bolo de banana [com painço]

Imagino que todos saibam que os americanos chamam esses bolos feitos na forma de pão de “pão”. Não sei o motivo, nunca fui pesquisar. Mas eu chamo de bolo. Fomos fazer uma trilha no domingo e levamos bananas na mochila. Camelamos por quase 2 horas no sol e quando chegamos em casa as bananas estavam explodindo de maduras. Foi a oportunidade perfeita pra testar essa receita. O painço pode ser opcional, mas eu recomendo que ele seja usado. Deixa o bolo com uma textura muito diferente. Como a receita faz dois bolos, comemos um e o outro levei pro meu trabalho pra dividir com meus colegas e foi um tremendo sucesso.

faz 2 bolos
170 gr manteiga sem sal
1/2 copo de açúcar branco
3/4 copo açúcar mascavo
2 ovos caipiras
1 colher de chá de extrato da baunilha
1/2 colher de chá de sal
115 gr de cream cheese amolecido
115 gr de iogurte grego
4 bananas médias amassadas com um garfo
3 xícaras de farinha de trigo
1 e 1/2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de canela em pó
1/2 xícara de painço não cozido

Pré-aqueça o forno a 350ºF /176ºC. Unte duas formas de pão. Derreta a manteiga em uma tigela grande. Adicione os açúcares e bata bem para combinar. Adicione os ovos um de cada um de cada vez e em seguida, a baunilha e o sal. Adicione o cream cheese amolecido e o iogurte grego. Bata até obter uma massa lisa. Adicione as bananas amassadas e misture bem. Adicione a farinha, o bicarbonato de sódio e canela em pó. Misture bem. Adicione o painço cru. Divida a massa uniformemente entre as duas formas e asse por cerca de 1 hora, ou até que o centro dos bolos estejam cozidos. Retire do forno e deixe esfriar antes de desenformar.

bolo de banana & gergelim

bolo banana & gergelim

bolo banana & gergelim

Comprei banana só pra fazer esse bolo, que aqui eles chamam de pão. Mas como tem textura de bolo, eu chamo de bolo. Acho tudo que vai gergelim uma delicia, especialmente quando tem bastante sementinhas pra fazer croc-croc. Essa receita faz um bolo grande e acho que eu precisava de uma forma de pão um pouco maior. O bolo não vazou, mas cresceu e caiu para os lados formando uma borda crocante e na hora de desenformar não ficou tão bonito. Mas esse detalhe não é importante. Apenas mudei um pouco o modo de fazer pra ser mais prática e usar somente uma vasilha e o processador de alimentos.

1/3 xícara de sementes de gergelim branco
1/4 xícara de sementes de gergelim preto
4 bananas muito maduras
1 e 1/4 xícara de farinha de trigo para bolo
1/4 colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/2 colher de chá de sal kosher
2 ovos caipiras grandes
1/2 xícara de óleo vegetal
2 colheres de sopa de tahine
1 colher de sopa de extrato de baunilha
2 xícaras de açúcar mascavo

Preaqueça o forno a 350F°/176°C. Separe 1 colher de sopa das sementes de gergelim branco e 1 colher de sopa das sementes pretas e toste em uma frigideira em fogo médio, mexendo ocasionalmente, por cerca de 5 minutos.

Numa vasilha misture a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal. Coloque as bananas em um processador de alimentos pulse até fazer um purê. Junte os ovos, o óleo, o tahine, e a baunilha no processador. Junte por fim o açúcar mascavo ao purê de banana e pulse até ficar bem misturado. Despeje a mistura de banana aos ingredientes secos, usando uma espátula e incorporando tudo delicadamente. Coloque em sementes de gergelim torradas na massa.

Despeje a massa em uma forma de pão grande untada com óleo. Polvilhe o restante das sementes de gergelim brancas e pretas por cima. Leve ao forno e asse por 60-70 minutos. Remova do forno e deixe esfriar completamente na forma. Desenforme e sirva.

smoothie verde [com matcha]

supergreenjuice

Não sou uma pessoa de fazer grandes sucos. Gosto de comer muitas frutas e de beber água e vinho. Mas de vez em quando algo assim liquido chama a minha atenção e geralmente é por causa de um ou de uma combinação interessante de ingredientes. Por isso me aventurei nessa bebida vitaminada, que é bem gostosa. Pode adoçar ou não. Eu fiz das duas maneiras. Também fiz sem e com o abacaxi. De todas as maneiras fica muito bom, pois o sabor predominante é o do matcha. E eu estou num momento de extrema simpatia com esse chá.

faz dois copos
1 banana congelada
1 xícara de pedaços de abacaxi congelados
1 xícara de folhas verdes [salsinha, espinafre, couve]
1 xícara de leite de amêndoas sem açúcar
2 colheres de sopa de manteiga de amêndoas
1 colher de chá de néctar de agave [opcional]
1 colher de chá de matcha—chá verde em pó
1/2 colher de chá de gengibre fresco ralado bem fino

No liquidificador coloque todos os ingrediente e bata bem até virar um creme nem muito denso, nem muito aguado. Sirva.

Roux

picolés de figo com balsâmico
e banana com peanut butter

picoles-galore1.jpg

Antes de sair para nossa viagem ao Oregon, passei um dia tentando usar todos os ingredientes, i.e. zilhões de frutas e legumes, que tinha na cozinha. Para usar uns figos frescos e umas bananas fiz esses picolés, que ficaram excepcionais!

figo com balsâmico
6 figos
1 colher sopa de manteiga
1 xícara de iogurte natural
Nectar de agave [ou outro adoçante] a gosto
1 splash de vinagre balsâmico—usei um de figo & tangerina
Numa frigideira derreta a manteiga e frite os figos cortados pela metade. Deixe os figos esfriarem e coloque no liquidificador com os outros ingredientes. Forma e congelador.

banana com peanut butter
2 bananas
1 colher sopa de manteiga
1 xícara de leite de amêndoas [ou outro leite]
2 colheres de sopa de manteiga de amendoim

Numa frigideira derreta a manteiga e frite as bananas cortadas de comprido. Deixe as bananas fritas esfriarem e coloque no liquidificador junto com os outros ingredientes. Forma e congelador.

bolo de banana

bolo-banana-lau_2S.jpg
O dono dessa fabulosa receita é o meu amigo Lau, que não é somente um exímio cozinheiro, mas é também criativo e frugal. Pedi a receita assim que vi a foto do bolo dele—banana e farinha de rosca, que mistura auspiciosa! Numa interação agilíssima ele me mandou a receita e em duas piscadas o bolo estava pronto. Que delicia! Fiz duas adaptações minúsculas baseada nos ingredientes que eu tinha disponível e diminuí um pouco o açúcar. Troquei a banana prata pela banana da terra [a plantain] e usei bolachas integrais pra fazer na hora a farinha de rosca. A banana que usei para decorar foi a nanica.
4 bananas prata
[*usei 2 bananas da terra—plantain bem grandes]
1 xícara de óleo vegetal
3 ovos caipiras inteiros
2 xícaras de farinha de rosca
1 e 1/2 xícaras de açúcar
1 colher de sopa de fermento em pó
Pré-aqueça o forno em 356ºF/ 180ºC. Unte uma forma retangular com manteiga e salpique com um pouco de farinha de rosca. Reserve. No processador ou liquidificador coloque as bananas, o óleo e os ovos e bata muito bem até formar um purê. Acrescentar o açúcar e bater mais um pouco. Por último coloque o fermento em pó. Coloque a mistura numa vasilha grande e junte a farinha de rosca mexendo bem com uma espátula ou colher de pau para incorporar. Coloque a massa na forma untada e decore com rodelas ou tiras de banana—usei 2 bananas nanicas, que era o que eu tinha. Polvilhe canela e açúcar por cima das bananas. Eu usei açúcar de maple, porque sou fancy, mas qualquer açúcar serve. Leve ao forno e asse até o bolo ficar bem dourado e firme no centro. Deixe esfriar e sirva. Achei que o bolo ficou mais gostoso ainda no dia seguinte. Como o Lau, eu usei o processador pra fazer a massa, porque é mais fácil. Moí as bolachas salgadas nele e depois preparei a massa. Foi super rápido e assim que acabou de acontecer o eclipse do sol no domingo à tarde, já tínhamos um bolo fresquinho para o nosso lanchinho.
bolo-banana-lau1S.jpg

panquecas de centeio

panqueca-centeio_1S.jpg

Nós não somos pessoas que comem panquecas no café da manhã. Eu, porque de manhã mal consigo articular palavras coerentes, quanto muito fritar panquecas. E o Uriel, porque ele não é muito versado na cozinha, com panelas e ingredientes. Mas eu tinha uma missão neste final de semana—tentar liquidar com um tanto de buttermilk e usar a farinha de centeio que comprei outro dia para fazer uma receita que levava menos de uma xícara. Panquecas foram a melhor idéia e achei esta receita perfeita, porque usa todos os ingredientes que eu precisava gastar e faz uma quantidade pequena. Pra nós dois foi até um pouco demais e sobrou. Mas não sobrou muito. Comemos panquecas então no café da noite do domingo, acompanhadas por rodelas de banana da terra [plantain] fritas e maple syrup. Para fazer as bananas, apenas coloque as rodelas numa frigideira com manteiga derretida, frite dos dois lados e salpique com uma mistura de açúcar e canela.

Para fazer as panquecas, numa vasilha peneire tudo junto:
1/2 xícara de farinha de centeio
1/4 xícara de farinha de trigo integral
1/2 colher de sopa de fermento em pó
1 pitada de sal

Numa outra vasilha bata bem:
1 ovo
1 xícara de buttermilk
1/2 colher de sopa de manteiga derretida

Coloque a mistura dos ingredientes liquidos sobre a mistura dos ingredientes secos e bata com um batedor de arame. A massa deve ficar mais liquida que grossa. Acrescente mais buttermilk se precisar, na minha precisou. Unte uma frigideira ou chapa com manteiga e coloque colheradas da massa, espalhando rápido para formar um circulo. Deixe cozinhar bem de um lado, vire com uma espátula e cozinhe do outro lado. Remova as panquecas prontas para um prato. Repita a operação até usar toda a massa. Sirva com as bananas fritas e maple syrup. Ou com outra mistura de frutas frescas ou cozidas, geléia ou xarope que tiver disponível.