empanadas de porco & tomilho

empanadas_p_2S.jpg

Tenho um caso de amor e ódio com massas. Eu amo as massas, mas elas me odeiam. E eu odeio de volta quando elas teimam em implicar comigo e não fazer o que supostamente deveriam fazer—esticar, ficar bonita, saborosa, crocante. Eu fazendo massa é como eu desativando uma bomba. Eu esticando massa é como eu tentando amansar cachorro louco. O estresse é sempre inevitável. Eu engano vez e outra, usando massa pronta em algumas receitas, porque sempre tremo quando preciso botar as mãos numa. Já fiz massas deliciosas e que deram certo sem muito suor e lágrimas, mas as pedras no caminho são muito mais frequentes.

Mesmo assim eu insisto, sou uma turrona e sempre que estou com a disposição, peito fazer a massa de frente. Sem falar que não dava pra substituir a massa dessas empanadas por nada pronto, porque na foto da revista Everyday Food, ela se mostrava toda garbosa salpicada de ervinhas.

Estou tentando fazer uma reflexão aqui, sobre o motivo de eu ter sido atraída por essa receita, já que não sou fã de carne de porco, muito menos moída, sem falar das minhas notórias batalhas com as massas. Deve ter sido a presença do tomilho e dos pinoles, sabe-se lá, mas resolvi fazer as empanadas. O recheio foi tranquilo. Troquei a carne de porco moída por duas linguiças frescas. Mas a massa—ah, a massa! Primeiro achei que era muita farinha, mas não era não. A receita é pra fazer oito empanadonas, então tem que seguir com fé. Mas mesmo eu tendo tido o maior cuidado com as medidas dos ingredientes, a massa não me deu mole e na segunda metade acabei tendo que fazer remendos, que deixaram as empanadas com cara de foragidas da lei se arrastando pelo deserto.

Claro que fiquei toda nervosinha, claro que reclamei que elas tinham ficado feias, claro que quase chorei quando vi as fotos mostrando os remendos, mas relevei tudo isso porque ao menos elas ficaram gostosas. Como a receita dizia que elas duram um mês no congelador, guardei metade e então vou ter empanadas pra mais uma refeição num futuro bem próximo, sem precisar mais estressar com a bendita massa!

faz 8 empanadas
para o recheio:
1/2 batata média cortada em cubinhos pequenos
1 colher de sopa de azeite extra-virgem
1/2 cebola pequena picadinha
1 dente de alho picado
250 gr de carne de porco moída
[*usei duas liguiças frescas, que abri e usei o recheio]
2 colheres de chá de folhas de tomilho fresco, extra para decorar
1 1/2 colher de chá de folhas de sálvia fresca picadas [*omiti]
2 colheres de chá de farinha de trigo
2 colheres de sopa de uvas passas
2 colheres de sopa de pinoles tostados
1 colher de sopa de vinagre sherry [jerez]
Sal marinho grosso e pimenta do reino moída na hora
1 receita da massa para empanadas
1 ovo caipira

Numa panela robusta, aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho, adicione a carne moída e refogue bem até a carne estar totalmente cozida, junte a batata picadinha e continue refogando até os cubinhos ficarem cozidos. Junte o tomilho e a sálvia. Adicione a farinha de trigo e misture bem. Adicione as passas e 2 colheres de sopa de água. Cozinhe até dar uma engrossada. Desligue o fogo, junte os pinoles e o vinagre. Salgue e adicione pimenta moída a gosto. Reserve.

para a massa:
4 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de chá de fermento em pó
1 colher de sopa de sal
2 colheres de sopa de folhas de tomilho fesco
3/4 cups [1 1/2 tabletes ou 170gr] de manteiga gelada cortada em cubinhos
1 1/4 xícaras de água bem gelada

No processador pulse a farinha, fermento, tomilho e sal. Adicione a manteiga e pulse até adquirir uma farofa. Vá juntando a água gelada aos poucos [de 1 colher de sopa por vez] até a massa desprender e ficar no ponto de amassar. Vire a massa numa superficie enfarinhada e sove até ela ficar lisa e macia. Divida a massa em dois. Abra cada parte e corte com a ajuda de um pratinho rodelas de 15 cm cada.

Pré-aqueça o forno em 400ºF/ 205ºC. Recheie cada rodela de massa na parte de baixo e feche, formando uma meia lua. Passe água na beirada, junte as duas partes e amasse com um garfo para fechar bem. Pincele com uma mistura de 1 ovo batido e uma colher de sopa de água. Decore com folhinhas de tomilho fresco. Distribua as empanadas em duas assadeiras forradas com papel alumínio e asse por uns 30 minutos, até elas ficarem douradas.

12 thoughts on “empanadas de porco & tomilho”

  1. Eu adoro empanada, pastel assado, bolo salgado, empadao, empadinha … Mas o tal de fazer a massa eh de chorar. Faco pao sem problema (exceto durante os anos em que morei em Brasilia, onde o pao fica esturricado nos 6-8 meses de seca e molengo nos demais), mas as tortas e empanadas nao sao minhas amigas.
    Dou uma dentro uma vez a cada 5 anos, sei lá.
    Enfim, vou tentar a sua receita, Fer :-).
    Abracos,
    Sueli

  2. Nao consegui sacar a que remendos voce se refere, me pareceu tudo ultra smooth, so’ com o “relevo” normal desse tipo de empanada…. deu agua na boca!
    eu adoro esse tipo de comida, mas tenho uma preguica incrivel de fazer. Acho que vou tentar algo assim no fim de semana
    R: Sally, a foto das remendadas nao entrou. 😉 é dá preguiça mesmo!

  3. Fer, amei as ervas na massa, devem dar um sabor incrível! Adoro empanadas, minha mãe sempre fazia quando viajávamos de carro para longe, era uma opção de alimentação leve (fazia vegetarianas), boa e barata para uma família grande!
    Deu vontade de morder!
    Um beijo!

  4. Nossa, ao contrário de vc, eu achei a foto linda! Acho lindo quando os alimentos ficam com uma cara meio rústica! Eu tenho no meu blog uma receita muito fácil de empanada, talvez menos estressante que a sua. Dá uma olhada lá! um abç!

  5. Tenho os mesmos stresses com as massas, às vezes voa massa pela cozinha toda. Eu perco a cabeça he he
    Mas algumas lá me vão saindo bem… tal como dizes, uso massas de compra. Mas a receita parece bem fácil, parece não ter nada para dar errado 🙂 Mesmo com remendos ficaram com boa cara… podes sempre dizer que são rústicas 🙂

  6. De vez em quando eu faco empanadinhas assim, aqui em casa eles chamam de pastel assado! hehe!
    Outro dia fiz uma torta (com a massa de iogurte q tem la no meu blog) e sobrou massa, congelei o q sobrou e na semana seguinte fiz “empanadas”, ficaram bem gostosinhas!
    Gostei da massa com ervinhas, vou fazer assim quando as ervas frescas reaparecerem por aqui (ai como o-d-e-i-o o friooooo)
    Beijao!
    Ana

  7. Oi Fer
    Eu também tenho uma relação difícil com as massas. Principalmente aquelas em que o glúten precisa reinar absoluto, como os pães. Minha solução foi comprar uma máquina de fazer pão. Adoro.
    Eu gosto muito de empanadas e só acertei mesmo depois que peguei receitas no blog de uma equatoriana. Ela tem receitas diferentes para empanadas doces, fritas, assadas…
    De qualquer forma, remendadas ou não, as suas ficaram lindas!
    bjs

  8. Oi Fê…você não me conhece, mas eu leio seu blog há anos, uma vez até fiz um comentário ahahah. Eu queria ver se você pode me ajudar com uma dúvida de translation de receitas, e não achei aqui um e-mail direto, você poderia me passar, ou eu posso te perguntar aqui pelo comentários mesmo?! Desculpe utilizar o espaço, mas eu não consigo pensar em outra pessoa que possa me ajudar!
    Muito obrigada,
    Ju

Deixe a sua pitada: