adoro as manhãs de domingo

pi-masters.jpg
Tenho a impressão de que os coaches do masters onde eu nado me desprezam profundamente, porque eu não estou interessada nos treinos, nas competições, em quebrar recordes ou ganhar medalhas. Eles me ignoram solenemente, mas pra mim tá muito bom assim. Eu sempre nadei contra a corrente ou sozinha numa raia sem me enturmar. Sou assim desde sempre, não consigo fazer parte de grupos, partidos, andar em turma, fazer o que os outros fazem, me vestir na moda, seguir regras, participar de eventos coletivos, jogar joguinhos, passar correntes pra frente, fazer parte de um time, me integrar na onda do momento. Sou a que corre por fora, do meu jeito, com as minhas regras e etiquetas que me orientam e determinam o meu caminho.
Acordamos com o gato faminto espancando a porta do quarto. Eu levantei e desci para dar comida ao desesperado. A relação do Misty com os humanos é completamente baseada em comida. É uma coisa que me incomoda, pois parece não existir outro elo de ligação. Li outro dia que gatos são muito mais leais aos humanos do que os cachorros, só que eles fazem a conexão de uma maneira diferente e muito mais rigorosa. Eles se conectam com apenas um humano, à quem vão ser leais para sempre. Se acontecer dele ser abandonado, o gato nunca mais vai se conectar à humano algum e todos os relacionamentos dali em diante serão baseados em comida. E esse é exatamente o caso do meu gato velhinho, o Misty.
Domingo de manhã, quatro graus, névoa baixa e frio, vejo pela janela da cozinha muitos passantes indo caminhar pelo Arboretum. E daqui a pouco eu tô indo nadar.

9 thoughts on “adoro as manhãs de domingo”

  1. Nadar contra a maré é preciso 🙂 Não somos autómatos, saídos de uma fábrica de produção industrial. Quase chorei aqui com essa dos gatinhos, não sabia que eles se ligavam apenas a uma pessoa, será que sou eu a pessoa que o meu gato escolheu? 🙂

  2. …Nadando contra a corrente só pra exercitar
    Todo o músculo que sente
    Me dê de presente o teu bis
    Pro dia nascer feliz!
    Também me sinto assim correndo por fora, me orientando pelas minhas próprias regras, sem me enturmar demais.
    Adoro você e adoro esse blog. Toda vez que comento aqui tenho que dizer isso. Não pare de escrever aqui nunca nunca nunca.
    Abraço,
    Ana Paula.

  3. Fer, eu sei bem o que vc quer dizer quando conta sobre o seu gato espancando a porta do quarto todas as manhãs: o meu Gato Preto faz a mesma coisa! E depois que já acordou a casa toda, vai dormir ao sol…
    IMpossível não se lembrar do Simmon’s cat. Vc deve conhecer, o video está no Youtube (como quase tudo…) neste endereço


    Adoro esse gato! ele sintetiza todos os bichanos que conhecemos!
    Obrigada pelos textos adoráveis que vc escreve!
    bjs
    ML

Deixe a sua pitada: