o mundialmente famoso

paoqueijo-pat_1S.jpg

paoqueijo-pat_3S.jpg

Depois de quatro longos anos, a receita já espalhada pelo mundo afora, adaptada por um restaurante, testada e repassada até dizer chega, finalmente encarei o desafio de prepará-la também. Levei todo esse tempo para criar coragem, porque sempre achei que fazer pão de queijo do modo tradicional era muito trabalhoso, coisa para experts. Por a mão na massa é uma tarefa que me intimida, todos já sabem. E a dona da receita, minha cunhada Patricia, é uma cozinheira de mão cheia e essa receita é da mãe dela, que provavelmente aprendeu com outras gerações da família. Nunca esqueci da delicia que foi comer aquele pão de queijo quentinho na casa do meu irmão, mas será que iria ficar tão bom se eu mesma fizesse? Na dúvida, optei por não arriscar.

Minha vida toda só fiz apenas um tipo de pão de queijo, aqueles de liquidificador. E com esta receita absolutamente perfeita e infalível da Neide Rigo nas mãos, passei esses anos todos fingindo muito bem fingido que a receita da Patricia não era para o meu bico. Quando a Elise me disse que iria publicar a receita do famoso pão de quejo brasileiro e me pediu algumas dicas, passei a receita de liquidificador da Neide e também a tradicional da Patricia, explicando que a segunda eu nunca tinha preparado, porque tinha receio de me dar mal e me alonguei naquele interminável tralalá esfarrapado de gente enroladora. Com o meu atestado de covardia passado e assinado, fiquei muitos dias pensando naquilo—por que nunca fiz essa receita? por quê? por quê?

Nada como uma boa argumentação daquele grilo falante pra te colocar frente a frente com suas fraquezas e te dar um bom empurrãozinho em direção à ação. Num pisque comprei todos os ingredientes e numa tarde de domingo respirei fundo, fiz o mise en place e me pinchei de corpo, alma e coragem na receita do tradicional pão de queijo mineiro—o mundialmente famoso pão de queijo da Pat.

Fui juntando os ingredientes com o maior cuidado e quando coloquei os ovos achei que aquilo iria tudo pro lixo. Mas que surpresa, a massa liga perfeitinha, não precisei adicionar nada, ficou super moldável, fiz dezenas de pãezinhos. O único porém é justamente esse: a receita dá muito pãozinho, A dica seria diminuir a receita pela metade [ou até um quarto] ou congelar parte dos pãezinhos. Eu congelei uma parte e dei para o Gabriel assar quando ele quiser. Mesmo assim fiquei com muitas sobras. Como não queria jogar fora nem um cisco da minha obra prima mineira, preparada com ingredientes orgânicos da melhor qualidade, no dia seguinte cortei os pãezinhos ao meio e tostei na frigideira de ferro, Ficaram ótimos para comer com queijo cremoso e acompanhar saladas.

1 quilo de polvilho azedo [*usei a tapioca starch]
1 quilo de batata cozida e espremida
1 xícara de leite em temperatura ambiente
1 xícara de óleo vegetal
1 colher de sopa de sal
1/2 queijo de Minas curado ralado [*usei 500 gr de queso fresco mexicano]
6 ovos caipiras grandes
1 colher de sopa de erva-doce [*opcional]

Coloque o polvilho numa vasilha, esprema a batata cozida ainda quente em cima do polvilho. Coloque o sal. Misture bem com as mãos. Coloque o leite e continue misturando com as mãos. Coloque o óleo e misture, sempre com as mãos. Coloque o queijo ralado e por último os ovos. Mexer bem com as mãos até formar uma massa bem moldável. Para dar um toque especial, pode acrescentar uma colher de sopa de sementes de erva-doce.
A massa deve ficar macia como uma massa de modelar. Se estiver quebradiça, precisa acrescentar mais um ovo. Modelar os pãezinhos e assar no forno pré-aquecido em 400ºF/ 205ºC por 20 a 30 minutos. Essa massa pode ser congelada.

24 comentários sobre “o mundialmente famoso”

  1. Melhor receita de pao de queijo!!! Tinha um saco de polvilho doce na despensa que minha mae tinha trazido do Brasil. Tive a mesma impressao quando comecei a misturar os ingredientes – isso nao vai dar certo e vou ter que jogar tudo no lixo. Mas continuei amassando e ficou PERFEITO!!!! Segui seu conselho e fiz meia receita. Ja congelei a metade e a outra metade esta ja na minha barriga e do maridao. Nao achei queso fresco, mas coloquei queijo cheddar branco ralado e ficou OTIMO. Obrigada por compartilhar receita de familia. Bjs.

  2. Fernanda,
    Seu Blog veio-me por acaso em um dia de buscas. Confesso que nao sou lá muito de me entreter com receitas pela internet, tenho apenas um ou outro Blog culinário que sigo quase como Bíblias. Mas o seu é o melhor. Devoro-o com suas histórias divertidas e receitas incríveis.
    Muito obrigada!
    Cristina
    P.S.: e eu só queria uma receita com o Kohlrabi aqui da Alemanha! lol

  3. Fer, eu tenho pavor daquelas receitas de pão de queijo que mandam ESCALDAR o polvilho, já viu? É preciso ferver o leite com o óleo e depois juntar o polvilho.
    Só a palavra já me assusta – escaldar. Quando me imagino fazendo, me vem à cabeça aquele polvilho todo empelotando e pulando. E muitas, muitas queimaduras. 😉
    Um dia, quem sabe, eu encaro. Hoje estou fazendo a receita absolutamente perfeita e infalível – sua e da Neide. Já está cheirando…
    beijos!

  4. Lá em casa essa receita faz o maior sucesso. Sempre tem no freezer, congelados de seis em seis. Quebram um galhão na hora da fome de domingo à tarde.

  5. Fer querida, eu te digo que o pao de queijo da pat virou a receita favorita aqui. aquele rapaz do que te falei sempre comia pao de queijo, amava de paixao. e eu nao ficava sem te-los no meu congelador. e a minha receita coringa ‘e a receita da pat.que peguei aqui.bjs

  6. Conheci seu blog antes de ontem e estou ficando doidinha de ansiedade pra ler tudo de uma vez!!
    É bom demais!!
    Adoro receitas e gatos!
    Você está de parabéns!!
    Abraços
    Flávia
    R: seja bem-vinda, Flávia. e muito obrigada! beijo :-*

  7. Boa tarde Fernanda.
    Tudo bem ? Fico feliz em saber que o terremoto não chegou perto de vcs. Aqui no RJ, esta tudo um caos ainda…. Me tire uma dúvida, preciso untar o tabuleiro com manteiga ?
    Grande abraço,
    Lilian.
    R: oi Lilian, estou lendo sobre as chuvas no Rio. espero que logo tudo fique bem. eu forrei as formas com papel alumínio, acho melhor que untar. mas pela facilidade que os paezinhos descolaram, acho que nao precisa untar. abs!

  8. Este pão de queijo está lindo! Eu adorei que voce substituiu o polvilho, porque aqui eu nao encontro ou melhor, nem sei como se fala polvilho em ingles. Realmente o tapioca starch é bem parecido. Valeu!

  9. Ficou com aquela aparência perfeita de pão de queijo mineiro, Fer!
    Devia perder o medo também e colocar a mão na massa! As crianças iam adorar.
    Beijos.
    R: manda bala, Isa! beijos! 🙂

  10. Fer, estou com uma dúvida. Comprei agar agar hoje. Me venderam um pó. É isso mesmo?
    Sai de lá numa tremenda duvida.
    Beeeijo
    R: sim! o que eu uso é em pó — cada 4gr = 2 colheres de chá. beijo!

  11. Fer,
    Eu que faço tanto pão ainda não tive coragem para fazer pão de queijo e se eu gosto dele.
    Sem querer minorar o seu acto e a sua coragem, se você fez eu também vou ser capaz hehehe
    Um grande beijo deste lado do atlântico
    Moira
    R: tenho certeza absoluta disso, Moira! 🙂 faz e me conta, beijo!

  12. Que lindos! A minha mãe sempre colgelava os pãezinhos crús, pois a quantidade de gente que passava para um cafézinho da tarde lá em casa era grande, e eles eram uma mão na roda.
    Preciso encontrar tapioca starch (sei que lojas orientais têm) onde moro, pois geralmente compro o polvilho azedo em Londres, mas não tenho ido com muita frequência e o estoque acabou (fui no sábado e esqueci!). Namorado adora, pede sempre para eu fazer “cheese balls” 😉
    Ah, fiz a torta de amêndoas e limão, ficou bem gostosa, mas a textura estava mais homogênea e mais seca do que a sua parecia estar – acho que a farinha de amêndoas que uso é fina demais, e o tipo de limão fez diferença (usei um verde e um siciliano). Quero fazê-la de novo!
    Um beijo,

  13. Olá…descobri seu blog há pouco tempo e adorei!
    Ri muito ao ler seu perfil…passei por todas as fases que vc relata, do iogurte caseiro às comidas de microondas! Vc escreve muito legal e as receitas parecem incríveis…tb nunca me arrisquei num pão de queijo, mas vc me deixou bem motivada…rsrsrs. Depois te conto.
    beijos
    R: oi Clarice, se fizer conta sim, um beijo!

  14. Ficou com uma cara excelente! Nunca tinha visto receita de pao de queijo usando batata. Como vc sempre achei que fazer pao de queijo era coisa de outro mundo, ateh que uma amiga mineira me passou uma receita super simples e que dah pra fazer com ingredientes faceis de encontrar aqui. Tambem tivemos que diminuir bem a receita pois como a sua pedia 1 kg de polvilho. Faco com 250g:
    http://www.matoandmaplesyrup.com/2009/07/04/pao-de-queijo-brazilian-cheese-puffs/

  15. Eu so faco a receita da Neide tbem!! Eh o q todo mundo mais gosta aqui em casa. Mas confesso q fiquei tentada a experimentar esse ai q vc fez tbem, ainda mais com os ingredientes americanizados, pois eu nunca dou sorte com pao de queijo aqui em casa… por isso q os meninos me proibiram de fazer outra receita a nao ser a da Neide! hahaha!
    Beijos!
    Ana

  16. Bravooo! Que corajosa!
    Eu também, até hoje só fiz pão de queijo de liquidificador…vamos ver se eu me animo com essa receita da Patrícia!! Seus pãezinhos ficaram lindos. Mas agora eu estou igual a Sandra… batata no pão de queijo?? Surpresa total!
    Beijos 😉

  17. Obrigada pela dica sobre tapioca starch, moro em orange county, ca e agora posso fazer os paezinhos de queijo. passarei a novidade para a comunidade brasuca. Thais

  18. Ô Fer, quando vc congelar, congela em forminha de gelo pequena, fica ótimo! Daí, depois, é só desenformar em uma assadeira, esperar 10 minutos em temperatura ambiente e assar.
    BJOOOOOOOOOO!!!!!!!
    =)
    R; eu fiz bolinhas. beijao, Manu! 🙂

  19. Ola, Fer!!! Vc nao imagina a minha alegria qdo vi seu post sobre o pao de queijo! Eu moro na Australia e passo tempos sonhando e desejando essa maravilha brasileira, mas fico so na vontade pois nao encontro polvilho aqui nem por reza brava. E eis que vejo sua receita realizada com “tapioca starch” e “queijo fresco mexicano” e senti aquela pontinha de esperanca… Me da um help entao, onde vc comprou essa tal de tapioca starch, alguma loja especial ou supermercado comum mesmo??? Vou tentar achar por aqui tb.
    Parabens pela receita, parece deliciosa!!! Beijos, Carol
    R: oi Carol, que bom que se animou. a tapioca starch é muito comum em lojas asiaticas, mas tem tambem nos supermercados daqui. ja o queijo fresco pode ser substituido por qualquer outro no mesmo estilo, porque o que a minha cunhada usa é o curado, entao mais denso, boa sorte, depois me conta! beijo

  20. Que engracado, Fer, vc sabe que tenho medos medos na cozinha (cuscuz??hehe), mas da primeira vez que voce publicou esta receita, eu fui logo fazer 🙂 Soh nao repetih, pois tenho uma outra que eh “tradicional” tb e nao leva batatas. Entao soh faco a ultima, mais pra nao ter que espremer batatas mesmo..hehe
    Well, se um dia voce quiser, me fala que eu mando. Como diriam os mineiros, eh facim, facim:) Eu faco com parmigiano-reggiano.
    Bjs amiga!!
    PS da proxima vez, nao se acanhe, mande as sobras pra ca que eu dou conta..hehhehehe
    + bjs

  21. Nega, essa aí é a receita do pão-de-queijo – também mundialmente famoso – da minha irmã Sandra! Ela mora em Pindamonhangaba – eita nominho! – e assava pão-de-queijo todo-santo-dia pras filhotas dela, quando eram pícolas (sorte da tia quando estava junto, era a que mais comia hehe). O detalhe é que essa massa dura muito bem na geladeira por uns quinze dias, aí ela preparava a massa e ia assando conforme a quantidade de comensais presentes. Divina, maravilhosa! essa receita é verdadeiramente tudibom, eu recomendo! (não faço em casa porque iria comer tudo rapidinho, sozinha!!!) Beijão neguita (e o tal do terremoto, nega, deu pra sentir alguma coisa por aí? Ouvi dizer de um tremor secundário em Sacramento, fiquei pensando em ti – e torcendo pra que em Davis não tenha dado pra sentir nadica de nada!)
    R: nega! nao senti nada aqui em Davis, felizmente. saudades! beijo

  22. Minha heroina!
    Tambem ando pensando em fazer um pao de queijo “tradicional” – sabe que levei uma semi-bronca de uma amiga minha mineira quando ela viu meu blog?
    🙂
    Ela insistiu que eu devia fazer a receita da mae dela – e eu estou enrolando ate’ agora, mas voce esta’ me dando um empurrao na direcao certa!
    Os seus ficaram uma obra prima, deu ate’ saudades!
    R: faz sim, Sally! 🙂

Deixe a sua pitada: