salsa de cranberries frescas
[com queijo brie]

cranberry-brie

Toda primeira sexta-feira do mês tem um evento na downtown de Woodland chamado Friday Art Walk. Algumas lojas têm bandas tocando, comidinhas e bebidinhas de graça, o centrinho histórico da cidade fica agitado. Eu não vou sempre, mas em novembro chamei uma amiga e fomos caminhando. Numa galeria de arte eles serviam vinho e esse canapé, de queijo brie com uma salsa de cranberries frescas. Pedi a receita e o cara me deu o cartão dele, mandou eu mandar um e-mail pra ele. Ah, mandar email, esperar ele responder, muito trabalho, peloamor, estamos no século 21! Fui no Google e achei essa receita da Elise, bem similar. Fiz para servir de entrada antes de um jantar com amigos. A combinação do queijo brie com a cranberry fresca é muito auspiciosa.

1 e 1/2 xícaras de cranberries frescas [ou congeladas]
1/2 maçã descascada e picadinha
1/2 pimenta jalapeño [ou serrano] sementes removidas e picadas
2 cebolinhas verdes picadas, incluindo parte branca e verdes
4 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de coentro fresco picado
1 colher de sopa de gengibre fresco picado
1 colher de sopa de suco de limão
Sal a gosto

Coloque todos os ingredientes num processador de alimentos. Pulse várias vezes até formar um molho bem homogêneo. Transfira para uma vasilha e deixe descansar por pelo menos 15 minutos. Guarde na geladeira até a hora de servir. Sirva acompanhado do queijo brie.

baba ganouch [minha versão improvisada]

Esse baba ganouch ficou muito bom e foi feito de improviso, porque eu tinha ingredientes na geladeira que precisavam ser gastos. Coloquei na grelha da churrasqueira 2 berinjelas e um alho poró. Deixei ficar bem preto. Descasquei e coloquei no processador com uns dentes de alho assados [que eu já tinha na geladeira], sal, pimenta vermelha em flocos, xarope de romã e azeite. Para servir coloquei por cima um punhado de pinoles do Oregon que comprei no outono do ano passado e que tenho que descascar um por um pra poder comer. Um trabalhão, mas dá um belo toque especial.

bolacha de aveia e sementes

seed-cracker

Fiz essa receita da Anna Jones assim que vi na revista Bon Appétit. Achei maravilhosa, porque só vai ingrediente legal e é super fácil de fazer. Fiz um hummus pra acompanhar, onde coloquei uma tâmara, sementes de gergelim e uma pitada de pimenta. Queria ter feito uma foto melhor, mas simplesmente não deu tempo. Essa eu fiz na cozinha do meu trabalho, na hora do meu almoço. No mesmo dia levei as bolachas para um potluck na casa de uma amiga e eles foram devorados com tanta voracidade que fiquei até meio abismada. Elas realmente ficam gostosas. E na realidade é apenas uma bolachona rústica, que você quebra com as mãos depois de assada. A receita sugere que se pode trocar as sementes, usar outras, contanto que mantenha-se as mesmas quantidades. Eu fiz planos de refazer com outros tipos de sementes, mais sal, ervas, mel, mas fui levada pela correria do dia-a-dia e ainda não consegui fazer nada. Mas irei!

1 xícara de aveia grossa
3/4 xícara de sementes de abóbora cruas
1/3 xícara de sementes de girassol cruas
1/3 xícara de sementes de gergelim
3 colheres de sopa de sementes de chia
3 colheres de sopa de sementes de papoula
1 colher de chá de sal kosher
1 colher de sopa mais 1 colher de chá de óleo vegetal
1 colher de sopa xarope de bordo puro [maple syrop]

Pré-aqueça o forno a 375°F/200°C. Misture a aveia, as sementes de abóbora, as sementes de girassol, as sementes de gergelim, as sementes de chia, as sementes de papoula e o sal em uma tigela grande. Misture o óleo, xarope de maple e 3/4 xícara água em temperatura ambiente em uma tigela média. Despeje o líquido sobre a mistura de aveia e mexa até a mistura ficar completamente encharcada. Deixe descansar 10 minutos. A mistura irá absorver a água e engrossar.

Formar a mistura de aveia em uma bola e transfira para uma assadeira forrada com papel vegetal. Pressione uma segunda folha de papel vegetal por cima da massa e usando um rolo de massa abrir a massa o máximo que der, mas não muito fina.. Remova o papel vegetal de cima e reserve.

Leve a assadeira ao forno e asse até a bolacha ficar dourada nas bordas, por 15 – 20 minutos. Retire do forno e cuidadosamente remova da folha de papel. Use a outra folha reservada para forrar a forma e coloque a bolacha sobre a folha nova, para assar do outro lado. Deixe assar por mais 15 – 20 minutos. Remova do forno, deixe esfriar na assadeira e em seguida quebre em pedaços com as mãos. Armazene num pote bem fechado.

berinjela grelhada [com alcaparras & balsâmico]

eggplant-caper-balsamico

O que fazer com um monte de berinjelas orgânicas acumulando na geladeira? Receitas não faltam e dessa vez foi essa uma super simples que me salvou. Modifiquei o modo de fazer, trocando a frigideira pela churrasqueira, porque nesta época do ano eu prefiro cozinhar no quintal e não esbaforir e esquentar a cozinha.

1/2 xícara de vinagre balsâmico
1 xícara de azeite de oliva
2 berinjelas cortadas em fatias grossas
Sal kosher e pimenta do reino moída na hora a gosto
2 colheres de sopa de alcaparras
olhas de manjericão fresco

Colocar o vinagre numa panelinha e levar pra ferver em fogo médio até formar um xarope espesso, cerca de 10 minutos. Aquecer metade do azeite em uma panela ou frigideira em fogo médio-alto e fritar as rodelas, virando uma vez, para dourar dos dois lados. Coloque as rodelas fritas sobre folhas de papel para escorrer e tempere com sal e pimenta. Eu fiz essa parte na churrasqueira, grelhando as fatias temperadas com azeite dos dois lados. Arrume as berinjelas numa travessa, regue com o xarope de vinagre balsâmico, decore com alcaparras e folhas de manjericão. Sirva.

spicy deviled eggs
— ovos recheados picantes

spicy deviled eggs

Um dos nossos vizinhos da Elm Street nos convidou para a festa surpresa que ele organizou para a mulher dele, que fez 50 anos. Minha casa não fica na Elm Street, mas como fica na esquina temos a vantagem de ser convidados pra festas em duas ruas. Adoro as festas dos vizinhos da Elm Street, pois eles são mais informais. Fomos avisados pra não levar presentes, mas se quisessemos podiamos contribuir com hors-d’oeuvres. Na primavera eu fiquei com um surplus imenso de ovos caipiras, porque nessa época as galinhas ficam muito animadinhas. Resolvi fazer os famosos ovos recheados, aperitivo muito comum por aqui, mas que eu nunca tinha feito. Queria algo picante e não tive muito tempo de revirar a dábliodáblioweb nem meus livros, então me contentei com essa receita do site poluído da MS, que achei bem tranquila. Até que foi tudo bem até a hora de rechear. Comprei os bicos e sacos de confeiteiro, mas a meleca que eu fiz foi impressionante, nada memorável. Sem entrar em mais detalhes vergonhosos, os ovinhos ficaram muito gostosos e depois de dançar muito na festa, voltei pra casa com minha travessa vazia.

8 ovos caipiras grandes
1/3 xícara de pimentão vermelho tostado e despelado [usei os prontos, no vidro]
2 colheres de sopa de maionese
3 colheres de chá de mostarda Dijon
2 colheres de chá de Tabasco
Sal e pimenta do reino moída na hora a gosto
Sementes de papoula para decorar

Encha uma panela com água e leve para ferver. Quando a água estiver borbulhando adicione os ovos um a um com cuidado. Deixe cozinhar por uns minutos, desligue o fogo, tampe a panela e deixe descansar por 10 minutos. Escorrer os ovos e lavar com água fria até esfriar o suficiente para poder descascar. Enquanto isso coloque o pimentão vermelho, a maionese, a mostarda e molho tabasco em um processador de alimentos e processo até ficar um creme homogêneo. Corte os ovos descascados ao meio, retire as gemas, deixando a parte branca intacta. Adicione as gemas no processador de alimentos e processo até obter uma mistura bem lisa. Tempere a gosto com sal e pimenta. Coloque essa mistura de gema nas cavidades das partes brancas. Polvilhe com sementes de papoula antes de servir.

picles de aspargos & ervilha

spring-pickles

Estou naquela vibração obsessiva de comprar todo e qualquer aspargos que vejo pela frente. Estamos na estação e ela é curta, então aproveitarei, custe o que custar! Hahahaha. Daí me ponho louca procurando receitas novas, porque já cansei de refazer as boas e que eu gosto, quero algo novo. Uma das ideias novas foi tentar fazer um picles. A primeira receita que encontrei foi a que fiz. Só mudei uma coisinha na hora de encher os vidros, porque sabia que iria levar muitos dias pra consumir todo esse picles e não queria que eles ficassem muito apimentados ou com sabor muito forte de alho. Também acrescentei as ervilhas, que não estavam na receita original, mas estão abundantes neste momento primaveril. Gostei muito do resultado e intenciono refazer essa receita com outros ingredientes.

1 quilo de aspargos e ervilhas
1 litro de vinagre branco destilado
1/4 de xícara de sal kosher
2 colheres de sopa de açúcar
12 pimentas vermelhas secas [tipo chiles de árbol]
6 dentes de alho esmagados
2 colheres de sopa de pimenta do reino inteira
2 colheres de sopa de sementes de mostarda

Coloque os aspargos e ervilhas em recipientes ou frascos. Em uma panela grande misture o vinagre com 1 litro de água e os ingredientes restantes. Leve para ferver e deixe cozinhar por 10 minutos, mexendo para dissolver o sal e açúcar. Desligue o fogo e deixe repousar à temperatura ambiente até que o liquido fique morno. Despeje esse liquido sobre os espargos e ervilhas nos vidros. Tampe bem e leve à geladeira. Quanto mais tempo ficar na geladeira, mas forte será o sabor. Por isso, na hora de colocar o liquido nos vidros eu removi a maior parte das pimentas e todo o alho. Deixei só um pouquinho das sementes de mostarda e pimenta do reino, e umas 6 pimentas vermelhas. O resultado de sabor mais delicado funcionou bem pra mim, que não gosto de coisas com sabor muito forte de alho.

ameixa seca recheada com noz
e cozida no suco de laranja

prunes-walnuts.jpg

Essa é outra sobremesa fabulosa, típica do oriente médio, que tirei do livro The New Book of Middle Eastern Food da Claudia Roden. Precisa de apenas três ingredientes e um pouco de paciência para esperar as ameixas esfriarem.

Ameixas secas ◼︎ Nozes ◼︎ Suco fresco de laranja

Corte a lateral de cada ameixa com cuidado e insira uma metade de noz. Coloque todas as ameixas recheadas numa panela, cubra com suco de laranja e leve ao fogo baixo, deixe cozinhar por uns 30 minutos ou até as ameixas absorverem todo o líquido e restar apenas um pouco de xarope da laranja. Remova da panela, coloque numa travessa, deixe esfriar completamente e sirva. Pode acompanhar iogurte ou creme de leite fresco batido, mas eu não fiz. As minhas ameixas ficaram meio avermelhadas porque tinha uma laranja sanguínea entre as laranjas que espremi.