frango [caipira] assado

frangocaipira_1S.jpg

Quando meu filho e a namorada vem almoçar em casa, eu gosto de caprichar, porque essas são ocasiões especiais pra nós. Eu tento fazer algo gostoso, diferente e interessante, mas não procuro não arriscar ou inventar moda, porque não quero acabar servindo uma gororoba incomível e dando bafão. Bom, dos bafinhos eu nunca escapo, como na vez em que preparei um crème brûlée de maracujá crente que iria impressionar. Como não tenho um maçarico, porque meu marido não me deixa comprar um pelas razões óbvias, planejei fazer a caramelização final no broiler. Deixei tudo organizado, só pra colocar os ramequins no forno e retornar à mesa, para bebericar o resto do vinho e contar um causo engraçado—neste fatídico dia eu estava justamente contando sobre o meu feito extraordinário de quebrar uma creusa de ferro e estávamos todos rindo alto, com os dentões escancarados, quando dei um pulo da cadeira e voei pra cozinha, Os ramequins estavam com uma camada fumegante, retorcida e preta, onde deveria estar um lindo e apetitoso caramelo. Me auto-chicoteando, removi o queimado e ainda conseguimos raspar o fundo do creme e saborear uma pequena amostra do que seria o resultado final.

Por essa e outras é que eu tento sempre fazer escolhas sensatas na hora de organizar um menu e não tem nada mais sensato do que um frango assado. Fui ao Co-op na busca de um franguinho caipira e o açougueiro me instruiu que aqueles, vindo de uma fazenda local na cidade vizinha de Woodland, eram criados com o maior cuidado e que o sabor era imbatível. Confiei na opinião dele, porque esse frango custava exatamente o dobro de qualquer outro. Mas pro meu filho, só o melhor. Resolvi temperar de uma maneira também caipira, usando os limões cravo que abundam na árvore de ninguém na esquina da minha casa.

Marinei o frango numa mistura de alho elefante ralado fininho, bastante folhinhas frescas de tomilho, sal marinho grosso, um pouco de pimenta de reino moída, um gole de vinho branco e raspas e suco de limão cravo. Coloquei uns limões cravos extras, cortados ao meio, na cavidade do frango e assei com os limões lá dentro. Deixei o frango de molho e coberto na geladeira durante a noite. No outro dia foi só colocar numa panela de ferro e levar ao forno em 375ºF / 200ºC por umas duas horas. Primeiro assei tampado e destampei na última meia hora. O frango ficou até meio desmilinguido de tão tenro e macio. E o sabor, ah, o sabor! Valeu mesmo cada pataca extra investida.

7 thoughts on “frango [caipira] assado”

  1. Fer, não como frango faz tempo, mas se fosse um desses bem feliz eu até comia!!
    Muito lindo seu amor de mãe…não tenho razões de queixa de minha sogra mas quem me dera que ela pusesse tanto amor nos almoços de Domingo quanto vc!
    Beijos 😉

  2. Os smilinguidos sao sempre os melhores! So pode ter ficado delicioso seu frango caipira Fer, ainda mais com essas lascas de alho q vc colocou, perdicao! Adoro garlic!!
    Ana

  3. oi Boa tarde,gostei minha especialidade com as penosas é frango e este vou fazer domingo aqui tenho facílidade com frango caipíra, os dois bolos ainda não fiz só quando for la na rua Santa Rosa,em SP, p/ comprar o arak, mais te falo como ficou, mostrei para minha vizinha ela fez ficou delíciaaa,. beijos bom domingo.

  4. Aposto que o frango ficou delicioso, principalmente na coxa, que pega super bem o sabor! E o que é o acompanhamento, mashed potatoes ou outro legume?
    R: foi frango assado com macarronada, um classico domingueiro. e salada! 🙂

  5. Nega, a cara do teu frango caipira não está das melhores (saiu meio branquelo neh?) e a própria conformação deles não ajuda muito. Mas pela receita que você descreveu, deve mesmo ter ficado dos deuses! Nossa, quanta coisa boa você fez e fotografou desde a última vez que estive aqui (a última coisa que vi tinha sido a salada de laranja com azeitonas pretas). Nega, foi um bode esse carnaval, nunca, NUNCA em minha vida passei TANTOS DIAS SEGUIDOS de calor nauseabundo e insuportável. Logo-logo te respondo teu último e-mail – ainda não encontrei inspiração para fazê-lo. Nega, eu vou tirar o documento pra começar a trabalhar como corretora num lançamento aqui em Faville. Não são boas notícias? Quando escrever te conto tudo, muitos beijos, saudades! Lúcia

Deixe a sua pitada: