gelatina de maçã

gelatina de maçã

gelatina de maçã

Sou notória por ter lombrigas de comer gelatina todo santo inverno. Deve ser uma maneira do organismo equilibrar a ingestão desenfreada de comidas e bebidas quentes. Sei lá. Só sei que é nessa época do ano que começo a inventar moda. Desta vez encasquetei com a ideia de fazer uma gelatina com uma garrafa de suco de maçã gaseificado, que aqui é comumente conhecido como Martinelli’s. Não é aquela cidra densa feita com purê de maçãs mas é bem gostosa. O resultado ficou bem refrescante e foi a minha sobremesa da semana no meu almoço no trabalho.

1 garrafa de cidra gasosa [*usei a Martinelli’s]
3 envelopes de gelatina em pó sem sabor
1/3 xícara de açúcar
1 maça verde Granny Smith
Suco de limão

Coloque 1 xícara da cidra numa panela, acrescente o açúcar e leve ao fogo até quase ferver. Enquanto isso coloque o restante da cidra [mais ou menos 3 xícaras] num recipiente de vidro e salpique a gelatina por cima. Descasque e pique a maça em cubinhos e regue com suco de limão. Coloque os cubinhos de maçã numa vasilha ou em copinhos. Junte a cidra quente na mistura de gelatina e mexa bem para a gelatina dissolver completamente. A cidra vai espumar um pouco. Despeje a gelatina na vasilha com os cubos de maçã e leve à geladeira até firmar. Para desenformar é só colocar a forma sobre um prato com água quente por uns segundos, passar uma faca com cuidado pelas bordas e virar numa travessa.

gelatina de cranberry

gelatina de cranberry

A receita do cocktail que eu separei para preparar no jantar de Thanksgiving pedia suco de cranberry e como todos devem saber [ou pelo menos imaginar] a quantidade de opções desse ingrediente nos supermercados daqui é pra deixar qualquer um tonto. As variações em sabores acrescentados e na qualidade dos sucos são incontáveis. Sei que muito suco de cranberry tem sabor artificial, ou só um por cento de suco, ou é misturado com outros sucos. Para descobrir é só ler os rótulos. Mas eu nem perco tempo e vou direto para seção dos sucos PUROS. Eles custam cinco vezes mais, são na maioria orgânicos e o rótulo revela—100% suco da fruta. Então comprei o vidro do melhor suco de cranberry que achei no meu supermercado e preparei o cocktail que ficou quase imbebível, porque a intenção da receita era usar mesmo um suco adoçado. Você já mordeu uma cranberry fresca? Ela é dura na queda, pois é uma fruta ácida e sem nenhuma doçura natural. Um suco puro de cranberry é simplesmente o puro purê da acidez. O suco [CARO] encalhou, porque também não pensei [OI?] em adicionar açúcar. Naquele dia bebemos taças de manzanilla, coloquei o suco na geladeira e quando finalmente lembrei dele decidi transformá-lo em gelatina.

3 xícaras de suco puro de cranberry
1 xícara de açúcar
3 pacotinhos de gelatina em pó sem sabor
100 gr de cranberries secas

Coloque uma xícara de suco numa panela, acrescente o açúcar e as cranberries secas e leve ao fogo médio até quase ferver. Enquanto isso coloque as duas xícaras restantes do suco numa vasilha e salpique a gelatina em pó por cima. Deixe descansar por 5 minutos. Quando o liquido estiver quase fervendo e o açúcar tiver dissolvido bem, misture o suco quente ao frio, com a gelatina e misture bem até que a gelatina esteja completamente dissolvida, Despeje em forminhas e leve à geladeira até firmar. Na hora de desenformar coloque as forminhas rapidamente numa vasilha com água quente e inverta.

panna cotta de louro
[com redução de balsâmico]

panna cotta de louro

As melhores receitas para mim são as que me oferecem uma aventura, algo inusitado, uma mistura de ingredientes jamais pensados, um item diferente, uma novidade. Nem vou mentir que sou bem chata para comer e naõ me venham com ovas de peixe, carne ou ovos crus, fígado de animais, bichos com tentáculos ou lesmas. Mas em se tratando de uma sobremesa usando ingredientes de pratos quentes ou saladas, sou absolutamente cabeça aberta. Essa receita de panna cotta aromatizada com folhas de louro fez totalmente a nossa cabeça. Adoramos!

1 xícara de leite integral
3 folhas de louro frescas
2 xícaras de creme de leite
3/4 de colher de sopa [ ou1 envelope] de gelatina sem sabor
1/2 xícara de açúcar
1 pitada de sal

Para a redução de balsâmico, coloque uma quantidade de vinagre numa panela e leve ao fogo médio-baixo até engrossar. Cuidado para não passar do ponto e queimar!

Numa panela aqueça o leite com folhas de louro até quase ferver. Cubra e retire do fogo, deixe descansar por 30 minutos, depois coe e descarte as folhas. Unte 6 forminhas com óleo vegetal. Despeje 1 xícara de creme de leite em uma tigela e polvilhe a gelatina por cima. Mexa com um garfo e deixe de molho 5 minutos.

Misture o leite aromatizado com o louro, o açúcar e sal em uma panela. Mexa em fogo médio- alto até que o açúcar se dissolva, deixe a mistura ferver. Desligue o fogo e retire a panela imediatamente. Adicione a mistura de gelatina e creme à de leite e mexa bem. Adicione a 1 xícara extra de creme de leite.

Divida a mistura entre as 6 forminhas. Leve à geladeira até ficar firme, cerca de 6 horas. Um pouco antes de servir mergulhar as forminhas rapidamente em água quente. Inverter em pratos e regar com a redução de vinagre balsâmico.

torta de iogurte grego
[com molho de uva & pimenta]

torta de iogurte

Essa foi a sobremesa que mais gostei do menu do Thanksgiving. Quando vi a receita na revista Bon Appétit, achei a compota de uvas negras com pimenta do reino simplesmente o fino da inovação. Eu tinha que tentar fazer. E também porque adoro sobremesas com iogurte, com frutas frescas, fáceis de fazer, eteceterá. A pimenta do reino não deixa o molho exageradamente apimentado, como eu achei que iria. Mas acrescenta um toque picante e deixa o molho de uvas com um sabor mais concentrado.

para a massa de bolacha:
300 gr [10 oz] de biscoitos gingersnaps [ou outro tipo maria, maizena]
2 colheres de sopa de farinha de trigo
2 colheres de sopa de açúcar mascavo
1/2 colher de chá de sal kosher
6 colheres sopa de manteiga sem sal derretida e ligeiramente resfriada

para o recheio e molho:
2 colheres de chá [1 envelope] de gelatina sem sabor em pó
1/2 xícara, mais 2 colheres de sopa de leite integral
2 e 3/4 xícaras de iogurte grego
1/2 xícara de açúcar mascavo claro
1 colher de chá de raspas da casca de limão [*usei o tahiti]
3 xícaras de uvas pretas sem sementes
1/3 xícara de açúcar comum
1/4 xícara de suco de limão fresco [*usei o tahiti]
2 colheres de chá de pimenta do reino moída na hora
[*usei pimenta do reino defumada]
Uma pitada de sal kosher

faça a massa:
Coloque a grade no centro do forno e pré-aqueça a 325°F/ 162ºC. Coloque as bolachas num processador de alimentos e pulse até formar uma farofa. Adicione a farinha, o açúcar e o sal e pulse para combinar. Adicione a manteiga e pulse novamente até que a mistura fique com a consistência de areia molhada.
Transfira para uma forma de torta de 22cm e usando um copo de medida pressione com firmeza para baixo e nos lados da forma. Coloque a forma de torta sobre uma assadeira e asse por 20-25 minutos. Remova do forno e deixe esfriar. Nota: cuidado para não deixar a massa assar muito, pois ela fica muito dura pra cortar. a minha ficou um pouco difícil de cortar no dia, melhorou no dia seguinte.

faça o recheio e molho:
Numa tigela pequena coloque 2 colheres de sopa de leite e salpique a gelatina por cima. Deixe descansar por 5-10 minutos. Coloque a 1/2 xícara restante de leite em uma panela pequena em fogo médio até borbulhar levemente, cerca de 3 minutos. Retire a panela do fogo, adicione a mistura de gelatina e bata até ficar homogêneo. Misture bem o iogurte, o açúcar mascavo e as raspas de limão e despeje na massa de torta, alisando bem por cima com uma espátula. Leve à geladeira por pelo menos 2 horas .

Enquanto isso numa panela média colocar as uvas, o açúcar, o suco de limão, o sal e a pimenta do reino moída na hora e deixar ferver, mexendo para dissolver o açúcar . Reduza o fogo e cozinhe, mexendo ocasionalmente, até as uvas ficarem macias e a calda engrossar, por uns 10 minutos. Remova a panela do fogo e deixe esfriar. Pode guardar o molho na geladeira num recipiente coberto até a hora de servir. Cortar as fatias e servir com o molho de uvas por cima.

panna cotta de chocolate branco [com pickles de nectarina]

pannacotta-chocbr.jpg

Dei apenas uma bocadinha na sobremesa que o Uriel pediu no restaurante Lincoln em Portland e fiquei obstinada em tentar fazer a receita em casa. Assim que cheguei de viagem fui pra cozinha e fiz. Para a panna cotta eu apenas preparei uma receita básica e acrescentei o chocolate branco. Para o pickles de nectarina achei uma receita bem fácil na web e mandei bala. Só omiti a saba porque não deu tempo de correr atrás. Apesar disso a minha sobremesa-cópia ficou idêntica à original. Absolutamente deliciosa!

para a panna cotta:
1 xícara de creme de leite fresco
1 xícara de leite integral
1 fava de baunilha
1 envelope [7g] de gelatina em pó sem sabor
1 barra de 120 gr de chocolate branco
1 colher de sopa de açúcar

Numa panelinha coloque o creme de leite, a fava de baunilha e as sementes [corte a fava ao meio, raspe as sementes com uma faca], 1 colher de sopa de açúcar e o chocolate branco picado. Leve ao fogo médio e mexa até o chocolate derreter completamente. Enquanto isso coloque o leite numa outra vasilha e salpique a gelatina por cima. Despeje o creme de leite quente por cma do leite com a gelatina. Bata com um batedor de arame até a gelatina dissolver completamente. Coloque numa forma molhada ou em ramequins e leve à geladeira até firmar.

pickles-nectarine.jpg
para o pickles:
1/2 xícara de vinagre de vinho branco
3/4 xícara de açúcar
1 pau de canela
1/4 colher de chá de sementes de cominho
1/4 colher de chá de sal
4 nectarinas cortadas em fatias

Coloque todos os ingredientes, exceto as nectarinas, para ferver em uma panela média. Coloque as nectarinas num recipiente resistente ao calor e despeje sobre elas a mistura quente de vinagre. Deixe esfriar, cubra e leve à geladeira até a hora de servir.

gelatina de vinho rosé & berries

gelatina-vinhorose.jpg

Está fazendo aqueles famosos 40ºC secos por aqui hoje e eu já bebi uns dez litros de água. Por isso resolvi publicar essa receita refrescante que estava no vai-não-vai porque foi invencionice e não tem nada muito de especial. Separe duas xícaras de vinho rose. Coloque 1 xícara numa panela pequena e adoce com mel a gosto [eu usei um fortíssimo de jaborandi, que veio do Brasil] e leve ao fogo médio. Coloque a outra xícara de vinho numa vasilha, adicione uma colherzinha de água de rosas e salpique por cima 1 envelope [7g] de gelatina em pó sem sabor. Quando o vinho estiver bem quente na panela [não deixe ferver] remova do fogo e junte ao vinho frio salpicado com a gelatina. Mexa bem com um batedor de arame até que a gelatina dissolva completamente. Coloque as berries da sua preferência no fundo de taças transparentes e coloque por cima o liquido da gelatina. Leve à geladeira até firmar bem e sirva.

panna cotta de iogurte & mel

pannacotta-mel.jpg

Fui à um restaurante em Woodland jantar com uma amiga numa noite de semana quando o local ofereceu um menu de três pratos com preço fixo. Estava tudo super gostoso, mas nos encantamos com a sobremesa—uma panna cotta feita com mel local. Woodland produz muito mel, como resultado das milhares de caixas de abelhas usadas para fazer a polinização das plantas, principalmente da cultura das amêndoas. Desde que me mudei pra essa cidade nunca mais comprei outro mel, além desses locais. E para fazer essa panna cotta usei um mel de lavanda com um sabor ultra-delicado. A que comi no restaurante era feita somente com creme de leite. Mas decidi usar essa receita com iogurte grego, que também fica muito boa. O iogurte adiciona um toque pungente ao creme, que eu gosto muito.

1 e 1/2 xícaras de iogurte grego
1/2 xícara de creme de leite fresco
1 e 1/4 colheres de chá de gelatina em pó sem sabor
2 colheres de sopa de água
3 colheres de sopa de mel [*use mais se quiser mais doce]
1/2 colher de chá de extrato puro de baunilha

Numa vasilha misture bem o iogurte, o creme de leite, o mel e a baunilha. Numa outra vasilha misture a água e a gelatina e ponha no microondas por uns 30 segundos. Ponha essa mistura de gelatina no creme de iogurte. Misture bem com o batedor de arame e despeje nos potinhos. Ponha na geladeira até ficar firme. Sirva com morangos frescos ou outra fruta da época.

gelatina de grapefruit

gelatina-grapefruit.jpg

Estou com aquele faniquito de final de estação, querendo aproveitar ao máximo as frutas que logo vão desaparecer. No caso os cítricos e especialmente os grapefruits e pomelos, pelos quais caí de amores neste inverno quase findo. Tenho comprado essas frutas no mercadinho da road 16, onde este ano eu achei os cítricos mais doces. Só de laranjas locais acho que eu e o Uriel já consumimos uns dez sacos. Sem falar nos vários tipos de tangerinas e mexericas, grandes, médias, pequenas, casca fina, casca grossa, eteceterá-eteceterá. Essa gelatina ficou exatamente do jeito que gostamos [bitter-sweet] e nem vou contar quantos potinhos eu comi. Prepare essa receita usando suco de grapefruit—um natural, não daqueles de caixinha com sabor artificial.

2 xícaras de suco fresco de grapefruit
2 pacotinhos [de 7gr cada] de gelatina em pó sem sabor
1 pomelo grande descascado e a película removida dos gomos
Um fio de néctar de agave ou mel, se quiser

Divida o suco de grapefruit em duas partes. Uma parte coloque numa panelinha e leve ao fogo até quase ferver. A outra parte coloque numa tigelinha e salpique os dois pacotinhos de gelatina por cima. Adoce com o agave ou mel, se quiser. Corte os gomos do pomelo em pedaços e distribua em 4 ou 6 forminhas [dependendo do tamanho vai dar mais ou menos]. Junte o suco aquecido ao suco com a gelatina dissolvida e misture bem. Despeje o liquido nas forminhas com os gomos partidos de pomelo e leve tudo à geladeira por no mínimo 4 horas ou até a gelatina firmar completamente. Se quiser desenformar coloque a base das forminhas rapidamente em água quente. #pode fazer com laranjas e mexericas, se não achar grapefruit e pomelo.

gelatina festiva de romã

gelatina-roma_1S.jpg

Neste Natal, apesar da chuva e do frio, eu quis fazer sobremesas refrescantes para dar um final leve à uma refeição mais pesada, com carne de porco. Uma das receitas que escolhi foi essa da Deborah Madison publicada na coluna dela do Culinate. Adorei absolutamente tudo nessa gelatina festiva e posso garantir, pela velocidade com que o meu filho devorou a porção dele, que fica realmente excepcional.

para a gelatina:
2 xícaras de suco de romã puro [*usei o da POM]
1 pacote de gelatina em pó sem sabor [1 colher de sopa]
1 colher de sopa de açúcar
2 colheres de chá de água de flor de laranjeira
para o creme de iogurte:
2 colheres de sopa de leite integral
1 pitada de açafrão
1/2 xícara de iogurte grego
1 colher de sopa de mel
2 colheres de sopa de pistachios
Sementes de romã

Despeje 1/2 xícara de suco de romã em uma tigela, polvilhe a gelatina por cima e deixe descansar por 5 minutos. Enquanto isso, aqueça metade do suco restante (3/4 xícara) apenas até o ponto de ebulição. Misturar na gelatina, adicionar o açúcar e bater bem com um batedor de arame até que a gelatina esteja completamente dissolvida. Aos poucos, misture o restante do suco, em seguida, adicione a água de flor de laranjeira. Divida o liquido entre 4 taças e leve à geladeira até firmar, por pelo menos 6 horas ou durante a noite.

Aqueça levemente o leite com os fios de açafrão e deixe esfriar. Misture bem o iogurte com o mel. Junte a mistura de leite com a de iogurte com o açafrão. Leve à geladeira até a hora de servir.

Para servir, coloque uma colher do creme de iogurte sobre cada taça de gelatina de romã. Decore com os pistaches e sementes de romã.

gelatina-roma_2S.jpg

pudim de damasco fresco

pudim-damasco_2S.jpg

Tive um surto de excitação quando vi de longe as árvores carregadíssimas de frutas no ponto extremo do pequeno pomar de damascos. Foi como uma daquelas visões oníricas inesquecíveis que imprimem a imagem pra sempre na nossa memória—a copiosa folhagem verde salpicada pelo intenso amarelo-laranja dos damascos. Fomos até lá e constatamos que as frutas estavam realmente abundantes, embora elas fossem um pouco menores que as das outras árvores na frente do pomar. O Uriel disse que com certeza elas não tinham recebido o cuidado necessário, como as podas na época certa. Mesmo assim colhemos um balde delas. Com esse trancetê de ir colher frutas semanalmente na fazendinha orgânica, tenho acumulado mais frutas do que estamos conseguindo consumir. Já congelei uma parte, mas ainda tenho damascos a beça esperando para virar uma sobremesa interessante. Com alguns deles fiz este pudim refrescante e singelo. Usei um sour cream orgânico daqueles tão deliciosos que daria até pra comer puro, de colher, misturado com um fio de mel. Também usei o agar agar, que é na minha opinião um dos ingredientes mais práticos e incríveis que já usei na minha cozinha. Ele solidifica tão rapidamente que, em casos extremos, nem precisaria de geladeira. E não vamos esquecer dos damascos lindos, maduros, orgânicos, docinhos e fresquinhos que colhi com minhas próprias mãos.

6 damascos frescos pequenos
1 xícara de sour cream
1 xícara de leite de amêndoa [pode substituir por qualquer outro]
1 pacotinho [4g] de agar agar
Nectar de agave a gosto [pode substituir por mel]
1 punhadinho de folhas de manjericão fresco

No liquidificador bata os damascos [sem caroço], o sour cream, as folhas de manjericão e o nectar de agave até obter um purê. Reserve. Numa panela pequena coloque o leite de amêndoas e misture o agar agar nele. Leve ao fogo até ferver. Retire do fogo e misture a gelatina quente ao purê de fruta. Mexa bem para incorporar e divida em taças, forminhas ou copos. Leve à geladeira até gelar e sirva.