a cozinha da Astor House

Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO
Astor House - Golden, CO

A cozinha da Astor House foi um caso à parte. Ficamos mais tempo lá dentro do que em qualquer outro cômodo da casa. Fiquei absolutamente encantada com a riqueza de detalhes, todos os armários devidamente estocados, utilitários, gadgets, lavadora de roupa, telefone, panelas, formas, até dois cortadores de dedo, ops, mandolines gigantes, que nos fizeram gargalhar—imagine eu usando um desses! O mais legal dessa cozinha, além de poder fotografar, é que pudemos mexer em tudo, abrir gavetas, folhear livros, xeretar em todos os cantinhos, até cheirar as especiarias numa lata grande de metal pintada a mão que acomodava várias latinhas com temperos. Fiquei rodopiando pela cozinha por um tempão, como uma galinha bêbada e depois que visitei o restante da casa, voltei para mais uma rodada de olhadas e bisbilhotadas. Não sei se eu gostaria de cozinhar numa cozinha dessas—bem moderna para a época, mas inviável para os nossos hábitos práticos de século 21. Cozinhar dava muito trabalho! Mas o empenho de preservação da história é algo fascinante. Imagino que a maioria das pessoas que visita esse tipo de museu se concentra mais em outras partes da casa, como as salas, os quartos, a biblioteca. Mas eu, se não vejo a cozinha e a despensa, fico realmente frustrada. Nesse passeio que fiz ao Colorado, pude visitar duas cozinhas de duas casas do século 19—a chiquerrima da ricaça Molly Brown em Denver e essa pensão simples, porém incrivelmente equipada, em Golden.

5 thoughts on “a cozinha da Astor House”

  1. Simplesss??? Que nada…Cozinha padrão “perfeita”. Ainda mais naquele tempo, em que tudo o que se tinha para fazer era ficar trabalhando ali….rs

  2. Por aqui não é normal deixarem mexer nas coisinhas dos museus, imagino que por aí também não. Mas, neste caso, deve ter sido a felicidade total de até poder cheirar as especiarias 🙂

  3. Quando preciso de um pouco de inspiração, sempre venho aqui ver teu texto e tuas fotos. Sempre incríveis. E nunca canso de dar os parabéns por isso. Parabéns again!
    Bjos
    Diego
    R: obrigada, guri! fico muito feliz e lisonjeada!
    um beijo pra você.

Deixe a sua pitada: