crostata de ameixa e vinho Porto

tortaameixa_porto_1S.jpg
Sinceridade? Não gostei nada de fazer essa torta. Muitos passos, muito detalhe chato. Também não amei o resultado, como pensei que iria. E o resto da família me acompanhou. Comprei as ameixinhas italianas na banca daquela senhorazinha super assertiva que também vende os melhores pêssegos do mundo. Tudo parecia perfeito, incluindo o fato que a receita é da Martha Stewart. Mas fiquei um tanto decepcionada, nem as fotos me entusiasmaram. Mas como eu tive o trabalhão de fazer, fotografar e comer, ela merecia estar aqui. Também porque apesar de não ter me conquistado, pode conquistar outras pessoas. O defeito principal dessa torta pra mim foi ela ter ficado muito doce—isso depois de eu ter eliminado parte do açúcar. Mas veja lá você que gosta de doçuras extremas, porque essa pode ser a torta dos seus sonhos!
1 e 1/4 de farinha de trigo
1 1/2 colher de chá de sal marinho grosso
1/2 colher de chá de açúcar
1 tablete [113 gr] de mantreiga sem sal gelada e cortada em pedacinhos
2 colheres de sopa de água gelada
1 1/2 xícara de vinho do Porto Ruby
1 1/4 de açúcar mascavo
1/2 pimenta tailandesa sem sementes e picadinha [*opcional — não usei]
1 quilo de ameixas italianas descaroçadas e cortadas ao meio
1/4 xícara de maizena
1/4 colher de chá de canela moída
1 colher de chá de creme de leite fresco para pincelar
Açucar demerara ou cristal paras polvilhar
No processador pulse a farinha, 1/2 colher de chá de sal e o açúcar. Adicione a manteiga e pulse até formar uma farofa grossa. Vá adicionando a água aos poucos até formar uma massa. Coloque numa folha de plástico, achate em forma de disco e leve à geladeira por 30 minutos.
Numa superfície enfarinhada abra a massa e coloque numa forma de 20 cm, deixando uma aba de uns 3 cm nas bordas. Congele por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno em 400ºF/ 205ºC. Numa panela junte o vinho do Porto e 1/2 xícara do açúcar mascavo e deixe ferver até o liquido reduzir para mais ou menos 1/2 xícara. Retire do fogo, adicione a pimenta se quiser, eu não quis, e deixe esfriar por uns 10 minutos.
Misture os 3/4 restantes do açúcar mascavo [eliminei essa parte, porque achei um exagero de açúcar e as ameixas já eram bem doces, mas se quiser vá em frente] com uma colher de chá de sal, as ameixas, a mizena, a canela e o xarope de Porto. Transfira essa mistura de ameixa para a forma com a massa. Dobre as bordas para dentro da forma [*achei essa parte meio absurda, pois a massa estava congelada e impossível de dobrar—melhor retirar do congelador uns minutos antes, mas esse detalhe não estava nas instruções da Martha, grr!]. Pincele a borda com o creme de leite, salpique com o açúcar demerara ou cristal e asse por 30 minutos. Reduza a temperatura do forno para 375ºF/ 190ºC e asse por mais 1 1/2 hora. Deixe esfriar e sirva.
*perceberam? gelar, congelar, assar por DUAS HORAS—lordhavemercy, quem tem todo esse tempo para esperar uma crostata [super doce] de ameixa ficar pronta?

9 comentários sobre “crostata de ameixa e vinho Porto”

  1. Eu sou fã de ameixas mas também não gosto de doces muito doces… então se for aquele doce que na primeira colherada já enjoa… eu dispenso. Mas gostei muito do aspecto. Há coisas que dão bastante trabalho e compensam no resultado, mas outras nem por isso. Esta, só mesmo tentando e, pelos vistos, não é para todos os gostos 🙂

  2. Puxa, Fer, ficou tão linda! Pena que não agradou como vc esperava.
    Para mim o maior problema das receitas da Martha Stewart é que são absurdamente doces. Eu não consigo entender porquê.
    Eu faço freqüentemente uma receita de Bolo de Laranja com Milho dela, a qual vc tb já publicou, que pede 1 1/3 xícaras de açúcar. Eu coloco só 1/2 e fica perfeita.
    O jeito é ficar de olho!
    Bjs 🙂

  3. Antigamente, eu atéque fazia uns pratos mais elaborados, mas agora com filhos, cunhada, agregados, cachorro, galinha, horta… fico com as coisinhas mais fáceis, as últimas sopinhas que vc postou por exemplo, são deliciosas!!
    beijão, bom domingo!

  4. Fer, pelo título parecia uma iguaria, mas estou com você… coisas muito muito doces não me empolgam não. Acho que eu ia era pescar essas ameixinhas, que parecem bem simpáticas 🙂

  5. De fato, como diria minha irma, so de olhar as palpebras ficaram grudando de tanto acucar 🙂
    Mas, duas horas no forno parece realmente demais.
    Eu achava que as receitas dela eram todas hiper testadas, mas pelo jeito nao e’ o caso. Acho que se voce usasse os mesmos ingredientes basicos para criar um dos seus sorvetes deliciosos teria um “winner-dessert”….

Deixe a sua pitada: