noodles com brócolis

A frase pode até ser chavão, mas é verdadeira—cozinhar é uma arte. Muitas vezes percebo minha cozinha como uma oficina, onde vou criar um prato comestível, o produto final que poderia ser um quadro, uma escultura, uma peça de cerâmica, uma colagem ou uma montagem interativa. Eu não entendo muito de arte, nem do processo da sua produção ou análise. Mas tenho essa inclinação natural para apreciar e admirar a beleza extraordinária da materia prima que usamos para cozinhar. Nunca me canso de contemplar as lindas formas e cores das verduras, legumes, grãos e frutas, que metaforicamente são minhas tintas, quando me ponho a pintar o canvas em branco do jantar do dia.

Para o jantar desse dia a inspiração era, como sempre, zero! Não é muito comum eu chegar em casa já com uma idéia para o jantar. Normalmente fico o dia inteiro bloqueada, até entrar na cozinha no inicio da noite e começar a abrir armários e geladeira. Também não sou organizada o suficiente para planejar o menu da semana e comprar ingredientes de acordo. Meu guia é o conteúdo da cesta orgânica semanal. É a partir dali que escolho seguir um caminho ou outro. São os legumes e verduras que estão na bancada da cozinha ou na geladeira que definem o menu do dia.

Foi o brócolis que orientou a concepção desse prato de massa. Usei um maço de brócolis, que separei os floretes e folhinhas e ralei os talos no mandoline. Usei um restinho de frango assado, que piquei em cubinhos bem pequenos. Depois foi natural juntar um punhadinho de tomates secos, também picados. Pensei um pouco se deveria ou não acrescentar um outro punhadinho de azeitonas pretas. Decidi por acrescentar e não me arrependi. Numa panela grande e funda coloquei bastante água com sal para ferver e cozinhei ali uns noodles feitos com farinha de spelt. Enquanto os noodles cozinhavam, refoguei o brócolis em bastante azeite. Só o tempo suficiente para os floretes cozinharem, mas sem deixá-los perder a crocância. Acrescentei os outros ingredientes, mais sal grosso e floquinhos de pimenta vermelha a gosto. Depois foi só juntar o refogado de brócolis aos noodles cozidos e escorridos, ralar bastante queijo parmesão para salpicar por cima do prato, servir e comer.

Pena que essas obras de arte diárias que produzimos nas nossas oficinas-cozinhas não são preservadas e têm um tempo de existência bem curto. Como os minuciosos mandalas de areia tibetianos, nossos lindos pratos coloridos também desaparecem, mastigados e devorados avidamente pelos comensais famintos. Para rebater esse ritual cíclico de impermanência, temos a sorte de poder usar nossas câmeras fotográficas e assim registrar a beleza desse nosso trabalho, que é o resultado de toda a nossa dedicação, para a posteridade.

12 comentários sobre “noodles com brócolis”

  1. Fer, eu amei essa comidinha rapidinha e gostosa!
    Sabe o q farei amanhã? vou a uma feirinha de orgânicos aqui perto de casa, num templo hare-krishna, q acontece todos os domingos. Aos poucos, a civilização chega por aqui! Estou numa onda de querer só consumir legumes e frutas orgânicos, mas nos supermercados ainda é restrito e por preços absurdos! Depois te conto como é a feirinha (O Moa tb tá com vontade de ir!). Beijão!

  2. Amo brócolis com massa…e sua alquimia deve ficar deliciosa…da próxima vez adicionarei tomate secos e azeitona.Aqui costumo ter sempre o tomate na despensa.Eu os compro desidratados e vou hidratando conforme a demanda.E azeitonas são um dos lanchinhos favoritos do meu filho :o)
    Bjo

  3. Lindo texto!!!!
    e as fotos como sempre!!!
    Ainda hoje estava comentando com o maridinho que cozinhar é um acto de amor, acabando de ler o seu post, fiquei a pensar….
    Sim, realmente é arte!!!
    Um beijinho

  4. Fer, que texto lindo. Eu concordo plenamente. Aliás, li algures que a cozinha é a arte mais completa, por ser a única que estimula, ao mesmo tempo, todos os sentidos. E adorei! Nunca tinha pensado nisso, mas é verdade.
    Obrigada por me lembrar disso, numa semana em que os meus cozinhados têm sido tudo menos arte!
    Beijo *

  5. Sim, cozinhar é uma arte. É essa a motivação que me traz diariamente aqui, admirar a sua arte tomar forma, seja nas fotos dignas de um profissional, seja nas receitas improvisadas utilizando o que está disponível na “cesta” ou, como neste post, na maneira pela qual as palavras fluem do seu teclado. Adorei! Bjs.

  6. Brocolis com pasta é um classico!
    E este seu, incrementado assim, deve ter dado um otimo resultado.
    O meu sempre que faço, e ha decadas, é sò brocolis ao alho e oleo com bucattini.
    Mas vou tentar seguir esta sua dica, que é boa.
    Bjs!

Deixe a sua pitada: