um chucrute de meia-tigela

chucrute-comporkchops_1S.jpg
chucrute-comporkchops_2S.jpg
Muita gente me pergunta se chucrute é uma comida da minha infância. Até o jornal Sacramento Bee, quando fez uma reportagem sobre os blogueiros locais anos atrás, teve a petulância de publicar que o chucrute era um prato especial que a minha mãe preparava. Minha mãe NUNCA fez chucrute. Essa é a graça da famosa receita que acabou virando uma história divertida de família e no final batizou este blog. Na verdade, foram raras as vezes que comi chucrute. E todas elas, que me lembro, foi sempre o chucrute feito à moda da Maria José—comprado pronto. E isso porque meu marido curte essa iguaria, pois se dependesse somente de mim chucrute nunca entraria de livre-arbítrio na minha lista de compras.
Fazer chucrute em casa então, era uma sugestão digna de ser retrucada com uma altíssima gargalhada. Mas ora bolas, quanto preconceito da minha parte. Fazer chucrute pode parecer uma tarefa para monges tibetanos, mas hoje vejo que nem é tanto assim. E existem muitos atalhos, muitas maneiras de driblar o processo de fermentação, a espera. E repolho, mes amis, é apenas repolho.
Com tantas imitações ostensíveis de chucrute manifestando-se por ali, aqui e acolá, o que realmente me prevenia de se jogar nessa aventura? Nada!
Comprei umas bistecas de porco defumadas de um fazendeiro no Farmers Market. Ele já me explicou como os porquinhos dele são criados, como são tratados e como são alimentados, o que me deu coragem pra comer carne de porco com um pouco mais de frequência. Fazia muitos anos que não comíamos essas bistecas. Elas são super saborosas e bem práticas, pois só precisam de uma passada na grelha ou uns minutos no forno. Essas fiz numa skillet grill, que só precisou de uma leve untada de azeite e a carne ficou com essas marquinhas fotogênicas. Pra acompanhar as bistecas cozinhei umas maçãs cortadas em quatro com um pouco de geléia de gengibre e um pingo de água, até as maçãs ficarem bem molinhas. E fiz também o arremedo de chucrute.
Achei a receita na aplicação para iPhone do Big Oven. Obviamente que tinha alguém no espaço para comentários chutando as latas e dizendo que aquilo não era chucrute coisa nenhuma, que chucrute precisa fermentar, eteceterá eteceterá, mas eu me fiz de tonta e fui em frente. E no final até o meu marido, apreciador do verdadeiro chucrute, comeu e gostou. E eu, nem vou mentir, também gostei.
1 repolho cortado em fatias finas
2 xícaras de vinagre de vinho tinto
1 xícara de água
1/4 xícara de azeite
1/4 xícara de açúcar
1 colher de chá de sementes de mostarda
1 colher de chá de juniper berry
Sal e pimenta do reino moída a gosto
Numa panela robusta misture o vinho, água, azeite, mostarda, juniper berries, açúcar e leve ao fogo. Quando ferver adicione o repolho cortado e misture bem. Deixe cozinhar em fogo baixo por bastante tempo, até todo o liquido quase secar. Tempere com sal e pimenta do reino moída e sirva.

8 comentários sobre “um chucrute de meia-tigela”

  1. Fer, eu sempre leio seu blog, por mais de anos, eu acho, e nunca comentei, mas hoje, que vim procurar uma receita de bolo legal para um piquenique, tive que comentar o quanto suas receitas são lindas, tanto que nao consegui escolher uma até agora, e o quanto voce escreve tão lindamente que ate me fez ficar mais leve e de bem com a vida. Admiro muito seu blog, estou ate me inspirando em fazer um, quem sabe né! beijos!!
    R: fiquei imensamente feliz de saber disso, Ellen. se iniciar o blog, me avisa, tá? beijo!

  2. Eu que adoro o que vc escreve fiquei muito “orgulhosa” de ver que vc transcendeu,kkkk. Superar o mito do chucrute foi um grande passo. Minha mãe é estilo a sua, super prática.

  3. Eu que adoro o que vc escreve fiquei muito “orgulhosa” de ver que vc transcendeu,kkkk. Superar o mito do chucrute foi um grande passo. Minha mãe é estilo a sua, super prática.

  4. Aqui na Holanda rola bastante chucrute com salsichao ou carne de porco (carre) agora durante o inverno. Ha varias variedades, com vinho branco ou com maca (applemousse), com repolho roxo ou branco. E’ tao facil e rapido, nao sei porque algumas pessoas acham preparar isso um misterio !

  5. É Chucrute…há muito tempo visito seu blog Fernanda, admiro as fotos, os textos e as receitas é claro!
    Não tenho muita habilidade na cozinha mas sei admirar o que é bom!
    Neste fim de ano voltei a visitar seu blog e estou cultivando a idéia de botar em prática a vontade de entrar firme na cozinha.
    Seu excelente trabalho me anima a seguir em frente na idéia!
    Feliz Natal e um 2011 muito saboroso para todos nós.
    Brasília, DF
    Brasil
    R: Ana Lucia fico muito feliz em saber disso! te desejo muito sucesso e felicidade na sua empreitada culinaria. Boas festas e um beijo!

Deixe a sua pitada: