suflê de abóbora

sufle_abobora_2S.jpg

Estou no ponto de sair por ai gritando—não quero ver mais nem uma mísera abóbora na minha frente, apodreçam todas as abóboras do mundo! Essa coisa de dieta sazonal tem um lado odioso, pois a repetição enfadonha de um ingrediente pode incitar uma revolta e um entojo gastronômico até no mais zen dos comensais.
Não sei realmente explicar qual foi a força sobrenatural que me fez folhear os livros da minha estante procurando por uma receita de suflê, sendo que esse é um prato que nunca me seduziu. Deve ter sido o desespero de consumir rapidamente as desgostosas e abundantes abóboras, que fez eu me aventurar por caminhos nunca antes percorridos.
A receita da Lulu Peyraud publicada no livro Lulu’s Provençal Table do Richard Olney, era para um suflê de batata. Devo ter feito qualquer erro na adaptação—nenhuma surpresa até ai. Devo ter colocado mais abóbora do que a receita pedia, na ânsia de gastar as dita cujas. E acho que bati as claras em neve um pouco além da conta. Tive aquele problema clássico dos suflês, que poderia ter acontecido em qualquer cozinha, e fatalmente aconteceu na minha. Fiz um suflê de abóbora murchinho, mas que ficou bem comível e até que bem saboroso. Um suflê com defeito, que por isso mesmo combinou perfeitamente com a minha cozinha imperfeita.

suflê de abóbora
800 gr de abóbora cortada em cubos
6 colheres de sopa de manteiga
1 xícara de leite quente
Pimenta e noz moscada moídas
1/2 xícara de queijo parmesão ralado
3 ovos, gemas e claras separadas
Sal a gosto

Pré-aqueça o forno em 400ºF/ 205ºC. Cozinhe a abóbora como quiser—eu fiz no vapor—depois passe pelo food mill, ou amassador de batatas. Junte a manteiga, o leite, adicione a pimenta, noz moscada. Coloque as gemas batidas, o queijo e sal a gosto. Bata as claras em neve e junte à mistura de abóbora. Coloque numa forma de suflê bem untada. Como eu não tinha forma de suflê usei ramequins. Asse por 25 minutos. Sirva imediatamente.

11 comentários sobre “suflê de abóbora”

  1. Fernanda, olha so que engraçado isso, como eu nao sabia que suflê nao era muchinho, eu nunca fiquei triste com os sûfles. Todos os sufles que minha mae fazia eram muchinhos, entao eu achava que era assim mesmo! Quando minha sogra nos recebeu num jantar com um sufle fofao eu achei horrivel!!!!
    rs
    aiai…
    Ah, eu vou pra Santa Cruz apresentar um trabalho, fica longe de onde vc mora?
    Um abraço
    k

  2. Pior do que a sua história do suflê que não “suflou” foi um dia eu achar que podeira fazer suspiros como minha avó….coitadinhos !!! Até hoje sou motivo de chacota…ahahaha..lembrei que preciso postar os bolas-murchas.

  3. Linda,
    Vou contar um segredo para vc… o meus suflés não são murchos…são murchíssimos…coitadinhos, ficam tão mirradinhos que até dá dó comê-los.
    bjs e bom fim-de-semana
    Ass: da sua fã desnaturada

  4. Cozinha imperfeita?! Não creio! Acho até que é nessas imperfeições de que você fala que está o encanto de uma cozinha do dia a dia numa casa de quêm se preocupa com o que come e o que dá de comer.
    Mais uma vez, adorei o texto!
    Beijo e bom fim de semana

  5. Fer, eu nunca consegui fazer um suflê fofinho, os meus sempre murcham, mas eu nem ligo – adoro suflê e como aqui não temos essa abundância de abóbora, me deu vontade e acho que vou fazer essa sua receita.
    beijão

  6. Ah, nao sei se ta murchinho mas perfeito ou nao esta lindo e de dar agua na boca Fer, juro!
    Eu ja amo abobora, tenho feito praticamente quase todos os dias, acorn, butternut, pumpkin, o que tiver around e eh sopa de abobora, muffins de abobora, pure, nhoque… ai eu adoro viu, ainda nao enjoei! hehehe!
    Ate hoje comprei uma pie pumpkin e assei para fazer sopa p/ o almoco de amanha, a pedido do filhote! (e olha q hoje nos comemos acorn squash no almoco…) Ainda bem q ele tbem gosta e me acompanha!!
    Ta lindo seu sufle viu!
    Beijao!
    Ana

Deixe a sua pitada: