kumquat marmalade
— geléia de kinkan

kumkuat-marmalade_1S.jpg

Achei duas árvores carregadas de kinkans perto do meu prédio na universidade e cada dia que eu passava por elas durante minha caminhada estica-pernocas da tarde catava um punhado e levava pra comer no meu cubo. Adoro comer essa frutinha como se fosse pipoca! Mas depois fui lá com minha amiga, eu com uma caixa de papel e ela com uma sacolinha. Pegamos muitas kinkans e eu quis fazer uma marmalade. Procurei várias receitas e escolhi a mais simples delas [e a com menos açúcar] no website da epicurious. Deleguei a tarefa de fatiar e descaroçar as mini-laranjas pro meu marido, que encarou o desafio com coragem e determinação. E depois de uma hora de trabalho minucioso, me entregou as kinkans prontas para irem pra panela. A quantidade de fruta inteira que eu tinha rendeu 7 xícaras fatiadas. Ajustei as medidas da receita de acordo. Gostei dessa receita por ela ser fácil e rápida de fazer e por não ser muito doce. Gosto de sentir o sabor da fruta no doce. Gostei tanto dessa marmalade que tenho levado em pequenos vidrinhos para comer como snack da tarde no trabalho, acompanhada de pequenos biscottis italianos.

2 xícaras de laranjas kinkans fatiadas e sem caroço
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de água

Coloque as kinkans fatiadas numa panela grande e robusta. Misture o açúcar e deixe macerar por 15 minutos. Junte a água e leve ao fogo alto até ferver. Abaixe o fogo e cozinhe por uns 20 minutos ou até que o liquido tenha reduzido e engrossado, como um xarope. Não deixe o caldo secar muito, pois ele vai engrossar mais depois de frio. Remova a geléia do fogo, deixe esfriar, coloque em potes com tampa e guarde na geladeira por até 2 semanas.

5 comentários sobre “kumquat marmalade
— geléia de kinkan”

  1. Acho que não tem esse nome aqui no Brasil. Vi uma compota no Pão de Açucar e tinha outro nome, ou será outra fruta? Não são laranjas pequenas?
    R: Lia, no BR sao chamadas de kinkãs, eu acho. sao sim laranjinhas micro. 😉

  2. Fernanda, nunca fiz nenhum comentário em seu Blog,apesar de lê-lo sem falta todos os dias, mas hoje não resisti…
    Minha mãe faz uma compota com kinkan que é de comer de joelhos. Logo que eu vi o seu post pensei, porque fazer o coitado do marido tirar as sementes das “cumquats”se o bom das mesmas é aquele azedinho caracteristico das laranjinhas.A minha sugestão é que vc deve chamar a sua amiga de novo e fazer nova “colheita de cumquat”e preparar a compota,(com a laranjinha inteira, só fazendo um conte em cruz no pézinho da laranja, onde sai o cabinho) assim como outra compota normal, tipo doce de abóbora, figo, goiaba ou laranja.Pronto, falei…ou melhor escrevi.Adoro os seus posts.Abraços, Rosaria.
    R: Rosaria, muito obrigada por comentar e me dar essa valiosa dica, pois o que o meu marido mais reclamou foi de ter que tirar as sementes! vou colher mais kinkãs e refazer a geleia usando a sua tecnica. abraço! 🙂

Deixe a sua pitada: