maçã assados no liquidificador e junte o caldo ou a água. Bata bem até obter um creme. Adicione mais água se precisar, dependendo da consistência que preferir para a sopa. Coloque o creme numa panela e tempere com o sal, a pimenta e azeite. Deixe ferver, desligue o fogo. Coloque a sopa nos pratos e decore cada um com fatias bem finas de maçã e o bacon em pedacinhos. Sirva imediatamente.

sopa-abo-maca_2S.jpg