O que podemos fazer

A divulgação de um video perturbador pela Humane Society precipitou o maior recall de carne da história deste país. Eu não vi o vídeo, porque não consigo. Mas não preciso ver o horror pra me sentir completamente enraivecida e desolada. O excelente food blog The Kitchn listou alguns links úteis e outros importantes para alargar os horizontes da discussão. O que importa é que o video chocou e que o USDA tomou uma atitude, que deveria se expandir e multiplicar. Pra quem ainda não sabia desses horrores, fica a pergunta—e agora, o que fazer? Pra mim a resposta é muito simples: diminuir o consumo de carnes e buscar produtos de fontes confiáveis. Eu não quero contribuir com nem UM CENTAVO para essa indústria baseada em brutalidade e crueldade. Além do meu já declarado compromisso com os fazendeiros e pequenos negociantes do Farmers Market e com os supermercados locais, ainda posso contar com uma grande ajuda—o Eat Well Guide, um mecanismo de busca para ajudar a encontrar os bons produtores na sua área. Funciona otimamente, para EUA e Canadá.

13 thoughts on “O que podemos fazer”

  1. Pára tudo! Acabei de ver uma parte. Sempre soube que esse tipo de crueldade existia, mas nada como assistir de fato… Já estava proibida de comprar carne por causa do recall pelo marido – o que eu não achei mal porque não sei cozinhar carne direito com exceção das almôndegas caseiras que faço, depois dessa foi o que bastava. O seu blog é um bem pra quem quer o bem da vida.
    Obrigada.

  2. Oi Fer, cliquei no link para o vídeo. Não consegui nem ver os primeiros 10 segundos. Me deu um aperto tão grande no peito e um súbito ódio pelo ser humano que vezes demais se mostra arrogante, insensível, cruel e com a mania da superioridade e da omnipotência!
    Enfim, digamos que não foi a melhor maneira de começar o meu dia…massssss se ficar irritada fosse a solução tudo já estava resolvido.
    Eu sou como você, uma pseudo vegetariana. Como carnes brancas algumas vezes, e quando como me preocupo em saber sua origem e a forma como estes animais foram tratados. Eu nunca gostei muito da carne de vaca, desde criança, porém, sempre amei o sabor do bacon. Mas o meu coração falou mais forte que o paladar e consegui deixar de comer a iguaria faz mais de dois anos. Volta e meia utilizo tofu defumado para cozinhar e ele cumpre direitinho o papel do bacon na comida. Daí eu me pergunto, se a gente pode fazer substituições fáceis, práticas e saudáveis, porque sacrificar um animal, um semelhante nosso, que faz parte deste mundo tal e qual nós fazemos?!
    A nossa missão é começar em casa, educar nossos filhos, conscientizar amigos e não contribuir de maneira nemnhuma para o crescimento desta indústria desrespeitosa que é a indústria alimentar de hoje.
    O que devemos fazer, rapidamente, é adotar uma dieta totalmente cruelty free, orgânica, que não destrua, que respeite os animais o que automaticamente nos fará sentir melhores, mais saudáveis física e psicologicamente.
    Obrigada por abordar este assunto no blog. Desculpa o testamento…Um beijo enorme, adoro seu blog, suas receitas, suas histórias e seus gatos fofos!

  3. Nao tive coragem nem coracao para clicar e assistir, estou morando na Italia e apesar de na Europa existirem leis que controlam e proibem a crueldade com animais que serao abatidos, semana passada o telejornal mostrou a viagem de horror que faziam os animais que viajavam da Espanha para serem abatidos na Italia. Nem sei o que dizer, as denuncias sao importantes, porque muitas vezes esquecemos como chega na nossa mesa o jantar…
    Abracos,
    Maria

  4. Eu morei em fazenda até os 8 anos de idade, e passei os outros 30 visitando fazendas (sogros, amigos, hotéis-fazenda) e nunca vi nada tão brutal assim na minha vida inteira, estou em choque. Por coincidência, postei sobre as galinhas esta semana, mas esta da vaca… ganha.

  5. Sou solidaria a você.
    Assisti uma cena do vídeo e é um horror. Uma crueldade não só com os animais mas também com as pessoas que irão consumir o produto.
    Aqui em Brasília a carne está “pela hora da morte”. As explicações não convencem e os meios de fiscalização por aqui nem sempre são confiáveis. Temos que confiar nos rótulos das embalagens, que nos diz que é orgânico e que tem selo de sanidade. Mas só isso adianta. Creio que não.

  6. Olá FEr:
    Bem, a falta de escrúpulos também é mundial e globalizada. Assisti ao vídeo e li a reportagem sobre o recall. È tudo muito repugnante e as desculpas que os responsáveis inventam são vexaminosas.
    No Brasil, além do embargo da carne para exportação nos últimos dias, tivemos também recentemente casos de adição de água oxigenada, água sanitária e outras cositas más e mais ao leite em laticínios de Minas e norte de São Paulo.
    Se tivemos o embargo pelos países dito sérios e se aí nos EUA foi preciso um recall, imagine o que nós, povo brasileiro temos para consumo ?
    E uma coisa ruim é que ainda vemos muito pouca movimentação em direção aos orgânicos (que são mais caros e a maioria não pode comprar), alimentos certificados e etc.
    Um beijo, é sempre muito bom acompanhar seu blog.

  7. não sei bem do que vocês falam, mas pelo jeito esta “coisa” com a carne deve ser meio geral. Aqui no Brasil o governo está maluco porque a carne brasileira foi novamente embargada para consumo no exterior, dizem, por falta de vigilância sanitária e fiscalização. no RS, onde eu moro, estamos ameaçados pela raiva bovina que ataca os rebanhos de “los hermanos”. por conta disso tudo, o preço da carne baixou, mas já avisaram que é por pouco tempo. parece que vamos ter mesmo que mudar alguns de nossos hábitos e reduzir o consumo de carne. eu evito comprar carne em açougues, prefiro comprar no supermercado, mas, mesmo assim, nunca se sabe…

  8. Oi, Fer! Já há um bom tempo comecei a buscar informaçoes confiáveis sobre esse assunto, e assisti ao Earthlings, um documentário sobre a exploraçao dos animais pela indústria (e nao só a alimentícia), e a um documentário brasileiro chamado “A carne é fraca”. Ver esses documentários revolucionou a nossa alimentaçao aqui em casa de uma forma irremediável. Nao dá para sustentar essa indústria. Tb nao dá para alimentar o nosso corpo com antibióticos, raçoes anabolizadas, adrenalina e sofrimento, destrói a nossa própria saúde.

  9. Querida Fer,
    I’m so sorry for you and most of all, for “them”. voce sabe como me sinto em relacao ao consumo de animais. Aproveitei meu register to vote pra assinar uma peticao, Sabado (no Dog Park:)), contra essas crueldades. Tsk.
    Bjs e fica bem..
    Bri

  10. Fer,
    super obrigada pela dica do site! Estou indo morar em Quebec e estava perdida de onde comprar produtos organicos. Recebo a minha cesta organica semanal aqui em SP e estava tao preocupada pois nao tinha achado nada parecido por la… Quanto as carnes… eu posso ate evitar, diminuir, mas nao consigo parar de comer nao …

  11. Oi, Fernanda! Já escrevi aqui nos seus comentários, mas é raro… Mas venho aqui todo dia.
    Estou enlouquecida com essa questão da carne. Moro em Cambridge, MA e quando li sobre o recall cheguei a ter um embrulho no estômago. Como pode essa crueldade imensa com os bichos e essa falta total de fiscalização com a carne?! Isso porque e maior parte da carne foi usada para merenda escolar!
    Também não tive coragem de ver o video… Não compro carne mais até descobrir um lugar aqui em que possa confiar. Fui no site que você recomendou e lá vi a indicação de um butcher bacana que vende em Boston. Vou me dedicar a isso; não dá mais!
    E eu que comprei o Dilema do Omnívoro e ainda não tive coragem de ler… Tenho que deixar de ser pastelona e resolver essa questão de uma vez para mim.
    Obrigada pela indicação do site e pelas informações de sempre.
    Beijos.

Deixe a sua pitada: