13 comentários sobre “os horrores dos bastidores”

  1. peixe cru eu nunca comi. agora carne de sol, me fartei na minha viagem a salvador. a dona da casa onde fiquei hospedada falava maravilhas desse parto e tive que provar. não passei mal. amém. 🙂

  2. qto ao peixe crú, tambem não gosto mesmo, mas a carne de sol, eu preparo a minha faz anos!!!
    é fácil, fácil- apenas pego um pedaço de carne mole (miolo de alcatra ou bombom de alcatra) coloco 3 colheres de sopa de sal refinado mesmo, coloco num saquinho plástico, retiro o ar e aí (pasmem) levo a geladeira, na parte de baixo por 4 dias (reviro todos os dias o saquinho). Ela vai ficar escura e o preparo é igual , raspo o sal, escaldo, retiro toda a agua , aperto numa toalha e aí frito com cebolas. Gente, fica deliciosa mesmo! bjo

  3. Eu tbem nao como peixe cru, literalmente porque nao consigo engolir, acho horrrrivel!
    Porem, comer em restaurante eh um risco constante, e ca entre nos nao so com peixe-cru…
    (salvem as excecoes claro, onde a procedencia dos alimentos eh levada com cuidado, mas a maioria dos estabelecimentos alimenticios… afe, nem da p/ pensar muito nao, eh paranoia na certa!)
    Ana

  4. Bem, nao sou especialista em culinaria japonesa, mas como (ex)professora de japones, e esposa de um cara que morou no Japao por quase 15 anos, posso afirmar que jah ouvi casos de vermes sair do olho de uma pessoa. Mas nao se assustem. O problema eh a procedencia do peixe. Se ele vir de um lugar limpo e for fresco, nao tem problema. Nao precisa deixar de se deliciar com o peixe cru, soh por causa disso… Como dizia na reportagem, algumas pessoas nao serao contaminadas. Logico! Eh como uma gripe. Algumas pegam, outras nao. Todo mundo corre risco. Mas tem como se PREVENIR. Sabe aquela pasta verde? Eh chamada de wasabi(conhecida tambem como raiz forte). Bem, ele eh usado pra matar certas bacterias no seu organismo. Entao voce jah fica alguns “porcentos” livre de pegar algum tipo de bacteria.

  5. Hummm…eu acho que em tudo deve haver equilíbrio, sem exageros. O peixe crú, por exemplo. Eu já experimentei o famoso sushi e outras iguarias japonesas com o peixe cru. Digamos que não sou fã, como algumas pessoas que conheço mas, acredito que voltarei a comer. Também me faz um pouco de confusão, confesso. Mas penso que se o fizer uma ou outra vez, mesmo que não esteja 100% isento de bactérias e afins, não morrerei disso. Como em tudo na vida, na alimentação penso que não devemos exagerar. Bem, agora a carne de sol ou carne seca, eu nunca comi. Em Portugal não é popular. Aqui, em Angola é. Contudo, eu fico com agonia só de olhar para aquela carne preta, na berma de estrada a apanhar com toda a poeira e lixo. E depois, Fer, carne faz-me muito mais impressão do que peixe. Eu, por exemplo, recuso-me a comer carne na cantina coreana dos meus colegas. A minha desculpa é sempre de que é imensamente picante contudo, e eu confesso aqui, é porque tenho medo que no meio daqueles pedacinhos de carne venham umas lasquinhas de cão ou gato. Eles comem isso tudo. E aí, se eu comesse qualquer um desses bichinhos por engano, acho que nunca mais na vida comeria carne. Um dos meus colegas filipinos chegou a dizer-me que um dia me ia enganar e oferecer-me carne de cão a comer. Escusado será dizer que raramente eu provo os pratos deles. Eu sei que eles aqui não comem mas, eu prefiro não arriscar. Bem, se eu contasse as coisas que eles comem por lá…oh my god!!! Só para terminar, uma das especialidades deles é comer o ovo de pato quando o pato ainda é feto. Uma coisa perfeitamente surreal para mim! Mas, que hei-de fazer? É a cultura deles que, nesse aspecto, eu prefiro não aprofundar muito.
    Beijo

  6. Vitor, a reportagem diz — No entanto, não acredita que todos os consumidores correm riscos. Para ela, a intoxicação depende de cada organismo, da quantidade ingerida e do tipo de bactéria.
    Algumas pessoas vao ficar doente, outras nao. Mas o ponto ai eh outro, quem eh que quer comer algo cheio de coliformes e bactérias? Eu nao!

  7. Pexie cru: já vejo por outro lado, se fosse assim mesmo teríamos mais casos de intoxicação alimentar, pois o boom que teve da comida japonesa, ainda mais em SP. E não estou defendendo a raça não, só acho um pouco imprudente uma profissional da saúde dar declarações desse tom, que a população em geral vai levar para o lado alarmista.

Deixe a sua pitada: